19 novembro 2013

Insólito:

Tive que sair do escritório a meio da tarde para ir à dermatologista e para poupar tempo (estacionamento, parquímetro...) decidi ir de táxi, era uma distância pequena e compensava. Assim que entro no táxi, o telefone toca. Era a minha avó, cheia de novidades e eu ali, a conversar com ela em carioquês. Mal desligo o telemóvel, o taxista puxa conversa:

- Não tinha reparado que a menina era brasileira... é de onde no Brasil? (mereço?!)
- Sou do Rio de Janeiro
- Ah, a cidade maravilhosa... mas já deve viver cá há muitos anos porque não se nota quase sotaque nenhum.
- Pois, já vivo há alguns anos.
- Eu não sei o que vocês comem lá no Brasil que as mulheres são todas giras e morenaças, deve ser da comida de lá...
- Se calhar... (doida para o homem se calar)
- Sabes (?), tenho um amigo que foi de férias para o Brasil e dois meses depois, voltou casado com uma brasileira, vê lá! Aquilo foi uma coisa explosiva, apaixonaram-se e em um mês estavam casados. Há qualquer coisa em vocês que põe os homens malucos. (a sério, porque será que eu só atraio gente maluquinha e que mete conversa comigo como se eu fosse uma amiga de infância? não é normal...)
- Pois, não sei...

(e o homem lá continuou a falar, a falar e eu sempre a responder em monossílabos que era para ver se a coisa ficava por ali. Nunca gostei tanto de chegar à minha dermato, xiça!)

SHARE:

4 comentários

  1. Vê lá se o teu noivo tem ou não tem razão??
    Nós, brasileiras, trazemos letreiro neón na testa. Pisca em luzes vermellhas.
    Odeio.
    Mas é como diz o meu marido (brasileiro e realista): "não é preconceito, é estatística"
    Há que ter paciência...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É, Mila, dessa vez tive que dar razão ao M., ele está certíssimo. Fiquei ligeiramente assustada com a conversa do homem e agradeci por ser de dia, acho se ele viesse com essa conversa de noite, só eu e ele dentro do táxi, era menina para sair logo na primeira esquina. Gente doida!

      Eliminar
  2. ahaha imagino como te deves ter sentido. Eu morreria de vergonha!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu morri de vergonha também, nem sabia bem o que responder, com medo de dizer algo que o entusiasmasse ainda mais. Só balançava a cabeça e respondia: Pois... pois... LOL
      Que nervos!

      Eliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig