08 março 2013

Ao que isto chegou...

No início da semana a minha supervisora enviou-me uma listagem de currículos que ela tinha seleccionado e pediu-me para agendar as entrevistas para segunda, entre as 14h e as 19h, com um espaço de meia hora entre cada candidata.

Okeey, lá fui eu tratar do assunto. Entretanto liguei para uma das candidatas mas chamava e nada dela atender. Insisti mais duas vezes e nada. Saltei para a próxima e assim sucessivamente até preencher todas as vagas para as entrevistas (num total de dez candidatas).

Umas duas horas depois, a tal senhora que não atendia o telemóvel ligou-me e o que se passou foi um bocadinho bizarro:

- Boa tarde, de onde fala?
- Boa tarde. É da empresa XYZ. 
- Ah, sim... É que tenho uma chamada perdida deste número, há cerca de duas horas atrás e gostava de saber o motivo.
- Diga-me o seu nome, por favor.
- É Ana Teixeira.
- Ah, sim, nós entramos em contacto consigo por causa de um currículo que nos enviou para a vaga X.
- Sim, sim, diga!
- Era para agendar uma entrevista consigo mas entretanto já não temos horários disponíveis.
- Desculpa? É assim, eu não costumo atender chamadas de números que não conheço mas não é justo que eu perca a entrevista por não ter atendido o telefone, não acha?
- Com certeza, eu compreendo mas de facto já não temos disponibilidade para marcar mais entrevistas porque já preenchemos todos os horários. Vamos fazer assim: se nenhuma das candidatas for seleccionada, nós entraremos em contacto consigo para agendar uma nova reunião, está bem?
- Não acho normal. Então uma pessoa não atende na hora em que ligam e está automaticamente desclassificada? Esses são os critérios de selecção desta empresa?
- Minha senhora, eu entendo que seja uma situação chata mas infelizmente não posso desmarcar as outras candidatas e também não posso encaixá-la porque simplesmente não tenho mais horários disponíveis. Lamento.
- Não, não lamenta. E sabe porque? Porque você está ai, com o rabo sentado e com um emprego. Por isso, desculpe, mas não venha dizer que lamenta. Boa tarde.

E simplesmente desligou o telefone. Fiquei tipo estátua a segurar o telefone enquanto tentava perceber o que raios se tinha passado. As pessoas estão a entrar num estado de desepero tal que assusta, a sério que sim. Imagino o desespero de estar meses a fio a enviar currículos, sem sequer uma resposta... Imagino o desespero de ver as contas a acumularem-se e não ter sequer uma perspectiva para as pagar. É triste demais. Fiquei assustada pela agressividade da senhora mas juro que compreendi e não consegui, sequer, ficar com raiva. =/

E, mais uma vez, comprovo que imensas pessoas deixam de atender números privados ou números desconhecidos e com isso, perdem montes de oportunidade. Enfim...

SHARE:

9 comentários

  1. Quem está a mandar cv's tem de atender números desconhecidos!!!

    ResponderEliminar
  2. So acho engraçado é as pessoas mandarem CV e depois nao atenderem numeros desconhecidos. Estao à espera de que? que o tlm adivinhe e escreva um nome?

    ResponderEliminar
  3. Realmente há situações que não se compreendem, melhor ainda é que ela até poderia ter outra oportunidade mas perdeu-a completamente com essas respostas!

    ResponderEliminar
  4. Completamente de acordo...é assustador o desespero em que as pessoas se encontram...lido com público na minha profissão e sente-se a pressão em cada ato ou cada gesto...parece que a qualquer momento algo vai rebentar...mas também tenho tido casos de pessoas que por tentarmos ajudar se sensibilizam até às lágrimas...Não trabalho em nada relacionado com assistência social ou recursos humanos e por isso essas reações limite em situações simples, mostram bem como tudo isto anda...Infelizmente acho que ainda vai piorar!
    Obrigada pelo testemunho!
    Excelente fim de semana!
    Maria

    ResponderEliminar
  5. Há tanto a dizer sobre a atitude da candidata, mas de facto quando se enviam cv's tem que se estar bastante atento ao telemóvel. Para além do que é bastante comum que as empresas não tenham os números identificados, especialmente em determinadas áreas.

    ResponderEliminar
  6. Juro que não entendo a panca das pessoas nao atenderem o telemovel. Tenho uma colea de trabalho que esta sempre a receber chamadas de um determinado numero, que nao conhce. E pura e simplesmente não atende, por favor, têm medo de que? É tão simples quant se não interessar, cordialmente, desligam. GRRR

    ResponderEliminar
  7. Nossa, entendo o desespero de tal senhora com sua reação desproporcional, mas será que ela só atende ligações de pessoas que já tem o número registrado em seu telefone? Se uma pessoa tem em média 300 números registrados, ela jamais irá atender qualquer convite para entrevista ou mesmo um amigo que ligue de um número que ela não conheça, não é? A lógica ás vezes, faz tanta falta nas pessoas...rs*.
    Beijos cariocas!

    ResponderEliminar
  8. Tb nunca entendi mto bem essa mania de n atenderem números q nao conhecem... É cada uma q aparece!

    ResponderEliminar
  9. Por um lado concordo que as pessoas que estão à procura de emprego devem estar sempre com o telemóvel perto, prontos para atender em qualquer momento.
    Por outro, há uma coisa que não entendo: se esta candidata estava na pilha de CVs para ligar, porque é que depois já não tinha horário para a entrevista? Houve outro candidato que ficou com a sua vaga de entrevista?

    Ana C.

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig