22 outubro 2011

êêê saudade, que bate no meu coração...

Hoje encontrei CDs antigos carregadinhos de fotos. Fotos daquelas mesmo boas e inesquecíveis. Senti uma saudade inexplicável de quando a minha branquinha não passava de um bebé gorducho e roliço. E já lá vão alguns anitos e eu tenho tanta saudade... Acho que ser irmã mais velha é como ser quase-uma-espécie-de-mãe, sabem? Para já, quando a minha bonequinha nasceu eu já era adolescente e pude aproveitar cada segundo da gravidez da minha mãe e planéamos imensa coisa juntas e curtimos cada momento...

Aliás, a minha mãe até brinca e diz que eu sou a segunda-mãe da Vi porque adoro cuidar dela, adoro levá-la ao ballet ou à natação... E buscá-la no colégio de surpresa para irmos fazer qualquer coisa diferente (ver um filme, comer um gelado, brincar no parque). Ao contrário da maioria dos adultos, eu aproveito de verdade estes momentos com ela. Porque eles passam tão rápido... A minha vida é tão corrida (mestrado-trabalho-casa-namorado) que eu realmente gosto de valorizar cada mini-segundo que passo com a Vi. E desfruto de verdade!

Ainda ontem à noite fomos brincar com as barbies. Ela com a barbie-fada-princesa-bailarina-ou-qualquer-coisa-do-género e eu a imitar uma suposta voz grossa para ser do Ken. E no final, disse algo do tipo: "Oh Barbie, anda cá dar um beijo ao teu namorado..." e ela responde, inocentemente: "Ugh, que nojooo! Não, mana... nada de beijos na boca, ecat!". E eu ri às gargalhadas. Vamos ver se daqui há uns cinco anos tu vais continuar a pensar assim, minha menina...
SHARE:

1 comentário

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig