29 outubro 2012

Que título hei de dar a este post? Olha, não sei...

Amanhã uma das minhas melhores amigas vai emigrar e só me apetece largar aos berros.
Porquê, caraças? Ela já tentou de tudo mas não há volta a dar. Se antes da puta da crise, o rendimento dela e do marido rondavam os 3 mil euros, agora os dois juntos não somam 900€. E há duas boquinhas famintas para alimentar, para além da deles. De maneira que é isto. Vão para a Suíça. E eu, o que faço sem ela?

Porra, no último ano vi tantos amigos irem para fora... Primeiro foi a Bia, ausência que me dói todos os dias. Agora é a C. É inevitável pensar que qualquer dia eu sou a próxima da lista {Deus queira que não, que eu sou mesmo perdidinha de amores por este país mas...}.

Não me apetece escrever nada. Só me apetece pensar que daqui a nada só serão velhos em Lisboa. Sim, porque os novos estão a debandar. Que falta esta miúda me vai fazer... Já sei que toda vez que eu ouvir esta música, inevitavelmente, lembrarei dela {a portuguesa mais fã da Paula Fernandes que eu já vi!}. Vou ter tantas saudades tuas...

SHARE:

28 outubro 2012

Diálogo de ontem:

Ele: Amor, não te esqueças de apontares os telefones utéis tipo da Embaixada portuguesa em Londres e essas mariquices todas...
Eu: Pra quê?
Ele: Como pra quê? E se perdemos os documentos? Pra onde é que ligas na hora do pânico?
Eu: Pra minha mãe, oras!
Ele: Eu não estou a ouvir isso...

Desatámos os dois a rir mas a verdade é que, por maior que seja a embrulhada e a confusão, eu tenho sempre a tendência a achar que a minha mãe pode resolver toda e qualquer situação. Em todos os momentos de desespero, o nome dela fica a piscar na minha mente tipo SOS.
É, eu sei... tenho outra vez sete anos.

SHARE:

25 outubro 2012

Socorro, estas botas perseguem-me!

Na semana passada fui à C&A com uma amiga e dei de caras com estas botas {sim, agora a C&A tem loja online mas em Portugal só ficará disponível em Janeiro. Adiante}. Ando há uns dois meses à procura de umas botas neste estilo assim étnico, acho um charme! Todas as que vi ou eram exorbitantemente caras ou não havia no meu número delicado {o 40!}. De maneiras que, assim que vi estas da C&A {e no meu número!} experimentei-as logo e apaixonei-me de morte. São tão, mas tão confortáveis que parecem pantufas e são cheias de pelinhos por dentro.

Entretanto o M., com o seu maravilhoso senso de oportunidade, ligou-me mesmo na hora em que eu estava na fila para pagar as botas. Perguntou-me onde eu estava e deu um mini ataque quando eu lhe disse que estava na fila para pagar umas botas. "Outra? Tu não tens emenda, miúda. Ainda no início deste mês compraste duas, isto não é normal blá blá". Como ele até tinha razão (glup!), fiquei logo com a consciência pesada e deixei, a muito custo, as botinhas na prateleira.

Decidi não pensar no assunto, porque de facto, tenho em casa três botas ainda com etiqueta {shame on me} e quero tentar comprar menos de agora em diante. Mas estas botas perseguem-me, a sério! Ontem fui ao McDonalds de Cascais, estava sentadinha a lanchar quando vejo uma miúda com umas botas iguais às da C&A mas em castanho. E ficava-lhe tããão bem. Morri de remorsos por não ter trazido o raio das botas. Bolas.

Hoje, mal vou ao facebook, lá está a La Redoute com uma mega promoção em botas e adivinhem? Lá estão as botas, do jeitinho que eu quero {e cá entre nós, muito mais giras que as da C&A} e por módicos trinta euros.
Fui logo toda lançada comprar e... puta-que-pariu, não há o quarenta. Não acredito nessa merda. As minhas botas de sonho, lindinhas e baratas... e não há o meu número. É preciso ter azar.

Agora não sei o que faça. Espero que elas estejam novamente disponíveis no meu número? Compro as da C&A? Ou espero para ver se encontro outras? Ai, vida.

SHARE:

Descobertas fantásticas: os collants de microfibra da Primark!

Já aqui disse inúmeras vezes que adoro o inverno e tudo o que vem associado à ele {ok, ok... dispensava os cieiros}. Mas, apesar de ser fã do tempo frio, sou super-mega-ultra-friorenta. Preciso de ter sempre os aquecedores ligados, as meias por cima das calças de pijama {não vá as calças subirem durante a noite e eu ter uma necrose na canela} e por aí vai.

Ora, sendo eu uma pessoa que acorda {quase} todos os dias as seis da matina e que, invariavelmente, encara o arzinho fresco da rua ainda antes das sete da manhã, no inverno ando sempre com collants. Sim, por baixo das calças, que esta coisa de vestir calças de ganga geladas não é mesmo comigo. Vai daí, ando sempre numa busca desenfreada para encontrar os collants mais quentes desse mundo. E, meus amigos, quer me parecer que acabei de encontrá-los.

No fim do inverno passado ouvi falar de uns collants que tinham assim uma espécie de pelinhos por dentro e que aqueciam imenso. Fiquei curiosa mas como já estávamos mesmo no fim do inverno, deixei a preguiça falar mais alto e não os fui procurar. Entretanto, na semana passada fui à Primark e os meus olhos bateram num collant super grosso com o nome de: Microfiber super cosy tights.

Aproveitei que havia um modelo aberto, para exposição, e pus as mãos por dentro dos ditos. Ahhhh, paraíso! Quentíssimos e com os tais pseudo-pelinhos que são uma delícia. Imediatamente fui à caça das cores disponíveis: castanho, preto, cinzento, azul escuro, bordeaux e vermelho. O preço? 4€ cada. Trouxe os castanhos e os pretos {sou uma básica} assim naquela de experimentar para ver se eles realmente valiam a pena. E valem.

Em preto.
Em castanho.
Por dentro...
Já usei collants de várias marcas {DIM, Calzedónia, C&A, Modalfa...} dos baratos aos caros e digo-vos: não há coisinha mais quente que estes da Primark. Uma pequena maravilha. E, para verem que eu não sou a única a ficar encantada com eles, leiam este e este post {parece que no Reino Unido estes collants já são famosos...}.

Quanto a mim, tenho a dizer que no fim-de-semana pretendo comprar o azul escuro e o cinzento, que isto de passar uma semana em Londres no início de Novembro requer toda uma artilharia pesada contra o frio tenebroso.

Já conheciam estes collants-maravilha?
 
SHARE:

24 outubro 2012

comprinhas em ponto pequeno:

Ontem à noite fui ao El Corte Inglés com mamãe para, supostamente, comprarmos apenas roupas para ela {que viaja agora para Angola e tem quinhentas reuniões e acordos para fechar com os chefões de lá} e enquanto ela experimentava os fatos e aquelas roupinhas booorings, desci ao piso infantil assim só naquela de espreitar as novidades.

Qual quê! Estavam com 40% de desconto em várias roupinhas para a princesa e é claro que eu não resisti. Adoro os saldos de meia estação e apesar de achar o El Corte Inglés demasiado snob para o meu gosto, tenho que confessar que amo comprar lá a roupa para a Vi.

Os cortes e os tecidos são maravilhosos, a roupa de criança é clássica {mesmo à bonequinha, como ela gosta}, há sempre mil acessórios para tudo {meias pelo joelho, laços para o cabelo em todas as cores...}.

Quando fui ter com o M., logo a seguir,  ele olhou-me com cara de: "tst, tst... não tens mesmo emenda, já foste comprar mais roupa...". Mostrei-lhe que não, desta vez não tinha comprado um único grampo para mim e que era tudo para a Vi. Ele arregalou os olhos e comentou: Uii, coitada da miúda, nem quero ver o que tens ai nos sacos. Aposto que é roupa com golas, xadrezada e lacinhos mesmo à betinha. A Vi vai parecer um soldadinho de chumbo..."  Ups! Neste aspecto acho que jamais entraremos num consenso...

 
SHARE:

23 outubro 2012

Tal e qual:

Adoro fazer de conta que a decisão final é dele quando na verdade sou eu a mexer os pauzinhos e, no fundo, a minha decisão é a que prevalece ahahaha. :P


SHARE:

22 outubro 2012

autumn shopping.

Com o início do verdadeiro outono e com a viagem a Londres cada vez mais perto, achei que era o momento de aproveitar alguns descontos e ir às compras. Na altura em que comprei esta mala tive direito a 50% do valor em cartão continente {a mala custava 70€, logo, fiquei com 35€ no cartão para gastar}. Fui com mamãe e com a Vi {elas também precisavam de coisinhas *cof*} e lá fomos nós, passar uma tarde inteirinha no centro comercial...

De cima para baixo: (1) Caneleiras com pêlos para pôr por cima das botas {Primark, 5€}
(2) Blazer estilo navy {Modalfa Freeport, 4.99€}
(3) Lenço estampado {Primark, 2€}
(4) Calças skinny bordeaux e verde-petróleo {H&M, 19,95€ cada}
(5) Collants canelados {Primark, 3€ cada}
(6) Camisolas básicas em malha {Modalfa, 4.99€ cada}
Passei pela Parfois do Freeport e fiquei apaixonada por essa mala e-nor-me. Ideal para servir de mala de mão nas viagens de avião e super gira. O preço inicial era de 42.99€ mas paguei apenas 19.99€. Também havia em mostarda. A mala tem ainda uma alça maior, para usar ao ombro. Adorei-a!
Uma comprinha impulsiva... Fiquei louca quando vi esse coala, sou perdidamente apaixonada por este animal {e por ornitorrincos, já agora}. Nem acreditei quando vi o preço, só 5€ e é da National Geographic. Havia lá outros animais mas depois de ver esta fofura, não tive olhos para mais nenhum.
Acho que nem preciso dizer o quanto eu gostei de poder usar o dinheiro do cartão Continente numa loja da Modalfa... Sempre que foi ao Freeport, a Modalfa é paragem obrigatória. É bem verdade que não há tendências muito actuais mas para comprar básicos é do melhor. É a Modalfa e a Mango Outlet. São óptimas! E pronto, a julgar pelos dois sobretudos que comprei no mês passado, penso que mais uma botinha e um ou outro vestido e as comprinhas de Outono ficam já despachadas. Depois, só no Natal {quando eu entro, oficialmente, em modo "louca por compras"}

SHARE:

21 outubro 2012

É oficial:

Declaro oficialmente aberta a época dos casacões de fazenda, da lareira acesa, das meias felpudas, das mantas no sofá, do fondue de chocolate... Já vos disse que adoro o tempo frio? ;)

Acabei de abrir esta mantinha e que delícia que ela é!
SHARE:

new hair.

Há dias contei-vos neste post que tinha feito uma escova progressiva e que estava maravilhada com o resultado. Como sabem, após fazermos a escova, temos de estar três dias sem lavar os cabelos para o produto penetrar profundamente no fio. Para mim foi uma verdadeira tortura porque eu lavo muito a cabeça e tinha sempre a sensação de que o cabelo estava oleoso {ecat!}.

Confesso que estava com um bocadinho de medo do resultado final mas ontem, quando finalmente lavei os cabelos {com shampoo sem sal} e sequei-o com o ar quente do secador... o resultado foi um assombro. Um cabelo lisinho, lisinho {sem necessidade de brushing ou chapinhas}, macio como tudo e com um brilho fantástico!

Ignorem a penteadeira toda bagunçada. Hoje é dia de arrumar a bagunça que eu faço durante a semana :P
Muitas pessoas podem dizer que foi caro, que é uma futilidade e blá blá blá. Se é futilidade? Sim, é claro que é. Se foi caro? Foi, com certeza. Mas, minha gente, poupa-me anos de vida. Eu quase esqueço que tenho cabelo... É acordar, passar uma escova e já está. Nem dois minutos perco. Antes era todo um ritual: acordar, lavar o cabelo, pôr um leave-in, penteá-lo, pôr espuma para os caracóis, amassar o cabelo com as mãos para encaracolar as pontas, pôr sérum nas pontas porque a espuma deixa-as secas, enfim... Não há comparação possível.

Uma certeza eu tenho: daqui a três meses, estarei sentadinha no salão para fazer tudo de novo. A-do-rei!

SHARE:

week on instagram #2

Segunda: Um churrasco improvisado para comemorar os anos de uma amiga especial
Terça: As aulas terminaram mais cedo e decidi passear pelo Chiado. Deslumbro-me sempre com Lisboa...
Quarta: Finalmente, encontrei um cabeleireiro que vende os shampoos da Alfaparf {a minha marca de eleição} e é claro que trouxe o meu amado Semí dí Lino. E encomendei o Midolo, que deixa o meu cabelo incrível!
Quinta: Apaixonei-me por este casaco na Pull e trouxe-o para o meu menino. É super quente, com pelinhos e perfeito para os nossos dias em Londres.
Sexta: Trabalho, trabalho e mais trabalho. Almocei em trinta minutos e mal tive tempo de respirar. Foi tenso.
Sábado: E eis que o sorriso rasgado, uma das minhas marcas registadas, voltou a surgir no meu rosto...

Quero agradecer à todas as pessoas que comentaram o último post e que, com poucas palavras, souberam dizer exactamente o que eu precisava ler. Obrigada, queridas!
SHARE:

19 outubro 2012

Dói, sim. Dói e não é pouco.

E ontem, assim como neste dia, ela esteve lá para mim. Ontem foi um dos piores dias de que tenho memória. Recebi uma ligação de muuuito longe que me fez desabar. Ouvi coisas completamente absurdas. Fui acusada de coisas tão descabidas que qualquer pessoa que me conheça há uma semana saberia tratar-se de uma mentira. Qualquer um dos meus amigos, das pessoas que realmente me conhecem, jamais acreditaria nessa história. Mas ele acreditou. O meu próprio pai. E, senhores, para mim foi o fim. Cansei, de verdade. Não quero mais saber, simples assim. Posso roer-me toda por dentro mas não volto mais a procurá-lo. Acabou.

E, para uma pessoa que preza a família acima de qualquer coisa, foi terrível tomar essa decisão. Foi uma dor tão horrível, foi um choro tão sentido que a certa altura eu pensei que teria um colapso qualquer. Desmoronei. Não queria acreditar naquilo que os meus ouvidos escutaram, não queria acreditar que uma pessoa que deveria me conhecer até pelo avesso, pudesse acreditar numa história tão mirabolante assim. Mas lá está, ele acreditou. E, meus amigos, não há justificativa para isso. Não há perdão. {eu relevo muita coisa, muita coisa mesmo. Mas quando eu digo "chega", é mesmo o fim, que eu nestas coisas não volto atrás}

Durante anos a fio eu aprendi a ser paciente. Aprendi a relevar quando ele não aparecia nas festinhas do colégio. Quando não aparecia no dia do Pai. Quando eu ficava doente e esperava, em vão, por uma visita. Eu tentava perceber. O pai é muito ocupado, tem empresas, tem negócios, trabalha muito... Cheguei a ficar três anos sem falar com ele, no auge da rebeldia, na adolescência. Mas depois, coitado, ele está doente, precisa de atenção. Lá fui eu atrás, novamente, sempre na esperança de que lhe desse um estalo qualquer e ele lembrasse que afinal eu sou filha dele, a primeira, ainda por cima. Tudo em vão.

Ontem eu senti uma dor imensa, como eu acho que nunca senti. Eu passei a ser, literalmente, órfã de pai vivo. É um termo cruel mas que assenta na perfeição. E ontem, mais do que nunca, eu quero agradecer à ela, que ouviu toda a minha indignação, que me viu perder a voz de tanto chorar, que acalmou os meus soluços e que me fez compreender que eu posso ter um pai de merda mas tenho uma mãe, uma avó e uma estrutura familiar tão sólida e tão presente... que compensa todo o resto.

Quero agradecer à melhor amiga deste mundo por tudo o que ela faz por mim. Ontem, miúda, mais do que nunca, me abriste os braços. E eu só posso agradecer por, no meio de tanta gente, ter encontrado uma que vale por mil. Obrigada por tudo, do fundo do coração. ❤

Foto tirada pelo meu M. em Portimão | Agosto 2012
SHARE:

18 outubro 2012

Das descobertas fantásticas: loja MUJI no Chiado.

Esses dias fui almoçar no Feel Rio {vício!} e logo a seguir fui à H&M que é mesmo no final da rua {e, por mais H&Ms que existam, para mim a verdadeira vai ser sempre a do Ed. Grandella. Já sei onde está tudo, já conheço os vendedores, enfim...}. Na saída, optei por sair na Rua do Carmo e reparei numa lojinha fofa, mesmo ao lado dos gelados Santini.

Será uma loja nova?, pensei eu. Ando pela Baixa quase todas as semanas e, mistério, nunca tinha reparado na tal loja. Decido entrar e tcharãn... abre-se um mundo novo. A loja chama-se Muji e de cara deu para perceber que era uma lojinha japonesa, daquelas cheias de coisinhas fofas as quais eu dificilmente resisto.

Assim que entro na loja {e, provavelmente, pela minha cara de: Uau, estou na Disney!}, o vendedor veio logo ter comigo e perguntou-me se já conhecia a loja. Disse, ainda meio embasbacada, que não, que era a primeira vez que ali entrava. Na mesma hora ofereceu-me um catálogo e contou-me resumidamente a história da marca {isso sim é um vendedor... e não esses seres mal educados que nem dão bom dia quando entramos na loja}. Adiante.

A Muji é a abreviatura de Mujirushi Ryohin, que significa: "artigos de qualidade sem marca", ou seja, o importante é o produto e não a marca {coisa rara nos dias que correm}. Um dos grandes argumentos da marca é que a actual economia já não é viável, consumimos muito e sem necessidade. Compramos por impulso {guilty!}, pela embalagem bonitinha, por ser da marca X ou Y. E é esse consumo desenfreado que a Muji quer combater {irónico, não? Sendo ela uma loja e como tal, dependente do consumo}.

Todos os produtos da Muji são simples, funcionais e a grande maioria é modular, ou seja, permite vários rearranjos e diversas modificações. A marca japonesa vende artigos para o lar e escritório, acessórios, mobiliários, produtos de beleza e até roupa!

Fiquei particularmente impressionada com os módulos em acrílico para guardar mil e uma coisas. Estes módulos são perfeitos para arrumarmos as maquilhagem, as bijutarias, as canetas e lápis... Estou com vários debaixo do olho, ora vejam:
É ou não é para uma pessoa perder a cabeça? Então eu, que adoro ver as coisinhas nos sítios certos, que adoro caixinhas e divisões, puft! Saí da Muji com a sensação de que irei à falência em breve porque não vou conseguir manter a distância. Olhem-me estes batons todos enfileirados {dá para organizar por marcas, oh-my-god} *suspiros*.

M., querido, se estás a ler este post, já sabes o que deves fazer a seguir, ok? É uma caixinha de cada formato, pra começar. Brincadeiras à parte, recomendo que passem por esta loja encantadora. Há artigos inimagináveis. Para sonhar... e perder a cabeça.
SHARE:

17 outubro 2012

Dos sustos.

Combinei com mamãe de ir buscá-la no trabalho para jantarmos juntas. No final do dia fui até a clínica buscá-la e assim que a vi descer as escadas soube que alguma coisa não estava bem. O lado esquerdo do rosto estava todo repuxado, assim meio torto e a boca estava completamente paralisada. Tive um mini-ataque dentro do carro e numa fracção de segundos passou toda a classe de desgraças na minha mente: "a minha mãe está a ter um derrame, um AVC ou outra cena qualquer muito grave!". {nota: na minha família materna todas as pessoas sofrem de tensão alta, problemas cardiacos e cenas que tais. A minha avó teve 3 derrames e teve que operar o coração para pôr um bypass portanto imaginem o meu pavor ao ver mamãe com a boca torta - que é um dos primeiros sinais de derrame...}

Completamente desnorteada, saí do carro quase a correr e fui ter com ela. "Mãe, o que se passa?!" ao que ela responde: "Fiz aplicação de Botox no rosto. Gostas?! Ainda estou sob efeito da anestesia e não posso falar direito". A sério...

Fiquei tão mal disposta que estou até agora com dor de cabeça por causa do susto que apanhei. Não se faz.

SHARE:

16 outubro 2012

Experimentei: Purah Brazilian Keratin System!

Há dias uma amiga contou-me que tinha feito uma escova progressiva {um processo de alisamento capilar} e que o resultado tinha sido um assombro. Eu, pessoa curiosa que sou, pedi-lhe para enviar-me um MMS com a foto para ver a obra de arte. Há anos que essa amiga luta contra os volumosos caracóis castanhos que tem mas nada dá resultado. Já tentou tudo e mais alguma coisa e já gastou rios de dinheiro.

Quando vi a foto a minha alma ficou parva. A miúda parecia uma japonesinha, de tão liso e brilhante que estava o cabelo! Fiquei logo com o contacto do cabeleireiro e hoje de manhãzinha passei por lá, assim como quem não quer a coisa. A verdade é que eu detesto estar sempre com a mesma cara, enjoo fácil de ter sempre o mesmo corte de cabelo ou a mesma cor e pre-ci-so mudar de vez em quando.

Conversei com a cabeleireira, mostrei-lhe o meu cabelo e disse-lhe que queria algo fácil de manter, que não precisasse andar a fazer brushings ou usar chapinha, que não precisasse andar a pôr espuma pra definir caracóis, enfim... Disse-lhe, muito resumidamente, que queria acordar, passar uma escova pelo cabelo e estar fantástica. {sim, eu acredito em milagres}. Ela, muito simpática, falou-me que havia uma nova escova progressiva no mercado, chamada "Purah Brazilian Keratin System" que reestruturava os fios do início ao fim e os selava, impedindo-os de ganharem jeitos. Como o meu cabelo é fino, ela prometeu-me quatro meses com cabelinho de japonesa, sem uma única curva. E disse-me que ao fim dos quatro meses, bastava fazer um retoque na raiz, ou seja, na parte do cabelo que cresceu. Vi as fotos do antes-e-depois no facebook da marca e não resisti.
Adorei, adorei o resultado. Está bem que demorámos mais de três horas e que tive que cortar o cabelo para tirar a parte clara das madeixas {sinto o meu cabelo minúsculo...} mas o resultado é fantástico: o meu cabelo parece um veludo ao toque e está tão, mas tão brilhante... Fiquei mesmo fã da técnica e recomendo à toda gente {menos a quem tem cabelo descolorado, of course}.

É desta que fico mesmo a parecer uma indiazinha: morena e com o cabelo preto e liso. Só de pensar que ficarei quatro meses sem pisar num cabeleireiro já é coisa para me pôr com um sorriso de orelha a orelha.


Não é que eu desgostasse do meu cabelo encaracolado mas vamos ser sinceras: dá muuuito trabalho. É sérum para as pontas secas, é activador de caracóis, é espuma para modelar, é hidratação intensiva todas as semanas, é o lavar dia-sim-dia-não... arre! No verão ainda vá que não vá, porque está calor e apetece-nos estar com o cabelinho molhado agora no inverno?! No way...

Agora tenho de encontrar um óptimo champô sem sal para prolongar ainda mais os efeitos do alisamento. A máscara acabei por comprar no cabeleiro, é da mesma marca do alisamento que eu fiz e ouvi elogios maravilhosos sobre ela. Agora é só abrir a janela do carro e deixar o vento entrar! ;)


E para não dizerem que eu sou uma exagerada, encontrei na net o relato de uma menina portuguesa que também experimentou esta pequena maravilha e, tal como eu, está encantada. E vocês, já conheciam?

Para quem estiver interessada, o tratamento custou 90€ {já com corte das pontinhas, aplicação do produto e cauterização capilar} e a máscara custou 22.90€. O preço do tratamento varia consoante o tamanho e a quantidade de cabelo da pessoa. Há vários cabeleireiros que disponibilizam esta técnica, no facebook da Purah tem todas as moradas.
SHARE:

15 outubro 2012

Eu e a minha mania de dizer verdades a brincar...


Tudo começou há cerca de um mês quando eu, naquela de falar meio a brincar meio à sério, disse que o moço estava a ficar gordinho. Ui, foi um Deus nos acuda! "Achas mesmo? Pois, lá no trabalho disseram a mesma coisa... E achas que estou a ficar com duplo queixo? E a barriga, está inchada?" e eu, já arrependida do comentário infeliz, disse que não, que ele continua gato {e continua} e que até acho que os quilinhos a mais lhe dão um charme todo especial {vou confessar: adoro homens mais fortes} mas o rapaz não acredita. E agora deu-lhe para a maluquice.

Diz que vai entrar no ginásio, que não come mais porcarias, que não quer ver doces à frente e ai de mim se ousar fazer massas ao jantar e patati patatá. Oh, valha-me Deus. Estou feita!
SHARE:

14 outubro 2012

Quando o meu lado perua vem à tona... {update}

... aparecem cá em casa coisinhas como esta:

Digam com sinceridade: haverá mala mais fofa que esta? Fiquei apaixonada por ela assim que a vi, há uns dias. Na altura não tinha nenhuma viagem programada e não precisava de uma mala, portanto, controlei os meus ímpetos e saí da loja de mãos vazias.

Mas assim que soube que íamos para Londres pensei imediatamente na questão da mala. Tenho uma mala óptima da Roxy que já dura há uns bons cinco anos mas só tem duas rodinhas e é em tecido, logo, não dá muito jeito para andar a circular numa cidade chuvosa como Londres. Depois, tenho aquela que comprei no início deste ano nos chineses, para desenrascar na viagem ao Rio {podem ver as duas aqui} e nem preciso dizer que ela já foi para o lixo, certo? Depois de um vôo intercontinental de ida-e-volta, a pobre mala chegou a Lisboa já com as duas rodas partidas e o fecho emperrado.

Na semana passada acendeu-se uma luz na minha cabeça e lembrei-me da tal mala às bolinhas que eu tinha visto e vá de ligar para a loja para saber se ainda tinham. "Ah, essa já está esgotada". Corri meio mundo à procura dessa safada e finalmente encontrei-a hoje. Weee! É espaçosa, é giríssima {adoro uma pirosada}, tem quatro rodinhas de silicone óptimas, é toda feita em ABS {aquele material rijo} e possui 61cm de comprimento. E sabem a parte mais interessante da história? Estava com 50% de desconto! Tenho ou não tenho motivos para estar contente? ;)

Para as meninas interessadas, a mala em pormenor, por dentro e por fora:

Comprei-a no Continente de Loures {liguei para várias lojas mas só havia mesmo lá} e a mala também está disponível no tamanho "cabine de avião", com 51 cm de altura. A minha é o tamanho acima porque seria impossível enfiar toda a minha roupa apenas na mala de mão e, graças aos santinhos, o meu menino comprou os bilhetes pela British Airways e temos direito a malinha de porão. Eu bem que gostava de viajar com pouca coisa mas simplesmente... não consigo! :P
SHARE:

13 outubro 2012

As pechinchas da feira de Carcavelos...

Na quinta-feira conheci, finalmente, a famosa feira de Carcavelos! Fui com uma amiga que já conhecia a feira e estava sempre a falar dos blazers a 5€ que tinha comprado por lá. Eu, pessoa céptica que sou, disse que só acreditava se visse. Porque, meus amigos, blazers a 5€ nem na Primark. E desenganem-se quem acha que a qualidade é ruim, que não é. Eu diria que roça a qualidade dos blazers que compro na H&M e afins. Chatinha como sou, inspecionei o blazer da minha amiga: nada de poliéster {ebaa!}, tecidos bons e acabamentos melhores ainda.

Pronto, fui vencida pela curiosidade e rumei para a feira. Achei tudo bastante organizado, com políciais à porta e muitas barraquinhas! Fiquei louca quando vi uma das bancas vendendo blazers por 3€! Ando completamente viciada nesse tipo de casaco e acho que serão o grande hit do outono. Trouxe estes:

Parece branco mas é de um tom azul super clarinho e fica ajustadinho na cintura. Amei o corte!
Este está um bocadinho grande {principalmente nas mangas} mas como tenho uma amiga costureira, vou pedir-lhe para ajustá-lo de maneira a ficar mais feminino e certinho. O modelo é mais comprido que o anterior, estilo boyfriend blazer e toda a gente diz para deixar assim, que fica super descontraído e num registo mais folgado mas ainda estou a ponderar.

Cada blazer custou 3€ e acho que foram compras excelentes. Havia até trench coats por 5 euros, mas o tecido era manhoso e nem perdi tempo a experimentar. Quando vou a feiras gosto de encontrar verdadeiros achados e preocupo-me imenso com o tipo de tecido. Detesto sintéticos e noto perfeitamente a diferença entre um artigo rasca e um artigo de boa qualidade. O M. diz que tenho os sentidos apurados para compras ahaha, é um talento inato à minha pessoa, nada a fazer :P

Ainda fiquei com vontade de espreitar o restinho da feira mas tinha outro compromisso a seguir e não deu. O ponto alto da feira foi quando olhei para trás e, imaginem, estava a Rita Pereira a comprar blazers na mesma banca que eu. A Rita Pereira! O que só prova que ela é uma comum-mortal, como nós e adora poupar! Fiquei mortinha para tirar uma foto com ela mas depois a vergonha apoderou-se de mim e a sensatez ganhou. ;)
Já conheciam a Feira de Carcavelos? Costumam frequentar?

 
SHARE:

12 Apps úteis para conhecer Londres!

Que eu já ando a fazer mil e um planos para as mini-férias em Londres não é novidade para ninguém, certo? É verdade que já conheço a cidade mas senti que ficou muita coisa por ver {e fazer} e é claro que fiquei derretida quando o meu amor preparou tudo em segredo ;) Como ando completamente viciada nestas coisas dos smartphones {já perdi a conta dos apps que saquei}, achei que seria interessante e útil acrescentar mais alguns, dedicados exclusivamente a nossa viagem. Dão sempre um jeitaço e, muito importante, poupa-nos imenso tempo {item valioso numa viagem}. Os meus eleitos são:

  • Things to do | London, by Time Out: Um dos apps que mais gostei. Mostra-nos as coisas que não podemos deixar de fazer numa visita à Londres. E o mais interessante é que há imensas sugestões que eu desconhecia e o roteiro foge bastante aos lugares-comuns tipo: London Eye, Hyde Park e afins. 
  • Google Maps: Indispensável para quem, como eu, adora descobrir pequenas ruelas escondidas e gosta de saber sempre qual é a atracção mais próxima a visitar.
  • London City Guide, by TripAdvisor: Um guia mais comum da cidade de Londres mas cheio de detalhes importantíssimos sobre os pontos turísticos. E, vindo do TripAdvisor, só pode ser de confiança. 
  • Talking Translator: Óptimo para aquelas alturas em que queremos dizer uma palavra e não nos lembramos {ou não sabemos} e ficamos feito estúpidos {tipo eu!} a fazer trejeitos e a gesticular a ver se a pessoa percebe o que queremos dizer. Em Londres não corro esse risco mas em Paris fiz com cada figurinha...
  • London Tube Map: Indispensável. Para conhecer Londres sem perder tempo com sinais, trânsitos e com pouco dinheiro no bolso, o ideal é fazer o Oyster card e rodar todas as estações de metro. Mas, à primeira vista, as linhas do tube parecem todas um emaranhado terrível {até me dói a vista} e este app veio mesmo a calhar!
  • Taxas de Câmbio: Confesso que não fazia questão nenhuma de ter este app mas o M. obrigou-me ahaha. É claro que ele já sabe o que a casa gasta e sabe que, assim que pisar em terras de Sua Majestade vai me dar um fanico qualquer e vou querer mergulhar na TopShop, Dorothy Perkins, Selfridges, Forever 21 e lá se vão as libras... Diz ele que com este app vou conseguir controlar as finanças durante a viagem. Tenho as minhas dúvidas...
  • Londres Guia: Outro mini guia da cidade, mas esse tem roteiros completamente diferentes dos habituais e há diversas opções para todos os gostos. 
  • Heathrow Express: O app oficial do comboio expresso que liga o aeroporto de Heathrow ao centro de Londres. Também há a opção do metro mas a viagem dura quase três vezes mais e o acesso é complicado {há estações de metro que não têm escadas rolantes/elevadores e para quem está com mala de viagem é difícil}. Preferimos ir de comboio, apesar das 18£ por bilhete, é uma viagem tranquila e rápida até a city.
  • Atracções Turísticas de Londres: Outro guia turístico mas esse é específico para museus, parques e monumentos e é bastante mais detalhado que os outros. Na dúvida entre eles, o melhor é sacar os dois e compilar toda a informação. 
  • Heathrow Airport Guide: O app oficial do Aeroporto de Heathrow {o maior da Europa} e dá-nos todas as informações relativas aos vôos para além de ter uma opção onde podemos marcar os nossos vôos e obter informação mais detalhada sobre eles. Também avisa quando os vôos estão atrasados e quando foram cancelados.
  •  AccuWeather: Viajar sem saber como estará o tempo é um risco. Eu, pessoa prevenida que sou, não meto os meus pézinhos no Aeroporto da Portela sem antes saber quais as condições climáticas que me esperam noutro país. 
  • Money Box Expenses: E que tal gerir os gastos da viagem? Saber quanto gastamos no primeiro dia, quanto custou o almoço do segundo dia e por ai fora? Nem preciso dizer que este foi outra sugestão do M., não é? :P
E depois de toda essa tecnologia, acho que estou mais do que preparada para visitar a terra de Sua Majestade sem correr o risco de perder-me na cidade, ou apanhar o metro errado ou, pior, não encontrar determinado sítio. Aiii, o que eu adoro preparar viagens assim, ao pormenor. Adoro mesmo ;)

SHARE:

11 outubro 2012

[ TESTEI ] Triple Performing da Benefits

Sou aquilo que se costuma chamar de rato de perfumaria. Amo perfumarias e sou capaz de estar duas horas dentro de uma Sephora da vida, a experimentar mil e uma coisas, com a cestinha cheia de produtos. É difícil resistir. São as embalagens fofas {a Bourjois é phD no assunto}, são os cheiros fantásticos, as cores todas enfileiradas por tons... perco a cabeça!

Na semana passada recebi o bendito sms a dizer que tinha 20% de desconto numa das minhas perfumarias de eleição e aproveitei a hora do almoço para ir espreitar as novidades. Na minha última compra tinha recebido uma amostra da loção emulsionante Triple Performing da Benefits e, senhores, que produtinho milagroso!

Não sou pessoa de ter grandes problemas com a pele e {não tive a fase das borbulhas e tenho a pele normal - nem seca, nem oleosa} e tirando as sardas, nunca precisei investir em produtos muito caros porque nunca vi necessidade para tal. Pensava eu que tinha uma pele lisinha, suave e luminosa mas quando experimentei essa loção notei uma diferença tão bizarra {a minha pele ficou uma coisa di-vi-na} que o meu primeiro pensamento foi: preciso comprar esse creme na versão garrafão-de-cinco-litros!. Que diferença, minha gente!

Este é, oficialmente, o meu novo queridinho. Aproveitei os 20% de desconto e trouxe-o comigo. Não é exactamente barato {paguei 26€ já com o desconto} mas faz toda a diferença. Recomendadíssimo!


Já tinham ouvido falar dele? Eu só o conheci através da amostra mas preciso confessar: todos os produtos da Benefits que já usei até hoje {lápis de olhos, iluminador e blush} nunca decepcionaram. Mas essa loção supera qualquer expectativa... Uma pequena maravilha em forma de frasco ;)

Mereceu 4 estrelinhas porque o preço é desanimador. Ok, o produto é muito bom mas continuo a achar um abuso pagar mais de 30€ por uma loção facial. Se não fosse isso, receberia com louvor as cinco estrelinhas - pontuação máxima!

SHARE:

10 outubro 2012

Para não esquecer:

As pessoas mudam. A maioria muda para melhor, muda porque aprendeu com os erros, muda porque a maturidade chegou, muda porque a vida é, no fundo, uma grande mudança. Mas depois há uma outra classe de pessoas: aquelas que mudam para pior. Que antes eram uma coisa e de repente, puft!, já são outra. E é triste perceber que alguém que conviveu contigo durante muitos e bons anos, alguém em quem confiavas de olhos fechados, tornou-se uma pessoa diferente. Para pior. A mim só me resta guardar as boas lembraças, os bons momentos porque, felizmente, as pessoas mudam mas as lembranças... essas são eternas. 

SHARE:

O que veio parar à minha secretária...

As palavras já foram todas ditas. Os gestos, esses também já se gastaram. Já não há como exprimir tudo aquilo que és para mim: o meu companheiro de todas as horas, a pessoa que me estraga com mimos, que é incapaz de dizer não a qualquer coisa que eu diga, que está sempre disponível para me aturar... És o homem que eu escolhi para ser o meu, só meu.

Amo-te em cada pequenino gesto que fazes e sei-os todos de cor: o sorriso malicioso que me arrepia, a gargalhada gostosa de ouvir, o abraço mais apertado do mundo e o toque de mestre. És o meu amor, o primeiro e o único. Obrigada, meu bem.
SHARE:

09 outubro 2012

Do meu vício:

Ontem a meio de uma aula olhei para as mãos e reparei que tinha uma unha com uma lasca no verniz. Ui, foi um drama. Nessas coisas sou uma menina, de-tes-to ter as unhas lascadas, sinto-me a mulher mais desleixada à face da terra. Passei o dia inteiro tentando ignorar a tal da unha lascada já que, durante o dia, tenho pouquíssimo tempo para tratar disso {e à noite estou demasiado cansada para andar a pintar unhas, só consigo ao fim-de-semana}.

Mas, confesso, estava mesmo incomodada com aquilo. Ainda por cima era um verniz vermelho e toda a gente sabe que um verniz vermelho a descascar é o auge do relaxamento. Aliás, é tão feio que deveria ser punível por lei mas adiante.

Saí do trabalho, cheguei a casa e pensei: ahh, é desta que vou escarrapachar-me no sofá sossegada a descansar... Qual quê! Mal entrei em casa e a pequena veio ter comigo para me ouvir contar sobre o meu dia {ela adora que eu conte pormenores do dia, pode ser a coisa mais insignificante mas ela faz questão de saber tudo, é uma cusca em potencial} e eu, expressiva que só, desato a gesticular para contar-lhe sobre o dia. Ela exclama, surpresa: Mana, o teu verniz! Está descascado! {e põe a mão na boca, como quem diz: eish, não tens mesmo vergonha na cara, como tens coragem de andar na rua assim, com o raio do verniz lascado? Tsc tsc...} e pronto, rendi-me.
Como estava completamente sem inspiração, ela lá ajudou-me a escolher uma cor. "Pinta com este, tem a cor do carro da Barbie e é tããão giro!". Gajas... O nome da cor é "Pamplona Purple" e é da coleção de Outono da OPI, a minha marca preferida de vernizes.

SHARE:

08 outubro 2012

Do fim-de-semana

O meu fim-de-semana começou logo na quinta-feira com o feriado. Foi o primeiro feriado em mais de um ano em que não estive a trabalhar {thanks, God!} e nem tenho como expressar o quão bom é poder ficar em casa num dia em que a maioria das pessoas está a descansar.

De quinta à sábado não fiz nada de útil à sociedade, que é como quem diz: despachei dois livrinhos, vi mais quatro capítulos da minha série, assisti mais dois filmes com ele e jantei com as minhas amigas num sítio adorável. Dormi que me fartei e acho que numa outra vida fui qualquer coisa entre o bicho-preguiça e o coala. Eu amor dormir!

No domingo fomos passear por Cascais porque estava um autêntico dia de verão. Trinta graus, minha gente. E eu, que não olhei o tempo antes de sair de casa, decidi pôr uns botins. Resultado: tive que tirá-los a meio do passeio e calçar umas havaianas made in china que comprei na vila de Cascais.


A idéia inicial era dar uma volta, comer um gelado no Santini e na volta passar no CascaisVilla para comprar a prenda de uma amiga que faz anos. Mas a fila do Santini estava gigantesca {havia pessoal quase à porta do McDonalds, para terem uma noção} e desistimos. Fomos até a Baía e esticámos até a Boca do Inferno, um dos meus sítios preferidos. Adoro o som do mar a bater nas rochas, adoro a atmosfera de paz que se sente por ali...

No fim, paragem mais que obrigatória no "Sobe e Desce", mesmo em frente à Zara {que, para meu desgosto, estava fechada... ao contrário da Parfois que estava a abarrotar} para comer um daqueles cachorros deliciosos com tudo a que temos direito. Foi um domingo daqueles mesmo bons, sempre na companhia mais especial do mundo...

Somos um casal de lontras, nada a fazer. E ainda faltou o geladinho para o dia ficar completo ;)

SHARE:

07 outubro 2012

O blog está de cara nova!

Pois é, depois de tanto adiar, lá teve que ser. Aproveitei o fim-de-semana prolongado em casa do meu amor para, delicadamente, pedir assim com muuuito jeitinho que ele me fizesse um template {de raiz, coitado do homem}, que me ensinasse a comprar um domínio próprio {sou naba, minha gente} e que tratasse de toda a parafernália relacionada com o visual do blog. E ele, muito espantado, pergunta: mas qual blog?! 

É verdade, o meu namorado não fazia idéia da existência deste blog. Sempre tive a idéia de que, quanto mais pessoas da minha vida real soubessem do blog, mais limitada eu estaria para escrever sobre o que me apetecesse. Lembro-me uma vez da Pipoca mais doce comentar que antes, quando o blog dela era desconhecido pela família e afins, tinha muito mais liberdade para postar sem antes pensar 542 vezes se o post poderia ferir susceptibilidades. E sempre concordei com este ponto de vista.

Mas achei que, se o M. sabe da minha vida de trás para a frente e de frente para atrás... não havia motivos para não compartilhar {mais} este pedacinho de mim com ele. E contei-lhe. E ele lá esteve o feriado todo a tratar do template, meio puto da vida porque eu estava sempre a querer acrescentar mais alguma coisa. Quando o homem virava-se para mim e dizia: "pronto, já está", lá vinha eu com idéias e acrescentava mais alguma coisa. E ele, exasperado: "porra, deste jeito o template não vai ficar pronto nem em 2013. Estás sempre a inventar mariquices..."

Apesar de reclamar, acabou por fazer tudo exactamente como eu queria e finalmente fiquei satisfeita com o resultado, está muito mais clean e simples que o anterior e agora tenho um domínio próprio {preciso confessar que detestava andar com o .blogspot atrás} e agora sim, estou contente! ;)

Um agradecimento especial ao melhor namorado deste mundo, que perdeu um feriado inteirinho para satisfazer aqui o pedido da menina, te amo, viu? 

Se encontrarem algum erro ou anomalia no blog, é favor dizerem sim? Isto ainda está em fase de testes. Obrigada!
SHARE:

05 outubro 2012

Das melhores sensações deste mundo...

Há dias que falo com o M. que estava mortinha para fazer uma pequena viagem mas não fazia idéia do sítio para onde queria ir. E hoje, mal acordei e abri o mail, lá estavam as nossas passagens... Cinco diazinhos numa das minhas cidades preferidas! Haverá jeito mais gostoso de passar o feriado que planear uma viagem romântica?

E agora estamos os dois aqui a fazer mil e um planos. Ele, com o portátil, vai apontando tudo o que queremos ver e está a traçar um mini roteiro. Eu limito-me a pesquisar a morada das lojas onde quero ir e os melhores restaurantes para depois encaixar entre um museu e outro... Acho que numa outra vida fui cigana. Só isto explica esta minha constante necessidade de viajar sempre que posso. Haverá coisa melhor? {haver até há... mas não é a mesma coisa :P}

A difícil tarefa de entender esta confusão de linhas e marcar quais as estações que temos que usar...

SHARE:

Da maníaca por organização que existe em mim...

SHARE:

02 outubro 2012

Tão espertinha que ela é...

Hoje, às 7h, enquanto vestia-me, ouvi o seguinte diálogo entre mamãe e a Vi:

- Acorda, Vi, está na hora...
- (resmungos e mais resmungos... nada dela sair da cama)
- Então, Vi, estás à espera de quê para ires para o banho?
- Oh, mamã... Responde-me uma coisa: O que as pessoas fazem quando têm fome?
- Comem, oras.
- Hum... e o que fazem quando têm sede?
- Bebem qualquer coisa...
- E o que as pessoas fazem quando têm sono, assim muuuuito sono?
- LEVANTAM DA CAMA E ESPERAM QUE O SONO VÁ EMBORA!

Não aguentei e tive um ataque de riso. Estamos tramadas com esta rapariga. Os miúdos cada vez têm mais idéias e perguntas complicadas para nos lixarem o esquema. Esta agora deu para armar-se em espertinha mas cá em casa já se sabe, não há aldrabices. Então com estudo, ui ui. É que é mesmo sagrado.
SHARE:

01 outubro 2012

Os homens e a bola.

É incrível como os gajos são aficionados por bola, é uma coisa que jamais vou perceber. Uma coisa é gostar de ver a bola, ir ao estádio uma vez ou outra... outra coisa bem diferente é fazer questão de acompanhar a liga do Zimbabwe e deixar de fazer outras coisas porque "às 19h tenho de estar em casa para ver o jogo". 

É coisinha para me pôr logo mal disposta. Infelizmente, entre tantos milhões de portugueses, me calhou um que é completamente maluco pelo Sporting. Faz questão de comprar aquele passe para todos os jogos da liga, sabe na ponta da língua a escalação da equipa para o próximo jogo, perde tempo em fóruns a discutir sobre o Sporting... Ai, senhores, não acho normal.

E, como se não bastasse a sorte de ter um namorado assim, o meu irmão também é completamente louco por futebol {como bom brasileiro que também é} e tem duas grandes paixões nesta vida: o Flamengo {clube carioca} e o Barcelona {sabe-se Deus porquê}.

Hoje à hora do almoço ligo ao P. para saber como tinha corrido um exame e ele responde-me que não está na universidade porque aproveitou um furo de duas horas entre uma aula e outra, agarrou no carro e foi para o Aeroporto. Fiquei sem perceber: O que há de especial no aeroporto que eu desconheço?

A resposta veio logo a seguir: "Ah, fui receber a equipa do Barcelona no aeroporto da Portela." Oi?! A sério, o que é que há de especial nessa coisa da bola que deixa os homens todos parvos?

Há bocado ele veio, todo orgulhoso, mostrar-me ISTO e sinceramente... qual foi a parte da piada que eu perdi? É que não vejo mesmo graça nenhuma, pronto.{Sim, sou uma desmancha-prazeres do pior}
SHARE:
© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig