03 dezembro 2013

♪... e no meio de tanta gente eu encontrei você...♪


Porque quando você ama sente necessidade da outra pessoa. Não por dependência, carência e outras ências. Mas porque é bom estar ali, com o corpo junto, coração do lado, ouvindo a respiração. Você se sente em casa.
- Clarissa Corrêa

E, de todas as sensações que me fazes sentir, essa é a mais especial: sentir que estou em casa. Essa sensação de segurança, de amor e cuidado... é algo que não tem preço. Contigo sei que os dias são melhores, sei que basta um olhar para saberes como estou, o que penso. Adoro a forma como me olhas, o som da tua gargalhada, a paciência infinita para lidar com os meus chiliques, até a forma como refilas de madrugada: "oh pá, tens mesmo que ligar o ar condicionado? O teu quarto é um microclima, sempre com temperaturas a rondar os 10º, não se aguenta, desliga essa porcaria". Adoro a tua cara de zangado quando alguém diz que pareço ter 18 anos [vivam as sardas na cara] e tu dizes que sentes que estás cota, do alto dos teus trinta e poucos anos, e que toda a gente nota que és alguns anos mais velho que eu [como se isso mudasse alguma coisa]. Gosto, particularmente, da forma como falas de mim para alguém, como se eu fosse um tesouro que descobriste numa ilha deserta.

Hoje sou muito mais feliz, contigo. Não que eu fosse antes. Mas antes eu nem sabia o que era um amor de verdade. Te amo, meu bem.

SHARE:
© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig