01 outubro 2013

Dos momentos só nossos:

Eram três e tal da manhã quando acordei com uma mãozinha no meu rosto.
- Hummmmm
- Mana, posso vir dormir contigo?
- Podes. 
- Mas ficas acordada a conversar?
- Errr... se for só um bocadinho, fico. Tiveste algum pesadelo?
- Não. Tenho saudades do meu pai.
(glup)
- Oh, amor, lembra dos momentos especiais que vocês passaram juntos, do quanto o teu pai era doido por ti, da felicidade enorme que ele sentiu quando tu nasceste, toda cor-de-rosinha...
- Eu era cor-de-rosa?!
- Aham.
- Mostra! Mostra-me novamente o vídeo do meu nascimento.
- Amanhã mostro-te, ok? Agora vamos dormir.
- Podemos só ver o álbum de fotos, então? É rápido...
- Vá, vai lá na sala buscar o álbum. [sou uma fácil, basta a miúda fazer carinha de "gatinho do shrek" e está o caldo entornado].

Acendemos o candeeiro, ela veio para o meu colo e ficamos ali, enroladas nas mantas a folhear o álbum de fotografias e a relembrar cada momento daquele 4 de Fevereiro... O susto que foi quando, aos sete meses de gravidez, a minha mãe começou com contracções e corremos para o hospital. O pânico quando o obstetra nos disse que a tensão arterial dela estava a 210/150 e o cagaço que eu apanhei quando ouvi a palavra "pré-eclampsia" pela primeira vez.

E depois lembro-me de coisas maravilhosas: da primeira vez que a vi naquela incubadora. Lembro-me de olhar para o lado e ver o Edu a chorar baba e ranho, ajoelhado e agradecer a Deus por estarem as duas bem. E depois, quando finalmente segurei aquela bebé tão perfeitinha, ainda sem sobrancelhas e pestanas, que isto de nascer aos sete meses tem muito que se diga, pensei que ela era a coisa mais incrível que eu já tinha visto. Foi ali, naquele 4 de Fevereiro, que eu apaixonei-me por ela. Perdidamente.

Te amo, pequenina.

Mesmo quando me acordas de madrugada e eu tenho que me levantar as 7h no dia a seguir... É claro que hoje fui para o trabalho com cara de morta-viva mas nada disso interessa quando o assunto és tu, cara de biscoito.
SHARE:

3 comentários

  1. Que princesa que é a tua irmã! E que relacionamento bonito vocês têm, mesmo com tantos anos de diferença... O parto da tua mãe foi cesariana? Cá em Portugal os pais, infelizmente, não podem assistir ao parto - acho uma estupidez, o homem dá sempre força para a mulher nestas horas. Beijinhos
    Angela

    ResponderEliminar
  2. ès a mamã dela! Lindas!

    ResponderEliminar
  3. Tão fofinha! Vocês são duas irmãs muito fofinhas :)

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig