21 outubro 2013

Nem sei que diga.

Mamãe está a fazer um check up de saúde [uma vez por ano é sagrado] e o médico pediu-lhe dois exames. Fui ligar para marcá-los e, surpresa, nenhum é comparticipado pelo estado. Nem a Cintigrafia Renal nem a Ressonância Magnética com contraste. O primeiro sai a 70€, o segundo a 365€. Bonito, não?

Liguei para montes de clínicas [a de santo antónio na Amadora, a das Descobertas, a Cruz Vermelha e mais n sítios] e diz que não, que o estado não comparticipa os exames e quem tiver que fazê-los tem mesmo que desembolsar mais de 400€ para tal. Nem tenho palavras, sinceramente.

Valeu-nos o nosso seguro de saúde, que nunca desilude, e com ele os dois exames saem a 80€. De 400 e tal para 80€ é uma brutal diferença, meus amigos. E ainda há gente que torce o nariz para os seguros de saúde e diz que é uma mariquice, que não serve para nada, que o SNS é uma maravilha... pois.

Infelizmente, a verdade é só uma: ou bem que se tenha dinheiro para arcar com tudo ou bem que se tenha um seguro de saúde. Quem não tem nehum dos dois, lamento, mas fica sem exame. E pode muito bem estar em um estado grave, com suspeitas de mil e uma doenças mas... fica sem exame. Não consigo achar isto normal. O país está mal, é um facto, mas cortar na saúde deveria ser inconstitucional. É vergonhoso que pessoas que sequer recebem este dinheiro de reforma... tenham que pagar tanto por um exame.


É um facto que refilo todos os meses quando aparece o débito do seguro na minha conta (principalmente se naquele mês não tiver dado uso ao cartãozinho) mas a verdade é que este é o dinheiro mais bem pago do mês. Da maneira como as coisas estão, ficar sem seguro é mesmo só para os ricos [que podem pagar exames a 400€ - já viram bem a ironia da coisa?]

SHARE:

34 comentários

  1. A minha avó teve que pagar esse valor exorbitante por uma ressonância magnética, e foi através da mesma que descobriu que tinha cancro. É uma vergonha, por acaso ela tem dinheiro para tal mas se não tivesse??? Eu fiquei chocada com toda esta situação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é, Joana, um verdadeiro abuso. Nos casos de pessoas idosas, que vivem praticamente só da reforma, a coisa ainda é pior porque eles já gastam tanto com medicamentos e consultas... e ainda precisam pagar tanto por um exame? Enfim... Ainda bem que na tua situação havia possibilidades de pagarem por fora mas não deixa de ser triste =/

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Ai Bel, nem me digas nada. Não, o público não faz, só mesmo pelo privado. Ou pagas o valor integral (400 e poucos euros) ou se tiveres seguro de saúde, ele comparticipa e pagas apenas 80€, que também não deixa de ser caro mas sempre é melhor.

      Eliminar
    2. Gente não sabia que isso estava assim... No "meu tempo" acho que o hospital fazia e se pagava uma taxa moderadora... Fiquei triste com isso...

      Eliminar
    3. Estranho!!! O meu pai precisou fazer, e não foi só um, pois tinha que fazer quase de 6 em 6 meses um para ver a evolução do tumor e não pagou nenhum. Na altura estava a ser acompanhado no Hospital S. João no Porto.
      Eu também vou fazer um no próximo mês, no mesmo hospital e não me parece que vá pagar esse valor!!!

      Eliminar
  3. Tenho o mesmo seguro e só tenho bem a dizer! Graças a ele nem eu nem a minha mãe tivemos de esperar pelo SNS para sermos operadas quando os problemas apareceram!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também tenho este seguro há quase um ano e adoro-o. Antes tinha da Generalli mas a coisa não correu bem e optei por mudar para este que é bem mais completo. Ainda bem que conseguiram operar e correu tudo bem ;)

      Eliminar
    2. Antes também tivemos Generalis, e antes ainda Medis! De todos o que ais gostei foi este, talvez porque (infelizmente) foi o que dei mais uso.

      Eliminar
  4. Olá Anne. Gosto muito do teu blog, e sou seguidora atenta do mesmo, sendo que nunca comentei mas hoje, de facto, tive vontade de comentar pois facto algo estranho se passa que não estou a entender. É que a minha madrinha fazia anualmente uma ressonância magnética (fez durante 8 anos mas entretanto faleceu), o meu namorado também já fez uma (ainda este ano) e nada pagaram pelas mesmas. Eles estavam a ser seguidos no hospital São João e como era nas consultas do HSJ que lhes mandavam fazer as ressonâncias, nunca pagaram nem 1 cêntimo pelas mesmas. Talvez a tua mãe tivesse que pagar por a mesma ter sido "receitada" por um médico particular. Não sei...digo eu.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também fiz uma ressonância magnética com contraste há 2 meses e não paguei nada. Foi pedida pelo hospital dos Capuchos. Penso que quando estás a ser seguida em determinada especialidade no sistema público não terás de arcar com essa despesa. Quando são exames de rotina (especialmente pedidos por médicos privados) a história deve ser outra.

      Eliminar
    2. Olá Carla! Pois, tenho lido nos comentários que algumas pessoas pagaram e outras não, não percebo. O médico da minha mãe é do privado mas também atende no público, no São Francisco Xavier, e passou-nos a credencial do público. Liguei para mais de cinco clínicas e todas foram unânimes: "este exame não se faz pelo sistema nacional de saúde". Portanto, não sei se dizem isso para nos obrigar a pagar pelo exame ou sei lá!

      Li na net que este exame só é comparticipado quando é o próprio hospital a pedi-lo e no nosso caso, é apenas o médico. Será isso? Olha, não sei... No teu caso foi o hospital dos Capuchos que solicitou o exame?

      Eliminar
    3. SIm, Anne. Tanto quanto sei, para o exame ser comparticipado tem que ser pedido por consulta hospitalar (não sei se unidades de saúde também). Quando fiz uma ressonância pedida numa consulta privada paguei-a integralmente (e foi um valor bem mais elevado do que o que referes); passados uns meses tive que a repetir e fazer mais exames, mas foram pedidos em consulta hospitalar e só paguei as taxas moderadoras; cerca de 40€, se não me engano.

      Eliminar
    4. Pois Anne, o meu médico nem me passou credencial nem nada. Registou o pedido no computador e eu só tive de marcar o dia e apresentar-me (por acaso foi na Estefânia porque era com urgência, e funciona em rede com os Capuchos e mais alguns hospitais salvo erro).

      Eliminar
  5. Eu já fiz algumas ressonâncias magnéticas (umas "simples" e outras com contraste) e de todas apenas paguei uma. E apenas o fiz porque tinha muita urgência em realizá-la e no publico não conseguiam vaga a tempo... Ah e eu apesar de estar a ser seguida por médicos do SNS, também andava em médicos de clínicas privadas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A da minha mãe é com contraste e pelo que percebi, mesmo com credencial, as clínicas não aceitam este exame e dizem que temos que pagá-lo e que "o estado já não comparticipa este exame". Enfim...

      Eliminar
  6. Também eu tive que pagar a ressonância magnética da minha mãe (com contraste) e digo-te que foram 363€ na Clínica Quadrantes, em Oeiras. Não havia uma única clínica que comparticipasse o exame e disseram-me mesmo que para o conseguir através do SNS tinha que ser o hospital a pedir o exame (só em casos graves, porque tentam evitar estes exames "caros" até as últimas). No meu caso, como foi o médico de família da minha mãe que pediu o exame, não tive remédio: tive que pagar do meu bolso.

    Pelos vistos há aqui uma falta de coerência, com pessoas que dizem que não pagaram nada e outras que pagaram. Não sei qual o critério de seleção mas eu paguei. E não foi pouco.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também tentei a Quadrantes, em Miraflores, e disseram-me exactamente o mesmo. Detesto este tipo de informações trocadas em que não sabemos bem quem tem razão. Arre!

      Eliminar
  7. Apesar de concordar contigo a 100% (é uma vergonha o SNS não comparticipar certsa coisas), tenho que dizer que 70 ou 80% desses casos que não têm seguro de saúde acham que 40€ ou €50 por mês não pode ser, mas 40€ por mês para telemóvel, internet, Tv etc, já faz todo o sentido...isso é que eu lamento...e que algumas aprendam da pior forma (quando precisam) que se calhar um pacote mínimo de telemóvel tv e net ou menos! se calhar compensava...

    Um seguro de saúde é um bem essencial (infelizmente). A quem não o tenha que com o teu post leve em consideração fazer um, porque há coisas que não têm preço nem valor, e a nossa saúde é uma delas e o diagnóstico precoce é hoje em dia a nossa melhor arma. Eu pago ninharias por exames, analises consultas, qualidade de serviço, quando compradas com o SNS. Só uso o SNS quando a minha dor de garganta não passa e vou ao CSaúde porque preciso de anti-biótico...de resto nunca uso.

    Beijinho (acho que é a primeira vez que cometo no teu blog :) mas já sigo há ANOS! adoro :))

    Strawberryshortskirt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obviamente digo isto porque conheço N pessoas que me dizem que não têm dinheiro para seguros de saúde e depois têm pacotes destes luxos maiores que os meus ;) conheço demasiada gente assim daí o meu desabafo! Mas claro que há muito boa gente que não tem nem uma coisa nem outra, mas a maioria sabemos que não é bem assim...

      Eliminar
    2. Olha, tens toda a razão. Tenho vários amigos que reviram os olhos porque dizem que o seguro de saúde é só porque temos a mania que somos finos, que devia ser proibido e que eles não fazem um seguro porque não têm dinheiro. Mas depois é maços novos de tabaco todos os dias, é carros de alta cilindrada. Enfim, são prioridades.

      Para mim, nada vem à frente da minha saúde e se com o meu dinheiro posso conseguir um tratamento melhor, em clínicas de topo e com assistência rápida, então é isso que vou fazer. Pago 65€ por mês pelo meu seguro (é mais caro porque fiz o total, com direito a cesariana quando chegar o dia) e apesar de não ser muito barato, prefiro poupar noutras coisas e ter a consciência tranquila de que se precisar de ajuda, vou tê-la. =)

      Eliminar
    3. Não se esqueçam que há pessoas que por questões de saúde ou idade são por norma "excluídos" dos seguros de saúde. Não é propriamente a solução milagrosa e que seja possível a todas as pessoas, mesmo que tenham possibilidades económicas. Dentro do ramo das seguradoras, tanto em seguros de vida com em seguros de saúde existem muitas discriminações,

      Eliminar
  8. Exames prescritos pelo médico de família ou realizados num hospital público são comparticipados pelo SNS.
    P.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem toda a razão. Desde que o médico passe uma credencial, basta apenas procurar uma clínica com acordo com o SNS que o exame é comparticipado.

      Eliminar
    2. Então não sei o que se passa porque o médico da minha mãe também atende pelo público e passou-lhe a credencial para o exame. E mesmo assim dizem que o raio do exame não é comparticipado. Aliás, como o meu caso há outros aqui nos comentários, por isso não fui a única a passar por isso. Experimente ligar para a Clínica de Santo António na Amadora e pergunte pelo exame. Não há comparticipação. Fim da história.

      Eliminar
    3. E para provar que não acontece só comigo:

      http://obecoescuro.blogspot.pt/2009/10/ressonancia-magnetica.html

      http://forum.autohoje.com/off-topic/65057-procura-se-clinica-para-fazer-ressonancia-magnetica-com-acordo-com-o-sns.html

      Eliminar
    4. Oi, sigo o teu blog já faz acho que um ano mas nunca comentei. Quanto ao que se passou, sim é horrível o que se tem de pagar por os exames. Quanto ao ter o seguro de saúde, também tem q se considerar a localidade onde se vive, pois pode não compensar. Podes não ter clínicas e hospitais que não tenham acordo com os mesmos.
      no meu caso, os meus pais tiveram que pagar o valor inteiro dos exames porque para os ter prontos antes da próxima consulta não dava para ir ao SNS.

      Eliminar
    5. A comparticipação do medico tem que ser de um ATENDIMENTO publico, pois uma grande parte dos medicos trabalha em hospitais publicos e privados, dai não signifique que as comparticipações realizadas no ambito do seu exercicio profissional numa unidade privada seja do SNS apenas porque tambem o mesmo atende num hospital publico.. Comparticipações publicas nunca se pagam esses preços exorbitantes.. Tenho uma tia que quando gravida teve que fazer um exame que tiveram que enviar as analises para a Alemanha pois ca em Portugal não tinham como as analisar, custou ao Hospital Dona Estefania (publico, claro) 22 mil euros, e ela não pagou mais do que as taxas moderadoras das consultas.

      Eliminar
    6. Ola!
      Desculpa meter-me, mas estás a confundir um bocadinho as coisas. O SNS comparticipa praticamente todos os exames, mas esses exames tem de ser pedidos num serviço do SNS (independentemente do teu medico trabalhar num hospital, se te viu no consultorio privado, não te vai pedir exames para o SNS).
      Alem disso, uma RMN so pode ser pedida numa consulta hospitalar (no centro de saude não...)
      Ou seja...não tem comparticipação porque estás a usar serviços privados...se fosses seguida no publico pagavas apenas a taxa moderadora

      Eliminar
    7. O SNS comparticipa cada vez menos exames, verdade seja dita. O meu marido também precisou de fazer uma ressonância pedida pelo médico de família no centro de saúde e simplesmente não há comparticipação. No meu caso, fiz a ressonância sem pagar porque foi pedida pelo médico especialista (num hospital do sistema público) que me está a seguir na minha doença crónica.

      Eliminar
  9. Como diz a minha mãe "quem não tiver dinheiro bem morre a esperar pelo SNS" :S. De facto é uma tristeza, mas um seguro de saúde, para quem tenha hipótese, é mesmo um investimento que pode dar muito jeito... :)

    www.semjeitonenhum.com

    ResponderEliminar
  10. Eu tenho um problema cardíaco e tive de ser operada ao coração em 2010. Fi-lo no privado e felizmente o meu seguro de saúde cobriu tudo caso contrário provavelmente hoje ainda estaria em lista de espera para o público. Quando fui à consulta com o cirurgião (que operava em ambos hospitais público e privado) este disse-me mesmo que se o fizesse no privado poderíamos marcar para a próxima semana, no público voltaríamos a ver-nos dali a uns anos... Ainda ontem a minha tia que é doente oncológica foi tratar de uma ferida ao IPO e cobraram-lhe 1€ pelo penso???? Mas que raio de SNS é este para o qual nos obrigam a pagar impostos e segurança social. É muito revoltante.

    ResponderEliminar
  11. Desculpa querida Anne, leio-te há muito tempo e não posso deixar de comentar a tua opinião sobre o SNS... Acredita que, se trabalhasses nele, verias que, apesar de muitas injusticas, que há em todo o lado, é um bem e uma alternativa preciosa para muita gente. Agora no hospital onde trabalho (sou médica), na urgência, distribuem à saída um papel informativo com o custo real daquela ida aos serv de saude e com o custo que tem para o utente, menos de 1/4 na maioria das pessoas. Sim, há injustiças e coisas horriveis... como em todo o lado, mas também há coisas optimas e nem sempre o privado é assim tão melhor como o público.
    O problema dos exames da mamãe é que não são considerados exames de rotina, numa situação normal e assim sendo é incomportavel para o estado garantir que todos sejam baratinhos. Porque, por ex, num doente internado e que precise deles, fazem-se de um dia para o outro (ou de 1 semana para a seguinte) e obviamente sem esses custos.

    Espero que um dia o SNS te possa provar o teu valor porque para a maioria das pessoas ainda é (injustamente) considerado um fardo. O que não é verdade. ;)
    Boa sorte para a mamãe.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A culpa do SNS não funcionar nao é dos seus heróicos colaboradores mas sim da falta de verbas. Parabéns pelo trabalho que apesar de tudo conseguem fazer pela vida das pessoas*

      Eliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig