30 setembro 2013

A minha dupla preferida para os próximos meses:

As botas de cano alto e os lenços. Amo botas até o joelho [acima disso é que não - acho muito Julia Roberts para o meu gosto] e os lenços são já uma paixão antiga. Complementam qualquer look na perfeição, tornam tudo mais vistoso, mais chique e eu não passo sem um ao pescoço. Estou apaixonada pelo padrão deste novo lenço, com desenhos de flores em tons de castanho e cinzento. Comprei-o no ebay [junto com mais não sei quantos, que aquilo é um antro de perdição] mas por agora só recebi este. Os outros ainda estão a caminho.

Já as botas foram uma recente descoberta. Comprei-as nos saldos de inverno da Parfois, no ano passado. Usei-as duas vezes e arrumei-as na arrecadação porque entretanto o calor chegou. Já nem me lembrava delas até que ontem, ao procurar umas mantas na arrecadação dou com as ditas a olhar para mim. Sabem aquela sensação de terem ido às compras mas sem sair de casa? Adoro!

SHARE:

29 setembro 2013

Ebay // comprinhas para a Canon

Contei-vos neste post o trágico acidente que se deu com a minha Canon e, moça prevenida que sou, tão logo recebi a minha bebé intacta e de boa saúde, corri para comprar mil e um acessórios para manter a minha máquina em segurança. Alguns já estavam na minha wishlist há que tempos (como os filtros polarizadores e uma nova fita para pendurar a máquina) mas o tempo foi passando e nunca mais me lembrava de comprá-los (e sempre que procurava por eles nas lojas de shopping - Fnacs e afins - o preço era tão alto que uma pessoa desanimava).

Acabei por comprar tudo no ebay e apesar de ainda só ter recebido metade das encomendas, venho mostrar-vos os meus acessórios de fotografia:
A primeira coisa que comprei foi um protector para o écrã, em vidro (ainda pensei nas películas mas aquilo não protege contra quedas) e bastante resistente para evitar que o LCD volte a partir em caso de queda (esperemos que não seja necessário mas...).



Depois foi a vez de proteger as lentes e para isso, nada melhor que os parasóis... Hesitei entre o modelo tulipa e o cilindríco (que acho um monstro de tão grande) mas como não estava convencida, acabei por comprar os dois (ahahaha). Comprei para a lente de 50mm (tamanho 52) e para  55-250 (tamanho 58).


Posto isso, foi a vez dos filtros polarizadores que, segundo os entendidos em fotografia, são uma pequena maravilha e melhoram a saturação das cores, o balanço de brancos e mais n firulas. E além disso, protege a lente contra choques externos.



E pronto, parece-me que agora tenho uma máquina toda "tunada", como diz o namorado. E ainda me faltam chegar algumas coisinhas:

Prontinho... Se a máquina cair de frente, temos o parasol a proteger a objectiva. Se cair de "costas", tem o protector do LCD para evitar maiores danos. Só não pode é cair de lado, senão estou tramada...

P.S: O link dos vendedores:
- Vendedor do protector de LCD: este
- Vendedor do parasol: este
- Vendedor dos filtros: este 

E vocês, também costumam comprar acessórios tecnológicos online?

P.S: Este post já estava pronto há uns dias, pelo que neste momento já recebi todos os artigos que faltavam (e que estão na imagem acima). Mostro-vos noutro post.
SHARE:

28 setembro 2013

Surreal

Fui ao Pingo Doce logo de manhã comprar alguns ingredientes que faltavam para fazer um salpicão para o almoço [depois do M. quase se ajoelhar a implorar e da Vi fazer olhinhos, não tive como negar]. Comprei tudo aquilo que precisava e voltei para casa. Depois do frango desfiado e na altura de misturar a cenoura ralada, surpresa... a cenoura vinha completamente estragada!

Normalmente compro a cenoura e deixo para ripar em casa mas como quis facilitar [e poupar tempo], optei por comprar aquele saco de cenouras que já são ripadas, prontas para pôr na salada. Pois bem, quando abri o saco, ia desmaiando com o cheiro daquilo... quase podia ver as bactérias fazendo a festa na cenoura! Fui ver o prazo de validade da embalagem e, adivinhem? Era só até dia 29 de Setembro, ou seja, terminava amanhã. Fiquei possessa.

Uma pessoa toda empolgada a cozinhar, de avental posto [sim, que eu raramente cozinho mas quando o faço, é todo um acontecimento] e descobre que um dos ingredientes está estragado. Bonito. Saí porta afora e fui, chateadíssima, novamente ao Pingo Doce, com o talão da compra [comprado há duas horas] e o saco de cenoura estragado atrás.

Pedi para falar com a responsável de loja e expliquei, calmamente a situação:
- Bom dia, há cerca de duas horas comprei estas cenouras mas assim que abri o saco, percebi que estavam estragadas... 
- Estragadas? [olhou-me como se eu fosse uma atrasadinha]
- Sim, veja... [e espetei com as cenouras mal cheirosas na cara da mulher]
- Pois, já percebi. É do calor.
- Desculpe mas está a chover e para além disso, o prazo de validade termina amanhã, acho que deveria ao menos haver um papel qualquer a assinalar isto. Imagina que uma pessoa compra as cenouras para fazer uma salada na segunda? Já a validade teria vencido...
- Compreendo, nós tentamos sempre avisar aos clientes das validades, aliás, nos iogurtes até colocamos um autocolante mas como deve compreender são muitos artigos para controlar diariamente.
- Sim, mas veja, como cliente fiquei muito chateada de comprar um alimento com apenas um dia para terminar a validade, sem qualquer tipo de sinalização sobre esse facto e ainda tive que sair de casa e voltar ao Pingo Doce para trocar o artigo... 
- Claro, nós vamos já trocar a cenoura, não se preocupe.
- E quanto às restantes cenouras que estão ainda à venda, todas com prazo de validade até amanhã? Vão continuar na loja?
- Sim, como disse antes, não somos obrigados a sinalizar o prazo de validade. Cabe ao cliente verificar e, não estando o prazo vencido, podemos vender os artigos.

Fiquei chocada. Pensei imediatamente naquelas velhinhas que compram os legumes todos para a semana e, coitadas, vão acabar por levar com cenouras quase-vencidas. Péssima a postura do Pingo Doce, acho que deveria ao menos haver um rigor maior, do tipo, quando faltar menos de cinco dias para um produto vencer colocarem um aviso qualquer, um autocolante, eu sei lá! Sei é que fiquei fula da vida de perder quase uma hora nessa brincadeira de ter que pegar no carro e voltar ao mercado para reclamar. E nem um pedido de desculpas ouvi! Surreal...

P.S: Deviam fazer como o Lidl que ao menos sinaliza os artigos cujo prazo de validade vence em breve e ainda faz descontos de 20 ou 30% sobre o preço, de modo a alertar os consumidores. Adoro o Pingo Doce, é o meu sítio para fazer compras mas já começo a ficar zangada com essa postura... E eu que nunca vejo a validade de nada, agora vou começar a andar em cima disto! Arrrgh! 

SHARE:

27 setembro 2013

A tal da capa by John Rocha at Debenhams

Há dias contei-vos neste post que andava obcecada com as capas para este Outono. Queria porque queria uma capa para esta estação mas todas as que via eram em materiais manhosos (chinesices) e desisti da idéia de comprar online, afinal, daqui a nada a Zara e H&M devem acabar por vender algo do tipo.

Mas então lembrei-me de pesquisar nos leilões de Inglaterra no ebay e encontrei a tal. Do jeitinho que eu queria: cor, tecido, corte.. parecia feita para mim! É de uma colecção especial do designer John Rocha para a loja inglesa Debenhams e custava 89€ (é da colecção do ano passado). 100% algodão, cor bege, dupla fileira de botões, corte impecável, cintada, enfim... a minha cara. Arrematei-a no leilão por míseras 8.50£ e até dei saltos em casa! Nunca foi usada (trazia ainda a etiqueta) e a senhora recebeu de prenda no natal passado mas parece que não gostou do modelo. Sorte a minha ;)

O modelo esteve disponível em bege claro e em taupe, a minha é a mais clara e estou completamente in love com ela. Tecido maravilhoso, encorpado, botões com a assinatura do designer, enfim, um artigo de excelente qualidade e por um preço irrisório.







O único inconveniente é que comprei o tamanho "large", porque queria que a capa ficasse assim mais largueirona para destacar bem a cintura com o laço mas esqueci-me que o L de Inglaterra é generoso e vou precisar apertar um bocadinho nas costas mas nada de especial. Continuo a achar que vale muito a pena comprar no Ebay, principalmente se forem marcas mais caras e que não existem cá (os leilões são excelentes para isso). E como agora parece que o Outono veio mesmo para ficar (a chuva é que era escusada), cheira-me que vou andar com esta capa tipo segunda-pele. Adoro-a!

P.S: Eu sei que estou com montes de comentários em atraso e mails por responder mas prometo-vos que no fim-de-semana trato disto, sim? Como os meus posts são quase sempre agendados, normalmente quando eles são publicados estou a trabalhar e assim, por isso, só consigo responder mesmo no fim-de-semana - a vida anda corrida por estes lados (e ainda bem)!
SHARE:

26 setembro 2013

Estou apaixonada...



... por estas botas! Sou apaixonada por botas, é verdade, e se pudesse usava-as em todas as estações do ano. [aliás, quando vivia no Rio cheguei mesmo a usar umas botas até o joelho num inverno de... 25 graus], por isso, a minha paixão por botas é antiiiiga.

Andei a pensar se investia numas botas boas [leia-se: em pele] ou se comprava umas mais baratas e deixava para comprar outra melhorzita no auge do inverno. Pensei, pensei... e acabei por investir num bom par, para me durar muitos e bons anos. Uma das maiores mudanças que reparo em mim, nos últimos tempos, é precisamente isso: valorizo muito mais a qualidade do que a quantidade. Se antes preferia comprar 3 pares de botas na Primark a 25€, agora mais depressa pago 75€ num único par que, sei bem, vai durar horrores. Não adianta, meus amigos, a qualidade paga-se.

[atenção: não estou a dizer que nunca mais compro nada na Primark, que continuo a comprar acessórios e outras coisinhas baratas mas para sapatos e roupa de inverno, não acho que compense - já vi por lá sobretudos a 45€ e 100% poliéster então... no way]

Por isso, assim que vi estas botas à venda numa loja online, em pele e no meu simpático número [o 40!] não hesitei e comprei-as. Paguei 75£ [+-85€] e já estão à caminho. Os portes ficaram por conta da loja e segundo o tracking number, chegam amanhã à minha casa! Provavelmente serei a única pessoa a pensar assim mas... Outono, venha que vou lhe usar!

P.S: Assim que as botas chegarem, mostro-as e indico o site onde as comprei. Vocês sabem que eu sou desconfiada e detesto passar informações erradas por isso só recomendo alguma loja depois de experimentar e comprovar que vale mesmo a pena ;)

SHARE:

25 setembro 2013

É para rir, certo?

Ontem preparei um jantar especial para o meu rapaz (momentos especiais pedem comemorações à altura). Quando ele chega, diz que tem uma surpresa para mim. Okeeey. Para me atiçar, diz que está na mala do carro e só quando terminar o jantar é que a vai buscar (morro de curiosidade, daí ele fazer sempre isso - argh).

Quando terminamos o jantar foi ao carro e voltou com isto:


A mala que eu andava a namorar há que tempos [esta] e um bilhete super querido: "Tenho duas notícias para ti, uma boa e outra má. A boa  tu já sabes: vais passar uma semana numa das tuas cidades preferidas. A má é que toda a tua tralha vai ter que caber nesta mala de cabine". 

É para rir, certo? Sim, porque se a cidade preferida for Paris [que eu tenho cá um feeling...], essa mala de cabine mal vai dar para eu trazer os meus Biodermas, os Embryolisses e as velinhas Dyptique... Mas como não quis assustá-lo, apenas sorri, agradeci e fingi que sim senhor, vai tudo ai dentro arrumadinho, não te preocupes amor. 

Deve ser, deve. Ainda estou para perceber como alguém consegue viajar apenas com uma mala desse tamanho [confesso, tenho uma certa inveja]. É que, a não ser que a pessoa vista-se sempre com leggings e passe todos os dias da viagem com o mesmo sobretudo/botas, não estou a ver como a coisa pode se dar. Isso sem falar na restrição de líquidos em bagagens de mão. E os cremes, produtos de beleza, perfumes...? Ah, não me lixem.

[lembro-me tão bem do drama que foi em Londres... Viajei com uma mala de porão tamanho médio (61cm de altura) para três dias de viagem. No último dia, já nada cabia na mala (entretanto comprei montes de coisas) e não tive remédio que não negociar o preço de uma mala manhosa em plena Oxford street só para conseguir trazer as minhas coisinhas para Lisboa. Namorado de trombas, "como é possível? só estamos aqui há três dias e já tens que comprar outra mala!"

Por isso, conhecendo o meu potencial para "multiplicar coisas" em viagens... não sei se o M. faz bem em confiar que eu vou passar 6 (seis!) dias a viajar com uma mísera malinha de cabine. É para rir, certo?

SHARE:

24 setembro 2013

Do famoso "jeitinho brasileiro"

Antes de mais, obrigada pelas mensagens e comentários no último post, é muito bom receber esse feedback de quem nos lê ;)

Quanto a Vi, ela está melhor, tem um jeito muito próprio de lidar com a situação e simplesmente... evita o assunto. Ainda cogitamos a hipótese de ir ao Rio mas para além da Vi estar em aulas, seria um enorme gasto de dinheiro para ficarmos apenas uma semana - e por motivos tão tristes, vai daí, achamos melhor manter os planos e irmos só no aniversário da avó, daqui há uns meses.

A parte complicada da coisa é a enorme burocracia para tratar de tudo à distância. Por exemplo, na sexta-feira precisei ligar ao cartório (vulgo notário) do Rio para solicitar uma cópia da certidão de óbito do Edu, para averbar na certidão de casamento da minha mãe (já que ela nunca chegou a estar divorciada) e começou a ladainha do costume:

- Ah mas isso demora... Vai demorar mais ou menos duas semanas para conseguirmos emitir uma segunda via. A senhora tem muita pressa?
- Por acaso tenho, é que eu estou fora do país e esta certidão ainda vai precisar passar pelo Consulado de Portugal antes de vir para mim.
- Humm, entendi. Bom, eu posso conseguir apressar os trâmites, porque a senhora sabe né? Dependendo da situação ($) dá pra gente pegar um atalho e evitar essa demora toda. Ainda mais a senhora estando em outro país...
(a sério, eu mereço? Uma situação dessas e o homem a pedir dinheiro por fora para me dar o raio da certidão)
- Certo, e quanto seria para apressar o processo?
- Ah, uns 300 reais, só pra garantir a cervejinha do fim-de-semana. 

Sem palavras. Fiquei chocada com a lata do sujeito, disse-me assim, sem meias-palavras... um abuso! Eu sou uma pessoa muito confiante por natureza mas digo-vos: o Brasil não tem jeito. Não tem. As pessoas queixam-se dos políticos corruptos mas no dia a dia fazem tal e qual: exigem dinheiro para tudo! Há sempre um jeitinho de dar a volta, há sempre maneira de escolher um caminho alternativo... desde que se pague. Nojo.

SHARE:

20 setembro 2013

o último abraço.

Uma vez perguntaram-me o porquê de eu ser tão melosa e efusiva com os meus. O porquê de nunca desligar uma chamada telefónica com a avó, por exemplo, sem soltar um: velhinha, eu te amo tantooo!, mas porquê, porquê tens que ser tão melosa...? - perguntam-me. A resposta é simples: só se vive uma vez e eu não quero desperdiçar a chance de reforçar para as minhas pessoas o quanto elas são especiais para mim e o quanto a minha vida seria chata sem elas. Nunca sabemos quando será a última vez. É sombrio, mas é verdade. Eu não quero deixar nada por fazer, nada por dizer.

Na quarta-feira soube que o pai da Vi sofreu um infarto fulminante e coube a mim dar a notícia à minha mãe. Foi a coisa mais difícil que já fiz na vida.

Olhava para ela e só conseguia chorar, uma dor inexplicável. Doía tanto... Em dez anos que vivo em Lisboa, esta foi a primeira vez que perdi alguém da família e nunca imaginei que seria tão difícil. A minha mãe está completamente de rastos, afinal, foram casados por 14 anos e estavam separados há apenas dois. A princípio não queríamos dizer nada à Vi mas depois as pessoas começam a enviar mensagens no facebook e seria pior para ela descobrir por outra fonte, por isso, não pudemos esconder por muito tempo.

Era capaz de fazer qualquer coisa para não ver a reacção da minha irmã quando soube. Foi horrível, ela só chorava e abraçava-se a boneca que ele lhe deu ano passado e dizia: "não, não... o meu pai não". Não há maneira suave de dizer a uma criança uma coisa destas. Por mais caminhos que se tente, é sempre difícil. Disse-lhe que teria sempre a mim, ao mano, a mãe; que vamos estar sempre juntinhos; que o pai dela está lá no céu a olhar para ela e a amá-la da mesma forma de antes.

As palavras não ajudam muito nesta hora. Nada faz sentido, nada consegue consolar. O Eduardo casou-se com a minha mãe quando eu tinha 9 anos. Foi mais pai para mim do que o homem que me pôs nesse mundo. Foi pai em todos os sentidos: ia em todas as reuniões no colégio, ia ao cinema, brincava comigo, fazia questão de sair aos fins-de-semana para irmos ao shopping comprar qualquer coisa, esteve sempre pronto para mim quando precisei. Foi um verdadeiro pai, no amplo sentido da palavra, para mim e para o Pê.

Dói lembrar o quanto ele quis que a minha mãe voltasse a engravidar (tentaram 4 inseminações artificiais), a alegria que ele sentiu quando finalmente vimos o resultado da ecografia e lá estava, aquele coraçãozinho pequenino. Ele ficou maluco quando a Vi nasceu! Era a filha adorada dele, a mais desejada. E, apesar de já ter 48 anos quando ela nasceu, ele sempre acreditou que a veria adulta, formada, casada... E de repente, tudo aquilo que ele planeou para a pequena princesa foi roubado por um infarto estúpido.

Tantas e tantas vezes falámos para ele moderar a alimentação, o churrasco, para controlar o colesterol. Que nada... entrava por um ouvido e saía pelo outro. Mesmo depois de um AVC e um infarto, ele continuava a dizer que só estava bem quando tinha um bom pedaço de picanha no prato. Nós já imaginávamos um desfecho assim. Mas nunca pensamos que seria tão cedo.

A despedida da Vi, horas antes de entrar no avião rumo à Lisboa. [29.12.12 - Rio de Janeiro]

E no final de tudo, restam apenas as lembranças. Dos momentos especiais, do carinho, da atenção... A vida é efêmera mas as lembranças, essas, são eternas. Obrigada, Edu. Por tudo o que fez por mim, por tudo o que me ensinou... E por ter me presenteado com a irmã mais carinhosa, mais incrível e companheira do mundo: a nossa princesa. Que Deus nos dê a sabedoria necessária para educá-la e transformá-la numa adulta que vai te encher de orgulho, aí no céu. Até um dia.
 
SHARE:

18 setembro 2013

Mistérios indecifráveis

No fim de semana estávamos a ver uma série quando adormeci no sofá e ao acordar, vi-o no computador a escrever qualquer coisa. Assim que me levantei do sofá ele baixou a tampa do portátil. Ui, que todas as sirenes apitaram dentro do meu cérebro!

Fiquei logo com a anteninha ligada... Se é verdade que confio no M. de olhos fechados, também é verdade que jamais perdoaria uma traição da parte dele, caso viesse a acontecer #dramaqueen.

Vai daí, fiquei uns minutos a pensar: mas que raio que ele está a tentar esconder? e como detesto ficar agoniada, perguntei-lhe directamente:
- Porque baixaste a tampa do portátil quando eu acordei?
- Eu? Nem reparei que tu tinhas levantado (ai, como ele mente mal)
- Não mintas. O que estavas a fazer que eu não posso saber?
- Nada, amor. Estava a ver um jogo e quando terminou, desliguei o pc.
- Sim, claro... e calhou do jogo terminar mesmo no segundo em que me levantei do sofá? Ouve...
- Porra, uma pessoa não consegue esconder nada de ti, caraças! Devias trabalhar para o FBI! Estou a preparar uma surpresa mas como sei que és uma curiosa do pior, não queria que soubesses de nada antes da hora.
- Surpresa?! Hummm não sei se acredito...
- Ai é? Então olha só:

E abriu a tampa do écrã. Era um site de reservas de vôos. O coitado a programar uma viagem romântica e eu com mariquices. Oh, God!

Nos entretantos, já me fartei de insistir para saber mais coisas, do tipo: quantos dias? qual o país? quando vamos? e tudo o que consegui arrancar do homem foi: são 5 dias, vamos em Outubro, é uma capital européia e mais não digo.

Não se faz. Logo eu, que adoro programar as viagens com dias de antecedência, fazer roteiros, comprar de antemão o ingresso dos museus/teatros... agora vejo-me aflita. Não sei, sequer, em que dia de Outubro vamos. Logo, não faço a mínima idéia de que roupa levar (será que já vou ter que levar casacões?), não sei nada, rigorosamente nada... Ai, que afliçãozinha. (e ao mesmo tempo, que felicidade! Não há coisa neste mundo que eu goste mais do que viajar... mal posso esperar!).

[já tentei usar tooodas as minhas tácticas de persuasão (que sempre resultaram) para fazer o homem abrir a boca mas... que nada. Está quieto como um rato e diz que tenho mesmo que aprender a esperar... pelos vistos, perdi parte do meu encanto]
SHARE:

Esta gente dá cabo da minha reputação:

Digo a todos que estou mudada, que só vou comprar o essencial, aquilo que faz mesmo falta... que a antiga Anne, a compradora inverterada, essa faleceu e deu lugar a uma pessoa poupadinha e económica. E como que a confirmar as minhas palavras, ontem o senhor dos CTT tocou à porta da empresa para entregar um embrulho. E era isto:

Assim que abri a encomenda, tinha três pares de olhos consternados a olhar para mim, como que a pensar: "coitada, esta precisa mesmo de tratamento... agora deu-lhe para comprar uns óculos de cada cor" e eu ali, com um sorrisinho amarelo a exclamar: estes não são para mim... [acho que ninguém acreditou]

Por isso, Marisa, Karina, Joana e Carol, só mesmo muuuito amor por vocês para me fazer encomendar os vossos óculos e depois ser taxada de maluquinha no trabalho. Exijo uma compensação moral. Hunf =/

Os óculos são imitações [quase] perfeitas dos Prada Baroque e comprei o meu em preto, há uns meses no ebay. Há de todas as cores possíveis e custam à volta de 1,50€. Ficam super bem no rosto, adoro o detalhe da lateral ;)
SHARE:

17 setembro 2013

Um cheirinho a Outono...


Hoje mostro-vos algumas das minhas recentes compras para a próxima estação... Por mais cliché que possa parecer, amo vestir-me em tons de camel, rosa antigo, mostarda e castanho durante os meses de Outono. E tenho que controlar-me porque senão corro o risco de comprar tudo nestas cores e depois não se aguenta. No fim-de-semana trouxe estes três itens que são essenciais na nova estação:

1// Blusão camel da C&A [59.99€] - Fazia-me falta um blusão deste estilo para aqueles dias em que já está algum frio mas ainda é cedo para os sobretudos de lã. E além disso, adoro o corte do blusão, com o fecho de lado em dourado. [e como comprei-o com 23% de desconto, foi mesmo um grande negócio]

2// Lenço com padrão da VAGG  [5.99€] - Sou apaixonada por lenços ao pescoço (quanto mais comprido e farfalhudo, melhor) e logo que vi este, com cores tão outonais, sabia que tinha que comprá-lo. Estava em promoção e encontrei-o na PACO MARTINEZ do Vasco da Gama (entrei para comprar uma mala de cabine com rodinhas... e sai com um lenço - ninguém merece!).

3// Cardigan com folhos no decote da MODALFA [9.99€] - Entrei no Contintente para fazer compras de supermercado mas vi que estavam com promoções de roupa e fui espreitar... Vi logo este cardigan a olhar para mim, com uns folhinhos tão amorosos e acabei por trazê-lo comigo.

Ah, e para quem perguntou no post sobre o ebay, sim, acabei por comprar a tal capa por lá... Mas não foi nenhuma das que tinha em mente. Mostro-vos noutro post ;)

SHARE:

16 setembro 2013

Do meu lado árabe #3

Em conversa no facebook com uma tia que vive no Rio:
Tia: Ah, a tua prima Letícia está grávida.
Eu: A sério? Eu nem sabia que ela estava a namorar.
Tia: Pois, foi uma surpresa para nós. O teu tio não aceitou muito bem, como deves imaginar. Assim que ela lhe deu a notícia, ele exclamou: "como assim, grávida? Tu nem és casada!" como se só as pessoas casadas pudessem engravidar...

Sim, essa é o lado árabe da família. E sim, são do mais tradicional que há. Uma filha grávida, sem casamento à vista, é quase uma maldição. Diz a tia que os preparativos para o casório já estão a ser feitos e que deve ser até o mês que vem para que não se note a barriga. Mais um casamento com fim à vista, que ela não é apaixonada pelo rapaz, é mais uma daquelas relações estúpidas do tipo "tapa-buraco". E um casamento que começa assim, só pode ter um destino: divórcio.

Ah, espera, divórcio também não, que só há um caso de divórcio na família inteira (em quatro gerações) - sim, o divórcio dos meus pais - e mais vale infelizes e casados do que a vergonha de ter um divórcio no "currículo amoroso".

Às vezes pergunto-me se eles vivem no mesmo século que eu......

SHARE:

15 setembro 2013

Não resisti...

Entrei no Vasco da Gama para, supostamente, ir ao Continente comprar umas coisas para fazer uma lasanha ao jantar.... Nos entretantos lembrei-me de passar no quiosque da SIGG para tentar arranjar uma tampa para a minha garrafinha (perdi-a no trabalho, acreditam?) e foi quando vi uma faixa enorme na montra da C&A "Fora com o IVA, desconto de 23% em todos os produtos"  (sim, até dia 18 estão a devolver o valor do IVA) e decidi entrar "só para ver". Pois.

Eu, que nem sou grande apreciadora da C&A (conto nos dedos de uma mão as peças que tenho de lá), dei por mim apaixonada por uma jaqueta. Vesti-a por cima da roupa, em frente ao espelho da loja, a rezar para me cair super mal, me deixar com pneus em tudo quanto é sítio, para o fecho empenar mas... que nada. Caiu-me tão bem que voei com ela para a caixa. Cheira-me que seremos boas amigas neste Outono que aí vem ;)


Era 59.90€ mas com os 23% de desconto paguei apenas 47€.
(podem conhecer mais sobre a promo aqui)
SHARE:

14 setembro 2013

Das coisas que só acontecem comigo #8

Fui almoçar com a Bia no FeelRio, que ela ainda não conhecia (e qualquer desculpa é válida para ir comer o pastel de frango com catupiry mais gostoso de Lisboa). Fizemos os pedidos, ela sentou-se e eu fiquei em em frente ao balcão a decidir se pedia ou não um brigadeiro (sim, minha gente, isto exige muita reflexão).

Nisto vem uma funcionária da cozinha, vira-se para mim e pergunta:

- Está à espera do baby?

e eu, chocada, pensei: "ai foda-se, não acredito que esta mulher pensa que estou grávida", e balancei com a cabeça que não, com horror absoluto. Olhei para a Bia com cara de "wtf?" e ela estava vermelha de tanto rir. Desisti de comer o raio do brigadeiro (e a consciência pesada?) e, ainda em choque, sentei-me na mesa.

Nos entretantos, uma cliente levantou-se, foi até o balcão e disparou: estou à espera do baby, ainda vai demorar muito?! e a funcionária: não, não... já cá está e entrega-lhe uma... tigela de açaí pequenina, o tal açaí baby.

Opá, não se faz. Já estava a planear todo um rol de dietas e a prometer que só voltava a ingerir líquidos lá pra 2015 (ninguém merece ser confundida com uma grávida) e de repente... mudei de idéias:

e é também um brigadeiro, se faz favor. 
SHARE:

13 setembro 2013

Detalhes que fazem a diferença #3


Na semana passada chegou esta fofura para animar {ainda mais} a minha secretária: caneta em forma de gatinho, post-it em forma de peixe e memos de ovelhinhas. Mais fofo impossível. Sou perdida por objectos diferentes e coisinhas de papelaria. Tenho uma mega colecção de canetas coloridas (stabilo são as preferidas) e adoro tudo o que seja relacionado ao tema.

Lembro-me de estar sentada no anfiteatro da universidade, numa das aulas de Fisiologia Animal, e a professora agarrar no meu estojo (sento-me sempre na primeira fila - coisas de míope) para exemplificar uma questão e, ao sentir o peso (estava cheeeio de canetas), exclamou: ai mas isto não é um estojo, isto é uma arma!, o que provocou risos em toda a turma.

Gosto desse meu lado criança. Há coisas que definitivamente, por mais que os anos passem, não mudam. Até hoje, por exemplo, o meu dossiê é cheio de folhas decoradas. Gosto de coisas bonitas, afinal, os olhos também comem ;)


SHARE:

12 setembro 2013

Sabes que és uma ebayholic quando...

... estás a ver um filme no sofá e o alarme do teu telemóvel toca. Levantas do sofá de um salto e vais a correr para o ebay porque faltam 5 minutos para terminar um leilão e tu queres garantir que o teu lance seja o mais alto. [e efectivamente, foi]

... olhas para a tua secretária e reparas que tens uma fita-métrica ao lado do computador, porque precisas confirmar medidas antes de acreditar naquele M asiático (que equivale a um XS português) e para tal, andas a medir cinturas, ombros, pernas...

... recebes uma encomenda, entras no ebay para dar um feedback positivo ao vendedor e de repente reparas que fizeste 23 compras nos últimos trinta dias. O teu primeiro pensamento: oh, isso é impossível. Mas quando vais averiguar, confirma-se: compraste mesmo 23 itens no último mês.


Em uma palavra: medo.

P.S: o que vale é que são coisas que por cá custam o triplo do preço e, bem vistas as coisas, até estou a poupar. [sim, sim...] E, é claro, muitas vezes compro para amigas/familiares que não estão muito à vontade com comprinhas online enquanto eu... pelos vistos, já mereço entrar na categoria pro.

SHARE:

10 setembro 2013

Ai, o Outono!

Setembro para mim é sinal de que as férias se foram, o verão já está a dar as últimas e eu já só consigo pensar no Outono com folhas castanhas, aquele vento fresquinho e em roupa mais compostinha. Eu sei, eu sei... ainda está calor, ainda dá para ir à praia e aproveitar mas eu já entrei em modo outono, nada a fazer.

Posto isto, ontem foi dia de arrumar os biquínis, as havaianas, melissas, ipanemas e toooda a tralha de verão (basicamente, como fiz no ano passado). E resgatar a roupa de outono/inverno que, cá entre nós, é infinitamente mais gira que a de verão. Para não ser precipitada, deixei de fora um biquini e uns vestidinhos mas toda eu já chamo pelo Outono.

Fiz assim uma lista mental de coisas que preciso comprar e, apesar de saber que vou acabar por comprar montes de coisas, só me faltam mesmo duas coisinhas: umas botas longas castanhas, de preferência em pele que é para me durar largos anos (como umas que tenho há 5 invernos e continuam perfeitas) e um trench-coat vermelho cintado. 

E do que é que me fui lembrar, pessoas, adivinhem? De ir pesquisar as botas no ebay, porque encontrar umas botas longas em pele por menos de 150€ em Lisboa é como procurar uma agulha no palheiro e, bem vistas as coisas, não custava nada dar um olhinho no ebay a ver se encontrava algo fantástico.

E sim, encontrei algo fantástico... as capas de inverno! São lindas de morte e, apesar de nunca ter comprado roupa no ebay, fiquei seriamente tentada:


E o que te impede de comprá-las, Anne? - perguntam vocês. Eu respondo:

- A qualidade. Apesar de nas fotos as roupas parecerem lindas de morte, eu sou desconfiada e não quero correr o risco de dar 30€ por uma capa e me chegar às mãos uma capa 100% poliéster, sem forro e toda mal feita.

- As cores. Os vendedores fazem também questão de dizer que as cores que vemos podem não corresponder às cores reais do produto, que pode ser a configuração do nosso monitor (tretas) e mais n desculpas. Ou seja, se comprares um casaco cuja imagem aparece em verde- tropa e te chegar às mãos um casaco verde-alface, lamento, mas não podes reclamar, é do teu monitor e tu é que viste mal.

- O tamanho. A maioria das capas/casacos giros que vi são feitos na China e tomam como base o corpitcho de uma chinesa (sem mamas, sem rabo, cintura de vespa) que está assim a muitas léguas do meu. Tanto é que eles fazem questão de salientar nos anúncios: "size  M chinese", "size L chinese" o que deve corresponder praí ao nosso XS e S.

Basicamente, acho que comprar roupas no ebay é um risco. Se não gostares da peça ou não te servir, paciência, não tens qualquer segurança/garantia em que o vendedor vai aceitar a devolução. O que é uma pena porque há tanta, mas tanta coisa gira que eu ia perdendo a cabeça.

Resta-me esperar que a Zara ou a H&M se lembrem de fazer coisas parecidas e aí sim, ninguém me segura. De uma coisa eu sei: este ano estas capas não me escapam! São liiiindas! [e deste lado, alguém já se aventurou a comprar roupa no ebay? Como correu? Recomendam os vendedores? Contem-me!]

SHARE:

09 setembro 2013

De como os homens vivem num universo paralelo:

Passei o fim-de-semana em casa do M. e a meio da tarde fiquei "naqueles dias" e como morro de dores nesta altura (já tentei de tudo: buscopan, trifenes e mais outros drunfos... só resulta com o Spidifen de 600mg), pedi-lhe para ir ao supermercado comprar pensos. Arregalou-me os olhos:

- Eu?! Queres que eu vá te comprar pensos?
- Não, quero que vá o vizinho... É claro que quero que vás! Achas que eu consigo ir assim, a arrastar-me pela rua enquanto deixo um rasto vermelho pela calçada? [quando estou com dor sou uma pessoa muito afável, não sou? #not]
- Ai, cala-te, que impressão! Ok, eu vou. Em que secção é que isto fica?
- Na de produtos higiénicos, onde ficam os shampoos, sabonetes...
- Sei. E isso tem tamanho, não? Qual é o teu?
- Não é por tamanho, é por fluxo. Nas embalagens têm umas gotinhas consoante o fluxo. Se tiver muitas gotinhas, é para fluxo intenso... Varia entre fraco, moderado e intenso. O meu é o moderado.
- Certo.
- Depois tens os com abas e sem abas. Compra o com abas.
- Ok, fluxo moderado e com abas. Vou calçar os sapatos e já vou.
- Ah, e compra daqueles que vêm embalados um a um, que são mais higiénicos para andar na mala.
- Porra, já queres demais. Eu não sei comprar estas coisas! (olhar fulminante da minha parte...). Ok, vamos recapitular: fluxo moderado, com abas e embalados individualmente, é isso?
- Certo, campeão.
- Ok, vou agora. Até já...
.
.
.
.

(cinco minutos depois envia-me sms a perguntar: "fluxo moderado são quantas gotas desenhadas na embalagem?!")

Eu mereço um homem destes?
SHARE:

08 setembro 2013

Das coisas mesmo fofinhas:

A minha melhor amiga, Bia, veio passar duas semanas cá em Portugal (ela vive em Miami) e trouxe-me, entre outras coisinhas, esta lindeza, directamente da Disney:

Já posso morrer de amores?! Ai, pessoas, o que eu gosto da Bela! É a minha princesa Disney preferida e fiquei mesmo apaixonada por essa bonequinha. Só mostra o quanto a Bia me conhece bem... e sabendo do meu amor por miniaturas, diz que assim que viu esta Belinha, soube que tinha que vir parar às minhas mãos. E acertou em cheio ;)

P.S: A parte chata é que ela trouxe-me um produtinho de beleza que é um es-cân-da-lo de bom (a sério, nunca vi nada igual) e que só é vendido nos EUA. E eu já não consigo sequer equacionar como será a minha vida daqui em diante sem essa pequena "poção de beleza". Socorro!

SHARE:

06 setembro 2013

Da privacidade. E do meu espaço.

Perguntam-me sempre nos comentários: "Porquê não falas mais sobre detalhes da tua vida, como fazias antes?", "Porque não falas mais sobre os teus irmãos?", "E o trabalho?", "E sobre o teu labrador?" e achei melhor fazer este post e esclarecer logo o assunto ;)

Não, não fico nada chateada com essas perguntas, vocês sentem curiosidade porque já me ouviram/leram a falar no assunto e por isso é natural. O "erro" foi mesmo meu, que contei detalhes muito pessoais neste blog e depois arrependi-me. A ver: no início do blog eu tinha a idéia bambi de que todos os que passavam por aqui eram pessoas queridas, fofinhas e que gostavam de ler o que eu escrevia. Tinha a idéia cor-de-rosa de que todos queriam o meu bem, a minha felicidade.

Escrevi muito. Contei muita coisa. Falei demasiado sobre mim e sobre os meus. E arrependi-me. Comecei a receber mails de pessoas que nunca vi na vida e que perguntavam/queriam saber detalhes da minha vida. E inventavam histórias para que conseguissem sacar ainda mais informações sobre mim: "ah, é que eu também ando a tirar o mesmo curso que tu, andas em que faculdade mesmo?" e lá ia a trouxa responder. E este é só um dos exemplos, há muito mais.

Toda a gente que me conhece bem sabe desse meu grande defeito: só costumo enxergar o lado bonzinho das pessoas; o que me torna uma auténtica totó. Não gosto de desconfiar de ninguém e parto sempre do princípio que são boas pessoas. É errado. (obrigada, mamãe, por me fazer crer que o mundo é um lugar maravilhoso, cheio de seres bons, fadas e duendes --- not)

Assim que reparei no erro, tentei remediar da maneira que achei melhor: não falando mais sobre esse tipo de coisas no blog. Por exemplo, se repararem verão que nunca mais falei sobre os meus irmãos (é raro tocar no assunto), ou sobre o meu cão (antes fazia posts com fotos e vídeos do meu amor pretinho), também não me viram a falar muito sobre o meu trabalho (e agora, que abrimos uma empresa, supostamente faria todo o sentido aproveitar o blog e publicitar aqui) e por aí vai.

Para não acabar com o blog, tentei torná-lo o mais superfícial possível e falar o menos possível sobre a minha vida pessoal. Eu sou um bocadinho cagunfas com essas coisas da internet e novas tecnologias, acredito que mesmo como "anónimos" na internet, nunca o somos por completo. E não gostei de estar tão exposta à pessoas que nunca vi na vida.

Por isso as coisas tomaram o rumo que tomaram. Se o blog ficou mais chato assim? Olha, talvez. Mas sinto-me infinitamente mais segura desta forma. Se voltarei a falar mais de mim um dia? Talvez.

SHARE:

05 setembro 2013

Devia haver uma lei...

... que proibisse mais de um movimento no multibanco. (ou então que obrigasse a pessoa a voltar a entrar na fila para usar novamente)

Epá, estive quase vinte (!) minutos à espera que uma distinta senhora estivesse ali, à vontadinha, a pagar as suas contas do mês, a carregar o telemóvel dela, o do filho, a pagar a cota de sócio do Benfica... Seis movimentos que a mulher fez (sim, contei-os). Seis! Numa zona em que só tem este multibanco num raio de, sei lá, 15km. Um abuso! A fila atrás dela a aumentar, toda a gente a entreolhar-se como que a pensar "mas esta gaja agora comprou o multibanco, ou quê?" e a gaja lá continuava, os talões a sairem e ela a arrumá-los na carteira com toda a calma do mundo. Estive assim a um nada para lhe dar um tapinha nas costas e perguntar se não queria aproveitar também e transferir a renda da casa, pagar a Zon, veja lá que ainda se esquece de alguma coisa, de certeza que não tem mesmo mais nada para pagar?!

Detesto gente sem bom-senso. 
SHARE:

04 setembro 2013

A tal da bengala

No fim-de-semana liguei para o Rio de Janeiro e entre conversas com a tia, ela dispara: ah, porque a tua avó agora que anda com a bengala só quer passear e... Ai, pessoas, depois da palavra "bengala" eu simplesmente deixei de ouvir. Sabem quando uma palavra parece ficar a ecoar dentro de nós durante vários minutos? Pois... A minha tia continuou a falar como uma destrambelhada (provavelmente sem se dar conta do que tinha deixado escapar) e eu só conseguia ouvir: "bengala, bengala, bengala". A minha avó está a usar uma bengala de apoio. Uma bengala...

Como fiquei muda ao telefone, a tia estranhou e perguntou se eu estava a ouvi-la. Pedi-lhe para passar o telefone à minha avó e, meus amigos, nem me aguentava a falar. Toda eu era soluços, lágrimas, não tinha voz, foi assim uma espécie de catarse. A única frase que me saía era: "vó, é sério que você está usando bengala?" e ela, esperta: "mas quem é que te disse isso? Não era para você saber! Te conheço, agora vai ficar ai com a boca aberta achando que eu tô nas últimas. Só comprei a bengala para me dar mais firmeza para caminhar, essa artrose acaba com o meu joelho... mas tô andando direitinho e ainda estou a ponto de te dar com a bengala na cabeça, se você não parar de chorar!

Tentei rir para descontrair o ambiente mas o riso soou falso até para mim. Não consigo lidar com a idéia de que ela fica mais debilitada a cada dia que passa. Não aceito. Olho para a minha avó e vejo-a tão lúcida, tão independente e activa que me custa imaginá-la a caminhar com uma bengala. Ainda há um ano estive no Rio e vi a avó dançar, toda animada, num churrasco de família. Como posso aceitar que em pouco mais de um ano ela esteja a usar uma bengala de apoio? Não entra na minha cabeça.

Tenho um grave problema: não consigo lidar com a idéia da morte. Não gosto nem de imaginar que um dia a minha avó já não estará comigo. Não falo, sequer, sobre esse assunto. Como se, ao evitá-lo, ele deixasse de existir. Ás vezes penso na minha vida daqui há dez anos, por exemplo, imagino-me com filhos e penso: nossa, a minha avó vai ficar maluca com os meus filhos! Vai querer fazer-lhe as vontades todas, todinhas, como fez comigo... Mas depois cai a ficha e eu lembro-me que daqui a dez anos ela estará com noventa e... será que ainda vai estar cá? Será que vai continuar a ser a pessoa maravilhosa que é? Ou vai perder essa personalidade alegre e divertida que eu tanto amo?

Não sei, pessoas. E não saber dói. Dói tanto... Se existem duas pessoas nesse mundo pelas quais eu daria a minha vida, sem sequer piscar, essas pessoas são a minha avó e a minha mãe. Nem sequer consigo imaginar-me sem elas, raios partam!

A tal da bengala surgiu como uma espécie de aviso. Porque eu, simplesmente, não consigo enxergar a minha avó com a idade que tem (vai fazer 80 daqui há uns meses). Talvez porque ela alinhe em todas as minhas maluquices como se ainda tivesse, sei lá, 50 anos (tipo, encarar um vôo Rio-Lisboa com escala em dois países diferentes - detalhe: sozinha e sem falar nenhuma língua estrangeira). Mas eu preciso interiorizar que os anos passam e roubam o tempo que me resta com ela. Preciso aceitar que a minha avó não é eterna (como muitas vezes pareço pensar) e que por mais médicos bons, seguros de saúde xpto e clínicas topo de gama que o dinheiro compre... um dia ela não estará mais aqui. E essa idéia aterroriza-me.

 Amor da minha vida // Parque Eduardo VII, Lisboa // Julho2010

(p.s: era altura do Mundial e por isso tinha pintado uma unha de cada cor da bandeira brasileira por causa do jogo Brasil x Holanda daquela tarde... e o Brasil tomou um pau e foi desclassificado! #fail)

SHARE:

02 setembro 2013

No Alentejo profundo // Costa Vicentina

Aproveitámos o fim-de-semana com temperaturas altas e fomos gastar os últimos "cartuchos" deste verão... Saímos de Lisboa na sexta à noite e voltamos ontem, mesmo a tempo de preparar tudo para mais uma semana cheia de desafios.

O sítio escolhido desta vez foi a costa vicentina, terra do meu homem, e eu que habitualmente torço um bocadinho o nariz porque acho tudo demasiado pacato, demasiado tranquilo... desta vez adorei. Talvez por estar num ritmo de trabalho totalmente novo e intenso, desta vez soube aproveitar cada pedacinho deste Alentejo. E apreciei a tranquilidade do sítio. A luz. O sossego e a paz da costa vicentina. Foi um fim-de-semana para recarregar as baterias e namorar muito com o meu príncipe.








 




O elemento-surpresa foi o almoço no restaurante Arte&Sal, um dos preferidos do M. quando está mais a Sul e que, como sempre, não decepcionou. Fomos com os pais dele, que como bons alentejanos que são, escolheram o arroz de tamboril enquanto que eu... fiquei-me pela picanha com farofa ahahaha. Não adianta, as minhas raízes falam mais alto. Ninguém me arranca um bom prato de picanha da frente e felizmente, o meu amor acompanha-me sempre e não me deixa ficar mal. 

Nem acredito que já estamos novamente em Setembro! O tempo tem passado a voar, parece que foi ontem que estive a desmontar a árvore de natal e afinal já estou novamente quase a montá-la. Alguém que segure este tempo, cada vez mais veloz!

SHARE:

Eu, viciada em cosméticos, confesso que:

  ... perdi a cabeça com as promoções online e mandei vir este mundo e o outro de Espanha. Socorro!

Tudo porque no mês passado fui novamente fazer a Escova Progressiva (a raiz encaracolada a nascer e o resto do cabelo liso é coisa para me dar um piripaque) e no primeiro mês pós-alisamento gosto sempre de intensificar os cuidados e usar um shampoo específico, ou seja, um shampoo que seja termo-activado, sem sal, com o pH certo...

E descobri que há uma linha incrível de cuidados capilares para quem está sempre a secar o cabelo com o combo secador + prancha (eu!). A linha faz parte da minha queridinha TAHE (marca espanhola de que já falei aqui) e comprei o kit completo com 80% de desconto! Encomendei no sítio do costume (La Tienda de Peluqueria) e como tenho uma prima que tem um centro de estética, encomendo sempre os produtinhos com a "conta profissional" dela e por isso, tenho mais 10% de desconto sobre o preço e não me cobram o IVA de 21% (o que me dá vontade de sair comprando este mundo e o outro, como devem calcular).

Na semana passada fiz uma encomenda grande (juntar 3 amigas louca por cosméticos + tu própria igualmente louca + descontos de perder a cabeça = uma compra com 3 dígitos) e estou louca para testar tudo! Alguns produtos já conheço (como as ampolas Therapy e a linha Repair Rescue da Bonacure), outros foram recomendados por amigas (linha de Macadamia) mas todos prometem o mesmo: cabelos lindos e saudáveis, o meu grande objectivo "de beleza" para este ano ;)

 Conseguem dizer-me o que há de "diferente" nesta foto? ;)

SHARE:
© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig