30 dezembro 2012

happy new year!

Arraial do Cabo | Rio de Janeiro | Abril 2012
2012 já está mesmo quase a dizer tchau e eu só tenho a agradecer por este ter sido um ano tão maravilhoso para mim e para os meus. Se 2013 for metade do que foi 2012, então já estou mais que feliz!

Quero desejar-vos um 2013 excelente, com tudo de melhor que a vida tem a oferecer: muita saúde (porque sem ela, não somos nada...), alegrias, pessoas especiais por perto, abracinhos apertados e muito sucesso! Que não nos falte trabalho, família e alegrias!

Divirtam-se na passagem de ano, comam muito e dêem risada até a barriga doer. Eu cá pretendo fazer o mesmo ;)
SHARE:

29 dezembro 2012

E é isto a minha vida:

Todos os dias tenho que, nem que seja por cinco minutos, espreitar a minha tchutchuca via webcam. Chamem-me irmã babada, mas eu tenho taaaantas saudades da minha pequenina! E tão engraçado porque temos uma diferença de idade brutal {eu já era adolescente quando ela nasceu} e mesmo assim, somos muito apegadas uma à outra. Com ela eu sou uma pessoa melhor, mais maluquinha, mais divertida, alinho em todas as palhaçadas {acho que ainda sou pior que ela}, faço uma voz diferente para cada boneco que ela tem, brinco às barbies sentada no chão, como se não tivesse mais nada que fazer para além disso.

Sou perdida pela minha Vitória, essa é que é a verdade. E estar longe dela é aborrecido demais. Por isso, todos os dias assim que chego do trabalho, mesmo cansada e às vezes ainda antes de jantar, faço questão de falar com ela. De ouvi-la tagarelar sobre o que fez naquele dia, que resume-se basicamente a: quantas águas de coco bebeu {ela é a pessoa mais apaixonada por coco que eu já vi na vida}, com quem brincou, o que fez de especial, enfim...

É tão bom e ao mesmo tempo tão ruim ver as pessoas que amamos através de um ecrã. Tenho vontade de pular dentro do computador e arrastar a minha branquinha pra cá. Ai que dó, que dó, que dó.
Hoje estou desejosa para que chegue logo dia 5, quando voltarei a estar completa...
SHARE:

28 dezembro 2012

O meu futuro é no Júlio de Matos, eu sei #2

Que eu detesto bagunça e coisas fora do sítio, isso vocês já sabem. Mas pelos vistos o meu homem não fazia idéia porque andou ali uns dias no limiar no perigo, deixando tu-do espalhado pela casa e testando a minha paciência.

Vejam lá se eu não tenho razão: Como eu vivo na minha casa e o querido vive na dele, fizémos um acordo: um fim-de-semana ele passa cá e no outro a seguir eu vou para casa dele. Como é óbvio, para não andar a trazer roupa de um lado para o outro, eu surrupiei uma porta do roupeiro dele {não sou nada exagerada} e em troca ofereci-lhe duas gavetas do meu closet pequenino {ahahah}.

Acontece que sempre que vem passar o fim-de-semana cá em casa, o homem chega feito furacão: é sapatos no corredor, é meias pelo chão, blusão jogado em cima da minha poltrona, carteiras e chaves por todo o lado... ai senhores, isto dá cabo dos meus nervos.
Oh, que caraças, se eu separei {a muito custo, confesso} duas gavetas inteirinhas para o raio do homem guardar as coisas dele, porque a criatura insiste em espalhar tudo? Fico possuída.

Na primeira vez falei com jeitinho "oh, amor, guarda lá as tuas coisinhas no sítio...". Na segunda vez, já meio enervada, disparei um: "então, pá? A empregada está de folga hoje, vê lá se arrumas tudo...". Na terceira, ai, na terceira... foi logo: "olha lá, vou dizer-te pela última vez: se volto a encontrar cenas tuas espalhadas pela casa, mando tudo pela janela". Ele riu-se, como que a duvidar das minhas palavras.

Na semana passada, mal chegou do trabalho, fez novamente a sua baguncinha habitual. Não me fiz de rogada: esperei ele ir para o banho e, maluca como eu sou, agarrei nos sapatos e no blusão, abri a janelinha do meu quarto {que dá para uma das ruas principais do meu bairro} e pluft: mandei tudo lá para baixo.

É que nem pensei duas vezes, foi tipo ato reflexo. Meus amigos, eu não tenho vocação para papagaio e detesto andar sempre a bater na mesma tecla. Avisei uma vez, aviseu duas, avisei até três. Depois disso, já é confiar muito na sorte.

Eu queria ter gravado a cena que se passou depois: ele sai do banho, enrolado na toalha, entra no quarto e exclama: as minhas coisas? 
Eu, muito distraída a ver os mails, nem levanto a cabeça e respondo: mandei tudo pela janela. Imaginem uma pessoa sem reacção: foi o meu rapaz. Ficou assim meio parvo a olhar para mim até que lhe caiu a ficha e exclamou, possesso: "tu fizeste o que, caraças?! Epá, não acredito nesta merda!" e desata a vestir o primeiro trapo que vê pela frente para ir lá abaixo buscar as coisas.

Voltou com o casaco todo cagado {é branco, imaginem!}, a deitar fumo pelas orelhas e exclamou: tu és maluca, só podes. 

Maluca ou não, a verdade é que hoje, mal adentrou cá em casa foi logo dobrar toda a roupinha na gaveta e arrumou tudo como deve ser. Eu sabia: a terapia de choque resulta sempre. Lindo menino.

SHARE:

A sério, eu mereço isto?

Ontem cheguei morta de cansaço do trabalho {passei a full time agora nas férias da universidade e ando sem tempo para nada} e fui espreitar o facebook para ver se havia notícias de mamãe e cia.
Qual não é o meu espanto quando me deparo com uma mensagem desta pessoa com um monte de baboseiras e o link para este vídeo:

 
A sério, pessoas, eu não mereço isto. Que mal fiz eu, minha gente? Como diz a minha avó: "quanto mais eu rezo, mais assombração me aparece!". É com cada uma... {recado de amiga: não voltes a tentar engatar quem quer que seja com essas músicas pimbas. O resultado é tenebroso, acredita}

Já agora, eu gostava muito de ser uma pessoa entendida nas tecnologias e saber activar aquela opção de permitir o envio de mensagens privadas apenas de pessoas da minha lista de amigos, isso sim era ouro sobre azul. A ver se descubro como isso se faz.
SHARE:

27 dezembro 2012

Notícias do outro lado do Atlântico:

Mamãe diz que o calor está insuportável, com 42ºC à sombra e sensação térmica de quem está "abraçando o sol".  E eu, que senti-me completamente abafada quando lá estive em Abril {e cuja máxima rondou os 36ºC}, sei bem o que é sentir aquele bafo quente na cara e a sensação da roupa colada ao corpo {ugh}. Mamis diz que não vê agora de voltar para o friozinho europeu.

Diz a minha avó, em tom de piada, que está a respirar com ajuda de aparelhos: ar condicionado e ventilador {ventoinha} e eu tive que rir. Só quem passa pela fornalha que é o Rio de Janeiro no verão é que entende. Não, minha gente, não é gostoso. Não dá vontade de ir à praia. Dá vontade de dormir dentro de uma arca frigorífica, de tão abrasador que é.

Eu cá gosto muito do friozinho desta época do ano e, cá entre nós, natal combina é com frio, mantas, lareiras e cachecóis. Desculpa, Rio. :P
SHARE:

26 dezembro 2012

christmas gifts ❆

 (1) Saia em pele de camurça, da Top Shop {thanks, Bruna!}
(2) Bolsa para a minha Canon, com divisores internos, alça regulável e espaço para levar uma lente extra
(3) Um dos presentes do namorado... segredo! {o outro presente foi este}
(4) Cachecol em gola que eu a-do-rei!
(5) Agenda 2013, toda colorida e alegre como eu. Sou fã de agendas, amo escrever em papel ;)
(6) Disco externo para guardar toooda a minha tralha digital {thanks, mamãe}

 (6) Camisola quentinha numa cor crua que eu adoro
(7) Brincos ma-ra-vi-lho-sos, mesmo do jeitinho que eu gosto e numa cor fabulosa!
(8) Relógio mega colorido do Romero Britto, um dos meus artistas preferidos. {obrigada, Lupe!}
(9) Sombras da Kiko, porque elas nunca são de mais e eu sou apaixonada por sombras
(10) Outro par de brincos, desta vez mais discretos {e lindos!}
(10) Micro calções cheio de tachinhas douradas {Zara} para a passagem de ano {vou congelar, eu sei}.

A sogra, como sabe do meu apetite voraz por viagens, ofereceu-me cheques-oferta de uma agência de viagens para descontarmos na nossa próxima trip {que é já daqui há umas semanas}.

E agora, o presente mais especial de todos, vindo de duas das minhas pessoas favoritas: mamãe e namorado, que em conjunto articularam uma mega-surpresa para esta aqui. Ora, no dia 24, logo pela manhã, abri o terceiro bilhete deixado por mamãe {podem ver aqui o primeiro e o segundo}. Novamente, instruções precisas: ir até o terraço e buscar o embrulho dentro da churrasqueira (?!). Lá dentro, um saco da Fnac com o um disco externo {com o dobro da capacidade do meu antigo, que perdi na universidade}. Reparei que a embalagem do disco já estava aberta e quando olhei com atenção encontrei um post-it, colado na parte de trás.

Desta vez, com instruções para conectar o disco ao pc e encontrar a última {e mais especial} prenda deste natal. Quando ligo o disco ao pc, o que eu encontro? Isto:

Diz que é um labrador bebé, pretinho {tal como eu sempre quis}, com um mês e meio e que está mesmo quase quase a vir cá para casa. E eu estou perdidamente apaixonada pelo meu mais novo bebé, coisinha mais gostosa. Vou buscá-lo no início da próxima semana, altura em que ele já terá completado dois meses. owwwnn...
SHARE:

25 dezembro 2012

xmas.

Se eu tivesse que definir o meu natal em uma única palavra, diria que foi improvisado. E digo isto porque? Porque nada saiu como o planeado e tivemos de apelar à criatividade {que, felizmente, abunda por estes lados}. Talvez pelo facto de não ter cá a minha mãe e a Vi {pela primeira vez... snif}, o natal soube-me a pouco. Quer dizer, a Vi é o bebé da casa, anima a tudo e a todos, vibra com cada pequeno momento do natal e sem ela as coisas perderam a piada. Tentámos remediar a ausência delas como pudemos: estivemos em videoconferência pelo skype até as 3h da manhã {ai tanto choro, ai tanta risada, ai tanto mel}.

Depois, foi a vez da ceia propriamente dita. É sabido que os meus dotes culinários deixam muuuito a desejar, portanto, a nossa ceia foi diversificada: arroz feito pelo P., peru e bacalhau feitos pela senhora que cuida deste lar {thanks, Claudinha}, os brigadeiros feitos pela minha pessoa {que nisto sim, eu sou pro} e maionese feita pela Lupe. Os restantes doces vieram da padaria do bairro, o namorado tratou das bebidas e a festa ficou pronta.

É claro que tivemos alguns percalços pelo meio, como por exemplo o facto de eu não saber onde mamãe guarda a loiça de festa ou os guardanapos de tecido. No improviso, utilizámos a loiça do dia a dia e guardanapos de papel e não notámos grande diferença :P

E lá se passou o Natal. Apesar das circunstâncias, posso dizer que foi muito especial! A minha sogra, este amor de pessoa, não fez caso do M. passar o Natal cá em casa {normalmente, ele passa na casa dele e eu na minha; e encontramo-nos depois no dia 25} e a Lupe, que tem a família toda no México, obviamente que se juntou a nós. Giro, giro, foi ver-nos as duas, agarradas aos portáteis {eu a falar para o Rio, ela a falar para Monterrey} e de repente desatamos aos berros e os homens correm para nos acudir {e sacam-nos os nossos portáteis, obviamente}.

Este natal fez-me perceber como às vezes eu deixo de dar o valor necesário às coisas simples da vida. Nunca antes eu tinha me sentido uma privilegiada por ter a minha familia por perto, sempre achei que isto era algo garantido. Ontem eu percebi que sim, sou uma sortuda por ter as pessoas que amo ao meu redor. E senti-me verdadeiramente abençoada. Acho que sim, que esse é o espírito do natal: termos as pessoas que amamos sempre juntinhas a nós e poder agradecer a Deus por estes momentos únicos. 

E agora vou só ali rebolar até o sofá e empanturrar-me de coisinhas gostosas. Afinal, alguém tem que dar cabo destes doces todos, não é? ;)
SHARE:

24 dezembro 2012

Feliz natal, minha gente!


Desejo-vos um natal maravilhoso repleto de coisas gostosas, de amor, de risadas até ficarem sem fôlego, de abraços bem apertadinhos, de prendas inesperadas e, é claro, da família sempre por perto. Sejam felizes, minha gente, hoje e sempre.
Divirtam-se! ;)
SHARE:

e é isto...

Uma pessoa acorda cedo, faz babyliss em tooodo o cabelo para ter caracóis à la Beyoncé... e quando está naquela bonita figura, de robe e caracóis presos no topo da cabeça  {para não se desmancharem}, o irmão dispara: tens que ir à padaria buscar os doces porque eu vou ter que sair agora e não tenho tempo.

Ai-valha-me-Deus, os doces! Ele tem que ir buscar a namorada em Lisboa e só deve voltar ao fim da tarde. Soltar o cabelo e deitar todo o meu trabalho para o lixo não é uma opção então, olha, que remédio. Bora lá a padaria.
Se virem uma maluca por aí, com o cabelo feito um ninho de pássaros, não se assustem. Sou só eu.
SHARE:

Estado em que eu me encontro:

Depois de uma noite memorável {jantar de natal da empresa + night} estou feita num oito. Há meses que não pisava numa discoteca portanto, ontem me acabei de dançar. O meu grupo foi dos últimos a sair das Docas e soube-me pela vida! Está certo que hoje estou com dores nas ancas e nos joelhos mas faz parte...

Hoje foi dia de despachar as últimas prendinhas de Natal, passar no mercado para comprar os últimos ingredientes da ceia e... alapar o rabinho no tapete peludo enquanto o meu amor saca filmes e séries. Cheira-me que hoje vamos terminar a noite na sala porque nenhum dos dois tem coragem para mexer uma palha. Ah, e pelo meio ainda conseguimos dar cabo de um pote de Nutella, como lontras que somos.
E é isto. Até amanhã, pessoas.
SHARE:

21 dezembro 2012

Hoje é dia de...

... ir ao cinema assistir ao filme que mais me chamou atenção este ano. Confesso que a primeira vez que ouvi falar deste filme foi nos trailers da Lusomundo, quando estava à espera para ver o Anna Karenina {e deste sim, esperava muito mais} e fiquei boquiaberta. Basicamente, o filme tem tudo o que é necessário para prender a minha atenção: Animais fantásticos {o meu lado bióloga fica logo eriçado}, é um filme by Bollywood que eu adoro e tem uma temática toda especial: a esperança e a fé em algo superior, mesmo que pareça impossível. I belive ;)
SHARE:

le pliage by longchamp









O segundo envelope deixado por mamãe continha instruções precisas: ir até o andar de cima, entrar na casa de banho e abrir a 3ª porta do armário das toalhas {a minha mãe é um ser altamente criativo}. E lá estava um embrulho vermelho com um laço e um cartão mega-fofinho.

Rasguei o embrulho às pressas {sim, eu ainda sou criança} e mal contive um gritinho ao ver a minha Pliage numa cor maravilhosa. A mala vem toda dobradinha e deve ser óptima para levar em viagens porque quase não ocupa espaço. Quando a abrimos... tchanãm, mágica: ela transforma-se numa mala enorme e super confortável de carregar.

Este modelo existe em duas versões: com alça curta {mala de mão} e com alça grande {mala de ombro}. Confesso que nutro uma paixão por malas de ombro e quanto maior, melhor. Portanto, tenho a dizer que já não quero largar a minha Pliage por nada!

A mala, apesar das linhas simples, não é aquela coisa básica e sem graça, sabem? Os fechos, o acabamento, os botões dourados e a alça em pele dão aquele toque especial. Não é à toa que ela tornou-se a mala queridinha das celebridades no ano passado. Fiquei rendida ;) E pronto, agora tenho que pensar em surpresas à altura da minha mãe porque este ano ela esmerou-se. Obrigada, mamis! 

Estas fotos já foram tiradas com a máquina nova. Notam alguma diferença? Apesar de ainda não saber utilizar todas as funções da câmera, noto uma diferença incrível nas fotografias. Estou mortinha para fazer o curso de fotografia digital ;)
SHARE:

20 dezembro 2012

E depois sou confrontada com a dura realidade...

... quando relembro os preços hiper-mega-inflacionados do Rio de Janeiro e até apetece chorar. Querem um exemplo? Ora vejam estas fotos, que tirei em Abril na cidade maravilhosa:

Canetas coloridas Stabilo (pack com 20) por 129 reais = 55€
Almoço no La Mole (Barra da Tijuca) para quatro pessoas por 290 reais = 116€
Camisola (super) básica da Zara (Shopping Rio Sul) por 179 reais = 74€

E agora, quem é que ficou com vontade de ir viver para o Rio? Ah, pois.
SHARE:

19 dezembro 2012

Rio, sempre Rio...

Mamãe está maravilhada. Diz que em cinco anos o Rio de Janeiro mudou muito {para melhor} e que ela está encantada. Que depois de todos estes anos, sente-se novamente em casa. E que, se as coisas fossem diferentes, não pensava duas vezes e voltava para o Rio.

E, confesso, não estava preparada para isto. O grande motivo para termos vindo para Portugal foi o facto da minha mãe ter sofrido um sequestro-relâmpago em 2004, enquanto conduzia no Rio. Confundiram a matrícula do carro dela com o de uma delegada de polícia e tinham ordem para matá-la. A minha mãe em pânico, a dizer que não era delegada nenhuma, que tinha três filhos e a pedir pelo amor de Deus para desviarem a arma da cabeça dela... E ficaram na brincadeira por quase três horas, enquanto decidiam se matavam-na ou não.

Portanto, como devem calcular, após a minha mãe ter sido libertada, as coisas não foram fáceis. Ela não dormia, não conseguia conduzir e andava com medo até da própria sombra. Decidiu então tirar umas férias e voltar a Portugal {mamãe nasceu em Viana do Castelo, mas foi para o Rio quando era bebé} para esquecer o trauma. Ficou cá quase um mês e decidiu que queria voltar para cá. Que o Rio era demasiado selvagem para nós e viemos, de mala e cuia.

E eu, que sempre fui apaixonada pela minha cidade, assumi que jamais viveria em paz e em segurança na cidade maravilhosa. Quando estive no Rio, em Abril, tive a mesma sensação que mamãe. A sensação de que tinha, finalmente, voltado para casa. Mas, como tenho a minha vida estruturada em Lisboa, nem me permiti sonhar em voltar para o Rio porque sabia que mamãe jamais aceitaria viver lá de novo.

E agora, isto... ela diz que, provavelmente, teria coragem para voltar. E eu, que não quero nutrir falsas esperanças, só consigo pensar em como seria bom estar na minha cidade novamente. De vez.
Será?!

SHARE:

decor.


Adoro flores. Vidrinhos antigos. Bandejas. Móveis brancos. Detalhes em prata. Tons de rosa e púrpura. Objectos que refletem luz.

O namorado brinca e diz que o meu quarto é um típico "quarto de princesa", cheio de detalhes femininos e românticos e que quando casarmos ele vai se ver aflito para deixar o quarto um bocado masculino e eu sou obrigada a rir. Acho que o nosso quarto diz muito sobre quem somos. O meu diz. 

Cada objecto tem um significado especial para mim, cada móvel tem uma história e eu sinto-me tão bem no meu espacinho... É o meu sítio preferido para estar e relaxar. Adoro o cheirinho que o meu quarto tem, adoro mudar cada detalhe de lugar, trocar as flores, trocar a roupa de cama... É o meu sítio especial

SHARE:

18 dezembro 2012

A CP e a sua {infinita} greve.

Já não há paciência para tanta greve, meus senhores. Todos os meses, dias e dias seguidos... e ganharem vergonha na cara, não?

Ontem, pela primeira vez, senti-me verdadeiramente impotente perante uma greve. De manhã fui para a universidade de carro {apanho sempre boleia com o P., que entra na faculdade depois de mim}, logo, não percebi que a CP estava, de novo, em greve. Saí da universidade às 13h e lá fui eu para o Cais do Sodré apanhar o comboio das 14h para chegar a horas no trabalho {no Estoril}.

Qual quê! Passam vinte minutos e nada do comboio {distraída a ler, só comecei a achar estranho quando vi que eram 14h25 e não havia comboios}. Resolvo então perguntar aos dois senhores da PSP que estavam ao pé das máquinas de bilhetes:

Eu: Desculpe, boa tarde... Sabe dizer-me se hoje há greve? Era suposto já terem saído dois comboios...
Agente PSP: Sim, hoje já perturbações nos comboios.
Eu: Ah, não fazia idéia. E sabe a que horas haverá outro? 
Agente PSP: Tanto pode ser daqui a 10 minutos como daqui a 2 horas. *inspira, expira, inspira, expira*
Eu: Desculpe? Mas não há horários, uma previsão ou qualquer coisa do género?
Agente PSP: Não, minha senhora. Só sabemos se haverá comboios depois que os funcionários da CP entrarem para o turno, ou seja, só as 15h.

Pensem em uma pessoa perplexa. Era eu. Fiquei louca com tamanho desrespeito. O que é esta merda, caralho? Era o que me apetecia dizer, em alto e bom som. Então uma pessoa paga 75€ por mês na merda de um passe que supostamente é para ser utilizado durante 30 dias e leva com esta bela resposta: "o comboio tanto pode vir daqui a 10 minutos como daqui a 2 horas"?

Dirigi-me à bilheteira, a ferver e a deitar fumo pelas orelhas, para saber que raio de greve era aquela. Ao questionar a rapariga da CP sober até que dia estariam a fazer greve, levo com a belíssima resposta: "Os comboios serão suprimidos até o final do ano." COMO É QUE É?!

A sério, isto não pode ser normal. Não deveria ser, aliás. Eu entro no trabalho todos os dias as 15h, só houve comboio às 15h05, ou seja, cheguei ao trabalho quase uma hora atrasada. E dizem que será assim até o final do ano. A questão que se coloca é: como uma pessoa faz para trabalhar? Vai de táxi o resto do mês? Gasta o ordenado todo em bilhetes para o parquímetro e gasolina? Ou faz vigília à porta da estação da CP tipo às 7h da manhã para conseguir estar no trabalho a horas? Não sei, senhores maquinistas, digam-me vocês.

Da minha parte, fiz o que julguei ser justo: assinei o livro de reclamações. Sei que vai servir de pouco mas ao menos que saibam o quão prejudicadas as pessoas são em dias de greve. O país já está numa bonita situação e acham que é de valor andarem a paralisar este mundo e o outro. Pronto, acho que sim. Assim vamos longe.

Sim, eu estava tão fora de mim que enganei-me a escrever a data {pus a data de domingo}. Arrrrgh!
SHARE:

17 dezembro 2012

e-reader Kobo by Fnac

Antes de viajar para o Rio mamãe deixou-me três envelopes, cada um deles com uma data {ela adora uma surpresinha...}. Hoje abri o primeiro deles, com a data de 17/12. E lá dentro, uma mensagem que me fez rir como uma maluquinha e a indicação para ir até o armário tal e abrir a caixinha que lá estava.

E lá dentro... tchanãm... O novo e-reader Kobo by Fnac {que eu andava a namorar desde que lançou}. É claro que, conhecendo-me como ela conhece, escolheu o Kobo com a parte de trás em lilás {amo essa cor} e estou perdidamente apaixonada por este aparelhinho.

Sim, eu estava a ler em formato pdf {que não é o ideal para este tipo de aparelho, razão pela qual o texto não está bem formatado}. Agora já descobri um programa maravilhoso que converte os livros em e-pub e tem sido uma maravilha. O écrã é fantástico e o contraste das letras com o fundo faz-no pensar que estamos a ler em papel.

É uma experiência totalmente diferente ler ebooks no e-reader e no tablet, por exemplo. O Kobo não força os olhos, não dá dor de cabeça e a leitura é deliciosa. Ah, e cabem cerca de 30 mil livros {wow}. Seremos grandes amigos...

Gosto tanto dessas maravilhas da tecnologia... Fiquei viciada no Kobo e hoje andei com ele para todo o lado. Um vício! Thanks, mum! 

Btw, ainda tenho dois envelopes para abrir e ando tão tentada... Um com data de 21/12 e outro com data de 24/12. Aiii, que curiosa que eu sou!
SHARE:

15 dezembro 2012

Eu bem sei que faltam dez dias para o Natal mas...

... acabei de receber este presente maravilhoso e estou a modos que boquiaberta. Ok, eu há muito que queria uma Canon da linha EOS para poder explorar mais a arte da fotografia mas para mim, que estou habituada à minha Sony Cybershoot, é uma mudança um pouco brusca e, confesso... não fazia idéia de como se trocavam as lentes, tão naba que eu sou! O que significa que preciso de um curso de fotografia urgentemente!

By the way, o senhor meu namorado explicou-me o básico dos básicos {que é também só o que ele sabe} e mostrou-me a diferença brutal entre as duas lentes {estou assim apaixonada pelos retrados fantásticos que a 55-250mm é capaz de tirar - um espanto}. De resto, a minha máquina trazia já a lente 18-55mm {que é bastante versátil também} e estou maravilhada com as fotos que tirei.
Obrigada ❤
SHARE:

14 dezembro 2012

Do esforço... e da recompensa.

Acho incrível a capacidade que certas pessoas têm de invejar o sucesso alheio mas não fazem nada para aumentarem o mérito próprio. Ora bem, entrei na empresa onde estou há cerca de três meses. Entrei numa função de auxiliar administrativa e no início de Dezembro fui chamada para uma reunião onde, para minha felicidade, foram só elogios ao meu trabalho e propuseram-me um novo desafio. Com contrato sem termo {efectiva, portanto}, um salário maior e muitas responsabilidades que são novas para mim.

É claro que tive medo. Até porque a gerência foi bem clara: Eu tinha até o final da semana para decidir. Agarrava a oportunidade e tinha que dar tudo por tudo. Ou recusava e continuava no meu posto. Frisaram que, a partir do momento em que eu aceitasse, já não podia voltar para o meu antigo lugar caso as coisas dessem para o torto. E é claro que eu fiquei toda borrada.

Confesso que não sou pessoa de arriscar. Aliás, antes de ir para esta empresa, ainda estive dois meses na antiga {a do part-time aos fds}, até ter a certeza que ficava na nova e poder finalmente despedir-me da anterior. Sou uma pessoa prevenida, é verdade. Conversei em casa com mamãe e ela disse-me para aceitar. Que era um risco mas valeria a pena. E acabei por dizer que sim.

Ando cheia de trabalho, às vezes ao sábado de manhã ainda trabalho em casa {em comunicação com o servidor da empresa} e ando com pouco tempo para tudo. Mas tenho a certeza de que estou a cumprir todos os objectivos e isso basta-me. Agora estou mais ligada à outra área que também adoro {marketing} e a direcção já perguntou o que eu pensava de tirar uma especialização na área, suportada por eles.

É gratificante ver que, entre tantas pessoas, escolheram a mim. Sim, estou toda inchada. Porque, meus amigos, de empreguinhos mal pagos sei eu. Sei o que é estar mais de 8h em pé, a servir bolos no Jumbo, como promotora. Sei o que é aguentar gerentes de loja com a 4ª classe e que exigem ser tratadas por doutoras. E de repente, ouvir da boca de uma directora que me conhece há 3 meses um: estamos decididos a apostar em ti. A questão que se coloca é... estás disponível? (imaginem uma pessoa quase a cair da cadeira... eu!}.

Tudo isto para dizer que há uma colega que anda intragável. É bocas e mais bocas. "Ah, não sabes onde está o documento não sei quantas? Oh, mas tu és tão essencial para a empresa, achei que sabias de tudo...". Esta rapariga está há 6 meses na empresa e não engole o facto de eu ter chegado depois dela e estar a ter algum destaque. O mais engraçado é que passa umas boas horas no Facebook e a ler blogues {e, perdoem-me mas acho inadmissível estarem no posto de trabalho a ler coisas pessoais.}

E o pior vem agora: a minha promoção está directamente ligada com esta rapariga porque a direcção não lhe vai renovar o contrato. Eu vou, basicamente, agregar a função dela e mais algumas tarefas. E só de pensar que na sexta-feira vão lhe dar este presente de natal, nem quero pensar no mau ambiente que vou ter na segunda. Se eu não aparecer mais por cá, já sabem... fizeram-me a folha :P
SHARE:

13 dezembro 2012

O Pingo Doce e a lógica brilhante:

Ontem, no Pingo Doce de Carcavelos:
Eu, na fila à espera para pagar, reparo na senhora que está a ser atendida.

Senhora do Pingo Doce: Fica tudo em 21,26€
Cliente: Será possível pagar com dois cartões diferentes? Dez euros num cartão e o restante noutro?
Senhora do Pingo Doce: Com certeza.

E eu fiquei com cara de parva. Ora, se eles estipularam que só podemos pagar com Multibanco em compras superiores a 20€... qual é a lógica de permitirem pagar 10€ num cartão e 10€ noutro? No fundo estarão a pagar comissões aos bancos à mesma e sobre montantes inferiores aos tais vinte euros.
Enfim, são coisas que ultrapassam o meu entendimento. 
SHARE:

12 dezembro 2012

christmas wishlist ✳

Eu não seria eu se não fizesse uma listinha de coisas que desejo para o Natal. Ajuda-me sempre a ir riscando aquilo que já ganhei e o que ficar pendente já sei que terei que "oferecer à mim própria" na altura dos saldos :P

(1) Canon EOS 1100D: Há que séculos que desejo uma câmera reflex {sou apaixonada por fotografia} para ter fotos com alta qualidade mas o investimento {€} acabava sempre por me desmotivar, de maneiras que terminava sempre por comprar uma Sony Cybershoot {já tive três}. Não desgosto da bichinha, mas quero algo superior. E nada melhor que a Canon Eos ;)

(2) Agenda 2013: Sou daquelas pessoas que por mais gadgets que tenha {iPad, Smartphones e tretas do género} precisa SEMPRE de ter uma agenda em papel. Adoro folhear, adoro o cheiro à novo, enfim... Não vivo sem a minha agenda de papel.

(3) Curso de Fotografia: Outra idéia que tem sido mais que adiada mas que chegou a hora. Quero aprender a fotografar como deve ser, compreender as aberturas, as lentes intermutáveis e toda essa parafernália. É todo um mundo novo e eu adoro o assunto, portanto, será um investimento bem feito ;)

(4) Le Pliage da Longchamp: Confesso que há uns tempos eu achava esta mala super cara "mala da feira" mas depois da viagem a Londres, vi tanta mas tanta gente com uma Pliage que fiquei assim pra lá de encantada. Com os looks certos, essa mala torna-se um acessório perfeito. Há em três tamanhos mas eu prefiro o grande  para caber este mundo e o outro. A alça é em pele {e neste quesito, também prefiro o modelo com a alça maior - e infelizmente, mais caro}. Dizem que é coisinha para durar uma vida...

(5) Lente Canon 50 mm f/1.8: A lente queridinha dos fotográfos e também, dizem, a mais versátil. Graças a todos os santinhos é também das mais baratas {aleluia} e eu estou mesmo ansiosa para começar a testar todas as infinitas possibilidades das lentes ;)

(6) Perfume Floratta in Gold, da O Boticário: O meu perfume há mais de sete anos. Amo, amo o cheirinho doce e que fixa o dia todo na pele. Já é marca registada da minha pessoa e não passo sem. Infelizmente, o Boticário em Portugal descontinuou esse perfume e agora só o encontro no Brasil. Btw, mamãe vai agora para o Rio e já pedi para me trazer dois vidrinhos em Janeiro. Adoro!

(7) Sobretudo cintado estilo "vestido": Ando há mais de dois anos à procura de um vestido vermelho cintado, com saia rodada assim tipo vestido. Acho lindo de morte mas cadê que encontro? Já corri tudo o que é lojas, já procurei em viagens e nada. Também gosto muito do modelo vermelho estilo militar, mais soltinho no corpo. Portanto, ficaria assim pra lá de feliz se neste fim de ano encontrasse o que eu chamo de o-casaco-perfeito. Será que é desta?

(8) Disco externo: Perdi o meu antigo disco externo na universidade{esqueci-o nos computadores da biblioteca} e desde então não sou a mesma pessoa. Eu tinha a minha vida ali guardada e de repente, pluft! Tinha tudo organizado por assuntos, em pastinhas... Só de lembrar me dá vontade de chorar =/ Por isso, quem quiser oferecer um novo, que se chegue à frente!

(9) e-reader Kobo Touch by Fnac: Que eu sou viciada em livros acho que já toda a gente sabe. E talvez por isso, esteja a dar cabo das vistas ao ler livros em formato digital {e-books} no iPad. Aquela luz toda nos meus olhos dá-me uma dor de cabeça que vocês não imaginam... Logo, assim que vi o lançamento do novo Kobo {rival da Kindle} no site da Fnac fiquei logo apanhadinha. O ecrã apanha a luz ambiente, não força a vista e cabem só 30.000 livros lá dentro. E a parte de trás, colorida e em matelassê...estou apaixonada!

(10) Botas clássicas em pele: Esta é uma prenda que eu vou me oferecer porque estou fartinha de todos os anos ter que comprar umas botas clássicas novas. Estou farta de gastar dinheiro em botas da treta que custam 30/40€ e não são nada de jeito. Este ano vou investir numas em pele, giras e clássicas que me vão durar muito mais tempo. Já até sei onde comprar mas estou à espera dos saldos em Janeiro. Sou uma forreta :P

E pronto, assim de repente só precisava destas coisinhas para ser feliz este Natal. Já vou tratar de enviar esta listinha por mail ao senhor meu namorado e a minha mãe, assim só numa de ajudá-los a encontrar o presente ideal para minha pessoa {ahahaha estou a brincar}. E vocês, já fizeram a carta ao Pai Natal? ;)
SHARE:

Serei a única a pensar assim...?

Sempre que entro em um centro comercial e reparo que várias pessoas estão carregadinhas de sacolas de uma loja qualquer, fico em fanicos enquanto não visito a dita loja porque acho sempre que há uma qualquer promoção bombástica do tipo que estão a dar a roupa toda e não sossego enquanto não vejo com os meus próprios olhos. Fico logo toda eriçada e dou por mim a pensar que devo ser a única pessoa a ter essas idéias da treta :P
SHARE:

10 dezembro 2012

Aquele momento em que eu passo a adorar aeroportos:

... quando acordo as seis da manhã para buscar o grande amor da minha vida. Eu detesto dar parte de fraca mas porra, já tinha tantas saudades da minha mamãe. Ah e tal, tens facebook, tens webcam, tens telemóveis, podes falar sempre com ela. É verdade. Mas essa coisa de ver as pessoas que eu amo através de um computador é uma grandessíma merda. Detesto. Parece que só aumenta a vontade que tenho de estar perto deles.

E pronto, agora é aproveitar os nossos momentos ao máximo porque no domingo há novamente aeroporto. Para ela e para a pequena princesa, rumo ao Rio. E aí sim, meus amigos, não sei como vou me segurar {é o meu primeiro natal longe dela, relevem a lamechice}

SHARE:

09 dezembro 2012

dia de beauté.

Na sexta, depois do trabalho, rumei ao cabeleireiro para tratar da peruca. É verdade que o meu cabelo continua impecável depois da tal escova progressiva mas também é verdade que as pontinhas estavam a ficar secas e aquele brilho espelhado dos fios já estava indo embora. Eu sou uma pessoa super enjoada com o meu cabelo, reparo em tudo: nas pontas, se está macio, se tem brilho, se a raiz tá lisinha, enfim... Sou chata mesmo {pronto, ao menos tenho consciência}. Faço uma hidratação profunda em casa, uma vez por semana, com produtinhos fan-tás-ti-cos que trouxe do Rio mas mesmo assim sentia que o cabelo não estava 100%. Pronto, chamem-me paranóica.

Vai dai, ao chegar ao salão expliquei o que se passava e fui aconselhada a fazer máscara de queratina e uma cauterização {para selar a cutícula e permitir que o cabelo absorva todos os nutrientes}. Todo o processo durou quase duas horas e a diferença entre o antes-e-depois é absurda. Quero fazer toda semana {louca!}. E aqui tenho que abrir um parênteses e agradecer ao namorado mais paciente desse mundo, que ficou sentadinho no salão a ler quinhentas revistas de fofoca e enquanto eu me despachava - é verdade que ele lá ia enviando-me sms a perguntar se eu estava com vontade de dormir no salão ahaha mas de resto, portou-se lindamente {já está domesticado, como diz uma amiga}.

Achei o resultado incrível e com certeza farei sempre que achar necessário {que é como quem diz, todos os meses}. Paguei 54€ por tudo {ainda cortei as pontinhas} e tendo em vista o aspecto final {mesmo do jeitinho que eu gosto}, estou mais que satisfeita.

Achei um piadão quando entrei no carro e o M. acende a luz do tecto, olha-me fixamente e exclama: estás exactamente igual, com apenas uma diferença: estás 54€ mais pobre. Eu não percebo como vocês conseguem gastar tanto dinheiro em merdinhas de gaja...". É oficial: eles jamais entenderão as nossas mariquices {assim como eu também não entendo qual a necessidade de dar 100€ por um jogo de Playstation ou, pior, por uma ida ao estádio nos jogos de uma Liga qualquer}.
SHARE:

08 dezembro 2012

drama queen.

Ainda estou ligeiramente aflita e com vontade de coçar os olhinhos mas o esforço compensa. Adoro as minhas novas pestanas escandalosas! Eu sei que de lado parece assim uma coisa descomunal mas de frente quase que nem se nota {ahahaha}. Bom, isso foi o que o M. disse quando eu fiquei a pestanejar sem parar para ver se ele notava alguma coisa e ele: o que foi amor? Caiu-te algo para os olhos? puuuft! Gajos!
SHARE:

07 dezembro 2012

☼ you are the sun, you are the rain, you make my day ☂

Esta música detém o poder de me fazer relaxar até o infinito. Se chego a casa cansada, stressada ou apenas com vontade de relaxar, tenho todo um ritual: acendo velas com o meu cheiro favorito, preparo um banho quente e mergulho na banheira ao som desta melodia. Esvaziar a mente ao fim do dia é qualquer coisa como divinal. Este estilo de música não costuma ser o meu preferido mas fiquei rendida pelo conjunto: a letra, o ritmo, a voz doce, as batidas. Adoro.

SHARE:

06 dezembro 2012

É só a mim que isso acontece?

Todos os dias recebo carradas de comentários spam e, confesso, já não tenho paciência para andar a apagá-los todo santo dia. Tenho o anti-spam activado mas parece não ser o bastante e já não sei o que fazer.

Já experimentei proibir os comentários em anónimo mas isso obriga a que as pessoas possuam uma conta do Google para comentar no meu blog e nem toda a gente a tem. Moderar os comentários para já está fora de questão. Não sou nada apologista dessas coisas e acho uma seca quando comento e o meu comentário demora uma semana a aparecer.

E é assim. Não há uma maneira destes comentários estúpidos desaparecerem? Eu sou uma completa naba nessas coisas mas acredito que haja uma forma de correr com estes comentários do blog. Há, não há? Digam que sim...
SHARE:

05 dezembro 2012

Sabes que és uma amiga daquelas mesmo boas quando...

... uma das tuas amigas liga-te ao fim da tarde e no meio da conversa, diz:

- Precisava que me fizesses um favor... É que eu morro de vergonha destas coisas, por isso lembrei-me de te pedir
- Ai mãe... aposto que vem coisinha boa daí. Diz lá...
- Então, sabes que eu tive alguns problemas com o meu marido, na cama. Ele anda complexado com o tamanho, acha que o dele é pequenino, enfim...
- Ui esta conversa está tão bonita. Ainda não percebi onde é que eu entro na história mas ok, desabafa.
(desátamos as duas a rir)
- Quero comprar-lhe um aparelho para aumentar o coiso. Acho que vai dar um up na nossa vida sexual. Estive a pesquisar na net e encontrei um fantástico que promete mais 4 cm em 5 meses de utilização.
- Um aparelho? Humm eu sou um bocado céptica nestas coisas... será que funciona? Vê lá, não gastes dinheiro à toa. E o teu marido não vai ficar ofendido com essa prenda?
- Não, não... já falamos sobre isso. Ele está de acordo. A questão é que eu já fiz a encomenda do aparelho e ele agora tem que ser levantado numa sex shop e eu não tenho jeito nenhum para essas coisas...
- Ah, obrigadinha. Quer dizer que eu tenho jeito? Sou pro em sex shops? ahahaha só tu.
- Não é isso, é que tu és toda despachada, extrovertida... o oposto de mim. Fazes isso pela tua amiga? Aquilo custa quase duzentos euros mas eu transfiro-te já o dinheiro. Compras-me? 
.
.
.
.

E lá fui eu em Carnaxide à procura da tal sex shop milagrosa. Entrei, dirigi-me ao balcão e dei o nome da minha amiga {afinal, a reserva estava em nome dela}. O gajo olhou-me, deu um sorriso malicioso {confesso que tive uma pontinha de vergonha nessa altura} e lá foi buscar o aparelho. Já enviei sms à minha amiga a dizer que já o tenho comigo e recebi de volta um: "és demais! Obrigada, baby. Sabes que estou cá para tudo, assim como estás para mim :*"

Vou entregar a encomenda hoje à noite mas é  claro que tive que fazer uma gracinha. Hoje, ao tomar o pequeno-almoço com o M. num café {cheio, por sinal}, abri a mala e retirei o embrulho {vem numa caixa toda branca} e disse: "abre, amor. É para ti" e ele, muito despachado, puxou a embalagem à frente do café inteiro. Tive um ataque de riso ao ver a cara dele, todo vermelho a enfiar a embalagem novamente dentro da caixa: "pra que eu quero isto, pá? Estás louca?" e eu a rir-me como uma perdida. E ele finaliza, todo orgulhoso: "Até porque não dá para ficar maior do que já é.." e desatámos os dois a rir como malucos.

Logo a seguir, ele complementa: "mas espera lá... tu compraste isso para quem?" e eu lá expliquei-lhe a história toda. Pergunta-me logo de seguida: e compraste mais alguma coisa na sex shop? {homens...} e eu não lhe respondi. É segredo...

SHARE:

Pânico do dia:

Aquele momento tenso em que passas a mão pelo pescoço e... cadê o meu fio do Cristo Redentor?!
Entrei em Pânico absoluto porque sou apaixonada por esse fio. Tenho-o há dois anos e foi prenda do meu amor {mandou fazer especialmente para mim e teve todo o cuidado com os detalhes dos dedos, do manto da estátua... ficou uma perfeição}.

Vasculhei o quarto todo e nada. Arrastei a cama, olhei na roupa que usei no dia anterior, mandei as almofadas para o chão e nada. Já com vontade de chorar {eu sou muito apegada à coisas com valor sentimental}, decido perguntar à Claudinha se ela viu o fio. E ela exclama: Sim, encontrei o fio no chão do teu quarto, quando fui aspirar. Guardei na gaveta da tua mesina de cabeceira.

Ufa! Alívio absoluto. A verdade é que o fecho abriu sozinho {eu nunca tiro este fio, anda comigo sempre} e pelo sim, pelo não, hoje vou levá-lo à uma joalharia para ver se conseguem pôr um fecho mais seguro. De todos os acessórios que uso diariamente, há dois que não consigo viver sem: a Pandora e o fio do Cristo. Todo o resto é dispensável: brincos, relógio, anéis... mas aqueles dois, não. São demasiado importantes para mim.

SHARE:

Daqueles momentos que são só nossos.

A minha irmãzinha é maluca por teatro: adora ver as cortinas a abrirem-se, adora os momentos dos aplausos, a espontaneidade toda da coisa, enfim... Prefere mil vezes ir ao teatro a ir ao cinema, por exemplo. Como mamãe ainda está em Angola {volta já no domingo, yey!} e a Vi anda tristinha com saudades dela {se fosse só a Vi...}, no domingo peguei nela e fomos as duas ao Teatro Villaret assistir a peça do Capuchinho Encarnado.

A peça está muito bem feita e o final é surpreendente {aliás, a história toda foge bastante da versão original}. Foi rir do início ao fim. A Vi adorou cada segundo e já combinámos que para a semana vamos as três: eu, ela e mamãe assistir a uma peça nova.

Como o teatro terminou às 12h e pouco, rumamos ao IKEA para comprar enfeites de natal e, é claro, almoçar porque tanto eu como ela somos apaixonadas pelas almôndegas suecas de lá.

A loja estava toda decorada para o Natal, tudo tão lindo... Aliás, no que toca à decoração de interiores, a IKEA é assim uma espécie de pequeno paraíso. A zona do restaurante estava incrível, cheio de tecidos coloridos e luzes a piscar. Não resisti a tirar uma fotografia. Adoro esta época ;)

Para os interessados, a peça fica no ar até dia 16 de Dezembro e cada bilhete custa 7€. Os pequeninos vão adorar ;)
SHARE:

03 dezembro 2012

love is enough

Ando tão, mas tão apaixonada que só me falta ter as pupilas em formato de coração para andar a ver tudo com os olhos enevoados {que pirosa!}. Acho engraçado porque estamos juntos há sete anos e neste momento sou muito mais apaixonada por ele do que era ao princípio.

Talvez porque agora tenhamos aquele tipo de intimidade que eu sempre admirei nos casais à sério. Aquela coisa de entendê-lo só com o olhar. Dele adivinhar, pela minha cara, no que estou a pensar. Aquele à vontade para conversar sobre qualquer assunto e sempre poder dizer realmente o que eu penso sem precisar de máscaras {é verdade que eu às vezes deixo o rapaz um bocadinho chocado mas...}. Adoro a forma como já me conhece tão bem. Quando diz, muito seguro: experimenta provar este prato, vais adorar. E eu, de facto, adoro.

Gosto que ele saiba tudo sobre mim, como se eu fosse um livro aberto. Entre nós não há mentiras e por maior que seja a merda, preferimos sempre contá-la. Talvez por isso não haja aquelas típicas briguinhas por desconfiança disso ou daquilo. Se ele faz algo que acha que não vou gostar, conta-me logo. E se eu faço alguma cagada, digo-lhe de seguida. 

Eu sei que dizem que aquela empolgação inicial e as borboletas no estômago desaparecem com o tempo mas... é tudo mentira. Eu ainda fico nervosinha quando trocamos sms de madrugada. Ou quando ele aparece à porta da universidade para buscar-me sem avisar. Ainda fico envergonhada quando me diz alguma safadeza ao ouvido. A verdadeira magia, aquela coisa toda do início... está cá, mesmo depois de sete anos. E eu adoro que sejamos assim porque deve ser uma seca andar anos a fio com uma pessoa e ter aquela relação morna, aquela coisa rotineira e quotidiana.

Acho que temos algo verdadeiramente especial e, principalmente, raro. Gosto tanto dele... É amor mesmo, amor puro. Acho delicioso quando ele, mesmo meio sem jeito, faz-me declarações de amor pirosas até mais não e diz que eu sou a mulher da vida dele. Por sua vez, ele derrete-se quando eu digo que valeu a pena esperar para encontrá-lo porque de outra forma... não seria a mesma coisa. Amo-o. E adoro saber que, mesmo com uma data de anos em cima, ainda continuamos os mesmos malucos de sempre, loucos um pelo outro.

SHARE:

02 dezembro 2012

boa noite.

ele. eu. ela.
aquecimento ligado. mantas. pés quentinhos. petit gateau com gelado de morango. filmes de animação. risadas sem fim. beijos demorados. chamego. e preguiça da boa. *boa noite, pessoas*
SHARE:

it's christmas time ✴

Hoje foi o primeiro dia em que peguei a sério nas coisinhas de Natal. Adoro esta época, acho que não há altura mais mágica que o Natal. Pensava eu que era só buscar as coisinhas na arrecadação, espalhar pela casa e pronto. Doce engano, havia montes de bolinhas partidas, enfeites que entretanto desapareceram, a decoração da lareira que eu não encontrei... Enfim.

Montamos a árvore e demos um jeitinho com aquilo que tínhamos à mão {não me apetecia sair novamente de casa...} de maneiras que ainda tenho alguns detalhes para comprar {e arrumar} até o próximo fim-de-semana.

Quero comprar os laços vermelhos para pôr na escada, quero as luzinhas que piscam e montes de meias coloridas para pôr na lareira. Já vos disse que adoro o Natal? ;)


SHARE:

01 dezembro 2012

Dos amores impossíveis.

Sou fã de histórias assim. De amores que não se concretizam, de amores impossíveis que chocam a sociedade e, é claro, de paixões à antiga. O meu lado romântico fica deliciado com histórias assim e por isso estou mortinha para assistir {finalmente!} o filme Anna Karenina.

Tive uma disciplina no secundário {in Rio de Janeiro} que chamava-se Literatura e fez as minhas delícias na adolescência. Adorei ler A Dama das Camélias, Madame Bovary e tantas outras histórias de amores despedaçados.

Li o livro da Anna Karenina há uns aninhos e na altura fiquei completamente impactada com a história. Tanto amor, tanta tragédia... Lembro-me de pensar, horrorizada: mas como teve coragem de largar o filho e fugir com o amante, meu Deus?. Eu jamais o faria mas conheço algumas mulheres que possuem essa coragem, por assim dizer. Sei que jamais seria completamente feliz se trocasse a minha família por uma paixão, por maior que ela fosse.

Ainda não vi o filme mas aposto que está brutal. Ai que ansiosa que eu estou.

SHARE:

30 novembro 2012

Ai o que eu fui descobrir!

Meus amigos, isto é o mais perto do paraíso que já estive. Descobri esta delícia há poucos dias e tenho estado a controlar-me para não enfardar uma embalagem {com três trufas} por dia... São tão gostosas que uma pessoa perde o controlo.

O preço chega a ser ridículo {de tão barato}: a embalagem custa só 1€. E quer dizer, eu olho ali para as moedinhas de 1€ tão abandonadas na carteira e o meu pensamento viaja: e se cada moeda fosse transformada em uma pequena embalagenzinha? Ai vida!

Hoje experimentei colocá-las no frigorífico e ficaram ainda melhor: o chocolate ficou mais durinho e formou tipo uma casca por cima...e o recheio tão geladinho, aiiiiii. Uma perdição.

E para piorar o quadro, o único sítio onde sei que elas são vendidas é no minimercado na rua de casa. Sim, leram bem, na rua da minha casa. Avizinham-se tempos muuuuito difíceis, é o que é.
 
SHARE:
© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig