12 janeiro 2014

Equivalência de estudos // Brasil-Portugal

Na sexta-feira recebi um mail um bocadinho "desesperado" de uma leitora brasileira que está em Portugal há dois meses e pretende entrar este ano para a universidade. O "desesperado" prende-se no facto dela precisar dar entrada na equivalência de estudos com urgência para que lhe seja atribuída uma média de secundário e então poder realizar os exames nacionais deste ano [sim, os prazos estão apertados]. Pediu-me para dar assim algumas luzes e contar um bocado da minha experiência.

Quando cheguei a Lisboa, em 2005, tinha 17 anos e o secundário feito no Rio de Janeiro (o equivalente ao segundo grau no Brasil). Tinha feito o exame nacional no Brasil (o tal vestibular) e também o ENEM (exame nacional do ensino médio) porque queria fazer a faculdade no Rio a todo o custo (e sabia que se entrasse logo para uma pública, a minha mãe desistia da idéia de vir para Lisboa - eu não queria vir para cá de jeito nenhum, que ironia). A verdade é que passei para a 2ª fase da UERJ e da UFRJ (as faculdades públicas do Rio) mas já não fui a tempo de fazer as provas específicas porque entretanto apanhei um avião rumo a Lisboa no dia 15 de Novembro.

Cheguei a Lisboa e a primeira coisa que fiz foi inscrever-me como aluna-assistente no 12º ano para poder apanhar a matéria que sairia no exame nacional cá, em Maio. Ao mesmo tempo, fui ao Ministério da Educação dar entrada na minha equivalência para conseguir uma média de secundário e poder entrar na universidade cá. Só que o processo foi muito demorado [soube depois que entraram em contacto com o colégio Salesiano do Rio, onde fiz o secundário, para averiguar todas as notas e certificarem-se de que as declarações que entreguei eram todas originais].

Por isso, em 2005 não consegui fazer os exames nacionais porque, supostamente "não tinha o secundário feito" já que a minha equivalência ainda não tinha sido reconhecida. Chorei taaanto nesse ano, valha-me Deus. Só pensava que se estivesse no Rio já estaria na UFRJ como caloira e agora teria que estar um ano parada sem estudar. Enfim, não foi fácil.


Em Junho de 2005, finalmente a minha equivalência saiu e recebi a tão esperada correspondência em casa. Para minha desilusão, em Portugal consideram que o ensino brasileiro é inferior e por isso, retiram 10% da média final como forma de "adequarem" a média brasileira à portuguesa. [sim, somei toodas as notas do meu boletim do secundário e a média dá 18,02 - entretanto, deram-me exactos 10% a menos de média, o que dá um bonito 16,4 valores.] Fiquei possessa! Fui reclamar no Ministério da Educação, levei todos os boletins e notas que tinha em mãos, falei com várias pessoas e todas foram unânimes: o ensino é mesmo considerado inferior e não havia nada a fazer. [não sei se actualmente ainda é assim mas no meu tempo foi motivo de indignação da minha parte].


Depois foi só apresentar este documento na escola secundária onde eu assistia as aulas do 12º ano e fazer os três exames nacionais que a universidade para onde eu queria ir pedia, no meu caso, Biologia, Química e Matemática. E, outro motivo de irritação, fiquei com um 17 no exame nacional de Biologia porque descontaram-me 0,8 valores de erros de português [eu escrevia em brasileiro, como devem calcular]. Mais irritação da minha parte (então mas eu fiz um exame de português ou de biologia?), mais reclamações e como sempre, não deu em nada. Fiquei com o 17 e felizmente consegui entrar na universidade que queria mas achei injusto, pois achei.

Quem disser que é fácil ser brasileiro e querer entrar no ensino superior... só pode mesmo ser maluquinho. Recado para a leitora que me fez escrever o post: vá o mais rápido possível ao Ministério da Educação, leve todos os documentos que tenhas e que possam ser úteis (boletins, certificados, diplomas, tudo) e explique tudo com educação (eu sei que às vezes dá vontade de falar poucas e boas mas acredita, com calma tudo se resolve). Boa sorte! Cá ficarei de dedinhos cruzados por ti :*
 
SHARE:

18 comentários

  1. Não acho absurdo que num exame de Biologia os erros de português sejam descontados. É claro, para ti, por seres brasileira, não eram erros, mas de acordo com a nossa gramática eram, logo, fazia sentido descontar. Não é por alguém ser biologo que pode assassinar o português.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo contigo em certo ponto, eram erros ortográficos (não escrevia "contacto" e sim contato; escrevia úmido e não "húmido"), mas achei de certa forma injusto porque apesar dos meus "erros ortográficos" dominava a matéria toda do exame e no fundo, era apenas uma questão de tempo até que estivesse habituada ao vosso português (o que de facto, aconteceu passado um ano). E não, nunca escrevi "depois fala-mos" como já vi muito aluno de mestrado escrever... isso sim, para mim, é assassinar o português.

      E acho ainda mais piada que tudo aquilo em que me descontaram pontos no exame... faça agora parte da nova ortografia (o tal do acordo ortográfico). É incrível como as coisas mudam. Por isso faço questão de não aceitar o acordo, afinal, fui tão penalizada por escrever "em brasileiro" que agora faço mesmo questão de escrever no português de Camões :P

      Eliminar
    2. Eu entendo Anne, mas o professor que corrigiu a prova não tem como saber as circunstâncias especiais do teu caso, se acabaste de chegar a Portugal ou não. Seguem-se pelos critérios de correcção que incluiem descontar um pouco pelos erros ortográficos, o que a meu ver faz sentido (e justo, pois valorizará aquele que tem cuidado com o português). É claro que acaba por penalizar pessoas como tu, que não têm culpa de dar "erros", mas era impossível para cada exame haver critérios de correcção diferentes, adequados a cada caso ;)

      Eliminar
  2. Anne, o ensino no Brasil é considerado inferior ai em Portugal, mas depois é ver os filhos das minhas amigas e conhecidas portuguesas que aqui estao a trabalhar no Rio a não passarem em nada no Santo Agostinho nem no Santo Inacio (colegios de referencia no RJ como sabes) e irem recambiados para casa dos avos em Lisboa para fazerem as disciplinas ai...

    Coisas engracadas da vida! O paleio é muito mas na pratica as coisas sao diferentes...

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, também já ouvi pérolas destas, de crianças portuguesas que não se habituaram ao ensino brasileiro =/ A verdade é que o ensino é mesmo diferente, em termos de programa e isso, abordam os assuntos de maneiras diferentes. Por exemplo, dei cálculo matricial em matemática, no meu 12º ano no Rio. E por cá, os meus colegas de curso só ouviram falar das matrizes no 1º ano da universidade.
      Em contrapartida, eu nunca tive cadeiras como Psicologia, Filosofia (que são comuns por cá) mas tive duas cadeiras de História (História Mundial e História do Brasil) e uma de Literatura, que por cá ninguém tem.

      São metodologias de ensino diferentes, mas daí a descontarem-me 10% de uma média de 3 anos de estudo intensivo... foi duro =/

      Eliminar
  3. Não acho duro, acho que os professores tem que corrigir o exame com base no que está escrito e não tem maneira de saber se és Brasileira, Chinesa ou Portuguesa. Quanto ao nivel de ensino ser mais exigente em Portugal que no Brasil, as privadas são bem mais exigentes e o nível de ensino bem superior. Sou professora (Licenciada em PTA) e aqui no Brasil vejo como as coisas são diferentes... já as publicas é o que todas sabemos... o ensino publico do Brasil é fraco.
    Anne estudas-te nos Salesianos da Barra? Estou a pensar colocar lá os meus filhos quando voltar ao RJ (sou portuga a viver em Sao Paulo). O que me dizes dos Salesianos?

    ResponderEliminar
  4. O seu post foi muito útil pra mim nesse momento! Obrigada :)
    Sou brasileira e estudei em Portugal desde a 2ª série até o 11º ano, porém precisei ir pro Brasil e acabei concluindo o 12º ano lá. Agora estou nesse processo de equivalência e tem sido um processo demorado. Obrigada pelo esclarecimento!

    ResponderEliminar
  5. Eu acho que tive sempre sorte... Quando vim para Portugal, tinha acabado de concluir o 10º ano (1º ano do EM no Brasil)e quando fui me inscrever aqui no 11º, não me queriam deixar, queriam que eu voltasse ao 10º outra vez, eu bati o pé e disse que não, que eu me adaptaria bem e tal. Aceitaram. Quando veio o meu certificado de notas, acho que deram a equivalência certa, fiquei com média 19 do 10º, não fiz as contas, mas penso que minhas notas não chegavam a 20. Obviamente pensaram que eu não conseguiria alcançar o dito padrão português, mas passado um ano já estava entre os melhores da classe. Sempre corrigiam-me o meu português, o que de certa forma foi bom, pois me ajudou a perceber onde "errava" mais e acabei com a maior nota no exame de português, pasmem, da minha Escola Secundária inteira, tal feito também se repetiu no exame de História. Assim, penso que não me descontaram nada nos exames, de acordo com os meus cálculos estava tudo onde se era suposto estar. Desta forma, penso que sempre tive muita sorte...

    ResponderEliminar
  6. Garota de Ipanema.....esse post me ajudou a clarear as ideias sobre o meu assunto do momento, mais ainda tenho duvidas..... pretendo viver me Liboa em 2015 e tenho dois filhos um no 9 ano e uma no 7 ano,sinceramente nao tenho a menor ideia de como será a minha luta na questão equivalência, aqui eles estudam em Sao Paulo em um colegio privado, porem são alunos medianos, nunca foram os primeiros da sala e isso me assusta, pois nao gostaria que eles fossem obrigados a fazer o mesmo ano novamente....você acredita que fatalmente isso ira acontecer? E mais, eu devo levar apenas o certificado de conclusao e o historico escolar, protocolado pelo consulado aqui no Brasil, isso ja basta? Estou de verdade um pouco perdida nessa questao se puder me ajudar serei muito grata a você e a todos......muito obrigada!!

    ResponderEliminar
  7. A Espanha é considerada periferia do euro. Adivinhem qual outro país é também considerado periferia do euro...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. periferia do euro?! lololol o que é isso "periferia do euro"?!?! nem nunca ouvi falar nisso! nem nada sobre a Espanha ser um parceiro menor em relação ao euro!!! mas adivinhar que aparecem sempre uns patetas com conversas parvas como tu, é fácil de adivinhar

      Eliminar
  8. eu sou brasileiro e quero terminar o ensino médio em Portugal, estou terminando a segunda série do ensino medio aqui e faria o ultimo ano em Portugal, eu teria que entrar com o pedido de equivalência também ? Estou tirando a cidadania portuguesa

    ResponderEliminar
  9. Olá, bom dia....Minha mãe vai a Portugal mês q vem, então tenho q ir junto e vou acabar estudando lá, como eu nunca fui uma aluna exemplar e nunca tirei notas muito altas, tenho algumas duvidas... 1- Eu indo para pt tenho que fazer uma prova de equivalência (estou no 2° ano do ensino médio)? 2-É muito complicado conseguir uma vaga do ensino médio(secundário) lá?

    Obrigada

    ResponderEliminar
  10. Olá,moro no Brasil estou com viagem marcada para dezembro,para ir para Portugal...tenho 16 anos estou no 1• ano do ensino médio que em Portugal e o 11 do ensino secundário.Eu queria me informar se para eu terminar meus estudos ai em Portugal no ensino secundário preciso ter uma tutora,pois vou ir sem meus pais,em Portugal cmg vou ter apenas meu noivo e minha sogra...e quais papeis preciso ter em mãos,tenho muitas dúvidas pois sou de menor e estou indo sem meus pais(resumindo quero saber se para mim terminar meu estudo secundário em Portugal preciso ter alguém responsável por mim ou nao,por eu ser de menor ainda),queria muito que le ajudasse,estou desesperada atrás de informações pf me responde��

    ResponderEliminar
  11. Olá queria saber se para mim terminar o ensino médio em Portugal estou no 1 série do ensino médio,tenho 16 anos,tenho a duvida de se eu for para Portugal para terminar meu estudo la eu preciso ter uma tutora? Pois soiu de menor e vou ir sem meus pais,la em Portugal tenho apenas meu noivo e minha sogra e alguns conhecidos,estou desesperada atrás de informações,posso ir tranquila e termina meus estudos la sem meus pais somente minha sogra responsável por mim ou não,ela tem q ter um papel comprovando que e minha tutora? Pf me responde,estou pra mudar e preciso de informações.Desde já agradeço 🙏

    ResponderEliminar
  12. Bom dia!
    No final do ano termino o ensino secundário no Brasil e em 2018 passarei a residir em Lisboa.
    Vou querer me candidatar a uma faculdade.
    Como é feita a conta para a nota média das minhas notas? Li que desconsideram Ed. Física.
    A nota de corte, nota mínima da minha escola é 6, vão também abaixar a minha nota final? Tem algo que eu possa fazer para isso não acontecer?

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig