31 julho 2012

Inspiração ♥ decor

Agora com a mudança da casa ando a pesquisar idéias de decoração em mil e um sites diferentes e, na minha última incursão pelo Pinterest, fiquei a babar com as idéias que mostro-vos nas imagens abaixo. São verdadeiras inspirações e idéias tão fantásticas {e algumas são do mais simples que há} que eu até me pergunto: mas como não pensei nisso antes?!

O meu lado maníaco-obssessivo-por-organização anda em alta e já apontei várias idéias para pôr em prática na casinha nova. Amanhã é dia de ir, junto com a Claudinha, limpar a casa nova {ela com as casas de banho e cozinha - morro de nojo de limpar essas divisões} e eu fico com o terraço, os quartos e a sala. Parece-me justo. É tanta coisa para pôr em ordem que nem sei por onde começar, senhores. Mamãe anda maluca com tudo mas está de viagem marcada para Angola e só retorna quase no meado de Agosto {vou morrer de saudades - snif} de maneiras que eu, na qualidade de irmã mais velha, vou ficar responsável pelo estaminé. Isto vai ser bonito, vai. Deixo-vos com estas imagens inspiradoras de idéias absolutamente fantásticas para o nosso lar. ♥ 


Não são geniais? Pequenos detalhes que tornam o nosso dia-a-dia muito mais interessante ;)
Eu sei, este blog só fala de casa-decoração-móveis mas prometo que é só uma fase, sim? Em breve voltamos com a nossa programação normal.
SHARE:

29 julho 2012

E aqui vamos nós...

Closet desmontado {thanks, P.!}, montes de roupa que foram à vida e a descoberta de quatro pares de sapatos que estavam escondidos na arrecadação e que eu mal usei no verão passado. Aliás, uma das minhas resoluções para a casa nova é aumentar um bocadinho o espaço actual do meu roupeiro {para já, mais uma secção para sapatos e outra para blazers}. Parece frescura {e talvez seja} mas eu detesto ter que andar a trocar a roupa de verão/inverno conforme as estações. Odeio ter que encafifar as minhas botas na arredação para dar lugar às havaianas e sandálias, por exemplo. Gosto de ter tudo ali, à mão de semear, não vá eu de repente viajar para o hemisfério sul e precisar das ditas botas {sou uma pessoa prevenida} E agora sim, com um quarto maior, posso aventurar-me e organizar os sapatinhos todos {pronto, é desta que liberto a maníaca-por-organização que há em mim}. Ui, tão bom ;)
SHARE:

27 julho 2012

Parabéns, mãe!

Escusado será dizer que "eu já sabia", certo? ;) Parabéns pela conquista, parabéns pelo sucesso e agora é hora de mudar os planos {para melhor!} e dar tudo por tudo na nova etapa. Estou tão feliz por ti {por nós} e tenho um orgulho enorme em dizer que és a minha mãe! ❤

Recebemos uma notícia maravilhosa no início de Julho mas, por ser bom demais para ser verdade, optei por não dizer nada ainda. Amanhã será O dia e aí sim, posso contar-vos. Até lá, wish me luck ;)
SHARE:

De como eu adoro fazer as pazes:

Parece-me que alguém estava cheio de saudades da minha pessoa {sou uma convencida} e apareceu cá em casa com esta pequena lembrança. Que eu agarrei com unhas e dentes {mais dentes, neste caso} ou não fosse esse o meu bombom preferido... Diz ele, com aquela carinha de gato do Shrek, que correu duas lojas de produtos brasileiros para encontrar os meus bombons e pergunta-me se gostei da surpresa. Sorrio e pulo para cima dele, enquanto oiço-o a sussurrar: estou perdoado?. Respondo com um beijo e estão feitas as pazes.

Pronto, sou uma fácil. Qualquer um compra-me com uma dúzia de "Sonhos de Valsa" ;) E que bem que sabe aquele período de "pós-briga" ou melhor dizendo: que bem que sabe fazer as pazes...
SHARE:

26 julho 2012

Das mariquices que eu adoro #2

Contei-vos neste post que recebi um novo telemóvel e que ando muito satisfeita com ele {na verdade, ando viciada mas adiante...}. O lado chato da coisa é que eu, pessoa perua e que adora uma fofurice, ando a desesperar para encontrar capas para o meu menino. É que não as encontro em sítio algum. Já corri Staples, Wortens e chineses da região. Não há capas para o LG P970 {também conhecido como Maximo Black}.

Posto isso, hoje decidi encomendar logo umas três capas no Ebay, este paraíso online. E descobri todo um mundo novo. Há tanta variedade de capas que uma pessoa não sabe bem por onde se virar.

E os preços são óptimos, variam entre 2.50£ e 5£ e muitos vendedores oferecem os portes. Descobri um vendedor em particular que tem estas pequenas maravilhas da imagem ao lado. E eu, que tinha em mente comprar duas ou três capas, agora vejo-me aflita para escolher as mais giras porque... quero tudo! Oh, God!

P.S: Ainda não me decidi mas sei que esta capinha navy com laço e a amarela furadinha virão de certeza. Não são lindas? E já agora, mais alguém tem este telemóvel e sabe de alguma loja que venda capas para ele? ;) Thanks!
SHARE:

Das palavras que poderiam ser minhas:



Já escrevi sobre este assunto {aqui e aqui} e ao ler este post do É Inútil Resistir tive mesmo de partilhar porque exprime exactamente aquilo que eu penso acerca do assunto. Continuo a ficar chocada com certas coisas que encontro por esta blogosfera afora e só consigo sentir vergonha por quem o faz, de verdade. Antigamente era fácil descobrir um blog e ficar encantado com ele, com a forma como a autora exprimia as suas opiniões, com a sinceridade explícita nos posts... Hoje é muito raro acontecer tal coisa e a maioria dos blogs parecem clones uns dos outros.
Originalidade, onde estás?!
SHARE:

25 julho 2012

da minha boa fé.

Sou o tipo de pessoa que, ao encontrar alguém em apuros, é logo a primeira a estender a mão. E digo-o sem presunção, sem querer parecer boazinha ou insinuar que sou a Madre Teresa de Calcutá, que eu defeitos tenho-os aos montes. Digo-o porque é mesmo verdade e acho que é das características que mais sobressaem na minha personalidade.

Sou aquele tipo de pessoa que, ao passar de carro por uma rua e deparar-se com uma velhota carregada de sacolas, pára o carro e oferece boleia {a minha mãe passa-se quando eu faço isso}. Sou a gaja que dá sempre moedas às mulheres com crianças ao colo que andam pelo metro a pedir dinheiro. Sou aquela que, em dias de chuva, oferece o chapéu a algum desavisado que está a apanhar uma molha. Sou assim desde que me lembro e, na maioria das vezes, gosto da minha forma de ser. Gosto de ajudar as pessoas porque é algo que não me custa {quase} nada e sempre faço alguém {mais} feliz.

É claro que levo na cabeça por ser assim, com a idéia de que posso mudar o mundo. Diz a minha mãe que, com essa minha mania de dar boleia a velhotes, um dia ainda vou acabar por ser assaltada ou coisa pior. Mas é inevitável.... quando vejo um velhinho a precisar de ajuda, é como se algo me empurrasse em direcção à ele e eu tenho mesmo de fazer alguma coisa. Talvez seja um reflexo do amor gigantesco {e das saudades, também gigantescas} que eu tenho da minha avó e esta seja uma forma de senti-la mais perto. Não sei, senhores.

Quando encontro-me com mulheres com filhos ao colo a pedirem dinheiro, o M. até diz, em tom de gozo: "vá, vê-la se tens dinheiro ou se queres ir ao multibanco levantar.." e goza com o assunto. Diz que elas possuem um bom corpinho para trabalhar e blá blá blá. Eu sei que é verdade, mas ver aqueles bebés com ar de mortos de fome e todos sujos, parte-me o coração. O meu ponto fraco são mesmo velhotes e crianças. Não consigo ficar indiferente, por mais que queira. Chamem-me ingénua, parvalhona, crédula demais, mas é assim que sou.

Tudo isso para dizer que hoje uma amiga ligou-me desesperada a pedir-me quatrocentos euros. Sim, 400€. Diz que está a dever a renda da casa porque emprestou o dinheiro a um tio e que ele não a pagou. E que o senhorio foi hoje à porta dela fazer um escândalo e quer o dinheiro na conta até amanhã. E eu estive ali num limbo que vocês não imaginam... Ela prometeu que me paga no fim do mês, quando receber o ordenado e pronto, emprestei-lhe o dinheiro.

O M. até ia caindo da cadeira quando lhe contei. "és uma tonta se achas que que ela te vai pagar... podes dar adeus ao teu dinheiro, tu não podes ser assim, tão crédula nas pessoas. Nem toda gente é honesta, quer dizer... quantos anos tu tens mesmo?" e foi uma discussão do caraças. Às tantas, perguntei-lhe, assim como quem não quer a coisa: "olha lá, mas o dinheiro é de quem mesmo? Ah, tá. Era só para eu refrescar a minha memória.". Sou louca pelo meu namorado mas às vezes gostava que se colocasse mais no lugar das outras pessoas. Um dia são eles, amanhã somos nós. Eu sei que às vezes exagero, que pareço a nossa-senhora-dos-necessitados mas, caramba, é mais forte que eu! Dizem as más-línguas que eu escolhi a profissão errada e que, ao invés de bióloga, devia era ter ido para assistente social ou coisa que o valha. Será?!
SHARE:

status do dia:

Eu amo muito o meu namorado, é verdade, mas gostava tanto que ele fosse um bocadinho diferente em certas coisas... Que fosse mais humano, mais sensível, mais gente. Hoje chateei-me com ele. E, orgulhosa como sou, não lhe volto a falar até que me peça desculpas. Ando aqui com os dedos em piloto automático para lhe enviar sms´s {é a força do hábito} mas depois lembro-me que estou furiosa com ele e afasto-me do telemóvel para não cair em tentação de ser eu a dar o próximo passo. Vamos ver quem vai roer a corda primeiro :P
SHARE:

24 julho 2012

um fim de tarde delicioso:


Hoje fui com o mano resolver umas coisas em Cascais e, no final da tarde, como o calor era muito decidimos passear um bocado pela praia do Guincho e relaxar ao som das enormes ondas. Comecei por molhar os pézinhos, assim muito tímida, que a água estava gelada. Mas depois, ao ver o P. se jogar na água, fiquei ali cheia de vontade de imitá-lo mas era impossível {decoro, minha gente, decoro} de maneiras que puxei as calças o mais para cima que consegui {assim à pescador} e fiquei ali a saltar ondas e a desfrutar de uma verdadeira tarde de verão. No final, paragem obrigatória para um Magnum double caramel {a minha perdição} e muitas conversas, muitos planos e risadas com este senhor meu irmão, que sabe como ninguém arrancar gargalhadas desta pessoa que vos escreve. Gosto mesmo de ti, gigante!

As calças são aquelas tipo pijama {largueironas} da H&M e como puxei-as para cima, fizeram-me parecer um peixe-balão. É favor ignorar tal facto, sim?
SHARE:

23 julho 2012

Das coisas que eu não percebo...

É sabido que o país está mergulhado em crise. Que não há emprego, que os contratos não são renovados, que as pessoas estão a vender o almoço para comprar o jantar. Sim, isso nós já sabemos.

Então expliquem-me, como se eu fosse muito burra, o que leva uma recepcionista, que ganha 750€ a contrato e  trabalha das 9h-18h, meter a carta de despedimento porque só vai poder ir de férias em Setembro e não em Agosto, junto com o marido?

Mas o que é isto? Essa gente anda a comer merda às colheradas, só pode. É claro que é muito bom poder ter férias em Agosto junto com o marido e poderem ir para um qualquer sítio mas se a empresa diz que nesta altura não pode ser, que só em Setembro é que dá... isso lá é motivo para alguém pedir as contas? Eu não sei, se calhar eu é que estou a ver mal a situação mas quando a minha mãe veio com esta bomba hoje à tarde até espumei pela boca.

Claro que agora a minha mãe, que é directora da clínica onde a criatura é {era} recepcionista, agora vê-se em maus lençóis para conseguir arranjar outra recepcionista num espaço tão curto de tempo {sim, que esta avisou que para a semana já não vai} e adivinhem quem é que foi gentilmente convocada para ser a recepcionista-substituta? Pois... Sobra sempre pra preta, é impressionante. Mas pronto, eu também já estava a sentir falta dos meus dias preenchidos {férias da faculdade, férias do estágio} e não sou pessoa de recusar uns €€ extras.

Portanto, habemus recepcionista, ainda que temporária. É caso para se dizer "azar de uns, sorte de outros". Tanta, mas tanta gente sem emprego, e outros tantos a mandarem empregos pela janela. Juro que não percebo.
SHARE:

22 julho 2012

um pequeno probleminha técnico.

Pessoas, o meu blog esteve durante quase dois dias em modo "privado" e eu só agora apercebi-me disso. Não sei bem como isso aconteceu e como sou pessoa distraída até mais não, só percebi que algo estava errado quando fui hoje ao facebook e vi as vossas mensagens. Sorry!
SHARE:

21 julho 2012

Diário de uma vendedora em part-time {6}

Estava eu no balcão, a pôr alarmes numas saias, quando uma senhora chega-se ao pé de mim e lá explica que comprou uma camisa na semana passada mas que ficava-lhe apertada e se podia trocar por um tamanho acima. Nota: a camisa já não tinha etiqueta. Perguntei pelo talão da compra, ela entregou-me, eu conferi a data e estava tudo certo. O único problema era o facto da camisa já não ter etiqueta {e por norma, não poder ser trocada}. Como a senhora era simpática e querida {tinha um ar de avózinha que me conquistou} lá fui eu tentar explicar a situação à gerente e ver se dava para trocar, visto que era apenas uma troca de tamanhos.

A gerente estava no escritório, pelo que liguei lá para dentro e expliquei-lhe a situação pelo telefone. Agora atentem para o diálogo: {Depois de explicar toda a situação, detalhe por detalhe}

Gerente: E a senhora tem o talão da compra?
Eu: Tem, foi comprado no dia 15, na semana passada.
Gerente: Ela tem bom aspecto?
Oi?!
Eu: Não percebi. 
Gerente: A senhora, tem bom aspecto? É portuguesa?
Eu: Sim, sim, é portuguesa.
Gerente: Então podes fazer a troca.

A sério, que raio de mentalidade. Então se fosse um angolano ou um ucraniano já não se podia trocar? E se fosse um negro, também não? Há coisas que ultrapassam a minha compreensão. Esta é uma delas.
SHARE:

20 julho 2012

Até quando coisas destas continuarão a acontecer?

Nesta madrugada, um desequilibrado invadiu um cinema dos EUA, durante a exibição do filme Batman e, mascarado com uma capa, desatou a atirar na platéia. O saldo da loucura: doze mortos e quarenta feridos.

E eu juro-vos que não consigo perceber como estas coisas acontecem. Os EUA são recorrentes neste tipo de loucura {lembram-se de Columbine?} e eu pergunto-me: porque não fazem algo? E que tal começarem a limitar a compra de armas e munição?

A verdade é que não gosto nada dos EUA. Nunca gostei. Pensam que mandam no mundo, são uns capitalistas do pior e não respeitam o planeta {lembram-se do Protocolo de Quioto, que eles nunca cumpriram?}. Enfim... nunca fui à baila com os americanos, mas hoje o meu coração está triste. Pelas vidas inocentes que se perderam, pelo terror que isto causa à população, pelos pais que neste dia ficaram sem os seus filhos... Hoje, esqueço as implicâncias e lamento, de verdade, pelos americanos.
SHARE:

19 julho 2012

LIS {toda}BOA! #2

Hoje o dia estava tão maravilhoso que decidi passear pelo Chiado {um dos meus sítios preferidos em Lisboa}. Reuni três amigas de longa data e lá fomos nós em busca de um sítio gostoso para lancharmos. Foi uma tarde deliciosa ;) Fofocámos, rimos, fizémos compras {ouch!}, apanhámos sol na esplanada e tirámos imensas fotos.

Confirma-se: Lisboa continua linda, com aquela luz tão própria e aquele céu azul fantástico. Apeteceu-me registar o momento em fotos, apesar de já ter estado ali quinhentas vezes, é sempre diferente. Acho Lisboa mágica. É bem verdade que amo outras paragens, mas a cidade das sete colinas vai estar sempre, sempre, no meu coração.
SHARE:

Momento vergonha-alheia do dia:

Liguei para o telemóvel que a empresa deu ao M. {o dele, pessoal, estava sem bateria} e quando ouvi o "estou?" do outro lado, respondi toda serelepe: "Oi, meu bem, estás ocupado ou podes falar?".
Escuto risadas do outro lado e um gajo a dizer "olha, afinal este aparelho não é o meu. Ó "meu bem", anda cá atender o telemóvel...." Fiquei morta de vergonha. E o M. só se ria enquanto explicava-me que os aparelhos da empresa são todos iguais e como estavam em reunião, os telemóveis estavam a carregar em um canto da mesa. Que barracada! Diz ele que o pessoal do Hardware só o trata por "meu bem" agora. Tive pena, coitado.
SHARE:

18 julho 2012

Frase do dia #25

"Ainda bem que sempre existe outro dia. E outros sonhos. E outros risos. E outras pessoas. E outras coisas." {Clarice Lispector}
SHARE:

17 julho 2012

Thanks, mum! ❤

Graças a ti já não sou uma info-excluída! Sim, é verdade que eu e gadgets não somos os melhores amigos: não tenho paciência, morro de preguiça de mexer em aparelhinhos e, mais importante, tenho pavor de ficar viciada nestas pequenas maravilhas.

Era a feliz proprietária de um Blackberry e para mim chegava perfeitamente. Era simples, funcional e permitia aceder à net em qualquer sítio. O grande problema é que o bicho é lento que se farta e bom, fartei-me. Na semana passada comentei com mamãe que, mal o subsídio de férias me caísse na conta {reza a lenda que é daqui a dez dias}, ia a correr comprar um android que já estava fartíssima do meu telemóvel, que para além de lento, não me deixa usar montes de aplicativos giros.

E ontem ela apareceu cá em casa com uma caixinha toda pipi, embrulhada em papel cor-de-rosa, e salta-me lá de dentro este menino da foto. Lindo que só ele. Estou apaixonadíssima e já saquei umas quinhentos aplicativos para o meu novo amor. Obrigada, mãe! ;)

Há todo um mundo para ser descoberto e eu, naba no assunto, pergunto-vos: quais são os melhores aplicativos para androids? Aqueles mesmo imperdíveis? Contem-me tudo!

Sem sombra de dúvida, o aplicativo pelo qual eu mais salivava era o famoso Instagram. Adoro os efeitos das fotos e, viciada em fotografia como sou, não poderia deixar de criar um perfil no Insta ;) Quem tiver perfil por lá, pode adicionar-me sim?
SHARE:

16 julho 2012

aquashow.

Na minha última semana de férias no Algarve passámos um dia super divertido no Aquashow. É verdade que já conhecíamos o parque mas sempre é bom regressar a sítios onde já fomos felizes. Fomos com a família toda e preciso confessar que morri de medo de certos brinquedos. A humilhação total foi ver a Vi, pequenina e corajosa, ir em todos os brinquedos sem esboçar o mínimo sinal de medo. Ainda se ria e pergunta-me: então, mana, não vens?

E eu, que tenho toda uma reputação a zelar, lá fiz um esforço e vamos a isso. Por fora eu era só sorrisos mas por dentro, ai, que mariquinhas. Jurei para nunca mais. A tal da montanha-russa quase me fez parir um filho {e não, não estou grávida} naquelas descidas vertiginosas e eu saí de lá com as pernas feito gelatina. É bem-feita, quem manda se armar em corajosa? :P

Achei os bilhetes um bocadinho caros este ano {27€ por adulto? no way} mas como éramos sete pessoas, acabámos por comprar as entradas em uma espécie de "agência turística" na Praia da Rocha e conseguimos 7€ de desconto por bilhete, o que ajudou bastante. É um sítio giríssimo para quem vai com crianças e vale bem a pena ;)
SHARE:

15 julho 2012

Oh, Zara, que desilusão!

Pois que hoje começa a época oficial dos saldos {um grande VIVA!} e lá fui eu toda lançada espreitar o site da Zara. Pois. Ando com duas ou três coisinhas debaixo do olho e por mais que diga ao meu cérebro que não-preciso-de-comprar-mais nada, todos os dias travamos uma batalha árdua {levo. não levo. levo. não levo}.

Uma das pecinhas pelas quais ando a salivar é esta malinha em verde. Acho um absurdo pagar 60€ por uma mala da Zara, sendo em pele de búfalo ou couro de osga. É Zara, ponto. Não pago. Quando vi que elas estavam em saldos, o meu coração até deu um salto e exclamei: é desta!

Mas não, não foi desta. Porra, Zara, 4€ de desconto? Que merda de saldos são estes, pá? Para além de só fazerem calças para modelos-esquálidas-do-zimbábue {cuja cintura é do diâmetro das minhas coxas}, ainda me fazem saldos da treta? Vão ver se eu estou na esquina, sim?
Pronto, tô de mal =/

Sim, eu sei que no ínicio {os chamados "primeiros saldos"} não há grandes reduções, é mesmo só naquela de incentivar as vendas. Mas vocês hão de convir que quatro euros de desconto é simplesmente ridículo. Mais valia deixar ao preço antigo. Digo eu.
SHARE:

14 julho 2012

A chatice de ser criança nos tempos que correm.

Já repararam que as crianças de agora não aproveitam a infância da mesma maneira que nós, outrora, aproveitámos? Agora com a Vi de férias em casa, parei para analisar qual a idéia que ela tinha de "diversão". E estou assustada, senhores. De verdade.

É sabido que ela é a única criança cá em casa e que entre nós há uma brutal diferença de idade {pra cima de doze anos} pelo que, infelizmente, ela não tem a sorte de ter um irmão pequenino para brincar {como eu tive o P., por exemplo}. Mas, caramba, ela tem amigas do colégio, amigas da natação, colegas que moram no prédio ao lado...  o que não faltam são crianças para ela brincar. E mesmo assim, a idéia que ela tem de "estar de férias" é isto:
Passar as tardes no sofá a saltar de um canal para o outro, indecisa entre o Canal Panda, a Disney e a Nickelodeon.
Custa-me chegar a casa e perguntar: então, princesa, o que fizeste hoje? e ouvir a habitual resposta: vi televisão, assisti filmes no DVD e joguei playstation. Faz-me impressão, a sério que faz. Estamos no verão, o dia lá fora esteve fantástico, morámos numa zona super agradável ao pé do rio, dos jardins, dos parques... e a miúda passa os dias em casa?

Eu sei que ela estava esgotada das aulas e das actividades extra-curriculares mas essa vida sedentária não pode continuar. Hoje vou falar com a mãe e vamos pensar numa solução para tirá-la deste marasmo e pô-la a fazer coisas giras e divertidas. Às vezes eu pergunto-me até que ponto toda essa tecnologia e modernidade são benéficas... E espanto-me ao pensar que, daqui há uns aninhos, quando eu tiver os meus próprios filhos, eles terão esta infância cinzenta.

Essas infâncias-engaioladas não são a idéia de felicidade que eu tenho para eles. Eu quero que os meus filhos tenham tudo aquilo a que eu tive direito: que corram e esfolem os joelhos, que subam nas árvores e comam a fruta, que andem descalços e nadem em cascatas, que sujem as mãos... Eu tive uma infância tão maravilhosa que não quero menos que isso para eles.


Lembro-me de passar os fins-de-semana inteirinhos a brincar com as minhas amigas, na rua de casa, enquanto a minha mãe acenava da janela a toda hora para ver se estava tudo bem. Todos os vizinhos se conheciam, não havia medo de sequestros, de violações, de tanta merda que há hoje em dia {e eu não morava propriamente no meio do mato, morava num bairro da zona norte do Rio de Janeiro, que era super tranquilo}. Eu chegava a casa todos os dias ofegante de tanto correr, pular, rir e com a roupa toda suja de tanto brincar a sério.

Hoje os miúdos querem é consolas, facebooks, iPods, iPhones, iMerdas... Há qualquer coisa de errada com as nossas crianças. E eu não vou sossegar enquanto não pôr a Vi a fazer coisas típicas da idade dela, enquanto não vê-la a brincar como deve ser... Nem que tenha que esconder as consolas e os gadgets todos.  Porque, acima de tudo, eu quero é que ela seja uma criança feliz e saudável, como eu e o P. fomos. Não quero cá bichinhos-de-apartamento. Isso é que não.
SHARE:

little details ❤

Ando perdidamente apaixonada por este colar. Dá logo uma cara nova a qualquer t-shirtzinha mais simples. Ainda bem que comprei-o noutras duas cores {preto e turquesa} e assim posso variar. Nem acredito que custou apenas 3€... Foi das melhores compras deste verão;)
SHARE:

13 julho 2012

Estou que não posso!

Uma pessoa sai de casa decidida a voltar com um parzinho novo de calças e tudo o que consegue é um mau humor do caraças e uma vontade louca de não ingerir sólidos até 2015 {a ver se consigo um corpinho de jeito}. Ora, eu não sei se vocês sofrem do mesmo mas eu, sempre que vou à procura de calças, tenho vontade de cortar os pulsos. Nada me fica bem, senhores. Na-da.

Quando são calções, saias ou vestidos, a coisa é uma maravilha e tenho que sair a correr das lojas sob pena de estourar o cartão. Apetece-me comprar este mundo e outro. Mas quando são calças... a coisa muda logo de figura. Essa mania infeliz das lojas só terem modelos skinny dá cabo de mim. Quando é que vão perceber que nem todas as pessoas possuem pernas fininhas e esguias, hã? E o pessoal com perninhas roliças, onde é que fica? Não fica. Pois.

Ontem vasculhei tudo: Zara, H&M, Salsa e, no auge do desespero, Stradivarius {mais conhecida como a meca das calças skinny}. Voltei de mãos vazias. Quer dizer, vazias vazias não estavam, que eu sempre encontro qualquer merdinha para comprar, mas o essencial não veio comigo. Estou triste, pois estou.

Na Zara foi o descalabro. Agarrei numas calças do meu tamanho e fui para os provadores. Comecei a vesti-las e imediatamente colaram-se aos meus tornozelos. Pensei logo: pronto, começamos bem...vou parecer um peru embalado à vácuo. Como sou masoquista, continuei a tentar enfiar as calças. Passam pelo joelho {a muito custo, tenho que confessar} e não sobem mais. Rebolo, remexo-me, torço-me toda e a filha da put% não sobe mais nem um centímetro. Resignada, vesti novamente a roupa e fui à procura das mesmas calças mas no tamanho acima.

De volta ao provador, lá vou eu começar a ladainha do despe-veste outra vez. Para meu espanto, as put#s das calças estavam praticamente iguais às outras, grudadas às minhas pernas {e é assim, para levar uma coisa tão apertada, mais vale comprar umas leggings que sempre ficam mais baratas}. Depois de insistir, lá acabou por subir pelas pernas {e pelo rabo, mas a muuuito custo} e eu ali a fiquei a contemplar a minha figura triste no espelho, toda apertada e desconfortável. Caminhei para fora do provador e quase que podia ouvir as costuras gritarem por socorro. Oh, que bela merda. Muito puta da vida, voltei a vestir as minhas calças antigas e saí porta afora, com ódio da Zara e de todas essas gajas escanzeladas que fazem as delícias dos estilistas.

Ainda tentei noutras lojas mas nicles. As melhorzinhas foram umas da H&M que ficaram óptimas nas pernas mas como eram dois números acima, estavam enormes na cintura. E é isto a minha vida, senhores. O que me vale é que, quando estive no Rio em Abril, comprei logo duas calças de ganga da minha marca preferida e que ajustam-se como uma luva ao meu tipo de corpo. Como as cariocas possuem mais rabo e pernas que sei lá {welcome to my life}, as marcas fabricam as calças adaptadas ao estilo de corpo da população e o caimento fica perfeito. Infelizmente, comprei duas em ganga e agora ando pra aqui a salivar por umas coloridas. Merda, pá.

Antigamente não tinha dificuldade nenhuma em encontrar calças mas desde que chegou essa moda das skinny que o processo tem sido árduo. Eu bem que gostava de ter nascido com umas perninhas assim {que o meu namorado apelidou de "perninhas de rã" mas adiante} que eu acho o cúmulo da beleza e da elegância. Babo-me toda de inveja quando vejo alguém com pernas esguias mas para meu azar as minhas são mais assim tipo Popota. É caso para se dizer: quem nasceu para ser Adele nunca chega a Rihanna.
Fotos tiradas nas férias da Páscoa, no Rio de Janeiro. Percebem agora o meu drama?
SHARE:

Frase do dia #24

Ciúme? Ciúme para quê? O que mantém a vaca no pasto é a relva, não a cerca. {by P.}
SHARE:

12 julho 2012

De como eu sou uma pessoa previsível:

{hoje à noite, ao telemóvel}

Eu: Onde estás?
Ele: No El Corte Inglés.
Eu {logo toda animada}: EL CORTE INGLÉS?!
Ele: Sim, mas acabei de sair...
Eu: Hum, mas disseste que estavas lá...
Ele: Exacto. Estava. Já não estou mais. Conheço-te muito bem, minha menina. Aposto que vinha daí pedidos para ir numa loja qualquer buscar alguma treta. Acertei?
Eu: Ups!
SHARE:

Das verdadeiras pechinchas:

Fiquei apaixonada por este colar assim que o vi. Gostei do facto de ser comprido, do tom de verde pouco comum e, é claro, do preço. Dispensava o tom dourado da corrente {sou anti-dourado} mas com o cabelo solto quase que nem se nota. A vendedora disse-me que havia noutras cores mas que estes fios tinham desaparecido da loja num piscar de olhos e já só havia este. Para mim foi uma verdadeira surpresa encontrar um colar de 15.90€ por 1.99€. Uma autêntica pechincha!
Te amo, Parfois reduced!
SHARE:

11 julho 2012

E que bem que se está em Cascais!

Aproveitei a manhã livre para ir almoçar com a melhor mãe deste mundo: a minha, é claro. Passei em Belém para levar um pack de pastelinhos para a minha gatona {que é louca por eles} e fomos almoçar num sítio maravilhoso, mesmo ao pé da praia. Almoçar com a brisa do mar e o cheirinho delicioso de praia, é mesmo uma pequena maravilha.

Falamos besteira, fizémos planos, rimos de coisas idiotas e confirma-se, mais uma vez: sou mesmo perdida por ela. Pela força tão incrível que exibe todos os dias, pela inteligência fantástica, pelo abraço mais aconchegante do mundo, por tudo aquilo que ela é para mim. Aliás, para mim e para eles. Juntos somos os três pequenos tesouros da dona C.
SHARE:

Das boas descobertas:

O meu namorado trabalha mesmo no centro de Lisboa, ali algures entre o Campo Pequeno e o Saldanha. Almoça quase sempre em restaurantes com os outros engenheiros da equipa e, feitas as contas, acabava por gastar entre 150/170€ em almoços por mês. O que eu acho um autêntico desperdício de dinheiro {ainda se fosse em roupas, até se percebia... brincadeira!} e estava sempre a falar-lhe para ele levar o almoço de casa {que a minha sogra cozinha de maneira divina e não seria nenhum sacrifício}. Mas o menino não queria, claro que não. Que dá muito trabalho levar comida de casa, e depois tem de aquecer e nunca fica igual e tem que andar o dia todo com o saco da comida atrás, enfim, uma ladainha.



Há coisa de uma semana um dos colegas dele descobriu este site fantástico, chamado A Marmita, que faz entregas de almoços para empresas e cujo preço do prato é 3.99€ {e vem muito bem servido, segundo o meu rapaz}. Todas as semanas há um menu diferente e claro, os habituais pratos fixos {bitoques e afins}. As encomendas são feitas através do próprio site, sempre até as 19h do dia anterior {por exemplo, se quisermos pedir um bitoque para quinta-feira, temos de encomendar até quarta à noite}.

A empresa entrega a comida sempre entre as 11h e as 13h e vem tudo quentinho e delicioso. Também há sobremesas, bebidas e outros acompanhamentos. Acho incrível que, em alturas de crise como esta que atravessamos, sempre exista alguém com uma ideia simples e que resulta num sucesso absoluto {sim, que agora todos os colegas do M. almoçam com esta empresa}. Podem ler mais sobre ela aqui.
Fica a dica!

Não, este não é um post publicitário e não tenho nenhum tipo de regalias por escrevê-lo. Achei o conceito fantástico, os preços óptimos e o serviço excelente e quis partilhar com vocês! Quem é amiga, quem é?
SHARE:

10 julho 2012

O meu jeitinho "Fiona" de ser

Sou daquelas pessoas que têm um péssimo dormir. Espalho-me toda na cama {razão pela qual tenho uma cama de casal - sou capaz de rodar a cama toda durante o sono}, só consigo dormir com quatro almofadas {uma na cabeça, uma entre as pernas e duas por trás, a fazer de "pessoa" - gosto de dormir aconchegada} e adoro dormir em sítios frios {ar condicionado no máximo ou ventoinha mesmo encostada à cama}. Ah, e gosto de ter um candeeiro ligado ou uma qualquer luzinha de presença. São pancas...

Tudo isto para dizer que o M. é o oposto de mim: dorme e acorda na mesma posição, odeia ter montes de almofadas na cama e despreza o barulhinho {delicioso, na minha opinião} que a minha ventoinha faz. Portanto, temos um problema.

Costumo passar os fins-de-semana em casa dele e temos sempre que andar a fazer negociações: "não gostas do barulho das ventoinhas? ok, então ligas o ar condicionado...". "Não queres muitas almofadas? Tudo bem, mas vou ter que jogar a minha perna por cima de ti - é o que eu faço com as almofadas}. Enfim...

No domingo estávamos deitados a ver televisão e toda eu era pernas e braços para cima do homem, coitado. Fiquei a remexer-me como uma dançarina de axé {palavras dele} até finalmente sossegar quando encontrei aquilo que nós chamamos de "a posição" e pude, finalmente, dormir sossegada. 

De madrugada, a meio do sono, acordo com uma coisa a fazer-me comichões no nariz. Abro um olho. E encontro o M. mesmo com o rosto por cima do meu e um dedo esticado, a prova de que estava a tocar-me no nariz. "Então?" resmungo, toda mal humorada {transformo-me no monstro das bolachas quando estou com sono}.

Ele diz: "amo-te". E dá-me um beijinho.
Repete "amo-te" e outro beijinho. {e assim continua, num loop que me pareceu infinito}. Exclamo: "Oh, M., eu também te amo mas será que agora podemos ir dormir?". Eu sei, sou uma romântica... NOT!
SHARE:

09 julho 2012

Dos amores para a vida toda.

Ontem conheci o casal de velhinhos mais fofos de toda Lisboa. Deviam ter quase oitenta anos e entraram na loja onde eu trabalho para escolherem uma prenda para a bisneta que nasceu há pouco tempo. Pediram-me ajuda com os tamanhos e lá fui eu tentar ajudá-los. Eram tão queridos e tinham aquele olhar de cumplicidade que só os casais a sério possuem, sabem? Andavam de mãos dadas e enquanto ela escolhia os vestidos para a bebé, ele fazia-lhe festinhas no ombro. Fiquei derretida!

Adoro ver casais de idosos assim, tão apaixonados. Acho uma graça! Ela pedia-lhe opinião para tudo e ele, sempre com um sorriso no rosto, respondia-lhe de uma forma tão meiga que eu fiquei ali, só a contemplar tudo e a pensar que sim, que ainda existem amores para a vida toda.
SHARE:

08 julho 2012

Das coisas que elas usam e que eu detesto {especial verão}

Há uns tempos fiz um post no género "coisas que elas usam e que eu detesto" versão inverno. E há uns dias recebi um mail de uma leitora querida {thanks, Sara!} a pedir-me para fazer algo parecido mas em versão... verão. E eu, que tenho sempre opinião formada sobre tudo e palpites para dar, decidi que hoje era o dia de soltar os cachorros e falar de todas aquelas coisinhas que o pessoal faz/usa no verão e que me dá cabo do juízo. Estão preparados?

(1) Flores na cabeça: Não sei bem de onde surgiu esta moda mas desde o verão passado que vejo carradas de mulheres com flores gigantes na cabeça presas com molas. Será ainda um reflexo da novela Floribela? Ou voltamos à moda das sevilhanas, com grandes rosas vermelhas na cabeça? Acho tão fuleiro... Em miudinhas ainda se percebe mas em mulheres a sério? Não consigo achar graça, mesmo.

(2) Soutien com alça de silicone: Epá, haverá coisa mais feia que um soutien com alça de plástico? Isso já não se usa há não sei quantos anos mas o pessoal continua a insistir no erro. No verão, é vê-las com tops cai-cai e o belo do soutien com alças de plástico. Aliás, no verão é mesmo uma coisa linda, a pele transpirada e a alça de plástico toda colada aos ombros, tipo segunda pele. Ou bem que se tenha umas mamas de jeito para usarem tops sem soutien ou que se compre um soutien cai-cai que há por aí muita lojinha boa a vender. Estamos conversadas?
SHARE:

07 julho 2012

Organização de colares:

Sou apaixonada por bijutaria, vocês sabem. Tenho um número sem fim de colares, pulseiras, anéis, brincos e afins. Adoro-os. Ficam todos arrumadinhos dentro das gavetas do meu toucador mas reparei que os maxi colares não cabiam nas caixinhas que dividem as gavetas. E a solução que eu encontrei foi colocá-los numa caixa grande, de acrílico. Mas os coitados ficavam emaranhados e como não estavam tão visíveis como os outros, eu acabava por esquecê-los.

Até que encontrei na semana passada vários ganchinhos de inox que vinham num pack de dez {comprei duas caixinhas} e tive a brilhante idéia {cof} de usar uma das laterais do roupeiro para pendurá-los e foi o que fiz:

Ainda não é o sítio ideal para os meus meninos mas por enquanto foi a melhor idéia que tive para mantê-los visíveis e arrumadinhos. A minha mãe diz que este cantinho do quarto é o meu "camarim" lol e eu tive que rir.
E vocês? Como guardam os maxi colares?
SHARE:

Das melhores sensações deste mundo:

Chegar em casa às 21h, cansada de ter andado o dia todo fora de casa, transpirada do calor africano que se fez sentir durante o dia de hoje... e encontrar uma cama feita de lavado com um jogo de lençóis a cheirar ao meu amaciante preferido. Não tem preço!
Foi só o tempo de tomar um duche, lavar os dentes, ligar a ventoinha {estrategicamente posicionada ao lado da cama} e pular no meu oásis.Uma delíícia, minha gente!
SHARE:

06 julho 2012

amarelo como o sol! ☼

É oficial: estou apaixonada por este vestido. Adoro a tendência peplum {o tal do folho} e esta assimetria na anca torna o modelo super diferente! O namorado torceu o nariz. Diz que é muito amarelo, que é muito curto, que chama demasiada atenção e que ele não vai ter um segundo de sossego enquanto eu estiver com "essa coisa amarela" vestida. Deve querer que eu vá à festa com um vestido preto a arrastar pelo chão {ele é fã de maxi vestidos, adivinhem o porquê...}. Enquanto eu tiver perninhas para usar um vestido destes, venha ele em todas as cores que eu não sou esquisita. Vou ter muitos e bons anos {assim espero} para usar vestidões pretos. Agora eu quero é vestidinhos em cores garridas ;)
SHARE:

05 julho 2012

new things.

Saia H&M {new collection} | 19.90€
Calção "estilo saia" Modalfa {new collection} | 17.90€ {sim, eu também achei caro mas ele fica tão lindo no corpo que não resisti}
Blazer H&M {saldos} | 20€
Saia básica Primark | 4€ {não dava nada por esta saia mas fica a matar no corpo, acreditem. E o tecido é óptimo, considerando-se o preço. Comprei em três cores: azul escuro, pink e preto}
Calças H&M {saldos} | 20€
Vestido Primark | 17€ {é a primeira vez que compro algo nesta cor tão vibrante mas gostei tanto de me ver com este vestido! E tenho uma festa de anos daqui a duas semanas para o estrear)
E estes são os novos habitantes do meu closet... Confesso que não ando muito empolgada com os saldos/promoções porque não encontro nada de jeito e quando acabo por gostar de algo, já só há os 34 e 36 da vida. Uma tristeza, senhores. De maneiras que, acabei por me virar para as novas colecções e desisti dos saldos {mentira, que ainda espero comprar mais uns dois blazers a metade do preço - ando viciada em blazers}.

Os calções da Modalfa e o vestido cítrico da Primark foram uma pequena extravagância. Os calções, pelo preço {epá... 18€ por uns calções de viscose do Continente, parece-me caro} e o vestido pela cor tão vibrante. Nunca usei nada tão "cheguei" e espero ter coragem para o usar porque ele fica di-vi-no no corpo.
SHARE:

04 julho 2012

Diário de uma vendedora em part-time {5}

Na loja onde eu trabalho os saldos {vulgo promoções} já começaram e isso implica que os meus dias de trabalho sejam um terror {ainda por cima só trabalho aos fins-de-semana e feriados}: tudo revirado, montanhas de roupa nos provadores, gente a gamar como se não houvesse amanhã e coisas do género.

Pois bem, no outro dia estava na caixa a atender quando me aparece uma senhora com ar de tia de Cascais e espeta com três peças de roupa no balcão. Todas peças de saldo. Sorrio, cumprimento a senhora e registo as peças. Ela interrompe-me:

Tia de Cascais: Olhe, desculpe, é para oferta.
Eu: Peço desculpas, mas não fazemos embrulhos. Posso cortar os preços e dar-lhe o talão de oferta.
Tia de Cascais: Como não fazem embrulhos? Ainda no outro dia vim cá e fizeram.
Eu: Sim, mas nesta altura ainda não estávamos em saldos. Em altura de saldos não podemos fazer embrulhos.
Tia de Cascais: Oiça lá, mas qual o problema em fazer o embrulho?
Eu: Não é por mim, são mesmo as regras da empresa. Peço desculpa... 
Tia de Cascais: É claro que não é por si, isso é que era bom... Não lhe custa nada fazer o embrulho, é por causa de pessoas como si que o país está como está. Você devia era de ir para o desemprego...Vá, meta cada peça em um saco e agrafe.

Eu já estava a bufar, a fila atrás da mulher aumentava a olhos vistos e lá tive de abrir o meu sorriso nº 45 e responder: "com certeza". Nessas horas tenho que abstrair, pensar em colinas e montes verdejantes porque a vontade que eu estava era de espetar com o rolo do papel de embrulho na tromba da mulher.

Querem ver que eu devia passar por cima das ordens da gerente e desatar a fazer embrulhos ao pessoal? Sim, que a fila estava grande e basta que se abra uma excepção para um cliente e já todas querem embrulhos e "ai menina, mas fez embrulho à outra senhora e isto também era para oferecer..." e patati patatá. A minha gerente todos os dias nos PROÍBE de fazer embrulhos - diz que a roupa já está tão barata que qualquer dia não ganhamos nem para pagar os sacos e os talões de oferta.

Há clientes educados e queridos que até dizem "ah, deixe estar que eu depois corto o preço em casa, não se preocupe" mas depois há outros que querem papel de seda, laçarotes, bombons e fitas de cetim quando pagaram 5€ por um top em saldos. Será que as pessoas não percebem que, para a grande maioria das lojas, não compensa estar a fazer embrulhos nos saldos? É o mesmo que ir a Primark comprar um monte de merdinhas a 3€ e exigir que a vendedora faça um embrulho para cada peça. Há com cada uma... E ainda por cima são estúpidas como tudo! Haja paciência, senhores, haja paciência para esta gentinha.
SHARE:

É injusto:

Que uma enfermeira ganhe 4€/hora quando, por exemplo, uma empregada de limpeza ganhe 6€/hora. A minha ainda ganha 6.5€/hora e tem contrato de trabalho, o que nos dias que correm é quase um milagre. E não, não estou a desmerecer o trabalho da Cláudia {afinal, o que seria de nós sem ela?} mas na minha cabeça não faz sentido que uma pessoa que andou a pagar um curso, que dedicou quatro anos da vida para ser enfermeira ganhe menos que uma empregada de limpeza {a minha, por exemplo, tem apenas o 9º ano}. E quem diz empregada de limpeza, diz outras profissões em que não é preciso um grande estudo/investimento.

Como por exemplo a Deise, minha esteticista, que tira todos os meses à volta dos 3500€ a arranjar unhas e sobrancelhas {sim, ela contou-me}. Se acho justo? Não. Se concordo? Não. Acho que há profissões extremamente menosprezadas, como no caso dos profissionais de saúde, que todos os dias lutam para salvar vidas nos hospitais deste país. Em contrapartida, se formos comparar com o salário astronómico de um jogador de futebol, até caímos para o lado. Dá que pensar, não é?
SHARE:

02 julho 2012

voltei.

Cheguei do Algarve ontem à noite. E já tenho saudades, é bem verdade. Isto de ir de férias às mijinhas {uma semana aqui, outra semana no fim do mês...} não está com nada. É que passa tão rápido que quando uma pessoa vê, puft, lá se foram elas. É que nem sabe verdadeiramente a férias mas pronto, foi muuuuito bom. Agora vou só ali desfazer as malas (ouch!}, encher-me de loção pós-sol que eu estou pretinha e já cá venho, sim?
P.S: Eu sei, tenho comentários por responder, a caixa cheia de mails também por responder, mas tenham paciência, sim? Com calma a coisa lá vai ;)
SHARE:
© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig