19 janeiro 2012

Palavras que poderiam ser minhas.

Estamos em tempos de crise, isso já TODOS sabemos. Mas, caso algumas pessoas ainda não tenham reparado, nem TODAS as pessoas sentem a crise da mesma forma. Algumas, nem a sentem. Nem TODAS as pessoas ganham ordenados baixos (aqui não entra a classe política, obviamente). Nem TODAS as pessoas fizeram cortes nas despesas pessoais. Há pessoas que continuam efectivamente  (ainda que poucas, não sei) a manter o mesmo nível de vida que sempre tiveram. Não é ao calhas que certos hotéis de cinco estrelas ou certos restaurantes gourmet, continuam a ser frequentados, como são. E algumas agências de viagens, que continuam a facturar como facturam.
{daqui}

Este post da Olívia tirou-me as palavras da boca. Já estava há algum tempo para escrever sobre o assunto mas por medo de ser mal interpretada acabava por adiar. Acho que chegou a altura de falar sobre isso. 
Tenho recebido alguns comentários menos simpáticos, por assim dizer. E não sou pessoa de me chatear com isso, vocês sabem. Normalmente não dou muita importância ao assunto, nem sequer perco o meu tempo a apagar tais comentários. Às vezes respondo, noutras vezes ignoro. Depende muito do meu estado de espírito. Mas há um tipo de comentário que, de facto, incomoda-me. E muito. Posso citar alguns:

"Eu não sei se tu tens noção da realidade do país, não sei se sabes mas vivemos num período de crise. As pessoas não conseguem sequer comer e tu vens para aqui espetar com fotos de compras, de roupa, de viagens... Ganha mas é juízo! A vida não é só isso, deixa-te de futilidades, rapariga!"

"Mas tu vives em que mundo? É que no mundo onde eu vivo uma estudante de mestrado (como tu dizes que és) não consegue ostentar um padrão de vida como o teu. Cá pra mim tens é alguma actividade paralela... Será?"

"Gostava muito do teu blog mas quando começas com estes posts de compras e roupa, fico farta. Farta de tanto exibicionismo, de tanta vaidade... Tu ofendes a mim e ofendes a todos os portugueses que passam necessidades. Não sabes o que é a vida real."

Todos os comentários acima foram feitos por anónimos [razão pela qual este blog deixou de aceitar comentários anónimos desde ontem - o que não impede que eles comentem, mas pelo menos vão ter um bocadinho mais de trabalho] e sinceramente? Nem sei o que dizer perante tantos conceitos errados. 
Vamos lá ver uma coisa. Vivo em Portugal há 8 anos, logo, tenho alguma noção do estado em que o país está [economica, social e politicamente] e sei que há uma crise severa aí fora. Sei disso e lamento que as coisas tenham tomado este rumo. Graças a todos os santinhos, cá em casa ainda não sentimos [muito!] os efeitos da crise. Continuamos a poder fazer [quase] as mesmas coisas e vivemos de uma maneira confortável. Devo pedir desculpas por isso? 

Sim, é verdade que há pessoas que não conseguem comer. Aliás, em África sempre houve pessoas que não possuíam o que comer. E depois? O que vocês sugerem? Que eu ande a trabalhar o mês todo e no dia 1 transfira todo o meu ordenado para uma instituição de solidariedade? Pois, eu adorava poder fazer isso. Mas já faço a minha parte, já contribuo para ajudar quem não tem nada e estou em paz com a minha consciência.

Sobre ser fútil, bom, seria inútil negar. Tenho os meus momentos de futilidade, sim. Sou vaidosa e não tenho vergonha nenhuma em assumir tal coisa. Um dos motivos de ter criado este blog foi mesmo esse: precisava de leveza, de falar sobre coisas fúteis, de extravasar mesmo. E não obrigo ninguém a ler o blog, se não gosta, não come. Simples assim.

E o segundo anónimo tem razão. Epá, que chatice! Já descobriram a minha actividade paralela. Já sabem que eu vou todas as noites para o Parque Eduardo VII dar uma reboladinha. E aos sábados e domingos vou para o Elefante Branco que lá ganho mais. Pronto, está tudo estragado. Descobriram a minha identidade secreta...

Agora a sério: Não sou rica, não nasci em berço de ouro e sei como a vida pode ser dura às vezes. Mas nunca baixei os braços, nunca desisti. Já tive fases muito boas e fases muito más, como toda gente. Mas tenho uma excelente capacidade de adaptação e sei dar valor ao que realmente importa [e não são roupas nem sapatos]. Já uma vez disse isso aqui mas repito: quando cheguei em Portugal, em 2004, tive que viver com a minha família num T0 em Alfragide, andava a trabalhar como promotora no Jumbo e o meu roupeiro era este. Em oito anos e depois de muito esforço [meu e da minha mãe], as coisas mudaram. Mas nada caiu do céu.

Vou continuar a escrever como sempre escrevi. Vou continuar a postar sobre assuntos que me derem na real gana. Tento sempre ter alguma sensibilidade ao dizer certas coisas [e, acreditem, há muita coisa que eu não conto no blog sob pena de ser taxada de snob] para não ofender ninguém mas se mesmo com esse cuidado há malta que se ofende... lamento. Lamento por serem tão limitados.
Desculpem o desabafo mas estava entalada com isso. Pronto, passou. Às pessoas que gostam de ler este blog, não liguem ao post. Não é para vocês ;)
SHARE:

12 comentários

  1. fiquei chocada com os comentários... as pessoas podem ser tão más! Força!

    ResponderEliminar
  2. Posso ser muito sincera contigo? Ninguém tem nada a ver com aquilo que tu compras ou deixas de comprar, o que aqui mostras ou deixas de mostrar! Nem ninguém tem que insinuar onde é que tu vais buscar o dinheiro! A maior parte das pessoas tem a mania de que se aquele ou aquela têm dinheiro para um determinado estilo de vida então é porque têm uma daquelas actividades paralelas bem manhosa... E como a Fashionista disse, as pessoas conseguem mesmo ser muito más. Mas sabes o que nós fazemos a essas pessoas? Damos-lhe todo aquele desprezo que elas merecem. Estamos em crise, isso é um ponto mais do que assente, mas a forma como cada um lida com isso é exactamente isso: de cada um! Se tu gostas de mostrar as tuas compras porque te haverão de criticar? Por acaso não vêm cá espreitar? É que caso contrário não comentariam, não é verdade? Acho que deves continuar a escrever sobre aquilo que muito bem entenderes e deixares de dar importância a pessoas ressabiadas que para aí andem. Goza a tua vida como podes e mais nada!

    ResponderEliminar
  3. Não entendo esse tipo de comentários, a sério que não.

    Ontem li um post, onde a autora afirmava que as pessoas que fazem posts com roupa que compraram, deviam ter vergonha na cara (?!). Escrito assim desta forma, com todas as letras. (Mas muito revoltada e esbaforida.) Rematando que deixa de seguir os blogues cujas autoras gastam dinheiro em roupa nestes tempos de crise. Que ela não está para andar a passar necessidades e ver os outros a comparar "bens supérfluos".
    Oi? Como?! Mas o que é isto?! Quem puder comprar, pois que compre! Ora essa!
    Não entendo... Juro. O cérebro é um órgão tão importante, mas tão pouco usado por alguns...

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  4. Há um certo tipo de inveja que até é bom. Faz-nos querer batalhar por ter igual.
    E depois há outro tipo de inveja que é destruidora.
    Todos sabemos que isto está mau mas se ninguém gastar dinheiro em nada então isto também não entram impostos não é?
    E eu vejo os blogs pelo mesmo motivo pelo qual tu o escreves. Pela leveza. Porque nos faz bem ver coisas giras e rir à parva.
    Ah e tu até compras na Primark e no Ikea lol olha se comprasses tudo tudo em marcas caras han lol

    ResponderEliminar
  5. Isso é só inveja. É claro que estamos em crise, mas sempre houve pobreza! Não sou rica (longe, muito longe disso) mas também não passo fome. Lá para o final no mês já não posso comprar extravagâncias, mas não é por isso que fico frustrada por outras pessoas poderem. Tenho é pena de não o poder fazer! E ajudo sempre que posso porque assim fui educada! Continua a postar o que gostas, o blog é teu, quem não gosta não leia, é simples.
    Beijinhos de quem nunca comenta (devia ter vergonha) mas sempre lê (:

    ResponderEliminar
  6. @Fashionista: Também fiquei espantada quando li estes comentários. Tanta gente perdendo tempo com agressividade gratuita. Não percebo. =S

    @Fiona: Obrigada pelas palavras :) Eu normalmente nem perco o meu tempo com determinados comentários, acho que não vale a pena. Mas como recebi vários comentários a falar o mesmo, achei que era oportuno fazer um post sobre o tema [assim só naquela de ver se os comentários ressabiados desaparecem]. A partir de agora nem sequer perco o meu tempo a lê-los. É logo para a reciclagem :P

    @Olívia Palito: Epá... jamais vou perceber esta gente que comenta a criticar tudo e mais alguma coisa nos blogues. É tão simples... não gosta, não come. Basta carregar no X no canto do blog e pluft! Já não se chateiam...
    Obrigada pelas palavras ;) Um grande beijinho :**

    @Vanessa: Concordo contigo. Acho que há uma "inveja boa", que no fundo é um tipo de admiração. E faz-nos querer batalhar para ter aquilo, para conseguir algo. Acho positivo. Acho que o blogosfera tem um lado um bocado sombrio [e não deveria ser assim]. Problemas todas nós temos e acredito que ninguém goste de ler blogues para chatearem-se. Eu leio blogues para divertir-me, para ficar a par dos assuntos que gosto e se não gosto de algum, simplesmente não leio. Simples assim. E bem vistas as coisas, até sou uma pessoa de gostos simples: adoro a Primark e a IKEA ahahah :P

    @Carolina: Concordo contigo. E sou tal como tu, por vezes também não posso comprar uma ou outra coisinha ao fim do mês mas faço escolhas. Há quem gaste imenso dinheiro em tabaco, há quem gaste imenso dinheiro com saídas à noite... eu fiz opções. Não fumo, não bebo, mas gosto de gastar o meu dinheiro naquilo que gosto. E não acho nada errado. Toda gente tem que fazer opções: ou compramos isto ou aquilo. O meu dinheiro também não chega para tudo mas nem por isso eu fico frustrada e saio a alfinetar os blogues alheios. Enfim... Gostei de saber que costumas passar po cá. E podes comentar à vontade, que eu não mordo ehehe ;) beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Eu gosto muito do teu blogue, e vou sempre (calculo eu xD) continuar a ler. As pessoas não escrevem todas sobre o mesmo, e é por isso também, que os blogues não têm todos o mesmo tipo de seguidores/público. Sigo blogues lamechas, sigo blogues de reflexões, sigo blogues de humor, blogues de cozinha, blogues como o teu... Quando não gostamos do que um blogue publica, simplesmente devemos deixar de o ler se assim quisermos, e ninguém tem nada a ver com o que cada um publica. Como tu dizes, e como eu digo também tanta vez - quem não gosta, não come xD
    Também ninguém tem nada a ver com o dinheiro que tu gastas. Quem pode, não vai deixar de gastar só porque há outros que não o podem fazer. Também não vamos todos chorar só porque um não consegue sorrir. Escreve sempre sobre o que te apetecer, porque ate agora tudo o que te apetece escrever, a mim interessa-me xD

    beijinhos da Maria.

    ResponderEliminar
  8. as pessoas simplesmente não percebem a origem da crise. Já imaginou se ninguém comprasse nada, nadinha mesmo durante uma semana por ex. O país entrava em colapso..., e aí sim seria uma "Desgraça total". O dinheiro precisa circular, sem isso um país não sobrevive.
    Existem pessoas que o único propósito na vida é estragar a felicidade dos outros..., e acho sim que deves continuar com a mesma linha do blog, quem não gostar que vá cantar em outra freguesia...
    bjinhos
    http://lifestyledebora.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  9. Adorei ler este teu relato sobre o que é foi a vida para ti e a forma como a encaras. Conheci-te hoje e já te admiro.

    Essa gente anónima tem é dor de cotovelo. Velho problema tuga. Como és filha de várias pátrias sabes bem que por aqui, os mérdia, vulgo média ou mídia como se diz no Brasil, fartam-se de publicar noticias negativas sobre o estado do país, noticias que desencorajam qualquer um e a realidade é que esse pessoal que diz que existem pessoas "que não têm o que comer" não sabem mesmo do que falam. Em Portugal, excluindo os sem-abrigo, a pobreza é incomparável à que eu já vi em outros países, especialmente na Europa de leste. nem vou tão longe para falar de africa ou da asia.

    O que eles têm inveja é de pessoas que mesmo vivendo num país em "crise" financeira continuam a manter a esperança (tudo o que li de ti aqui é um pouco disso),
    Admiro as pessoas "self made" como eu e como tu pelo que li também és, porque já fizeste muitas coisas e nunca desististe. Muitos desses que enviaram comentários anónimos são aqueles que ficam em casa a se queixar da vida e que não fazem nada para que algo mude e como tal e agora que o subsidio de desemprego terminou ficaram rabugentos, ficam f... quando vêm alguém que tem outro espírito, um espírito bem mais positivo para a vida. Eles sao uns infelizes. A minha única sugestão é que mantenhas a tua forma de ser na blogosfera e que cagues para esse bando de energúmenos.

    Eu sou outro dos que, apesar de desempregado há coisa de mês e meio, não vi a minha situação piorar, pois trabalhei mais de dois anos à noite, quando poderia trabalhar só de dia na mesma empresa e amealhei ao ponto de não pedinchar nada a ninguém hoje e até digo em primeira mão aqui que para a semana irei de férias para Miami e quiçá até o México, e que venha algum filho de uma puta dizer se eu tenho alguma actividade paralela para veres eu manda-lo/a para a puta que o/a pariu!
    Que trabalhem e que se dediquem como eu faço quase todos os dias e que depois gozem. São um bando de cigarras. Tenho pena deles.

    Um beijo Garota, continua a ser quem és e desculpa os excessos verbais, mas julgo que eles estão contextualizados.
    Tudo de bom!

    ResponderEliminar
  10. @Maria: Olá! Fico contente que gostes do blogue ;) Também tenho na minha lista blogues de assuntos diversificados e quando calha de não gostar de algum simplesmente deixo de seguir. Simples. As pessoas complicam tudo...
    Obrigada pelo carinho =) Beijinhos

    @Débora Nogueira: É o que eu costumo dizer: se as pessoas não movimentam a economia, o país ainda piora! :P Fiquei de facto irritada com os comentários [principalmente os que falam de "actividade paralela"] mas a partir de agora vou ignorar. Não vou perder energia com este tipo de coisa. Há coisas bem mais interessantes para fazer ;) Beijinho =***

    @Martini Bianco: Olá! Obrigada pelas palavras. E tens razão, eu já não posso com tantas notícias sobre a crise, despedimentos, cortes, aumento do IVA e mais uma série de coisas. Os jornalistas parecem abutres e a população acaba por não ter esperança de que "dias melhores virão". Eu prefiro acreditar. Acreditar que as coisas serão melhores, acreditar que o futuro está mesmo aí ao virar da esquina e que será belo. Porque se já é difícil para quem acredita, para quem desacredita então...

    Vou seguir a tua sugestão e ignorar este tipo de comentários. Não vale a pena e eu só me desgasto.

    Epá...tu vais para Miami? Humm cá pra mim andas em actividades paralelas ehehe. Aproveita e disfruta ao máximo! =) Nós, que batalhamos tanto, temos o "dever" de gozar as coisas boas da vida ;)

    Um beijo para ti! E gostei muito dos teus excessos verbais ;)

    ResponderEliminar
  11. Descobri o tue blog à pouco tempo mas foi paixão e desde então sigo-o. Uma das razões que me cativaram foi a sinceridade com que expões os teus pensamentos e dia à dia.
    Quanto a esses comentários uma palavra apenas: ignora. A ideia dessas pessoas é entrarmos numa espiral depresssiva? "Eu não posso comprar, mesmo que possa não devo, é um pecado comprar" Para começar o dinheiro é teu e cada um faz o que bem entende e a verdade é que uma comrpinha faz um bem à alma...
    Beijinhos e continua com a tua leveza :)

    ResponderEliminar
  12. @Da me, da noi: Obrigada! Fiquei até sem jeito perante os teus elogios ;) E estou a seguir os teus conselhos, ou seja, ignorei esta gente e os seus comentários mesquinhos. Não vale a pena e não me acrescenta nada de bom.

    Um beijinho :***

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig