10 novembro 2013

Informações úteis // Paris


Quando ir: Esta foi a minha segunda viagem à Paris e se na primeira viagem fui em Maio, desta vez fui em Novembro, ou seja, apanhei climas completamente diferentes. Sou suspeita para dizer, porque sou fã do Outono, mas acredito que as melhores estações para visitar Paris sejam a Primavera e o Outono [no verão há demasiados turistas e no inverno, bom, no inverno o frio é tenebroso - fica ao vosso critério].

Onde ficar: Sempre que viajo dou preferência por hotéis baratos [poupo sempre no hotel, afinal, só lá apareço ao final do dia para dormir - acho um desperdício de dinheiro] e que sejam próximos de estações de metro, a forma mais fácil de locomoção nas capitais europeias. Desta vez o hotel escolhido foi um apartamento, com cozinha e todas as comodidades, nos arredores de Paris. [vou fazer um post só sobre o hotel - aguardem]. Se estão com dinheiro de sobra, optem por um hotel mais central, zona 1 ou 2 do metro.

Onde comer: Comer em Paris é caro. Pudera, é a cidade mais visitada do mundo! Tendo isto em mente e como estávamos hospedados num apartamento, tomávamos duas refeições no apartamento [pequeno-almoço e jantar] e apenas almoçávamos na rua. Mesmo assim, só para terem uma idéia, cheguei a pagar 4,20€ por uma lata de coca-cola [e 18€ por dois cachorros-quentes e um ice tea - sim, foi mesmo a doer]. Recomendo vivamente andarem com baguettes [que podem comprar nos supermercados] e garrafinhas de sumo na mochila e só optarem por restaurantes quando a fome realmente apertar.

 No bar da Tour de Montparnasse, os preços também era abusivos. Fiquei-me pela coca-cola...

Aeroportos: O vôo Lisboa-Paris foi operado pela Aigle Azur [foi a minha primeira vez nesta companhia e apesar das cadeiras apertadas, gostei muito] com destino ao aeroporto de Orly. Assim que chegámos, ainda no aeroporto, compramos o passe de metro para cinco dias [Paris Visite] e o passe de dois dias para os museus [Paris Museum Pass]. Como o passe de metro dava para tudo [autocarro, comboios, funicular, comboio], incluindo o Orlyval, o metro do aeroporto, optamos por ir para o hotel de metro. Apanhamos o Orlyval na estação Orly Sud e fomos até Antony, onde havia metropolitano e pudemos trocar de linha para a linha de metro do nosso hotel (linha nº 5 - cor de laranja).


Já o vôo Paris-Lisboa foi da Air France [gosto, gosto muito] e saiu do aeroporto Charles de Gaulle. Mais uma vez, optamos por ir de metro até a estação da Gare du Nord e de lá apanhamos o comboio (RER) com destino ao terminal 2 do Charles de Gaulle. Atenção: o comboio teve duas perturbações durante a viagem e estivemos quase 30 minutos à espera numa estação, o que fez com que quase perdêssemos o vôo, por isso recomendo que contem com uma margem de tempo até o aeroporto, para o caso de algum imprevisto.

 Orlyval, o metro do aeroporto de Orly.

Calçado: Esta dica vai especialmente para as meninas que gostam de andar de saltos. Esqueçam. Em Paris anda-se muito a pé e fazemos vários quilômetros por dia, por isso não arrisquem: escolham os vossos sapatos mais confortáveis, sejam tênis ou botas [sem salto, of course] e não duvidem do que vos digo: ao fim do dia, os nossos pés estão uma lástima [e eu andei sempre com botas rasas...]

Mal aterramos no aeroporto de Orly, fomos ao corner de turismo e compramos os bilhetes de metro [passe ilimitado para 5 dias, todas as zonas - incluindo os aeroportos] e também o passe dos museus [juro-vos, foi o dinheiro mais bem gasto da viagem - acho que poupei umas 20 horas de fila interminável para entrar nas atracções, tudo em Paris tem fila]

Segurança: Posso dizer que conheço já algumas capitais européias e senti-me sempre segura em todas elas... menos em Paris. Não vou dizer que a cidade é perigosa, não chega a tanto. Mas não tem nada a ver com Lisboa, por exemplo. Fui abordada n vezes, sempre por franceses ou africanos, que tentavam aplicar os mais diversos golpes ou vendas agressivas [falarei sobre isso noutro post] por isso, evitar andar sozinha [principalmente à noite], não demonstrar estar com dinheiro/objectos de valor [iphone, câmeras...] e sempre, sempre que for abordada por algum espertinho, dizer em tom firme [e se possível, alto]: "Non, merci!" são dicas preciosas para ir e voltar de Paris em segurança. Não, não estou a exagerar.

SHARE:
© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig