15 novembro 2013

"Ai que não encontro trabalho, ai que o país está uma miséria!"

Mas depois, meus amigos, depois é ver esta gente que tanto refila da crise, da falta de oportunidade, do desemprego, do raio que o parta... a fazer figuras tão tristes que facilmente se percebe o porquê de estarem em casa, com o rabo no sofá.  "Ai, Anne, és tão má, dizes isso porque tens emprego, não sabes o difícil que é estar sem trabalho há tanto tempo... " Pois é, realmente não sei, mas digo-vos: nunca na minha vida tinha a lata que esta gente tem paraa enviar currículos destes. A sério, hoje quando vi estas pérolas, só pensava: "nããão, isto não pode ser a sério. É a brincar, não é? Digam que sim".
Duvidam? Ora espreitem:

Isto é real, meus amigos. Há mesmo gente que manda currículos destes, com uma mega fotografia a ocupar toda a primeira página, no género "se calhar tenho a sorte do entrevistador ser um gajo e fico efectiva". Fiquei sem palavras quando abri este currículo. Aliás, é tanta esquisitice que me vêm parar à caixa de entrada que eu já nem me dou ao trabalho de fazer download dos currículos, como podem ver pela imagem, faço apenas "visualizar online" e dali vai direto para o caixote do lixo, que esta empresa não é o Bataclan nem a Casa da Luz Vermelha para eu andar a contratar gajas com as mamas ao léu.


Nem de propósito, uns vinte minutos depois do susto que foi o currículo anterior, lá vou eu, confiante, ler a carta de apresentação de outra candidata. E ia caindo da cadeira. No início da carta a senhora diz que precisa muito de trabalhar, que está desempregada há quase dois anos, que tem um filho pequeno para sustentar, blá blá blá. Mais abaixo, vem o descalabro. "sim, mas só posso trabalhar uma semana das 15h-20h e na semana seguinte só das 9h-12h" Oi? Sequer foi contratada e já está a dar as cartas, que isto agora é assim, as funcionárias é que escolhem as horas em que a empresa vai estar aberta. Apeteceu-me responder: "sim, minha flor, vamos abrir a empresa só nas horas em que a querida pode trabalhar. Numa semana estamos a funcionar de tarde, noutra semana de manhã, para acompanhar o seu ritmo, o que me diz?" [provavelmente esta rapariga tem outro emprego com horários rotativos e quer conciliar ambos mas, caraças, eu fui explícita no anúncio: full time. 8 horas por dia. das 9h às 18h. Enfim...]

A sério, por mais que uma pessoa tente, não dá. Depois a senhora continua, a falar de faltas com aviso prévio, situações de doença e coisas que não lembram a ninguém. Mas quem é que, querendo ser contratado, vai logo falar em faltas para assuntos pessoais e afins? Não percebo.

Juro-vos que, pelo bem da minha sanidade mental, já não recruto ninguém. Vou passar a bola à outra colega porque, está visto, não tenho estofo para lidar com gente assim. E eu gosto de acompanhar tudo ao pormenor e saber que tipo de pessoas estamos a pôr cá dentro, faço questão de conhecer os candidatos e dar a minha opinião sobre eles mas, decididamente, este não é trabalhinho para mim.

SHARE:

7 comentários

  1. E o que eu dava por um trabalho de 8 horas? Um normal portanto :( Realmente a sorte não bate por estes lados. Só queria trabalhar, sentir-me útil, realizada. Está difícil.

    ResponderEliminar
  2. HAHAHA
    Onde eu trabalhei de tempos a tempos recebíamos curricula, mas nunca vi tinha visto nada assim!
    E a mim... nem respondem quando envio o meu curriculum...
    Enfim!...

    ResponderEliminar
  3. Oops... hoje em dia é mamas por todo o lado! Talvez se tenha enganado na candidatura... :S Enfim, sem comentários!!!!

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  4. Seriously?! Está uma pessoa fartinha de mandar currículos ultra detalhados, desde posters/artigos científicos a palestras, passando por todas e mais algumas competências extras aprendidas por curiosidade (photoshop e edição de vídeo, por exemplo), seja para concorrer a emprego ou simplesmente para estágios não remunerados e ganhar alguma experiência, e depois vem gente com esta lata. Efectivamente ou eu estou a fazer algo muito errado ou esta malta não tem um pingo de bom senso e inteligência! Enfim...

    ResponderEliminar
  5. Como te compreendo. Este ano também vi alguns currículos de candidatos e era cada coisa. Até achava que era alguém a gozar comigo... Mas não era mesmo real....

    ResponderEliminar
  6. só por curiosidade, em que área você trabalha? É que estou a tentar imaginar o que essa gente tem na cabeça (o meu palpite é NADA)

    ResponderEliminar
  7. Se a vaga ainda estiver disponível posso mandar o meu CV para o teu e-mail? (Tentar não custa e prometo que mando foto profissional :P)

    Quando andava na faculdade uma professora minha alertou para esses casos. Ela já tinha recebido CV com meninas de biquíni, topless (a taparem seios com mãos),... Como ela disse, em situações em que é para demonstrações de carros ou outras em que é especificado o tipo de corpo e são contratadas precisamente por isso, é uma coisa mas que, infelizmente, Receber CV com miúdas semi-nuas era o prato do dia...

    Apesar de saber que custa a acreditar, há mesmo pessoas a verem-se desesperadas por um trabalho (como eu), que só vou a entrevistas onde querem que pague para trabalhar (quase literalmente, entre 10h-12h de trabalho; ganhar à comissão=se não vende, não ganha; para ganhar 485€ teria que vender uns 17 produtos quando, por vezes, não se consegue vender 1 numa semana; ter que pagar transporte e almoço no local onde calhasse estar, ... "get the picture"?!) ou então ligam 30 minutos antes a desmarcar as entrevistas que estavam marcadas porque afinal já encontraram o trabalhador (traduzindo=chegou cunha).
    E eu não considero ter um mau currículo (aliás é o que me dizem em vários locais onde já fui), no entanto, para trabalhar na minha área preciso de fazer mestrado, para isso, preciso de dinheiro e, para isso preciso de trabalho... que não me dão porque não tenho experiência profissional (um bocado irónico, não?!) ou então são os exemplos acima relatados.

    ps: a melhor mesmo, foi uma entrevista de trabalho que se revelou como uma tentativa de me angariar como membro para um esquema do género do "esquema da roda" (sabem aquele ilegal onde até houve rusgas cá para o norte?). Pois... eu nem sabia se havia de rir, chorar ou chamar a policia...:D

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig