23 fevereiro 2012

Da incompetência alheia.

Hoje de manhã fui ao site da universidade ver se já tinham saído as turmas [visto que as aulas recomeçam na segunda, convém confirmar os horários] e qual não é o meu espanto quando vejo que estou inscrita em Fisiologia Animal [cadeira de terceiro ano que eu já fiz há que tempos!] e a cadeira onde eu realmente deveria estar inscrita [Biotecnologia Animal] não constava na minha inscrição!

A minha universidade deve ser a única de Lisboa e arredores que ainda é do tempo da manivela e obriga os alunos a irem pessoalmente fazer a inscrição na Divisão Académica [inscrições online? pra quê? é muito mais giro ver filas e filas de alunos à porta do edifício], de maneiras que liguei para a Divisão Académica para saber o que se tinha passado, visto que lembrava-me perfeitamente de ter dito Biotecnologia Animal e não outra cadeira qualquer...

E acham que alguém atendeu o telefone? Não... atender telefone é para os fracos! Em altura de inscrições os queridos simplesmente desligam o telefone e não há forma de contactá-los. Liguei para a Associação de Estudantes e perguntei se o telefone da Divisão Académica estava com problemas porque eu estava a tentar ligar há meia hora e chamava mas ninguém atendia. "não, o telefone está bom, mas é que estão com falta de pessoal e então desligaram o telefone". Foda-se.

Lá vou eu para a universidade, furiosa por perder a minha tarde a tratar da incompetência dos outros. Quando chega a minha vez, surge o diálogo bizarro:

Eu: Bom dia, na semana passada vim fazer a inscrição e uma das cadeiras era Biotecnologia Animal mas penso que houve um erro qualquer porque o meu nome não está na listagem de alunos desta cadeira mas sim em Fisiologia Animal, cadeira que nem faz parte do meu mestrado.
Funcionário: Diga-me o seu número de aluno. [e eu disse....] (funcionário faz cara de: "temos aqui um problema") e eu fico nervosa:
Eu: E então? 
Funcionário: Com quem é que fez a inscrição?
Eu: Com a Ana.
Funcionário: Pois...
Eu: Passa-se alguma coisa? [odeio o clima de mistério...]
Funcionário: É assim, a minha colega deve ter percebido mal porque você está inscrita em Fisiologia Animal ao invés de estar em Biotecnologia Animal. E agora já não há mais vagas para Biotec.
Eu, a hiperventilar: Desculpe?! 
Funcionário: Já não lhe posso inscrever em Biotec porque as duas turmas estão cheias e como os laboratórios não suportam mais de 22 alunos...
Eu: Pois, mas é assim, eu inscrevi-me no 2º dia de inscrições e se vocês cometeram um erro eu não tenho culpa nenhuma. Na altura em que me inscrevi havia vagas e eu preciso da minha inscrição feita.
Funcionário: Eu percebo a situação mas infelizmente não consigo fazer nada....
Eu: Posso falar com a responsável pela Divisão Académica?
Funcionário: Ela não está, só retorna na segunda-feira. Mas pode preencher um requerimento a solicitar que, excepcionalmente, permitam uma turma de laboratório com 23 alunos.

Não preenchi requerimento nenhum e fui falar com a professora responsável pela cadeira de Biotec. Surpresa das surpresas, era uma professora que deu-me 4 cadeiras durante a licenciatura e que é uma querida. Expliquei-lhe toda a situação e na mesma hora ela saiu do gabinete e foi comigo à Divisão Académica. Dizia ela: "Não, isto não pode ser. Então tu não tens culpa nenhuma do erro deles, fica descansada, eles vão ter que aceitar a tua inscrição...".

O funcionário, todo vermelho, só ouvia enquanto a  professora [que é das mais antigas da universidade, catedrática e daquelas que toda gente respeita] dizia que obviamente, tinham que fazer a minha inscrição na cadeira e que erros deste tipo não podiam acontecer e blá blá blá.

Conclusão: Saí de lá com a inscrição feita e na turma que eu queria [o que significa que terei todas as sextas feiras sem aulas - oba!] e com uma dor de cabeça monstruosa por ter ficado stressada. [a sério, já estava a ver a vida a andar pra trás...]

Agora vou relaxar um bocadinho aom som disto [] e tentar abstrair a manhã confusa que tive! A sério, se há coisa que me transtorna é incompetência... É que depois lavam as mãozinhas e "infelizmente não consigo fazer nada". Ora, porra, isso lá é resposta que se dê? Argh!
SHARE:

3 comentários

  1. Sinceramente? Estava a ler o teu texto e parece que estava a reviver os meus tempos na faculdade... Vai na volta é a mesma faculdade ;)

    ResponderEliminar
  2. Possa era mau demais não resolverem isso!! Uma salva de palmas para a prof ;)

    beijinhos!

    ResponderEliminar
  3. @Fiona: Uiii será? :P

    @Sofia: Eu estava a desesperar! Se não fosse a querida da professora... nem sei!

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig