Quando o médico é tão fantástico que até nos apetece estar doente...

01 julho 2015
Na semana passada a minha princesa tinha uma endoscopia digestiva alta com sedação agendada na Clínica Quadrantes de Miraflores. A pediatra pediu especificamente que o exame fosse realizado pelo dr. Luís Lebre, um dos melhores gastroenterologistas de Lisboa.

Assim que o dr. Luís olhou para a Vi, exclamou logo: "Mas que idade é que ela tem? É tão pequenina... Não aconselho o exame com sedação, no caso dela é preferível a anestesia geral, senão a miúda vai apanhar um trauma e nunca mais na vida vai querer fazer esse exame..". Conversou com a Vi, numa voz muito suave e com uma paciência infinita, explicou-lhe o porquê de não podemos fazer já o exame, que ela faria o exame a dormir e quando acordasse, tumbas, já estava. Deu-lhe um chocolate, que ela estava há não sei quantas horas sem comer por causa do exame.

A minha mãe, a descambar para o histérica, a fazer mil e uma perguntas e o doutor sempre a responder tudo com um sorriso no rosto, entre brincadeiras com a Vi (nota-se que é um apaixonado por crianças) e ainda fez questão de nos acompanhar até a recepção para reagendarmos um novo exame, desta feita com a anestesia. A secretária a dizer que já não havia vagas para já, só no final de Julho e o médico a dizer que marcasse para as 8h30 da manhã, que ele vinha mais cedo só para nos atender.

Hoje foi o dia do exame. E nunca vi médico tão bem disposto, tão competente e tão humano. A Vi adorou-o, disse que por ela faria uma endoscopia por semana. E eu fiquei (como fico sempre) encantada da vida por ter conhecido um profissional deste calibre. Recomendo a toda a gente que tenha que fazer esse exame. E aqui fica o meu agradecimento ao dr. Luís Lebre, da Clínica Quadrantes. Um grande bem-haja por ter transformado um episódio chato numa recordação memorável!

Ahh, como eu adoro planear as férias (só que não)

29 junho 2015
Andamos a planear as férias de verão e a tarefa não está nada fácil... Vão ser as primeiras férias como mr&mrs e queremos algo mesmo especial, já que fazemos um ano de casados logo na primeira semana de Setembro e estamos a pensar tirar as férias 'grandes' apenas nesta altura, para podermos comemorar como deve ser! Provavelmente vamos optar pelas Caraíbas de novo, porque o marido adorou e acho que ainda há muita coisa gira para lá conhecermos (não, não vamos repetir o México). Uma amiga falou-nos na Jamaica e das fotos que vi, quero ir para lá amanhã! O M. quer ir à Rep. Dominicana mas não é um destino que me convença, como se sabe, eu gosto de praia com cultura e não apenas jiboiar ao sol (fico entendiada). Estamos a pesquisar destinos e como até agora nenhum foi consensual, cheira-me que vamos tirar 'par ou ímpar' para escolher.

As duas semanas no México foram um divisor de águas para o M., o homem agora só quer férias do outro lado do mundo com água quente tipo sopa. Todos os destinos que sugeri, cá na Europa, foram sumariamente descartados. Anda armado em fino, o rapaz... (deve achar que agora vou todas as férias enfiar-me 11 horas num avião ahaha deve ser, deve - medo!). Por falar em México, lembrei-me que nunca partilhei por cá as milhares de fotos que tirámos por lá (não, não vos vou maçar com vários posts de fotos) e por isso, cá ficam algumas:


O México é um destino de sonho? É sim, senhor, eu adorei! Se voltava a lá meter os pés? Sem dúvida, mas pelo menos não nos próximos cinco anos. Acho que ainda temos muuita coisa para ver antes de repetir destinos mas quero lá voltar quando tivermos filhos, é mesmo o destino perfeito para férias em família, as crianças enlouquecem! Aconselho a toda a gente que goste de história, exotismo e praias incríveis.

Para as duas semanas de férias em Agosto, provavelmente vamos dar um saltinho a Marrocos de carro (ando louca para fazer uma roadtrip por Marrocos, partindo de Espanha) e pouco mais (a não ser que a Grécia realmente saia do euro e os preços para lá despenquem, aí sim, era menina para dar um saltinho por lá). A grande emoção ficará mesmo para Setembro. E com sorte, ainda arranjamos uma promoçãozinha bombástica como a do ano passado. Mal posso esperar! :)

[não sei se é de mim ou lá o que é mas os preços para o Algarve este ano estão uma loucura. Andei a ver uma semana em Agosto em Portimão e ia caindo para trás com o orçamento que nos enviaram. Dá para estar, na boa, duas semaninhas a passear por Marrocos ou sul de Espanha pelo preço de sete noites na Praia da Rocha. Uma pessoa até quer fazer férias cá dentro mas com preços destes, meus amigos, não dá.]

Se a minha mãe não existisse, teria que ser inventada... #2

27 junho 2015
Mamãe a fazer check in num hotel... Aproxima-se da recepção e diz que tem reserva para hoje. A funcionária dispara:

- "Boa tarde. Dê-me então o seu passaporte, por favor?"
- "O meu passaporte? Mas porquê, estou em algum aeroporto e não me apercebi?"
- "É que preciso do seu documento de identificação para dar entrada na reserva..."
- "Claro, mas não me perguntou pelo documento de identificação, pediu-me logo o passaporte. Julguei que ia voar para algum lado... É que se assim for, deveria ter avisado mais cedo que a minha filha mais velha tem pavor de aviões e só consegue voar com calmantes..."

(sorriso amarelo da funcionária e mil pedidos de desculpa). A Vi a rebentar de rir. Eu a dizer baixinho: "mamãe, por favor..." e mamis a fingir que não me ouvia e a dizer que detestava gente que presumia coisas baseada em estereótipos. "Então, era o mesmo que eu trabalhar no McDonalds, chegar um cliente obeso e eu dizer: "a bebida é cola-light, certo?" só por ver que o homem era gordo.".  Mamãe é terrível com gente preconceituosa de alguma forma. Não sossega enquanto não dá a sua chamadinha de atenção.

(e se hoje levamos tudo na brincadeira e com muita dose de ironia, houve tempos em que eu chegava em casa a chorar como uma madalena porque ouvia o clássico: "epá, volta pra tua terra!" de um colega de turma ou "detesto brasileiros, é que só os contrato mesmo em último caso" de uma gerente de loja. Hoje? É que nem me aquece, nem arrefece. Cada um que fique com a sua mentalidade e com a sua vidinha, eu cá estou muito bem assim, quem quiser falar que fale. Chama-se aprendizado. Aprendi, a duras penas, mas aprendi: coisas que só a maturidade e o amor-próprio nos dão.)

Das palavras que poderiam ser minhas #9

25 junho 2015
Ontem li esse texto via facebook e fiquei de lágrimas nos olhos, como fico sempre que o assunto são 'as saudades de casa'.



Quem disser que é fácil é um grande mentiroso. Não é, nunca será. Podemos tentar olhar o copo meio cheio, podemos tentar ver as coisas sob o prisma das coisas boas que adquirimos, aprendemos, conquistamos. Sim, é claro que o resultado é positivo, que não nos arrependemos, que faríamos na mesma esta escolha. Mas dói, pesa na consciência, nos faz pôr tudo 'na balança' (e não estou a falar de dinheiro), nos faz pensar frequentemente se estará a valer a pena. E sim, vale a pena (mais não seja pelo 'abrir de horizontes') mas custa taaaanto!

Sinais que não devem ser ignorados:

23 junho 2015
Ontem, enquanto aplicava uma ampola de hidratação no cabelo e colocava a bendita touca na cabeça, pensei com os meus botões: "está tanto calor e eu estou farta desse cabelo quase na cintura... Passa mais tempo amarrado no alto da cabeça do que solto! Vou mesmo dar-lhe um grande corte".

Hoje de manhã, sem nada o fazer prever, a minha tia manda-me uma mensagem no facebook: "olha só o que eu achei..." e eis que era uma foto minha, praí com uns 3/4 anos, com um corte de cabelo super impulsivo (do género: acordei uma manhã, farta do meu cabelo grande e zás, passei a tesoura na franja e em bocados das pontas). O cabeleireiro ainda tentou consertar a cagada mas já não teve sorte. Fica a foto para a posterioridade (e para evitar que eu volte a tentar algo parecido).

Eu não sei vocês mas eu sempre respeito esses sinais que surgem do nada. Acho sempre que é  Deus me dando um tapinha no ombro e dizendo: "ei, fica aí quietinha, não inventa de fazer maluquice porque ó, da última vez fizeste cá uma arte..." E pronto, lá vou eu ficar cheia de calor com o cabelo comprido no verão...

(e a pose, senhores? E a meia quase pelo joelho, em pleno verão carioca? E o sorrisinho forçado? E a testa que parece gigante - já que eu cortei a franja totalmente rente à testa e o cabeleireiro teve que 'puxar' cabelo de trás para disfarçar a asneira? Adoro ver essas figurinhas!)

Querido, mudei a casa (de novo)!

21 junho 2015
Contei-vos que há dias deu-me uma vontade louca de mudar várias coisas na decor aqui de casa. Nada de muito dramático, umas almofadas aqui, umas cortinas ali, pendurar coisas na parede (tarefa que empurrávamos com a barriga há meses), enfim, foram pequenas mudanças que deixaram a casa logo com outro ar. Comecei pela cozinha:

Novos panos de mesa, individuais às riscas (para condizer com o tapete), uns novos spots de luz para dar um ar mais moderno à cozinha, pendurei (que é como quem diz, marido pendurou) um varão de inox para pendurarmos utensílios (e também o escorredor da loiça - que só comprei ontem) e desta forma, destralhar a bancada.  [coisas a fazer ainda: ir na Leroy mandar fazer a peça branca que falta por baixo do fogão - quando mudámos para aqui o fogão novo tinha acabado de ser colocado e 'esqueceram-se' do acabamento embaixo. E claro, a nossa máquina de lava loiça que chega na próxima semana (adiei ao máximo a compra porque sempre achei que não faria falta para nós, afinal, somos só dois adultos e a loiça suja é pouquíssima mas rendi-me às evidências - e confesso que odeio o buraco por baixo da bancada - por isso, lá comprámos a máquina).]

Objecto de desejo: mini-horta vertical na cozinha!

18 junho 2015
Sempre ouvi dizer que a cozinha é o coração de um lar e apesar de inicialmente não concordar com essa afirmação, hoje compreendo perfeitamente o porquê de tal frase. A nossa cozinha é dos maiores cómodos da nossa casa (a par com a sala) e vai daí, é o sítio de eleição de toda a gente quando chega cá a casa: a minha mãe, mal chega, senta-se logo na cadeira da cozinha para beber alguma coisa. Os amigos que vêm jantar cá de vez em quando também ficam a bebericar vinho na cozinha, enquanto nos fazem companhia a preparar o jantar. Ao fim de semana, quando me meto a inventar pratos ou testar receitas novas, ficamos a tarde inteira por lá (ele no portátil, sentado na mesa da cozinha a provar tudo o que eu faço) e eu com iPad na bancada, a seguir à risca os passos da receita.

Confesso que não gostava inicialmente da nossa cozinha e dei-lhe uma grande volta para ficar como nós queríamos (agora até tem spots de luz embutidos nos armários - mariquices minhas). Na semana passada troquei tudo de lugar, pendurei coisas, troquei os assentos das cadeiras, enfim, foi quase uma remodelação (depois mostro fotos). E no meio da mudança, fiquei com uma parede de coluna totalmente disponível. Inicialmente pensei em comprar uma estante alta e fazer uma mini-lavanderia (porque fica mesmo em frente à máquina de lavar roupa) mas depois pensei na quantidade absurda de temperos, ervas e especiarias que utilizamos todos os meses (comida sem tempero não 'rola' por aqui) e pensei: porque não fazer uma espécie de horta vertical, com os vasinhos pendurados na tal coluna?

Medimos o espaço disponível, fomos ao site da IKEA e apontamos tudo aquilo que vamos precisar para pôr em prática o projecto. Não vai dar quase trabalho nenhum e acho que vai ficar super giro: adoro plantas na cozinha (e na casa em geral, pena é que mato-as todas) e só de pensar em não comprar mais salsa, coentros, hortelã e afins, tendo tudo ali à mão de semear... vai dar logo outro gostinho aos pratos (nada como ter temperos frescos para fazer o jantar). Já li que devemos adubar todos os meses os vasinhos, com adubo orgânico visto que as ervas são para alimentação... e penso que não será difícil. Vamos tratar disso no fim-de-semana e depois se correr tudo bem, logo vos mostro (se não correr... horta? que horta? *assobio*)


Alguém já fez algo parecido em casa? Como correu? As ervinhas aguentam-se bem durante os meses mais frios (é a minha única ressalva)? Partilhem as dicas da horta doméstica aqui com a menina? Agradecida.

(em relação às espécies, estava a pensar nas que mais utilizo: cebolinho, manjericão, salsa, coentros, hortelã, oregãos e talvez, uma pimentinha daquelas fáceis de cultivar.)