17 agosto 2017

Alguém me ajuda?

Ontem ao abrir a caixa de correio encontrei um embrulho da Desigual. Não é marca que me chame atenção (é tudo demasiado colorido para o meu gosto) e tinha a certeza que não era meu. Olhei o nome que vinha na embalagem e confirmou-se: vinha em nome de uma Maria Sofia Assunção Feiteira. A morada estava incompleta (a rua é a mesma que a minha mas o prédio não existe, nem sequer o andar). Não compreendo por quê foi parar na minha morada (em comum só temos o facto de morarmos na mesma rua).

Já fui ao facebook e pesquisei pelo nome mas aparecem duzentos perfis com o nome "Sofia Assunção", já pesquisei por "Sofia Feiteira" e os perfis que me pareciam credíveis de serem a pessoa que procuro, lá enviei mensagem mas ainda ninguém respondeu...

Não sei o que faça. Entretanto já abri a encomenda e trata-se desse vestido preto, que no site custa 79€.

Custa-me tanto pensar que alguém pagou 80€ por um vestido que nunca vai receber... O erro aqui nem foi dos CTT mas sim da compradora (ao digitar a morada de entrega) ou da própria Desigual a enviar a encomenda. Entretanto também já enviei mail à Desigual de Espanha (de onde saiu a encomenda) mas até agora nenhuma resposta.

Alguém tem outra ideia? Queria tanto achar a verdadeira 'dona' do vestido! Help me!
SHARE:

14 agosto 2017

Escapadinha // Elvas & Monsarraz

No fim-de-semana passado decidimos, à última da hora, passar ao fim-de-semana fora. Queríamos um novo sítio para desanuviar a cabeça e esquecer os últimos acontecimentos (especialmente a minha mãe). Estamos em Agosto e arranjar hotel em cima da hora foi toooda uma aventura. É verão, está meio mundo de férias, é normal que não haja grande oferta de alojamento. Para piorar, o pet-hotel onde costumamos deixar a cadela não tinha mais vagas (e nós realmente só confiamos naquele sítio, ela habitua-se lindamente e adora ir para lá). Ponderou-se a hipótese de um de nós ficar em Lisboa por causa da nossa bolinha de pêlo (infelizmente a maior parte dos hotéis portugueses não está receptiva para receber um cãozinho, mesmo um que tenha 3,5kg e seja super educado - como é o caso da nossa baby).

Por sorte conseguimos um hotel em Elvas que aceitava animais e apesar de nunca ter me passado pela cabeça visitar Elvas (só tinha ouvido falar muito superficialmente), achei que poderia ser giro dado ser a 5km de Espanha (queríamos conhecer o Aqua Badajoz - já esgotámos os parques aquáticos do Algarve e adoramos experimentar novos).

Elvas é super pequenina e um encanto. Ficamos mesmo ao lado do Castelo, na parte antiga da cidade e adoramos o sítio. Muita população local (principalmente idosos) e comércio tradicional, coisas que eu adoro. Não é daquelas cidades massificadas onde tudo é feito para turistas, em Elvas tudo era do mais genuíno possível e só assim podemos sentir que de facto conhecemos a cidade.
SHARE:

12 agosto 2017

Objecto de Desejo | As cadeiras suspensas!

Hoje resolvi ressuscitar essa rubrica (que andava desaparecida em combate) e vim falar-vos sobre uma das minhas 'paixonites'. Andava há uns valentes meses de olho numa cadeira suspensa (daquelas tipo baloiço) que estão um pouco por todas as lojas. Já estão a visualizar a coisa? Não? Pronto, são algo deste género:

São tããão giras, tão confortáveis, tão 'baloiçantes' que uma pessoa depois de se sentar ali já não quer outra coisa.

SHARE:

03 agosto 2017

02 de Agosto de 2017.

Há 14 meses, no pior momento da minha vida (digo-o sem qualquer dúvida), escrevi esse texto como um manifesto contra o tabaco (essa merda que leva tanta gente boa). Ontem o tabaco levou mais uma pessoa da minha família, a minha tia Bia. Aquela que fumava 2 maços por dia, há mais de 30 anos.

Não, não foi cancro. Não, ela não estava doente. Ninguém estava à espera. A minha prima disse-me que há dois dias ela queixou-se de estar com as pernas muito inchadas (e estava), tomou um diurético e melhorou. No dia seguinte sentiu uma dor fortíssima na perna, caiu desmaiada, levaram-na para o hospital já em coma, ficou nos Cuidados Intensivos uma noite, com o diagnóstico de Trombose, que entretanto evoluiu para uma Embolia Pulmonar. Foi fatal.

Ainda não me caiu a ficha, ainda estou em choque. Não quero acreditar...

SHARE:

30 julho 2017

Vamos falar de... dinheiro?

Sim, leram bem. Este é um post sobre dinheiro. Falar de dinheiro é sempre um bocadinho constrangedor, admito. Se falamos muito abertamente (com valores e toda essa riqueza de detalhes) acabamos por melindrar alguém que talvez não tenha os mesmos parâmetros e que pode acabar por sentir que estamos a menosprezá-lo. Sim, minhas amigas, o dinheiro tem esse poder sobre algumas pessoas. Ficam muito incomodadas se sabem que alguém ganha mais do que elas, se sabe que alguém tem um carro melhor que o delas, uma casa maior, enfim... o costume na nossa sociedade.

Por isso evito o assunto e esta é a primeira vez que vou falar abertamente sobre o tema no blog. Porque achei que era preciso, porque vejo/leio por aí muita coisinha que me faz confusão, muita gente a comentar sobre o que não sabe e a achar que eu encontro dinheiro em árvores ou que tenho uma qualquer máquina que me imprime notas de euro durante a madrugada. Não, dinheiro não me cresce das árvores e ao contrário do que parece (sim, preparem-se para rir) eu acho que o segredo de ter sempre 'dinheiro para tudo' (como já várias vezes comentaram) é fazer uma boa gestão financeira dos meus recursos. Okay, vindo de alguém que é bastante consumista (assumo-o sem problemas) isso pode soar até irónico, mas acreditem, é bem verdade.

E por ser verdade, decidi partilhar com vocês um pouco da minha gestão financeira, do meu custo de vida e daquilo que faço para sempre conseguir ter dinheiro de parte para gastar nas coisas que realmente me dão prazer (compras, restaurantes e viagens, não exactamente por essa ordem). Vivo em Lisboa (Oeiras), somos apenas eu e o meu marido, ainda não temos filhos nem animais domésticos, logo, o nosso custo de vida é incrivelmente reduzido (especialmente se pensarmos que vivemos a 15 minutos do centro de Lisboa). Ressalto também que não temos empréstimos de qualquer espécie, nem temos vícios daqueles que exigem investimento diário de dinheiro (tabaco, álcool, cafés, apostas, etc).

SHARE:
© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig