31 março 2013

Coelhinho da Páscoa que trazes pra mim?

Uma pessoa bem tenta manter a linha durante a Páscoa mas é uma batalha perdida. Estou dividida entre o sofá, os livros e a comida deliciosa na cozinha e quer me parecer que a dieta já se foi. E depois são os chocolates com embalagens tão fofinhas que uma pessoa até tem pena de comer. Oh, vida!
SHARE:

30 março 2013

79 Primaveras.

Hoje a minha velhota completa 79 primaveras. Quem a vê dificilmente lhe dá mais de 60 e poucos, o que pra ela é motivo de grande orgulho porque é tão vaidosa que fica logo inchada. Anda sempre com o cabelinho pintado (ver um fio branco pra ela é a morte), a manicure vai toda semana à casa dela para arranjar-lhe as unhas e, carioca como é, adora uma boa praia.

A minha avó é das pessoas mais importantes da minha vida. Ela e mamãe são os meus dois alicerces, a minha base em tudo. A minha avó L. é muito mais que uma avó para mim. A ela eu devo tudo. Era ela que me levava e buscava na escola, enquanto a minha mãe desdobrava-se em dois (e até 3!) empregos para nos sustentar. Era a minha avó que fazia os trabalhos de escola comigo, que me levava ao colo do sofá para o quarto quando eu adormecia, que fazia aniversário para as minhas bonecas com direito a bolo e guaraná, que aguentou comigo quase um mês internada no hospital e não arredava o pé da enfermaria.

Não tenho palavras para dizer tudo o que essa velhinha de metro e meio significa para mim. Ela é um dos (fortes) motivos que me arrasta para ir viver novamente no Rio, pertinho dela. Porque chegou a hora de retribuir tudo o que ela fez por mim, de lhe dar uma velhice ainda mais digna e confortável. Chegou a hora de aproveitar todos os nossos momentos juntos, de fazermos os nossos passeios, de levá-la ao cabeleireiro ou à feira, de ir com ela ao cardiologista... Pequenas coisas que, mesmo sendo tão banais, me fazem morrer de saudades.

Para driblar a saudade, nós montamos um esquema e nunca ficamos mais de um ano afastadas. Num ano eu vou ao Rio ficar com ela, no ano a seguir ela vem à Lisboa ficar comigo. Na primeira vez que ela veio sozinha de avião, fiquei preocupada e perguntei-lhe se queria que eu colocasse na passagem a indicação para a hospedeira ajudá-la. Levei com a resposta: Que isso, menina? Você acha que eu tô uma velha gagá que não consegue nem pegar um avião? Relaxa... eu vou sentadinha fazendo sopa de letras ou vendo filme." e eu tive que rir. Ela é tão independente... É um dos grandes amores da minha vida.

Te amo, baixinha! Absurdamente, daquele jeito que tu sabes. No teu aniversário de 80 anos estaremos juntinhas novamente, como antes. E faremos uma festança daquelas!
SHARE:

o estranho mundo da blogosfera...

Não sou de andar a fazer queixinhas sobre tudo mas há coisas que ultrapassam a minha capacidade de entendimento. Então não é que dei de caras com um texto meu {publicado há mais de dois anos aqui no estaminé} roubado descaradamente e publicado noutro blog?

A criatura apoderou-se de um texto pessoal que publiquei no blog {este}, fez as devidas alterações e postou-o como sendo de sua autoria. Ai, senhores, fiquei possessa. Se fosse um postzeco qualquer, onde eu falo de uma qualquer mariquice sem importância, confesso-vos que era para o lado que eu durmia melhor.

Mas não, é um post de um texto que foi escrito pelo M. na altura do nosso aniversário de namoro e que a pessoa, na sua extrema cara podre, alterou montes de coisas e escarrapachou no seu lindo blog como se o texto houvesse sido escrito para ela.

Sinto-me invadida. É uma sensação estranha, é como se alguém quisesse roubar uma parte da minha história, copiando um texto que foi escrito para mim, na íntegra. É como se quisessem viver na pele de outra pessoa e isso só revela uma profunda insatisfação e infelicidade.

É triste que uma pessoa não tenha capacidade de viver um amor de verdade e, despeitada, tenha que roubar o texto que foi escrito para mim, e postá-lo como se a declaração fosse para ela. É triste... Não deve haver coisa mais frustrante que não se sentir bem na sua própria vida, feliz com as suas próprias escolhas.

Este episódio fez-me repensar essa história de blogosfera. É, meus amigos, isto é terra de ninguém. As pessoas escondem-se por trás de pseudónimos, por trás do anonimato, e acham-se no direito de fazerem o que lhes dá na real gana. É um sítio sem lei. E isso assusta tanto...
SHARE:

28 março 2013

És tu ou sou eu?

Esses dias, já não me lembro bem a que propósito, surgiu uma conversa no trabalho sobre namorados/maridos e uma das colegas disparaou: Ah, a Anne por exemplo, não tem do que se queixar... Um gajo como o M. não se encontra ao virar da esquina... e eu fingi que não tinha percebido a idéia dela.

Na semana passada, numa conversa com a minha avó, ela comentou: é, minha filha, outro como o M. tu não arranjas nem com vela acesa e reza braba.

E isso me leva a pensar que, das duas uma: ou eu devo ter um feitiozinho de merda e ser assim uma pessoa muuuuito difícil de lidar (daí toda a gente achar que o M. é um santo para me aturar) ou então o M. é realmente um namorado pra cima de espectacular e isso é nítido para toda a gente.

Acho que é capaz de ser as duas coisas. 
SHARE:

27 março 2013

(re)descobrir Lisboa: a Fonte Luminosa

Em contagem decrescente para ir para o Rio de Janeiro de mala e cuia, decidi aproveitar o restinho dos meus dias em Lisboa para... re-descobrir essa cidade que tanto me diz. Combinei com o M. que vamos tirar os próximos sábados para visitar um monumento, um museu, ou um qualquer lugar marcante para nós (e são tantos...). No nosso top 10 estão: Castelo de São Jorge, o teleférico da Expo, Jardim Zoológico, Palácio da Pena em Sintra, o Monumento dos Descobrimentos, o Museu do Oriente, a praça do Comércio, o Elevador de Santa Justa, o Oceanário, o Jardim da Estrela e mais n lugares que ficarão para sempre guardados nas minhas memórias.

Decidimos voltar a visitar cada um desses sítios, assim num género de despedida (calma lá, que nós queremos vir de férias à Portugal todos os anos - de preferência em Agosto que é para termos dois verões por ano, maravilha) e para revivermos um bocadinho do encanto que esta cidade tem para dar e vender.

O nosso primeiro sítio? A famosa Fonte Luminosa, que estava em obras desde 2009 e reabriu no final de 2012, toda remodelada e linda. Ainda não tinha tido oportunidade de passear por lá e achei que era a altura ideal. Fomos no sábado ao fim da tarde: eu, o M. e a Vi. Tirámos tantas fotografias, o sítio é girissimo e óptimo para um lanche na relva, num dia de sol.
É claro que depois fomos parar numa esplanada para lanchar e enfardar uns bolinhos, que somos um trio de lontras e é sabido que as lontras precisam repor as energias de hora em hora. Em tempos de crise, aí está um passeio giro, num sítio fantástico e a custo (quase) zero. Levem os miúdos, agarrem na máquina fotográfica, levem umas madalenas e uns sumos e a festa é garantida!

Daqui há uns dias, quando a Primavera chegar com tudo, a Fonte Luminosa e o seu jardim serão excelentes sítios para desfrutar de uma tarde com a família, ao sol e com o barulho da água a cair...

Já tinham tido oportunidade de visitar a fonte depois das obras de reabilitação? Ah, relevem a falta de foco da minha foto com o M. mas a Vi ainda não está habituada à câmera nova, ela ainda só consegue tirar fotos decentes com a compacta. Fotógrafa inexperiente, é o que é :P

SHARE:

26 março 2013

A sério, eu mereço?!

Estava há uns dias para vos falar sobre o assunto mas, sem tempo como estou, fui deixando passar. Entretanto, hoje tornei a receber um pedido de contacto estranho e decidir tirar essa dúvida: vocês também recebem contactos absurdos nos vossos blogues? Pessoas que pensam que vocês vendem produtos, realizam exposições (?!) e outras pérolas do género? Não estão a perceber nada? Ora vejam:

Não sei o que se passa com as pessoas, sinceramente. É falta de paciência para ler os posts? É pura preguiça? Ai, gente, ninguém merece passar a vida a responder mails a dizer que não vendo galochas, nem faço exposições e muito menos sei como alguém pode comprar acessórios para o cabelo (no shopping, talvez?).
Isto de ter um blog por vezes é chato que dói. Irra!
SHARE:

24 março 2013

The beat of Rio.


Vi esse vídeo no facebook e fiquei emocionada. Vivo em Lisboa há quase 10 anos e nunca tive o desejo de voltar a viver no Rio. Matava as {muitas} saudades nas férias (tento nunca ficar mais de dois anos sem visitar a minha terra) e isso chegava. Se me perguntassem, há uns seis meses atrás: "mas olha lá, não pensas em voltar para o Rio?", a minha resposta seria: "só de férias...".

Mas desde o início deste ano que, não sei, algo se alterou. Nasceu aquele desejo de voltar a viver "em casa", na cidade que me viu nascer. São tantos os motivos... Andei o mês de Janeiro todo a pensar nisso mas sem comentar com ninguém. Até que calhou de acontecer isto e foi assim que eu tive a certeza que Deus tem mesmo um senso de oportunidade incrível ;)

É desta, sim. É desta que voltarei a viver ao pé das minhas pessoas, na cidade mais maravilhosa do mundo, e com o amor da minha vida ao meu lado. Ando dividida porque terei tantas saudades de Lisboa e da paz que encontrei por cá mas não há amor como o primeiro e vocês não imaginam as saudades que eu tenho de coisas que só encontro no Rio: o clima de descontracção, a simplicidade das pessoas, a atmosfera sempre alegre, o sotaque que eu adoro... Ai, que feliz que eu estou!
SHARE:

22 março 2013

Para saudar a Primavera ;)

Achei que o cabelão preto e comprido era demasiado pesado para os dias quentes que {espero} vêm por aí. Por isso, rumei ao cabeleireiro e fiz um upgrade ao visual: um corte mais escadeado e com movimento, umas suaves madeixas em tom de avelã para abrir um bocadinho o tom dos fios... e adorei!

Gostei muito dessas madeixas, são quase imperceptíveis (dois ou três tons abaixo do meu tom natural) mas ao sol notam-se uns reflexos maravilhosos. Bem diferentes das terríveis madeixas que fiz no ano passado e que ficaram extremamente claras para o meu tom de pele morena (lembram-se?).

E sim, as ondas nas pontas foram feitas com a minha amiga-de-todas-as-horas e, milagre, duram o dia inteiro. Simples mais simples não há ;)
SHARE:

21 março 2013

Diferenças linguísticas #5

Hoje precisei marcar consulta com o oftalmologista e, como era a primeira vez com esse médico, a senhora ao telefone perguntou-me:
- E a consulta fica marcada em que nome?
- Anne.
- E o apelido? (uiii.. é o tal apelido árabe)
- (começo a soletrar): H, A, N...
- M?
- Não, N...
- Desculpa?
- N, de neném...
(silêncio do outro lado) e eu percebo o tamanho da minha estupidez. Tento consertar:
- Err, desculpa, é N de não.
- Ah, sim...

É que falei com tanta naturalidade que só notei que a senhora não havia percebido quando se fez silêncio na linha. Oh, céus. Eu e o meu carioquês...


SHARE:

20 março 2013

Das maravilhas do mundo moderno:

Que eu sou uma nulidade em termos domésticos, é de conhecimento geral. Cozinho pessimamente, não sei passar camisas com botões (só me safo com t-shirts), não sou capaz de usar a máquina de lavar roupa sem manchar uma ou outra pecinha, enfim... Não estou muito para aí virada, sabem? Só gosto mesmo da parte de arrumar, decorar e organizar a casa, todo o resto, dispenso.

Mas ultimamente (por motivos óbvios) tenho dado um bocadinho mais de atenção à essas questões domésticas. Esforço-me, ao menos. Vai daí, na semana passada, quando mamãe veio com a notícia que a máquina de lavar roupa já não estava a centrifugar (terminava o programa de lavagem com a roupa encharcada e o técnico disse que o conserto não compensava...) e disse que no sábado iria comprar uma nova, lá decidi ir com ela para ajudá-la a escolher.

Cá em casa, ter uma boa máquina de lavar roupa é essencial. Todos os dias programamos a máquina para lavar roupa, seja a nossa roupa, seja roupa de cama, ou toalhas ou outra coisa qualquer. Todo santo dia o raio da máquina de lavar roupa é utilizado. Por isso, lá estivémos quase uma hora na Worten a ouvir o vendedor explicar-nos a diferença entre uma máquina de 300€ e uma de 500€.

Nunca pensei na vida vir a dizer isso mas... fiquei apaixonada por uma máquina de lavar roupa! Oi?! Que ser doméstico é esse que se apoderou da minha pessoa? A sério, minha gente, a nova máquina faz tu-do: é toda digital, não há cá botões para ninguém (é tudo touch), podemos programar as lavagens para a hora x (e já deixar a máquina cheia de roupa), a máquina avisa quantos minutos faltam para terminar o programa (e a ainda há um alarme para avisar), enfim... só falta fritar ovo. Fico sempre fascinada com o poder da tecnologia, é incrível! Claro que tivémos de comprá-la. E pensar que há sensivelmente vinte anos atrás, ter uma máquina de lavar era assim uma espécie de luxo. Como evoluímos!

Quer me parecer que daqui há mais uns dez anos as máquinas de lavar já terão wireless, entradas USB e bluetooth. Que medo! :P

SHARE:

18 março 2013

Candy Collection by GHD!

Estou a pensar seriamente em cancelar todas as subscrições de lojas onlines onde compro habitualmente. É que, todos os dias, sou bombardeada com mil e uma novidades e por mais que uma pessoa tente ignorar a maioria delas, depois há outras que ficam ali a martelar na cabeça...

Ontem recebi o mail com as novas pranchas (ou, como eu gosto de dizer: chapinhas) da GHD e fiquei apaixonada. Amo tons pastéis e acho que a colecção está um espanto!
Conheci as chapinhas da GHD por acaso, enquanto estava a ler uma pesquisa sobre "as três últimas melhores invenções da década" feita em Inglaterra e 23% dos britânicos responderam... GHD. E eu pensei: bom, mas que raio de sigla é essa?

Pesquisei sobre a GHD e descobri um mundo novo. É considerada a melhor chapinha do mundo, tem o poder de selar a cutícula do cabelo e deixá-lo com um brilho incrível! Lembro-me de virar Portugal do avesso para descobrir se havia algum ponto de venda da GHD mas nada, só há em Espanha.

Encomendei online a minha primeira GHD {esta} e fiquei maravilhada. Tenho um cabelo naturalmente encaracolado e sonho com cabelos lisérrimos e sem uma única onda, por isso, a GHD tem sido a minha melhor amiga.

Há cinco meses quando estive em Londres, os meus olhinhos brilharam quando vi a edição de natal da GHD e soube que ela tinha que ser minha. Estávamos na Selfridges e havia uma demonstação da GHD onde mulheres negras com cabelo pra lá de carapinha transformavam-se em divas de cabelos lisos num piscar de olhos. Enquanto eu ficava ali, abismada a ver a demonstração, o meu rapaz voltou com um embrulho vermelho e lá estava a minha chapinha. Foi das melhores prendas que já recebi, ando sempre com ela nas viagens e é assim um espanto.
Morri de amores por essa cor de menta (que está mais para azul do que para verde...) e, se os tempos fossem outros, era menina para fazer colecção da GHD e ter uma de cada edição especial. São tão maravilhosas... ;)
O preço de venda das novas GHD é de 169€. Caro, eu sei, mas se pensarem que poderão dizer adeus aos brushings nos cabeleireiros, é uma compra que compensa e muito!
SHARE:

14 março 2013

Ai, vida!

A minha vida transformou-se num frenesim sem fim nas últimas semanas... E eu ando sem tempo, cansada, com falta de sono (e eu sem dormir sou tipo um pequeno-monstrinho), daí a ausência por cá.

Hoje foi daqueles dias em que nada, absolutamente nada correu bem. Ora vejamos: um pneu furado logo pela manhã, um seminário em que me não falei nem 1/3 do que sabia e tinha estudado (e eu fico para morrer quando isso acontece...), a faculdade do M. a pôr mil e um motivos para atrasar a entrega do diploma dele (e ainda temos que autenticar tudo e reconhecer no Consulado para ele levar para o Rio), enfim...

Ando cansada, tão cansada. Em qualquer sítio que encoste, puft, adormeço ao fim de três minutos. Juro-vos. No trabalho ainda não disse nada sobre a ida ao Rio (só vou dizer no final de Abril) mas já me sinto uma traidora por ver toda a gente a depositar projectos na minha mão e afinal, olha, eu não vou estar cá.

Enquanto andava a pensar como vou conseguir transportar toda a minha tralha de Lisboa para o Rio (afinal, só posso levar 64kg de bagagem e isso éo peso dos meus pares de sapatos), e já andava a hiperventilar com a hipótese de só levar a roupa de verão e deixar cá toodo o resto para depois ir levando conforme vier cá de férias, uma amiga dá-me uma esperança: ah, e tal, porque não vais de cruzeiro para o Rio?

Oi?! Que história é essa de cruzeiro, pá? Fui investigar e até me brilharam os olhinhos. Diz que há cruzeiros MSC e Ibero que saem de Lisboa com destino ao Rio de Janeiro (e entretanto param em Tenerife, Açores, Salvador da Bahia e Recife antes), demoram 14 dias a chegar ao destino, a passagem custa cerca de 550€ e podes levar até 190kg cada pessoa. Aí sim! Acho que com 190 kg sou capaz de conseguir levar as minhas coisinhas todas (e entretanto, sempre tenho os, vá, 100kg que vão sobrar da bagagem do M.) e andei o dia todo com um sorriso enorme no rosto. Ok, nunca na vida fiz um cruzeiro mas era capaz de ser giro. É basicamente ao preço da passagem de avião mas com diferenças fantásticas: posso levar a minha vida nas bagagens, há piscina e ginásio e essa mariquice toda durante 2 semanas e ainda vou parando em sítios giros pelo caminho.

A parte difícil é convencer o menino M. a pôr os pézinhos num navio. Diz ele que "nem morto". E eu já até fiz olhinhos, e jurei que aquilo não abana e que o Titanic é coisa do passado. Mas até agora, nada. Há por aí quem já tenha feito algum desses cruzeiros e tenha assim um argumento supimpa para convencer namorados maricas?! :P

SHARE:

12 março 2013

wishlist de primavera | decor

É sabido que sou uma apaixonada por decoração. Descobri essa paixão há quase três anos e desde então passei a ver catálogos de decoração de interiores, a visitar sites estrangeiros sobre o tema e abriu-se um mundo novo para mim. Acho que não há nada mais gostoso do que chegar a casa e sentir aquela sensação boa de aconchego...

Sou suspeita para falar porque adoro o meu quarto e é lá que estou mesmo bem, onde acendo as minhas velas com cheirinho, onde espalho as minhas almofadas coloridas e sinto que estou, finalmente, em casa. Com a iminente chegada da Primavera, começo já a sonhar toques de cor e muitas flores no quarto. Gosto de mudar as fotografias nos porta-retratos, de mudar as capas das almofadas e não passo sem ter flores e velas espalhadas pelo cómodo. A pensar na nova estação, separei essa wishlist de objectos que adoro ter nesta altura do ano!
As minhas lojas preferidas em termos de decoração são a Zara Home, a IKEA (minha paixão), A Loja do Gato Preto Outlet (só coisas giras ao preço da chuva) e a CASA. Estou especialmente inclinada por alguns objectos da nova colecção da Zara Home, são tão a minha cara...

Já falei n vezes sobre o tema decoração aqui no blog mas para os mais distraídos, cá vai os cinco mais vistos: este, este, este, este e este. Enjoy ;)

Também costumam fazes estas pequenas alterações na decoração da casa, consoante as estações do ano? E lojas de decor daquelas mesmo imperdíveis, sugestões? Em breve terei uma nova casa para decorar e toda a vossa ajuda é preciosa!

SHARE:

10 março 2013

Ai chuva, chuva... deslarga-me, sim?

Então uma pessoa passa o sábado enfiada no Freeport, de onde sai com várias pecinhas giras para a nova estação (e tudo a preços simpáticos), decide usar um dos vestidos novos (com collants, obviamente) para ir jantar com as amigas e... o raio da chuva e do vento gelado teima em aparecer! E pronto, já não há vestido para ninguém.

Ao menos aproveito para fazer "a despedida" das minhas roupas de inverno porque no Rio não terei a mínima chance de usar botas e casacões. Ah, e se estão a pensar comprar roupinha para a Primavera com preços simpáticos, o Freeport é a escolha. A Lanidor está com vestidos liiindos, a Mango tem saias fantásticas e a acho que trouxe todos os tops giros que havia na Modalfa (tops a 3€, quem não quer?). Só coisinhas giras, meu povo.

SHARE:

09 março 2013

Amor sem limites é...

... receber uma chamada directamente do telemóvel da tua avó (no Rio, portanto), atender com o coração na boca e ouvir do outro lado:

- Oi, minha filha... Sabe o que a vovó acabou de encontrar? Uma foto de quando você era pequenininha... Sua tia colocou numa moldura e penduramos na parede do meu quarto. É aquela foto de quando você cortou a franjinha com a tesoura e a sua mãe quase teve um ataque, lembra? *gargalhadas*

Há bocado a minha tia enviou-me isto pelo facebook:
A fotografia tem quase 50cm de comprimento e não tem nada a ver com a decoração do quarto da minha velhinha mas a minha tia disse que ela fez questão de pendurar num lugar de destaque.

Já não se fazem mais amores destes. Daqueles para a vida toda. Te amo, vó!
SHARE:

08 março 2013

Ao que isto chegou...

No início da semana a minha supervisora enviou-me uma listagem de currículos que ela tinha seleccionado e pediu-me para agendar as entrevistas para segunda, entre as 14h e as 19h, com um espaço de meia hora entre cada candidata.

Okeey, lá fui eu tratar do assunto. Entretanto liguei para uma das candidatas mas chamava e nada dela atender. Insisti mais duas vezes e nada. Saltei para a próxima e assim sucessivamente até preencher todas as vagas para as entrevistas (num total de dez candidatas).

Umas duas horas depois, a tal senhora que não atendia o telemóvel ligou-me e o que se passou foi um bocadinho bizarro:

- Boa tarde, de onde fala?
- Boa tarde. É da empresa XYZ. 
- Ah, sim... É que tenho uma chamada perdida deste número, há cerca de duas horas atrás e gostava de saber o motivo.
- Diga-me o seu nome, por favor.
- É Ana Teixeira.
- Ah, sim, nós entramos em contacto consigo por causa de um currículo que nos enviou para a vaga X.
- Sim, sim, diga!
- Era para agendar uma entrevista consigo mas entretanto já não temos horários disponíveis.
- Desculpa? É assim, eu não costumo atender chamadas de números que não conheço mas não é justo que eu perca a entrevista por não ter atendido o telefone, não acha?
- Com certeza, eu compreendo mas de facto já não temos disponibilidade para marcar mais entrevistas porque já preenchemos todos os horários. Vamos fazer assim: se nenhuma das candidatas for seleccionada, nós entraremos em contacto consigo para agendar uma nova reunião, está bem?
- Não acho normal. Então uma pessoa não atende na hora em que ligam e está automaticamente desclassificada? Esses são os critérios de selecção desta empresa?
- Minha senhora, eu entendo que seja uma situação chata mas infelizmente não posso desmarcar as outras candidatas e também não posso encaixá-la porque simplesmente não tenho mais horários disponíveis. Lamento.
- Não, não lamenta. E sabe porque? Porque você está ai, com o rabo sentado e com um emprego. Por isso, desculpe, mas não venha dizer que lamenta. Boa tarde.

E simplesmente desligou o telefone. Fiquei tipo estátua a segurar o telefone enquanto tentava perceber o que raios se tinha passado. As pessoas estão a entrar num estado de desepero tal que assusta, a sério que sim. Imagino o desespero de estar meses a fio a enviar currículos, sem sequer uma resposta... Imagino o desespero de ver as contas a acumularem-se e não ter sequer uma perspectiva para as pagar. É triste demais. Fiquei assustada pela agressividade da senhora mas juro que compreendi e não consegui, sequer, ficar com raiva. =/

E, mais uma vez, comprovo que imensas pessoas deixam de atender números privados ou números desconhecidos e com isso, perdem montes de oportunidade. Enfim...

SHARE:

01 março 2013

Sou só eu?

... a ficar farta desta música? Epá, percebo a história que está por trás da canção, a luta do povo, o 25 de Abril e o escambaú mas vamos ter calma. Andar o dia todo a levar com o raio da música é que não. Já parecem os maquinistas da CP, que fazem tanta greve que já ninguém dá importância à paralisação. Essa banalização excessiva é que dá cabo de tudo.
Menos, senhores menos. 

E sim, amanhã lá estarei a dar a voz pela nossa causa. Mesmo com tanta merdinha e tanto nhé nhé nhé, ainda acredito neste país. Ainda.
SHARE:
© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig