25 janeiro 2013

Das rasteiras que a vida nos dá.

Ontem soube de uma coisa que me deixou louca de raiva. Furiosa mesmo. Como as pessoas conseguem ser assim, meu Deus? Falsas, interesseiras, oportunistas... Como conseguem mentir tanto, fingir tanto, construir uma personagem em cima de algo que elas não são...?!

Eu me considero uma pessoa calma: não sou de fazer escândalos, tenho pavor de gente mal educada, de gritos e de barracadas. Tento relativizar as coisas ao máximo, dou pouca importância à merdinhas e mimimis que a vida merece ser vivida sem essas tretas.

Mas hoje, senhores, a minha vontade é de pular no pescoço dessa pessoa e encher aquela cara cínica de estalos. Mas dar tanto na cara da criatura até a minha mão cansar. A minha vontade é desatar aos gritos, chamá-la de todos os nomes possíveis e imaginários, dizer a grande filha da puta que ela é. E, para ser sincera, ainda não sei se descarto essa opção.

Me sinto um pequeno furação, com o sangue em ebulição nas veias. Faz comigo, gente. Mas não faz com um dos meus que eu fico desnorteada. Fico com vontade de matar quem me aparecer na frente. Ontem, enquanto ouvia o meu irmão falar, com aquela tristeza na voz, tive vontade de entrar dentro dele e trazer aquela dor para mim. Mas não pude. Só pude abraçá-lo e murmurar um "vai passar, P., vai passar". Sempre passa. Mas não é fácil e eu detesto sentir-me impotente perante uma coisa destas.

SHARE:

8 comentários

  1. eu também, por norma, prefiro ser pacífica... mas há pessoas que nos mexem com as entranhas!

    ResponderEliminar
  2. Puxa!!! Realmente... um beijinho no teu irmão.

    ResponderEliminar
  3. Espero que não tenha sido a Lupe... é uma história tão bonita :S

    ResponderEliminar
  4. Compreendo as tuas palavras. Compreendo-as precisamente no contexto em que as estás a viver e a sentir, pois vivi algo do género com o meu irmão o ano passado. Dói muito mas não podemos fazer mais que acarinhar e apoiar. Força*

    ResponderEliminar
  5. Também sou muito calma, mas quando me "pisam os calos"... sai da frente, a barracada está armada. É a única maneira desse tipo de pessoas aprenderem alguma coisa, porque só com tretas de moralidade não se lá vai, é no tapa mesmo, e que bem que sabe...uma delícia!

    ResponderEliminar
  6. Boa noite querida. Um grande abraço para ti e para o teu irmão, Espero que passe rápido, porque a verdade é que tudo passa e tudo nos traz algo de bom. A pessoa revelou-se como realmente é e nesse aspecto é assim: quanto mais cedo melhor para que essas pessoazinhas não fiquem muito na nossa vida. Um beijo, Sofia

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig