14 janeiro 2012

O meu sábado perfeito:

A minha princesa gorducha.
E o meu gigante das colinas.
Já tinha saudades de um sábado desses. Só eu e os meus amores. 
Aproveitei que o namorado foi jogar futebol com os primos [o típico programa masculino: futebol, PS3 e pizzas] e que a minha mãe foi para Aveiro dar uma formação [e só volta no domingo de manhã] para fazer um daqueles programas de irmãos.

Acordei antes deles, fiz um pequeno almoço cheio de coisinhas boas e acordei o P. devarinho para irmos com as bandejas lá pro sótão acordar a pequena princesa e comermos os três juntos. Comemos, rimos, contámos histórias [o P. contou as façanhas de ser um caloiro de Marketing e o quão gozado foi nos primeiros dias de aula...e a Vi espantada disse que afinal já não queria fazer faculdade ahaha]. 

Sem a mãe em casa [e com a Cláudia de folga = "não há almoço pronto"] decidimos ir almoçar no IKEA [já vos disse que adoro as almôndegas de lá?] e lá fomos nós. Compramos algumas coisas [molduras, velas, e uma estante nova para o quarto dele] e fomos para o restaurante. Ela a empurrar o carrinho com os tabuleiros, toda orgulhosa e com ar de gente crescida... E tão crescida que ela já está!

E é nessas horas que eu percebo o enorme amor que eu sinto pelos meus irmãos. E tenho a certeza que seria muito infeliz se fosse filha única. Muita gente diz que sempre quis ser filho único, que não queria irmãos... eu nunca sequer pensei nisso. Até porque o P. nasceu 3 anos depois de mim, logo, desde sempre que sei o que é ter um irmão, um companheiro de aventuras, ou simplesmente alguém para meter as culpas quando eu fazia merda [e eu fazia muuita, acreditem!]. 

Já disseram-me que eu gostava mais da Vi do que do P. Já perguntaram de qual irmão eu gostava mais. E sinceramente, não há resposta para essa pergunta. Eu sou louca pelos dois. Faria qualquer coisa por eles. Cada um tem uma história: o P. cresceu comigo, esteve comigo em todos os momentos, é o meu parceiro, o irmão mais debochado e irónico, aquele que dá os conselhos mais verdadeiros...e o mais ciumento também. A Vi é a bonequinha, o meu bebé. Aquela que demorou muito para chegar, que foi tão desejada e que, apesar da pouca idade, é uma irmã maravilhosa. Alinha em tudo que eu digo, é carinhosa, é educada, é uma lady. Ela é uma junção de irmã e de filha. 

Eles são parte de mim. A melhor parte, eu diria. São maravilhosos, muito em parte devido à mãe maravilhosa que nós temos. E é isso: não sou capaz de viver longe deles. Dos meus amores.

P.S: Agora vou secar o cabelo, arranjar as unhas e vestir uma roupinha gira para ir jantar com o meu príncipe. Até amanhã ;)
SHARE:

2 comentários

  1. um dia mesmo perfeito..., fofucha sua irmãzinha...:)
    bjs e bom fim de semana
    http://lifestyledebora.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  2. @Débora Nogueira: Obrigada querida! Minha irmã é mesmo uma coisa fofa demais, morro de vontade de apertá-la a cada 5 minutos :P

    Beijinhos :***

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig