07 maio 2013

Ah e tal, mas é gourmet!

Há dias comprei um voucher para um jantar todo XPTO num restaurante com estrelinhas Michelin, pratos gourmet e o escambáu. Não sou nada de comer nestes sítios mas fiquei com vontade de experimentar e ver se são tão bons quanto metade da blogosfera fala. Lá fomos, eu e o homem, experimentar o tal lombo de cabrito assado com marmelos confitados com cardamomo e pincelados com trufas do Oriente Médio (vá, o prato não era esse mas o nome era tão pomposo quanto).

O M. torceu logo o nariz e disse que com a fome que ele estava, era bem capaz de comer meia perna do tal cabrito das montanhas e eu só me ria e esperava que, no fundo, o jantar corresse bem.

Quando serviram o nosso prato, era qualquer coisa como isto (eu juro-vos que queria ter tirado foto mas fiquei tão sem graça que desisti):

Meus amigos, o que é isto? Sejamos sinceros: que tipo de pessoa conseguiria jantar com apenas isto no prato? Está bem decorado e é visualmente atractivo, sim senhor. Mas eu não como com os olhos, eu como mesmo com a boca e esperava muito mais (literalmente).

Ainda pensei: bom, vem poucochinho mas de certeza que será o melhor prato que já comemos e o sabor deve ser delicioso, amor, não faças essa cara. 

Não era. Era um sabor normal, vulgar... Quer dizer, tanto estardalhaço e divulgação num jantar em que comi uma ervilha e uma folha de alface, mas, calma lá, foram confeccionadas por um chef com estrelinhas Michelin!

Não tenho paciência para estes jantares snobs, está visto. Saimos de lá e fomos direto ao Mc Donald de Carnaxide (que, graças aos santinhos, fica aberto de madrugada) enfardar um CBO. Não somos um casal de classe, essa é que é. Pobretanas que somos, pá!

SHARE:

6 comentários

  1. Ah ah comigo tem de ser prato cheio também:))

    ResponderEliminar
  2. Se tu soubesses o quanto me identifiquei com este post! Há uns tempos também convenci o meu namorado a jantar uma cena gourmet (que, por acaso nos custou os olhos da cara) para no fim aquilo não ser mesmo naaaaaaaaada de especial. Acabámos no meu chinês preferido a comer comida de gente. Decididamente não nascemos para ser chiques (ou hipócritas). :p

    ResponderEliminar
  3. Esses restaurantes não são para mim (e para ele!). Experimentamos uma vez e bastou.

    ResponderEliminar
  4. Nada como ir ao "Zé Pinto", em Carnide e comer o óptimo arroz de feijão com entrecosto e as batatas fritas deliciosas.

    Caracóis Indomáveis

    ResponderEliminar
  5. hahahah completamente de acordo contigo... prato cheio é que é interessante :D

    ResponderEliminar
  6. Então já somos muitas :D! Eu e o macho lá casa somos igualzinhos. Não que eu seja um bom garfo (ele sim) mas não gosto do ambiente de formalidade que por lá se vive. Nós também somos assim :D para o pobre!

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig