16 setembro 2013

Do meu lado árabe #3

Em conversa no facebook com uma tia que vive no Rio:
Tia: Ah, a tua prima Letícia está grávida.
Eu: A sério? Eu nem sabia que ela estava a namorar.
Tia: Pois, foi uma surpresa para nós. O teu tio não aceitou muito bem, como deves imaginar. Assim que ela lhe deu a notícia, ele exclamou: "como assim, grávida? Tu nem és casada!" como se só as pessoas casadas pudessem engravidar...

Sim, essa é o lado árabe da família. E sim, são do mais tradicional que há. Uma filha grávida, sem casamento à vista, é quase uma maldição. Diz a tia que os preparativos para o casório já estão a ser feitos e que deve ser até o mês que vem para que não se note a barriga. Mais um casamento com fim à vista, que ela não é apaixonada pelo rapaz, é mais uma daquelas relações estúpidas do tipo "tapa-buraco". E um casamento que começa assim, só pode ter um destino: divórcio.

Ah, espera, divórcio também não, que só há um caso de divórcio na família inteira (em quatro gerações) - sim, o divórcio dos meus pais - e mais vale infelizes e casados do que a vergonha de ter um divórcio no "currículo amoroso".

Às vezes pergunto-me se eles vivem no mesmo século que eu......

SHARE:

2 comentários

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig