10 novembro 2013

Paris // dia 5 (último)

Na segunda-feira, dia 04 de Novembro, foi o nosso último dia em Paris. O nosso vôo saía só as 20h do aeroporto Charles de Gaulle, pelo que ainda tínhamos o dia quase todo para desfrutar e gastar os últimos cartuchos na cidade-luz. O nosso hotel ficou a guardar as nossas malas, já que o check out foi logo de manhã, e nós corremos para o centro, que ainda havia muito para ver.

1// Le Mur des Jet´aime: Saímos na estação de Abesses e mesmo em frente à praça está o jardim com o famoso muro mais romântico do mundo, o muro do Eu te amo [sim, Paris é mesmo a cidade dos apaixonados]. Je t'aime, te quiero, I love you, Ya tebya liubliu,miluji te, Ich liebe Dich, Ek is lief vir jou... O muro foi idealizada por Frédéric Baron e inaugurado em 2000. Reúne 311 maneiras diferentes de dizer “amo-te" em vários dialectos e idiomas.



2// Estação Abesses: Esta estação de metro merece um destaque à parte. Localizada no charmoso bairro de Montmartre, Abesses é uma estação da linha 12 de metro [verde-escura] e a mais profunda do metro de Paris [as minhas pernas que o digam]. As plataformas estão localizadas a 36 metros de profundidade, por isso, as escadas tiveram que ser em espiral, por causa da inclinação dos degraus. Há elevadores que ligam as plataformas à superfície mas sortuda como eu sou, no dia em que lá fui os elevadores estavam em manutenção... então, vá de subir mais de cem degraus. Sim, depois de Paris as minhas pernas nunca mais serão as mesmas.


3// Le Passe-Murailles: Continuando a andar por Montmartre [o meu bairro preferido em Paris], íamos a caminho da Place du Tertre quando nos deparamos com essa estátua engraçada, do homem que passava através dos muros. Tudo começou com o escritor Marcel Aymé, que escreveu um livro chamado "Passe Muraille", sobre um homem que conseguia passar através das muralhas."À Montmatre existia um homem chamado Dutilleul e ele tinha um dom muito peculiar de atravessar os muros sem ser incomodado..." - trecho do livro de Aymé. O personagem do livro vivia na Rue Norvins, o mesmo sítio onde foi erguida a estátua em homenagem ao seu autor.


4// Place du Tertre: Continuando a caminhar, encontramos a praça mais animada de Montmartre e onde todos os pintores parecem estar reunidos, sempre prontos a desenhar o perfil dos turistas. Uma chuvinha chata começou nesta agora e a praça esvaziou-se mas ainda assim, é um sítio muito bonito e cheio de artistas. Foi o lugar onde comprei as melhores lembranças e postais de Paris [12 postais a 0,20€ - é de aproveitar] e alguns dos souvenirs mais baratos. Perdi a conta dos pintores que nos abordavam [ao contrário dos outros, estes eram muito educados] para traçar o perfil da "mademoiselle" mas não tínhamos tempo disponível, infelizmente.


5// Centre Georges Pompidou: Já passava das 14h quando finalmente chegámos ao museu de arte moderna de Paris, pela estação Rambuteau. A arquitetura original, com os tubos do ar condicionado e as escadas rolantes exteriores faz-nos sentir numa era futurista. Como ainda tínhamos um avião para apanhar neste dia e já não tínhamos o passe dos museus válido, optamos por comprar apenas o bilhete para a Visita Panorâmica, que dava acesso às escadas-rolantes e ao último andar do centro. O bilhete custou apenas 3€ e fiquei mesmo com pena de não poder desbravar as colecções e exposições temporárias do centro. Fica para a próxima visita.




6// Visita panorâmica do Pompidou: Com os bilhetes para as escadas-rolantes exteriores [ou tubos, como os franceses falam], lá fomos nós subir, subir e subir... sempre com uma vista fantástica sobre Paris.






7// Restaurante Flunch: Na saída do Pompidou e mortos de fome, encontrámos um restaurante com um conceito fantástico e preços ainda melhores. O Flunch é assim uma espécie de "restaurante IKEA" onde servem-nos a carne principal [no meu caso, um cordon blue] e o acompanhamento é servido numa espécie de buffet, onde podemos repetir sempre que quisermos [e eu sou pessoa que come sempre muito mais arroz e massa do que propriamente carne, por isso, adorei o sítio]. Gastámos 16€ e comemos como pequenas lontras. Diz que já abriu o Flunch no Porto, tenho que lá ir cuscar.


8// Rue de la Huchette: Apanhamos o metro até a estação de Saint-Michel e fomos conhecer a rua no centro de Paris onde os carros não entram, só os pedestres. A rua é pequenina, com apenas dois quarteirões mas é tão turística, tão kitsch que vale a pena a visita. Creperias, gelatarias, artistas de rua, bares com karaoke, clube de jazz, um teatro... cabe o mundo na rue Huchette.


9// A menor rua de Paris: Uma das ruas que cortam a famosa rue de Huchetee é a tal Rue du Chat-qui-Pêche [rua do gato que pesca], uma pequenina viela, considerada a rua mais estreita da cidade, com apenas 1,80m de largura e 29m de comprimento. O nome pitoresco está relacionado com uma lenda entre um padre-alquimista e o seu gato preto. Diz a lenda que com uma única patada, o gato conseguia retirar/pescar os peixes do rio Sena, por isso, as pessoas acreditavam que o animal era uma reencarnação do diabo. Haja imaginação...



Quando olhamos o relógio já passava das 16h e ainda tínhamos que passar no hotel para buscar as malas que ficaram lá guardadas, por isso, fomos quase a correr para o metro rumo ao hotel, agarramos nas malas e fomos até a estação Gare du Nord apanhar o comboio [RER] que nos levaria até o terminal 2 do aeroporto Charles de Gaulle. Chegamos no aeroporto com pouco mais de uma hora até o horário do nosso vôo, ainda deu tempo para dar umas voltinhas pelo DutyFree, dos melhores que já vi. Chegámos em Lisboa às 22h30, o vôo foi bem mais rápido na volta, durou duas horas certas e para a minha alegria, quase não teve turbulência [thanks, AirFrance].

Espero que tenham gostado deste roteiro minucioso sobre os meus cinco dias em Paris e podem deixar dúvidas e comentários na caixa abaixo, que prometo responder em breve. Au revoir!

SHARE:

1 comentário

  1. Olá Anne :) Adorei o seu roteiro! Vou a Paris com o meu mais que tudo para a semana mas não consigo encontrar o site oficial para a venda dos bilhetes na Torre Eiffel...será que me podes indicar qual é o site por favor? Este site que encontrei dá sempre esgotado... http://ticket.toureiffel.fr/index-css5-sete-pg51.html Um beijo bem grande e obrigada :)

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig