20 outubro 2013

Particularidades do meu sotaque #5

Na sexta fui à festa de anos de uma amiga e o programa era jantar no Bairro Alto e terminar a noite numa disco qualquer. O M., que só conhece a aniversariante de vista, não foi convidado e ficou puto da vida. Armou logo umas trombas daqui até a China, todo ele era chantagens "porque estás a vestir-te? A sério que vais sem mim?" e eu a tentar explicar que, bom, eu já existia antes de namorar com ele e que não somos siameses, logo, não vejo mal algum em sair com as minhas amigas.

Quando percebeu que eu estava mesmo a arranjar-me para sair sem ele (ui, que heresia), até deitava fumo pelas orelhas:

- Quando quiseres vir embora dizes-me onde estás e vou te buscar para não vires a conduzir sozinha de madrugada... E já sabes, aconteça o que acontecer, NÃO FALES COM SOTAQUE BRASILEIRO!
- Ahn? Essa é nova... podes explicar-me a idéia?
- Porque quando estás sozinha é melhor não falares com sotaque, só isso.
- Sim mas... por qual o motivo?
- Porque não gosto que dês nas vistas... Sempre que saímos à noite e falas qualquer coisa em brasileiro há montes de cabeças que se voltam para ouvir de onde vem essa voz doce.
- Hahaha que teoria da treta. Nunca reparei nisso.
- É sério! Fala sem sotaque, ok?
- Sabes que não consigo controlar... tanto fico duas horas a falar sem sotaque como às vezes uso montes de expressões cariocas. Mas vá, vou testar a tua teoria e depois digo-te se estavas certo.

A última frase que ouvi foi um "não testes" mas a verdade é que, a meio da noite e já super descontraída (e não, eu não bebo), dei comigo a dizer qualquer coisa em brasileiro. E o efeito foi instantáneo: pelo menos uns cinco gajos viraram-se para mim e um deles parou mesmo à minha frente, a dançar. Lá desviei e fui dançar para outro lado. Continuei a falar com as minhas amigas e o homem lá a rondar-me. Mas é que não me deslargou a noite toda! Às tantas fui buscar uma bebida e mal encostei-me no balcão, o gajo aproximou-se:

- Posso oferecer-te uma bebida?
- Não, obrigada.
- Então...?
- Não bebo.
- Não acredito! Vá, escolhe a tua bebida preferida.
- Acho que eles não vendem Fanta Uva... e além disso... (balancei a mão direita, para mostrar a aliança gigante que enfeita o meu dedo)
- Oh, não faz mal, não sou nada ciumento.

Aiii, que nervos. Deixei-o a falar sozinho e fui novamente ter com as minhas amigas. Foi a noite toda o homem a fazer-se a mim, um drama. Às tantas fomos para o piso de cima e ele perdeu-nos de vista. Chato como tudo! Entretanto começa a tocar uma música brasileira (foi a primeira vez que ouvi o "show das poderosas" numa disco em Lisboa - e vocês sabem que eu a-do-ro essa música...) e as minhas amigas, em êxtase: "Vai, Anne, é a tua música!". Não deu outra. Quando dei por mim, tinha mais não sei quantos a oharem-me como se eu fosse um vitelo no talho e logo depois, outro maluquinho a perguntar se podíamos dançar.

Pronto, amor, a tua teoria foi testada e confirma-se: não se pode falar "em brasileiro" na noite lisboeta. Ou corremos o risco de ficar sem um braço. Ou uma perna. Que medo!

SHARE:

8 comentários

  1. hahahahahaha Anne, é mesmo assim! Quando atendo o celular em lisboa e tenho de falar "brasileiro" automaticamente se viram 500000000000 cabeças! Mas também já me aconteceu na mango do freeport ter de falar em "brasileiro" e uma das meninas da caixa se virar para a outra e soltar a seguinte perola "cuidado é brasileira".... Na hora e em português de Portugal perguntem se havia algum problema em ser bi lingue hhahahaha ao qual a otária respondeu, "ah ok é que sabe como é, achava que era brasileira"... Só não lhe dei um murro porque tinha voo nesse dia e não me podia mesmo atrasar.

    beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Falar português de Portugal ou português com sotaque do Brasil, não é ser bilingue.

      Eliminar
    2. eu sei... foi uma brincadeira! rsrsrsrs sempre digo que sou por falar as duas "linguas"!! que nem são duas, é a mesma, para acreditem que são bemmmmm diferentes! rsrsrsrs :*

      Eliminar
  2. uau!
    moro em Lisboa e nunca noite isso!
    theluanadavis.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  3. Pois, realmente a fama das brasileiras em Portugal não é das melhores...
    Mas, não entendo pq o M. é tão ciumento. Vocês já namoram há tantos anos... Então, já não podes sair com as tuas amigas? Ele tem de confiar em ti pq gajos parvos como este do post vão haver sempre!

    ResponderEliminar
  4. Ahahah Não sabia que o "brasileiro" tinha esse efeito nos homens! Agora o facto do M. não querer que saias sem ele é absolutamente ridículo, às vezes os homens parece que têm atitudes do século passado em relação a estes assuntos!

    ResponderEliminar
  5. Anne, sabes que sou brasileira e já passei por tudo tudo isso dito por ti. Meu marido, igualmente brasileiro, diz que isso não é preconceito... é estatística!

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig