15 novembro 2013

Certezinhas sobre a boda:

- Não quero um vestido de noiva cai-cai [tenho pa-vor deste tipo de vestido], por isso, é certinho e direitinho que vou escolher algo fora do comum [sim, toda a gente casa de cai-cai, seja inverno ou verão - não se percebe]

- Gostava de uma cerimónia íntima, apenas com as pessoas que realmente me dizem muito [odeio convidar gente só para "parecer bem"] mas excelentíssima mamãe já tem planos muito bem definidos e está tão empolgada com o acontecimento que até tenho pena de ser desmancha-prazeres e dizer-lhe que não quero 300 convidados, 3 vestidos, fogos de artifício e outras parafernálias. Comentei com o M. que ela estava a tratar dos detalhes e a fazer as listas todas e ele exclamou: ui, se quando tu fizeste 15 anos a tua mãe organizou aquela festinha, nem quero ver o que ela estará a planear para o teu casamento... [me-do]

- Dê por onde der, o casamento será no Rio [e a festa, idem]. Não caso em Lisboa porque, vejamos: não tenho cá a avó, não tenho o meu pai [que, contrariando todos os pressupostos, quero-o comigo no meu dia], não tenho tias, nem nenhum dos 32 primos, nem madrinha, nem nada... assim de repente, só tenho cá mamãe, o Pê e a Vi =/ E isso é triste.

- Quanto à casa, ele quer que seja na linha de Cascais, eu gostava que fosse mais próximo de Lisboa. Ele não abre mão da praia [e olha que a carioca sou eu, enfim...] e eu detesto imaginar que vou me enfiar na marginal todos os dias para ir para o trabalho. Ainda não chegamos a um consenso. Enquanto as coisas começam a tomar forma na nossa mente, algumas certezas surgem: queremos um T2 [e o meu closet, hã? vai à vida? nãããã], com arrecadação para destralhar a casa e uma cozinha moderna, já com as máquinas todas.

- Quero uma casa com lareira. E isso é inegociável, amo lareiras [e das boas, que eu cá não gosto de lareiras eléctricas, coisinha mais sem graça].

- Ele quer já comprar casa, eu preferia esperar e arrendar [ou, arrendar com compromisso de compra] para ver como as coisas estão daqui a uns dois anos. E se o país ainda piora mais? E se fico desempregada? Por norma não sou nada pessimista mas neste tipo de decisões gosto de pensar muito bem. [e tenho pa-vor de dívidas, uiii]

Todo o resto é uma incógnita. Mas deixa lá, ainda temos onze meses. [que passam num instante, eu seeei]

SHARE:

5 comentários

  1. Oh que lindo, adoro ver a vida das pessoas a ganhar nova forma e adorei ver os teus planos todos :) Um grande beijinho <3

    ResponderEliminar
  2. Então e a família do M.? Os teus amigos portugueses? Levas todas a gente para o Rio?

    ResponderEliminar
  3. Por acaso era o que ia perguntar...se a família dele vai toda para lá? Quanto ao vestido, tb não gosto de cai-cai e nos últimos anos parece uma praga que todos os vestidos de noiva são cai-cai, gosto de manga caída, acho bem sexy ou mesmo manga comprida. Os vestidos da Pronovias são uma perdição, vê o site ;) quanto à casa é um assunto mais complicado, tem que ser visto com calma, porque não um T3? bjs

    ResponderEliminar
  4. Tambem detestoooo vestidos cai cai estou contigo! ahahah Estou curiosa para ver a escolha...
    Muita sorte neste novo "projecto", beijinho <3

    ResponderEliminar
  5. Nem toda a gente cai de cai-cai, garota. Comprei um modelo para "amigas do peito" lindo, lindo, por menos de 300 euros na Rua do Ouro...

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig