28 novembro 2011

the mustard yellow cardigan.

  • Boina, cachecol e cardigan: H&M [A/W 2010]
  • Top: Zara [A/W 2011]
  • Saia Billabong [S/S 2010]
Normalmente não faço post do tipo look do dia [acho demasiado pessoal e exposição a mais - mas não condeno quem o faça] mas desta vez tive de faze-lo por dois bons motivos:

O primeiro era para vos alertar. Sim, alertar. Na sexta fui cortar o meu cabelinho e a minha amada cabeleireira está de férias [foi para o Brásiu e me deixou na mão] de maneiras que fui ao cabeleireiro do Colombo [já lá estava e assim poupava tempo]  e escolhi o Jean Louis David. Péssima escolha, meus caros. Fui atendida por um cabeleireiro gay [nada contra os gays, mas a forma desmunhecada como o homem falava irritava até um santo] e disse logo que queria aparar as pontas e escadear um bocadinho e frisei que era para tirar no máximo 3 dedos de comprimento [adoro o meu cabelo comprido]. 

Pois bem, o homem lá começa o serviço [lavar, pentear...] e na hora de cortar junta-me o cabelo todo no topo da cabeça com as mãos e zás! mete a tesoura. Epá... eu fiquei em estado de choque:

Eu: - Eiiii [não pude evitar!], desculpe, o que está a fazer?
Cabeleireiro: Estou a cortar. Hummm... a menina não conhece esta forma de escadear e assustou-se, foi isso?
Eu: Não, eu assustei-me foi com a quantidade de cabelo que você cortou. Eu só queria cortar três dedos [inspira, expira, inspira, expira...]
Cabeleireiro: Ah querida [?!], mas se cortar três dedos nem vão perceber que cortou o cabelo, não se nota nada...
Eu [já a desesperar]: Pois, mas eu não ligo nada a isso. Faça assim, não escadeie nada. Apenas acerte aquilo que você já cortou, está bem?
Cabeleireiro: Pronto, não é preciso ficar chateada. Você é que manda, querida.

A vontade que eu tive foi de dizer: Se eu de facto mandasse você só teria cortado a porra dos três dedos que eu disse ao início. E não me chame querida que eu não lhe conheço de lugar algum. Seu f&%$#&.
Mas como detesto ser mal educada [obrigadinha, mãe, por teres enfiado isso na minha cabeça!] lá aguentei até o final e muito contrariada, paguei o valor absurdo pedido por um corte mal feito. Nunca mais lá meto os pés, é só isso que vos digo. [P.S: Na foto nota-se o tamanho minúsculo [comparado ao que era antes] do meu cabelo para além de uma franja lateral absolutamente ri-dí-cu-la. ]

O segundo motivo era para mostrar como a moda é engraçada... Comprei este cardigan mostarda no ano passado porque achei a cor bastante invulgar para uma colecção de outono/inverno. Lembro-me de ver carradas de cardigans desta cor na loja [enquanto os pretos, castanhos e cinzentos já haviam pouquíssimos] e de quase todas as minhas amigas torcerem o nariz para o meu pobre casaquinho amarelão. Na sexta-feira a M. ligou-me a perguntar onde eu tinha comprado "aquele casaquinho giríssimo mostarda"... O mesmo que ela [há quase um ano atrás] fartou-se de gozar com a cor e a perguntar se eu tinha hepatite quando me via com ele. É engraçado como a princípio achamos certas coisas bizarras e feias mas passado uns meses é só ver tudo a usar o mesmo que já passamos imediatamente a desejar a tal peça que antes era horrorosa. Acho piada, pronto. [Só é pena a H&M não ter feito nada parecido este ano...]
SHARE:

1 comentário

  1. uma vez fui lá e também me cortaram imenso! Ficou mesmo curto, pelas orelhas!
    Até achei que o teu não ficou mal!

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig