28 agosto 2012

1991.

Eu, com quatro anos e uma tromba descomunal porque a minha mãe não me tinha comprado uma Barbie. Ele, do alto dos seus dez anos e com um ar de beto que até metia medo.Eu andava numa creche chamada "Casinha da vovó", na zona norte do Rio. E ele já estava no 4º ano do colégio Santa Dorotéia, em Lisboa.

Destinos e vidas tão diferentes... Um oceano e 7700 km de distância. Nada fazia prever que um dia eu cruzaria com o meu rapaz, naquela tarde de inverno de 2005. Mas aconteceu. E passei a acreditar que o que é para ser nosso, ninguém nos tira. Passe o tempo que passar, aconteça o que acontecer, seja como for. Na hora certa, acontece.
Te amo, neném.
SHARE:
© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig