17 março 2012

A razão pela qual eu detesto cozinhar com ele ao lado:

Tal e qual. Eu começo a cozinhar e de repente ele surge, tal qual Master Chef, olhos esbugalhados e exclama: "porque estás a pôr cebola no molho da massa?! Não fica bom...", "xiiça, é preciso tanto sal no arroz? Vai ficar intragável." ou aquela que me dá cabo dos nervos: "olha que a minha mãe não faz isso assim... Ela costuma usar manteiga e blá blá blá". Salta-me logo a tampa.

Da última vez em que veio com esses palpites eu não me fiz de rogada:  retirei-me da cozinha e larguei tudo a meio para ele terminar {frango no forno, batatas a cozer e o arroz a secar}. Fui para o quarto e ele foi atrás, como um cão de guarda. "Oh amor, ficaste ofendida? Não falei por mal, sabes que adoro a tua comida...". Fiz-me de surda e continuei com a Lei do Silêncio {a melhor maneira de acabar com a paciência de um gajo}. E ele atrás, à espera de que eu voltasse para a cozinha.

As tantas enerva-se a diz: "E a comida no fogo, não vais ver?"
"Oh tu estavas a dar palpites com tanto à vontade que achei melhor seres tu a acabar de fazer o jantar. Agora vou tomar um banho, tá? Não esquece de ver o franguinho no forno." Pimbas, levou com a porta da casa de banho no focinho.

Demorei imenso tempo na casa de banho {lavei os cabelos, enchi a banheira, liguei a hidro...} e só sai de lá quando ouvi a batida na porta e ele a resmungar: "já podes sair, o jantar está pronto". E é assim que se educa um homem, com tratamentos de choque. Foi remédio santo... nunca mais deu palpites na cozinha.
SHARE:

5 comentários

  1. Ahahah adorei, quando me acontecer o mesmo vou seguir a tua dica;)

    Beijinhos

    S*

    ResponderEliminar
  2. @S*: Essa dica é infalível. Resulta sempre ehehe ;)

    @Sofia: =) Homens...

    ResponderEliminar
  3. @Cor do Sol: Então não funciona? Aqui em casa é remédio santo ehehe

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig