16 novembro 2012

Das relações que não passam de "tapa-buracos"

Sempre torci o nariz àquelas pessoas que sujeitam-se a qualquer tipo de relacionamento só para estarem acompanhadas... Sempre achei que eram pessoas fracas, com pouca {diria mesmo nenhuma} auto-estima e que, por não terem lá grandes atractivos {físicos ou mentais} acabavam por ter que papar o que lhes caísse em cima.

Acontece que vivencio, ainda que em segundo plano, uma situação parecida, com uma amiga minha. E todas as minhas idéias pré-concebidas sobre o assunto caíram por terra. A minha amiga não é fraca, tem imensa auto-estima, é gira que se farta, inteligente que chegue e, sabe-se Deus porquê, continua amarrada à um idiota.

E digo-o com todas as letras: ele é um idiota. Vou resumir a história: conheceram-se quando ela estava a tirar o curso, andaram um ano e tal, ele fartou-se e foi para Erasmus comer umas quantas alemãs. Entretanto, ela continou o curso cá e não esteve envolvida com mais ninguém. Um ano {vejam bem, um ano!} depois o moço volta e decide que afinal, ela é a mulher da vida dele e os dois voltam a curtir. Ficam assim por uns meses até que uma ex namorada dele surge do além e ele descobre que, afinal, gosta é da ex e vá de dar com os pés à minha amiga {que, como devem calcular, sofreu o pão que o diabo amassou com o rabo}.

Não contente com a palhaçada, o moleque {sim, que eu recuso-me a chamar isso de homem} assim que leva com os pés da namorada... adivinhem? Descobre, mais uma vez, que está super-mega-apaixonado pela minha amiga e vá de começar a enviar sms melosas e a trouxa o que faz? Volta a curtir com ele!

Estou indignada! Possessa! E sim, nada tenho a ver com a história, mas caramba! O que é esta merda? Andamos todos a brincar uns com os outros? Ela está nas nuvens e diz que agora é que é! E eu estou aqui, cheia de pena e torcendo para que ela tenha razão {mas sem querer ser pessimista, duvido}.

O que acontece é muito simples mas parece que ela não enxerga: ele sabe que a tem disponível e, mal fica sozinho, entra logo em contacto com a trouxa, só para ir comendo alguém de vez em quando. Até que alguém melhor {ou mais gostosa, sabe-se lá} apareça e então... dá-lhe com os pés e diz que "precisa de espaço". {precisa de espaço? compra um T4, caraças!}

E não estamos a falar de um puto recém-saído da adolescência, não senhor... Estamos a falar de um homem de quase trinta anos na cara e que já tem idade para ter juízo. Vou aqui usar uma expressão bem tipica da minha terra, para ver se nos entendemos: "meu amigo, ou fode ou sai de cima..." Bolas que eu não tenho paciência nenhuma para essas merdas. Deus foi sábio e deu-me um gentleman como namorado porque caso contrário, era patins em linha e ala que se faz tarde!

SHARE:

7 comentários

  1. Escrevi sobre isto há uns dias no meu blogue :) Não tenho paciência. No fundo elas são tão culpadas como eles, porque deixam que se vá repetindo...

    ResponderEliminar
  2. O amor por nós tem de ser maior do que o amor pelos outros, ou dá asneira e torna-nos ceguetas que não vêem nada à frente.

    ResponderEliminar
  3. Nestas coisas do amor não adianta dizerem-nos nada. Temos de vivenciar o amor todo, terminar com qualquer tipo de afeto, carinho e lembrança para que possamos olhar para ele como ele verdadeiramente é e avançar. Por isso, a tua amiga vai conseguir isso um dia, até lá vai vivendo:)

    ResponderEliminar
  4. eu eu não entendo essas histórias também! fogo que cena, e comigo a coisa resolvia-se com uns patins e ala que se faz tarde!

    tens razão para ficar indignada, mas também o que podes fazer é tentar que o sujeito nao a prejudique mais

    beijinho

    ResponderEliminar
  5. Isto é sempre complicado, quem está nelas é que sabe, ela é que ainda não se desligou, assim que o fizer de certeza que alguém melhor irá entrar na vida dela.

    ResponderEliminar
  6. AH mulher, deviam haver mais como tu porque sinceramente a maioria de nós acho que somos mesmo palhacinhas nas mãos dos homens de vez em quando.
    Já escrevi sobre isso no meu blog e embora ache que somos umas tapadas, parvas que só visto, a verdade é que há muitos paspalhos que não fodem nem saiem de cima, quando gostamos deles só nos fazem merda mas quando estamos a tentar seguir com a nossa vida em frente voltam para nos atormentar. Não compreendo essa mentalidade, será assim tão dificil desaparecer de vez? Caramba!

    ResponderEliminar
  7. @Carolina Duarte: Olá! Não conhecia o teu blog mas vou já espreitar! Bjinhos :**

    @Rosa Cueca: Concordo. Nós temos que vir em primeiro lugar. E só depois, os outro. =)

    @A Gaja: Pois é, eu bem tenho conversado com ela mas não quero estragar os raros momentos em que ela está mesmo, mesmo feliz. Tenho medo que a coisa dê para o torto novamente mas enfim... nada mais posso fazer. É a vida dela, são as decisões dela.

    @aNaMartins: Ahahah somos duas! Eu sou tão, mas tão sem paciência para essas infantilidades. É logo um par de estalos e bye bye.

    @Beauty Fashion Lounge: Sim, é claro... Falar de fora é fácil, só quem está dentro é que sabe.

    @Maria Gonçalves: Eu também já tive a minha fase "de ser palhacinha" mas felizmente acabou. Acho que todas passamos por isso, faz parte daquilo que chamam evoluir. Já os homens... esses demoram tanto a evoluir, porra! ahaha :P

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig