18 junho 2018

Está tudo bem :)


Viemos passar uns dias de férias num sítio cheio de sol e bom clima (que bem que nos fez!) mas já estamos de regresso a Portugal. Foram 10 dias cheios de coisas boas: praias lindíssimas, cultura até sair pelas orelhas, uma nova experiência a conduzir pela mão inglesa (nem vos digo, nem vos conto), um bronze daqueles à africana, comida da boa (e umas ancas de bradar aos céus, mas caguei, estou de férias, não me lixem).

Fomos à Pisa, Cinqueterre (fiquei apaixonada!), ilha de Malta, Comino (sem palavras!) e Gozo. Ufa! Voltei a precisar de férias para descansar do tanto que as minhas perninhas andaram por lá mas valeu bem a pena! Agora já estamos com o bichinho para planear as de Setembro (já é tradição passarmos o nosso aniversário de casamento fora) mas ando a pender para os EUA e ele não está nada inclinado. A ver vamos! Quem mais também chega das férias cheia de gás e a pensar na próxima viagem?
SHARE:

09 maio 2018

"Em águas de bacalhau"

Que é como quem diz, este blog está em coma induzido, praticamente nos cuidados paliativos. Pessoa impulsiva que sou, estive a uma unha de fechar o blog ontem. Ando sem grande vontade de escrever (na verdade, vontade eu até tenho mas sobre temas muito pessoais que - dada a quantidade de gente da minha "vida real" que já descobriu sobre o estaminé - torna-se difícil para mim falar sobre os assuntos que realmente me apetecem), então, sinto-me de "pés e mãos atados" e odeio a sensação!

Sinto-me numa espécie de limbo, como se estivesse a perder a minha "privacidade" porque agora há imensa gente que me lê e que sabe das minhas rotinas, planos, desabafos... gente do meu trabalho, familiares do meu marido, enfim. Por um lado é sinal que o blog cresceu e chegou a outros lados, por outro é assustador não ter bem a noção de quem está "do outro lado" do computador a saber detalhes da nossa vida.


Tenho pensado muito nisso ultimamente e sinto que cheguei no limite da exposição, daquilo que quero partilhar. Enquanto era uma simples desconhecida, tudo era perfeito. Agora, já não. Por isso, por uns tempos, vou tirar umas férias do blog e pensar no que quero daqui para frente.

Não vou sumir, vou apenas fazer uma pausa. Está tudo bem comigo, está tudo bem no casamento e na vida em geral. Hoje recebi uma notícia maravilhosa - espero por ela há 9 anos! - mas lá está, mais uma vez não posso partilhar. Como detesto isso! Hei de pensar numa solução (um blogue novo, talvez?). Enquanto isso, vou ficando pelo instagram que sempre é mais reservado (e sim, está privado e não aceito toda a gente). Até logo, pessoas!

(Entretanto caso queiram falar comigo, enviem um email para o sítio do costume!)
SHARE:

28 abril 2018

RIP, Reembolso do IRS ❤


É certinho e direitinho: todos os anos, mal me cai o reembolso do IRS na conta, faço uma extravagância! Sempre! É um dinheiro que, para mim, é como se não existisse. Não estava a contar com ele (todos os anos o valor muda, é difícil fazer contas com o que não se sabe), felizmente não preciso dele para coisas importantes (bom, é certo que poderia meter na conta poupança mas nos últimos tempos poupei imenso e estou satisfeita com o nosso pé de meio actual), por isso mantive o ritual dos anos anteriores: estourei nalguma coisa que me faria feliz!

E como o reembolso não é só meu (faço em conjunto com o meu marido), lá comprei a viagem que o homem queria (finalmente vamos meter o lombo no avião, já para o mês que vem) e uma malinha que eu namorava há teeeempos. Esposa feliz, marido feliz, não é assim que dizem?

(este ano - que o Centeno não me escute - não sei o que raio se passou com o reembolso, se erraram nas contas ou lá o que foi, mas sei que nunca na minha vidinha pensei vir a receber tanto de IRS. A sério! Até me saltaram os olhos das órbitas quando fiz a simulação no site, não sei se por ter feito no dia 1 aquela porcaria estava com algum erro (se estava, azarucho, que agora já "investi" o dinheiro todo ahahaha). E vocês, já têm o reembolso na conta? Planos extravagantes com o dinheiro ou vão amealhar?
SHARE:

19 abril 2018

Lema de vida:


A última viagem que fizemos foi em Setembro [fomos à Cabo Verde], depois engravidei em Outubro, tínhamos uma viagem à Inverness [Escócia] em Novembro que foi anulada devido à gravidez de risco [tive sangramentos desde a 5ª semana e fiquei logo de baixa], tínhamos outra em Dezembro à Suíça que também ficou anulada devido ao primeiro aborto [ainda eu estava a recuperar da curetagem - e esse hotel sequer devolveu-nos o dinheiro, enfim...] de maneira que já estamos um bocado "a ressacar" das nossas viagens... E claro, estamos cheios de dias de férias "pendurados" desde o ano passado. Por isso, decidimos que enquanto aguardamos os resultados dos últimos exames, vamos masé pôr o rabo num avião (ou em vários, que eu adoro viagens que combinem 2 ou 3 países) e distrair a cabeça, curtir a vida, namorar (com as devidas precauções porque eu até já estou com medo dessa minha "fertilidade via wireless" ahahaha) de maneira que já me pus em busca de um destino cheio de sol, águas turquesas e muita cultura pelo meio (nada que implique vôos intercontinentais, queremos algo aqui pela Europa). Os destinos em cima da mesa são:

Croácia ou a Ilha de Malta

Estamos mais inclinados pela segunda hipótese por que nos permite fazer um low cost Lisboa-Pisa (que ainda não conhecemos) e passar um dia (ou dois) pelas amorosas Cinqueterre antes de rumar para Malta, para ficar mais uns 5/6 dias. A Croácia também tem o seu encanto mas eu e Itália = uma história de amor. Não sei, estamos em dúvida. Quem já conhece ambos os destinos (ou só um deles), o que tem para nos sugerir? Estamos a pensar fim de Maio/início de Junho, para aproveitar o bom tempo (assim espero) e as praias maravilhosas.

Sugestões? Dicas? Contem-me tudo!
                           
SHARE:

17 abril 2018

O caminho faz-se caminhando...

Não é o que costumam dizer? E sim, acredito muito nisso. Não sou pessoa de desistir à primeira (nem à segunda, nem à terceira...) e embora este blog nunca tenha servido de "muro de lamentações" e raramente tenha vindo para aqui expor coisas tão íntimas da minha esfera pessoal, desta vez achei que era mesmo importante partilhar convosco. E por quê? Eu explico. Por ser um assunto sobre o qual muita gente não fala, que ainda é tabu, que ninguém gosta sequer de imaginar: os Abortos de Repetição. Ninguém quer falar sobre isso, mas eu sinto-me confortável neste momento para abordar o tema. Talvez por ter acabado de passar pelo segundo aborto espontâneo (sim, engravidei novamente em Março e perdi com 5 semanas). Inacreditável para mim, que nunca pensei viver isso pela segunda vez. Mas aconteceu e estou cá, cheia de esperança de que - finalmente - estamos perto de encontrar a causa disto.

Sim, acontecer uma vez é absolutamente normal, especialmente numa primeira gravidez. Acontecer novamente numa segunda gravidez - apesar da maioria dos médicos dizer que sim senhor, é normal - eu já não consigo achar. Tive dois abortos espontâneos em quatro meses: um em Dezembro, outro em Março. Não posso achar normal. Se na primeira gravidez ouvimos o coraçãozinho, desta vez nem embrião consegui ver, foi mesmo muito no início. Felizmente não precisei passar por outra curetagem nem por todo o terror da primeira vez (anestesia geral, bloco, transfusões de sangue, internamento...)  mas foi um choque porque jamais pensei que "o raio poderia cair duas vezes no mesmo sítio" como se diz.

(Sei que este assunto não interessa a toda a gente, que estão à espera de posts à moda antiga (com viagens, compras, dicas, decorações, etc...) mas como já aqui disse várias vezes, esse blog é sobre mim e jamais poderia falar sobre qualquer outra coisa que não fosse a minha realidade. E a minha realidade actual é isto: exames, consultas, gravidez, etc. Compreendo perfeitamente que não se identifiquem com o post mas aviso já (spoiler!) que este post é totalmente dedicado ao tema.)

SHARE:
© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig