29 julho 2013

Como envelhecer dez anos em dois dias:

O sábado começou com um telefonema vindo do Rio de Janeiro, da minha tia: diz que a minha avó está com a tensão altíssima, que o cardiologista já lhe mudou a medicação mas o raio da tensão cisma em não baixar e que ontem a avó passou mesmo muito mal. E eu entrei logo em stress, não conseguia segurar o choro e não sosseguei enquanto não ouvi a voz dela, baixinha por causa da medicação, mas sem perder o bom humor: "fica tranquila que ainda não é dessa que eu vou empacotar... Ainda vou mudar a fralda dos teus filhos, deixa de ser chorona senão eu me levanto desse hospital só pra ir aí te dar uns cascudos" e não pude deixar de rir. Depois conversei com o cardiologista e fiquei mais animada. Nos entretantos, ela já está em casa e há bocado, quando lhe liguei, disse que estava "comendo um pãozinho com queijo minas e bebendo suco de laranja" enquanto lia o jornal O Globo. Essa é a minha velha ;)

Para encerrar o sábado, estava eu deitada a ver uma série quando o telemóvel tocou: "Boa noite, fala o comandante Correia, da esquadra de Benfica..." e pronto, ali na parte do "comandante Correia" em diante, já tinha deixado de ouvir. Em uma fracção de segundos, todo um rol de desgraças passou-me pela cabeça. O Pê e mamãe não estavam em casa (ela estava no supermercado, de carro; ele tinha ido à casa de um amigo, de mota) de maneira que fiquei estática enquanto o policial continuava: "tenho aqui comigo o Pê, que acabou de sofrer um acidente de mota e está a entrar agora na ambulância. Precisamos de alguém da família." e eu, já a chorar baba e ranho, no auge do nervosismo, pergunto-lhe: é para (soluço) reconhecer o (soluço) corpo? ao que o homem responde: "não, minha senhora, ele está apenas com algumas escoriações e os senhores do INEM já estão a tratar de tudo. Mas a mota não liga e é preciso alguém para vir tratar do assunto". Ai, senhores, envelheci dez anos num espaço de cinco minutos. A sério...

E hoje pela fresquinha, liga-me a minha médica a dizer que temos que refazer as análises ao sangue porque "ela não está a gostar nada do que está a ver" e eu pergunto-lhe logo qual é o problema, ao que ela responde-me que é qualquer coisa com a glândula tireóide mas que é para eu passar no consultório dela ao final da tarde para refazermos tudo. 

E eu, que sou uma maricas do pior com pavor a doenças, já ando aqui a panicar e a pensar em mil e uma doenças e a começar a separar os meus bens para o espólio do testamento. Pelo meio já li montes de artigos sobre hiper e hipotireioidismo e não sei o que faça. Isto está bonito, está.

E boas notícias, não há? - perguntam vocês.


Ontem fui fiscalizar as obras no apartamento e já temos casa pronta, yey! Os senhores das obras terminaram de lacar os rodapés de branco, as portas também e mudaram as maçanetas para o dourado. O chão foi afagado, entretanto chegaram os electrodomésticos que faltavam e estou em pulgas para mudar logo. Sim, que com tanta coisa chata ao mesmo tempo, eu já merecia uma compensação, não? :P
SHARE:

5 comentários

  1. Anne, tu não fazes a coisa por menos!
    "reconhecer o corpo?!" lololol q exagero! mas, claro q é um susto receber um telefonema desses. Motas são um perigo!
    Em relação a tireóide, tudo passa pela alimentação!
    vai dar tudo certo!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Tão mas tu não ias ivier para o Brasil?

    ResponderEliminar
  3. Pode ser que seja falso alarme com o problema da tiróide. Numas análises ao sangue também vinham uns valores alterados e fiz dois exames específicos e deu tudo bem.

    Boa sorte*

    ResponderEliminar
  4. Olá Anne, posso-te perguntar se estás satisfeita com esses senhores que te fizeram as obras? Preciso de mudar umas coisas em minha casa e não conheço ninguém de confiança... :)

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig