09 janeiro 2014

Decor // tapete LUDDE da IKEA

Ultimamente tenho ido à IKEA vezes e vezes sem conta. Ou porque quero aproveitar bem os saldos, ou porque enganei-me nos tamanhos das capas de almofada e precisava de as trocar (sim, acontece-me sempre), ou porque quero apenas comer aquelas almôndegas suecas com um molho delicioso... motivos não faltam e assumo: sou ikeaholic! Numa destas idas, fiquei a namorar o tapete LUDDE, em pele de ovelha [acalmem-se, activistas da PETA, neste caso a lã foi apenas um subproduto da carne, a ovelha não foi morta apenas para satisfazer o meu capricho de ter um tapete peludo em casa, okey?]

Sempre que via imagens no Pinterest sobre decor, lá estava o raio do tapete, utilizado nas mais variadas formas: aos pés da cama, a fazer de assento fofinho numa cadeira, jogado displicente sobre o sofá... e a vontade de tê-lo só aumentava!


Por isso, quando encontrei o tapete com menos 7€ do preço original, decidi aproveitar e trouxe-o comigo. Eu sei, 7€ não é nenhum desconto espetacular mas como duvido que baixem mais o preço e como queria mesmo o tapete [e acabaria por comprá-lo ao preço normal] decidi não esperar mais.

Não tenciono usá-lo no chão [dá pena, é tão branquinho e fofinho] porque o meu M. é capaz de lhe dar cabo da brancura em dois tempos. Entra-me pela casa com os ténis sujos do futebol ou do ginásio e lá se foi o tapete... Por isso o melhor é usá-lo por cima de uma cadeira ou mesmo do sofá, não sei, estou indecisa... Mal posso esperar por ver a minha casinha pronta, com tudo no sítio certo ;)


P.S: Eu sei que a questão de usar/não usar pele verdadeira divide opiniões, assim como comer ou não carne mas acredito que cada um sabe o que é melhor para si. Não sou capaz de usar um casaco de pele exótica, por exemplo, de chinchilas e outros animais porque sei que os bichos foram mortos única e exclusivamente para fazer um casaco. Já um casaco/botas/mala em pele de vaca, não vejo problemas em usar porque de uma forma ou outra a vaca já seria morta à mesma, pela carne [que eu, infelizmente, ainda como], por isso não me faz espécie [e toda gente sabe que vestuário em pele é para a vida toda, possuem uma qualidade excepcional - tenho umas botas em pele há pelo menos 7 anos e continuam perfeitas]. Num mundo ideal, todos seríamos vegans e felizes. Mas no mundo real...
SHARE:

4 comentários

  1. Ouch, aqui em casa a brancura não sobreviveria nem em cima do sofá! Concordo com o que dizes sobre as peles, e ainda acrescento algo que me parece que a maior parte das pessoas não tem em conta: num tempo onde não havia preocupações éticas com os animais, já com alternativas e por ignorância (ou estupidez) das pessoas, o mal foi feito e até hoje ainda existem muitas peças em peles exóticas. Como dizes, a qualidade é excepcional e duram para a eternidade. Eu acho que não tem mal usar ou reaproveitar essas peles. O crime maior, agora, seria destruí-las depois do sacrifício que foi feito, e sabendo que há quem não tenha o que vestir. Até nas lojas de roupa em 2ª mão surgem achados destes a preços absurdamente baixos. Eu seria incapaz de comprar peças feitas a partir do sofrimento dos animais, mas não tenho medo/vergonha de usar as que eram da minha avó, seguramente com mais de 60 anos. É um assunto controverso, há que alertar a sociedade sobre estas temáticas e fazê-la reflectir, mas também há muitos dramas desnecessários (como a aflição de algumas pessoas com produtos como o tapete do post).

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Uma vez peguei num tapete desses e achei que ele cheirava mal :/ em vez disso trouxe a manta Ofélia, tão ou mais gira em cima de bancos e companhia. Aliás, é a que tenho no meu colo neste momento.

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  3. Partilho da tua opinião relativamente ao uso de peles. Não vejo problema em usar algo de pele se o animal for abatido para alimentação. Já não sou capaz de usar por exemplo pêlo de raposa que não sendo algo exótico me causa mau estar por saber que o animal foi morto com esse proposito. São opiniões, eu partilho da tua :)

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig