17 abril 2013

Particularidades da minha pátria-amada

Esses dias mandaram-me pelo facebook este artigo, escrito por um francês que mora há uns anos no Brasil e resolveu escrever 65 pontos que chamaram a sua atenção assim que chegou lá. Acho que daqui há um ano é bem capaz de ser o M. a escrever uma listinha dessas (ahaha) mas não pude deixar de me rever em diversas situações citadas pelo francês. É engraçado pensar que vivo em Portugal há quase 10 anos e em determinados aspectos, ainda continuo tão brasileira... Ora vejamos:

- Aqui no Brasil, não se pode tocar a comida com as mãos. No MacDonalds, hamburger se come dentro de um guardanapo. Toda mesa de bar, restaurante ou lanchonete tem um distribuidor de guardanapos e de palitos. [verdade... Não sou capaz de agarrar em nenhum alimento directamente com as mãos, sem ter um guardanapo - ou lenço de papel - pelo meio. Ando sempre com uma caixa de lenços na mala. Esquisitices]

- Aqui no Brasil, os casais sentam um do lado do outro nos bares e restaurantes como se eles estivessem dentro de um carro. [o M. de-tes-ta essa minha mania de sentar lado-a-lado e não de frente para ele. O homem revira os olhos, arfa mas é instinto, quando vejo já estou sentada ao lado dele e ele exclama: porque estás sentada deste lado? ahaha]

- Aqui no Brasil, praias bonitas não faltam. Porem, a maioria dos brasileiros viajam todos para as mesmas praias, Búzios, Porto de Galinhas, Jericoacoara, etc. [lembro-me perfeitamente de perguntar às minhas primas para que praia iríamos no feriado e ouvi-las em coro "Búzios, lógico". Mesmo sabendo que, fatalmente, apanharíamos um trânsito dos infernos e a praia estaria lotada, Búzios já é a nossa tradição. Vai entender...]

-Aqui no Brasil, não se assuste se estiver convidado para uma festa de aniversário de dois anos de uma criança. Vai ter mais adultos do que crianças, e mais cerveja do que suco de laranja. Também não se assuste se parece mais com a coroação de um imperador romano do que como o aniversário de dois anos. E ‘normal’. [eu sei, eu sei... somos uns exagerados do caraças em termos de festas de aniversário e as pessoas preparam tudo com meses de antecedência. Mamãe que o diga!]

-Aqui no Brasil, o Deus esta muito presente… pelo menos na linguagem: ‘vai com o Deus’, ‘se Deus quiser’, ‘Deus me livre’, ‘ai meu Deus’, ‘graças a Deus’, ‘pelo amor de Deus’. Ainda bem que ele é Brasileiro. [confesso! Falo muito algumas destas expressões no meu dia-a-dia, principalmente o "se Deus quiser" e "fica com Deus". Ter sido educada em colégios catolicos também tem destas coisas...]

-Aqui no Brasil, cada vez que ouço a palavra ‘Blitz’, tenho a impressão que a Alemanha vai invadir de novo. Reminiscência da consciência coletiva francesa… [ahahaha não pude deixar de rir. Yap, a blitz é a nossa "operação stop" e eu acho piada quando alguém fala "olha só, não vai por aquela rua ali não porque tem blitz!"]

-Aqui no Brasil, o polegar erguido é sinal pra tudo : “Ta bom?”, “obrigado”, “desculpa”. [fazia muuuito isso, mas depois desacostumei. Qualquer coisinha era motivo para fazer o sinal de "tudo legal?"]

-Aqui no Brasil, de vez em quando no vocabulário aparece uma palavra francesa. Por exemplo ‘petit gâteau’. Mas para ser entendido, tem que falar essas palavras com o sotaque local. Faz sentido mas não deixa de ser esquisito. [é uma verdade: somos terríveis em perceber palavras estrangeiras. Adaptamos tudo ao nosso jeito, ao nosso sotaque... O M., por exemplo, para ser entendido pela minha família do Rio teve que imitar um sotaque brasileiro manhoso caso contrário era ver o povo a reclamar: ai, o que é que ele tá falando mesmo?]

-Aqui no Brasil, os brasileiros se escovam os dentes no escritório depois do almoço.
[Ops! Fui apanhada de novo. Ando sempre com a minha pasta de dentes e escova na mala, sempre. Se faço alguma refeição na rua, é certinho que vou logo a seguir lavar os dentes. Ok, sou mesmo paranóica com isso. Amo dentes branquinhos e adoro o meu sorriso]


-Aqui no Brasil, quando encontrar com uma pessoa, se fala: “Beleza?” e a resposta pode ser “Jóia”. Traduzindo numa outra língua, parece que faz pouco sentido, ou parece um dialogo entre o Dalai-Lama e um discípulo dele. Por exemplo em inglês: “The beauty? – The joy”. Como se fosse um duelo filosófico de conceitos abstratos. [ahahaha este homem é um gênio, o que eu me ri com esta passagem!]

Só quem é brasileiro ou viveu algum tempo no Brasil é que consegue perceber estas pequenas peculiaridades do nosso dia-a-dia ;)

SHARE:

10 comentários

  1. Há dias tive amigas brasileiras, que moram no Rio, a visitar Portugal. Apesar de nos entendermos bem, havia expressões que deram gargalhada certa! Os estrangeirismos foram algumas delas, a minha cara de perdida quando elas falavam alguma coisa em inglês (IM-PER-CE-PTÍ-VEL!) era de morte, Deus sempre na ponta da língua e o hábito de escovar os dentes logo após comerem foram coisas que reparei logo.
    Agora que elas se foram embora, morro de saudades das expressões "putz!", "caraca", "oh meu Pai". E claro, quero ir ao Rio, o mais rapidamente possível. :)
    Uma história caricata, no aeroporto, no dia da partida delas, pediram-me para comprar algo num café,algo como "traidentxi". Primeiro que entendesse que o que elas queriam eram caixas de pastilhas elásticas, fiz uma cara de "lost in translation", e caímos as três na gargalhada quando eu disse: "Ahhhh, pastilhas! TRIDENT"! Adoro, adoro o sotaque, a forma de estar e olhar o mundo delas.
    Vir aqui ler-te ajuda a matar um bocadinho as saudades. :)
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Vera, é verdade, há uma verdadeira coletânea de palavras tipicamente cariocas que mais ninguém entende ehehe. Eu adoro falar essa do "putz", acho um piadão! Espero que vás conhecer o Rio em breve, é uma cidade encantadora (tá, eu sou suspeita pra falar ahaha).

      Sobre o Trident, nossa, também já me aconteceu no início. E mais n coisas que eu falava da maneira carioca e as pessoas olhavam-me com cara de "wtf? o que esta maluca está a querer dizer?" Hilário! ;) Beijinhos

      Eliminar
  2. A dos guardanapos em Portugal tb não é assim tão diferente. Praticamente em todos os cafés há uma caixa de guardanos na mesa, no resto da Europa já não é assim. Estou na Bélgica e faz-me imensa confusão como são "poupados" nos guardanapos. Nunca há na mesa e várias vezes, a não ser que peça, nem dão.

    E algumas coisas da lista devem variar conforme a zona do Brasil, não? Tenho um amigo de Curitiba, a quem mostrei a lista há uns dias e por exemplo, na dos casais sentarem lado a lado, ele diz nunca ter visto tal coisa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mini, é verdade, dos países da Europa, Portugal ainda é dos poucos que usam bastante o guardanapo. Londres, por exemplo, é uma desgraceira e toda a gente come tudo directamente com as mãos.. nojo!

      Bom, Curitiba é região Sul e lá eles são muito parecidos com os europeus: clima, modo de ser, sotaque... daí, acredito que alguns gestos, como esse de sentar frente a frente, seja originado dos europeus que foram pra lá viver.

      Eu sempre sentei lado a lado e para mim custa estar sempre a policiar-me para sentar do jeito "certo" ;D

      Eliminar
  3. A dos guardanapos e das expressões com Deus também acontece em Portugal!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, é claro. Eu não disse o contrário, só disse que são coisas bem típicas do Brasil, do tipo: quase toda gente por lá faz isso ;)

      Eliminar
  4. esse de lavar os dentes não acho que seja só no Brasil. pelo menos nos dois sítios onde trabalhei, quase todas as pessoas faziam isso. e eu também faço :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É claro que não é exclusividade do Brasil, mas por lá já é quase tradição e por cá, apesar de algumas pessoas o fazerem, não é tão comum. Por exemplo, em todos os sítios onde já trabalhei, sempre fui a única a andar agarrada à escova e a ter o hábito de deixar uma pasta de dentes na casa de banho do escritório. E ainda ralhavam comigo, do tipo: mas que mania é essa de estares sempre a lavar os dentes? e eu lá respondia: não é sempre, é só toda vez que como. Tipo...dãã!

      Ainda bem que o fazes, é um dos melhores hábitos que podemos ter ;)

      Eliminar
  5. O que eu acho fascinante é ser um francês (que são conhecidos pela sua higiene duvidosa) a escrever sobre o "loucos" comportamentos brasileiros como escovar os dentes depois do almoço ou usar guardapano para não comer com a mão! heeheheh

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahaha não querendo ser mázinha, pensei exactamente o mesmo que tu. Os franceses não são lá muito famosos pela sua higiene (antes pelo contrário), logo, é motivo de riso um francês estar a comentar o excesso de higiene dos brasileiros :P

      Eliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig