20 julho 2012

Até quando coisas destas continuarão a acontecer?

Nesta madrugada, um desequilibrado invadiu um cinema dos EUA, durante a exibição do filme Batman e, mascarado com uma capa, desatou a atirar na platéia. O saldo da loucura: doze mortos e quarenta feridos.

E eu juro-vos que não consigo perceber como estas coisas acontecem. Os EUA são recorrentes neste tipo de loucura {lembram-se de Columbine?} e eu pergunto-me: porque não fazem algo? E que tal começarem a limitar a compra de armas e munição?

A verdade é que não gosto nada dos EUA. Nunca gostei. Pensam que mandam no mundo, são uns capitalistas do pior e não respeitam o planeta {lembram-se do Protocolo de Quioto, que eles nunca cumpriram?}. Enfim... nunca fui à baila com os americanos, mas hoje o meu coração está triste. Pelas vidas inocentes que se perderam, pelo terror que isto causa à população, pelos pais que neste dia ficaram sem os seus filhos... Hoje, esqueço as implicâncias e lamento, de verdade, pelos americanos.
SHARE:

5 comentários

  1. Apesar destas situações tristes, da quantidade de loucos por metro quadrado e dos defeitos que qualquer povo tem, eu gosto dos americanos. Têm um enorme sentido de comunidade, são alegres, expansivos, orgulhosos de si mesmos, solidários, empenham-se por causas, valorizam o talento e a iniciativa...creio que poderemos aprender muito com eles, nesta europa que cada vez mais se envergonha de si e despreza os seus valores ancestrais. A questão das armas é demasiado complexa e advém da necessidade de autodefesa num território tão grande, em muitos locais sem um posto de polícia numa extensão enorme. É como tudo na vida, uma consequência terrível de uma necessidade e hábito enraizado.

    ResponderEliminar
  2. Concordo com muitos pontos que a Sissi mencionou. Eu já estive nos EUA e apesar de haver um certo tipo de cultura americana que eu não gosto (a das aparências, a que os filmes mostram e as cabeças ocas que abundam por lá) é um país que orgulha mais o Ocidente do que a Europa, que está totalmente subjugada ao marxismo-cultural, à ditadura das minorias e à quebra irreversível dos valores com que se ergueu e deu exemplo ao mundo até há poucas décadas. Os EUA, ao contrário da Europa, continuam imperturbáveis naquilo que defendem, tanto para a política como para a sociedade.
    O problema das armas nos EUA é que ao contrário do que se passa cá na Europa, onde só os criminosos é que as têm, nos EUA qualquer um as tem e por mais que hajam atentados destes totalmente inexplicáveis e inaceitáveis, muitas vezes também os criminosos são corridos e mortos a tiros. As armas fazem parte da cultura americana, não há nada a fazer, para o bem ou para o mal, como infelizmente aconteceu.

    ResponderEliminar
  3. @Imperatriz Sissi: Olá! Concordo com algumas coisas que dizes: de facto, os americanos são bastante alegres, expansivos e solidários mas continuo a ter algumas ressalvas em relação ao país. Talvez por ter tido professores de História e Geografia que eram completamente "anti-EUA" e "pro-Michael Moore", eu acabei por crescer com certos valores incutidos e associo sempre os EUA com um povo sedento por dinheiro, manipulador e com o "rei na barriga". E essa questão das armas é bastante complicada, acho que deveria haver um maior controlo sobre isso. Lembro-me de ver uma campanha em que abrias uma conta num banco tal dos EUA e recebias uma arma como oferta. Essa cultura armamentista é coisa que me faz imensa confusão. E depois é ver notícias destas, onde inocentes são mortos a troco de zero... e acabo por embirrar ainda mais com os EUA. =/

    @Martini Bianco: Ainda não conheço os EUA e talvez por isso não tenha essa visão que tu tens, mas pelo que leio e pelo que estudei, acabei por criar uma certa implicância com os EUA. É claro que a Europa, neste momento, está muito pior que os EUA (e não falo apenas de crise, económica e de valores) mas continuo a não gostar do estilo de vida americano.

    Em relação às armas, concordo que são um povo que sofre atentados e precisam de protecção mas tudo com limites. Esta coisa de adolescentes de 16 anos andarem com armas para cima e para baixo é coisa para me dar urticária. Então aquela promoção do "abra aqui a sua conta e ganhe uma pistola" é totalmente descabida. Mas enfim...

    ResponderEliminar
  4. Temos de ver que os EUA são um mundo, tem milhões e milhões e milhões de habitantes. Ou seja, há lá de tudo. Se eu acho que eles têm a mania, e que pensam que sabem mais e melhor que todos os outros? Sim, acho. Mas gosto o facto deles serem patriotas (pronto, até são, talvez, demasiado, mas o que eles têm a mais, temos nós a menos), e unidos, e terem uma capacidade de organização que mais nenhum outro país tem. Lá está, de certeza que eles tem bons e maus, como em qualquer lado. Mesmo assim, eu gostava de lá ir :P

    ResponderEliminar
  5. @Karina sem acento: Estou como tu. Apesar de todas as problemáticas, também gostava de lá ir um dia. Nem que fosse só para falar mal com conhecimento de causa (brincadeira!) ;D

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig