30 abril 2014

O meu cérebro vai dar um nó...

Andamos super indecisos em relação ao destino da lua-de-mel. E temos que decidir até, no máximo, dia 5 de Maio (daqui a menos de uma semana) porque o M. vai estar as duas próximas semanas em Londres (por causa da apresentação de um novo software) e depois entramos na época alta das viagens de verão e é um deus-nos-acuda. E os preços, obviamente, disparam.

Casamos no início de Setembro e, como tal, queremos ir de férias logo a seguir (mas demos uma tolerância de uma semaninha, para o caso de haver diferenças brutais de preços entre uma semana e outra). A questão é que ele quer ficar a jiboiar durante duas semanas, só quer saber de praia, piscina e resorts. E eu acho que vai me dar um fanico qualquer, porque adoro agitação, sair pra bater perna (mas também gosto de uma boa praia). Posto isto, vamos a votos:

As escolhas dele:

- 1 semana nas Maldivas em Jacuzzi Water Villa (as cabaninhas dentro da água) - e sim, nesta opção só dá mesmo para ficarmos uma semana, o valor que nos pediram é um balúrdio (6.527€ para ser mais exacta)! Mas tendo em conta que só dois destinos no mundo possuem esse tipo de alojamento (e o outro é a Polinésia Francesa, que está muuuuito acima das nossas possibilidades - deram-nos um orçamento de 11 mil euros, só a título de exemplo), acho que até é capaz de valer a pena. Mas não há rigorosamente nada para fazer no atol, para além de praia. Aquilo é só água, no terceiro dia já eu estou a bufar de tédio, aposto.

- 2 semanas na Jamaica: Ahh, o paraíso, diz-me ele. Eu torço o nariz, que não curto nada dessa onda do reggae, a vibe "Bob Marley" da coisa (não desfazendo do senhor, mas não é mesmo a minha praia), enfim... E ouvi coisas muito negativas em relação ao hotel que queremos ficar (Bahia Principe), por isso, não sei.

As minhas escolhas:

- 2 semanas na Riviera Maya: Sou louca para conhecer o México, acho um país com uma combinação fabulosa de praias incríveis e muita cultura. Desde que uma amiga foi de férias para lá, há uns anos, que fiquei com outra idéia da Riviera Maya. Aquilo é um paraíso e o regime de tudo incluído nas Caraíbas é mesmo à grande. E com a vantagem de podermos fazer excursões para Xcaret, Chichen Itza (deve ser imperdível) ao mesmo tempo em que alternamos cultura com praia. Perfeito.

- 4 noites em NYC + 5 noites na Riviera Maya: Essa escolha sim, seria ouro sobre o azul. Podemos ter o melhor dos dois mundos, assim de uma enfiada só. Mas ele queixa-se, que vou passar os dias em NYC enfiada em lojas, a comprar este mundo e o outro (que injustiça) e que vai ser uma seca descomunal.

Não sei o que faça, sinceramente. Não quero um sítio só com água por todo os lados, sem nada de especial para fazer a não ser contar quantos peixes passaram por debaixo da minha cabana. Precisava de uma ajudinha. Quem já foi a algum desses sítios poderia fazer o enorme favor de deixar cá uma opiniãozinha? Só assim naquela de dar uma luz aos mais necessitados. Sim? ;)

SHARE:

28 abril 2014

Há gente mesmo estúpida, não há?

Estava no supermercado e fui para a caixa pagar. Como a menor fila era a da caixa reservada a grávidas e deficientes, lá encaminhei-me para lá (mas com a óbvia consciência e dever moral de dar a vez às pessoas grávidas e deficientes, afinal, aquela caixa é destinada à eles). Estava um senhor a ser atendido e logo atrás dois rapazes entre os 20/25 anos. E eu lá me pus atrás deles. Nisto surge uma senhora, visivelmente grávida (não percebo nada de gravidez, mas devia andar ali nos últimos meses, tinha o pé super inchado - as coisas em que eu reparo!). E a senhora, evidentemente, foi para a fila dela.
Fiz imediatamente sinal para que ela passasse à minha frente. Sorriu, agradeceu e lá ficou, na esperança de que os dois jovens lhe dessem a vez. Eles, quando viram que a grávida estava atrás deles, se puseram muito direitos a olhar para a frente, como que a fingir que não a viam. E a senhora lá se fez notar:

- Desculpe, posso passar à frente?
Um dos rapazes, com um ar de frete que nem vos digo, exclamou:
- Olhe, que remédio!
- Desculpe? Você não me está a fazer favor nenhum, é um direito meu e está muito bem assinalado por cima desta caixa, veja (e aponta para a tabuleta que informa das prioridades).
- Pois, claro... Vá, passe lá.

Assim que a senhora começou a pôr as coisas na esteira para pagar, o rapaz vira-se para o colega e diz: "aposto que na hora de f*der não precisou de prioridade e agora está aqui a armar-se em VIP."

Epá, caiu-me tudo ao chão. Nem queria acreditar no que estava a ouvir, só me apetecia correr aqueles gajos à chapada. Há gente que não merece viver em sociedade, merece viver na selva, com os bichos. E mesmo assim, desconfio que entre os animais é capaz de haver mais respeito. Bolas!

SHARE:

27 abril 2014

Um sábado de compras [post longo]

Decidimos tirar o sábado para tratar de algumas pendências do casamento. Fui à loja de noivas pagar o vestido (e ainda consegui 15% de desconto porque paguei a pronto pagamento - nada como fazer o choradinho), depois passamos pela IKEA para almoçar (não resisto às almôndegas, nada a fazer) e aproveitamos para trazer de lá um candeeiro que amamos de paixão, para o nosso quarto.

Aliás, eu babo-me por quase tudo da colecção Stockholm, acho as peças super interessantes e com aquele ar de design que tanto o M. gosta. Queremos pôr o candeeiro no quarto mas ainda estou indecisa se não ficará melhor na sala. Não sei, tenho que ver.

De seguida fomos ao Allegro, que é já ao lado da IKEA, porque o moço queria um relógio para usar no casamento. O que ele usa normalmente, em couro (da Fossil) é demasiado informal para a cerimónia, logo, lá fomos nós em busca de um relógio que ele gostasse. E veio este:


SHARE:

26 abril 2014

mini road trip // pelos caminhos de Portugal

 De Tavira seguimos para Espanha...
 Marina de Ayamonte
 Banquinhos fofos numa pracinha em Ayamonte
SHARE:

25 abril 2014

Depois não digam que eu não avisei #6 (especialmente para as noivas)

Não sei se já repararam mas em todas as lojas de vestidos de noiva existe sempre um espaço com os acessórios: pulseiras, véus, sapatos e afins. E os valores que pedem por estes acessórios (que só vamos utilizar durante algumas horas) são assim uma coisinha de cair para o lado. Na semana passada, numa das muitas lojas de vestidos a que fui, apresentaram-me um véu de 450€. E um daqueles acessórios de cabelo prateado por 85€. E sapatos que custavam quase 200€.

Eu não me considero uma pessoa forreta (é até um disparate dizer isto, haja vista a quantidade de dinheirinho que gasto em coisas ditas 'supérfluas') mas recuso-me a gastar rios de dinheiro em coisas, vá, descartáveis como um véu. Um véu que vou usar durante, sei lá, sete horas? E que depois vai ficar a ganhar pó no roupeiro? Sem chance. Por isso (e como ainda tenho alguns meses até a data da boda) decidi investigar o ebay (a minha perdição, vocês sabem) e ver o que poderia arranjar por lá.

Ai, pessoas. O que eu fui fazer! Aquilo é um mundo à parte no que toca à coisas para o casamento. E os preços? Ridículos de tão baratos! É claro que há coisas em que não arrisco comprar por lá (sapatos, vestido...) mas há outras que compensam imenso (e que vi exactamente igual nas ditas 'lojas de noiva'). Por exemplo, andava agoniada por que não encontrava meias de ligas como deve ser. Quer dizer, encontrar até encontrava nas lojas do costume (Intimissimi, Calzedonia, DIM) mas eram tãão simplezinhas. Brancas, com uma rendinha murcha ali na zona da coxa e mais nada. E eu queria algo mais tchanãm. E acabei por comprar estas no Ebay:

E não chegaram a 10€. São mesmo à noiva e acho-as lindas (escusado será dizer que comprei também em preto e vermelho, já a pensar na lua-de-mel). Isto para não falar nos brincos, nos colares, nos ganchos do cabelo, nas lingeries (ui, neste campo há imensa coisa, fiz a festa), nos topos de bolo (encomendei um personalizado e ficou-me a 8 libras e tal - cá em Lisboa pediram-me 45€ para o mesmíssimo trabalho).

Tudo isto para vos dizer que se estão noivas e com casamento à vista, o ebay é um excelente aliado. Claro que o melhor é encomendarem tudo com pelo menos dois meses de antecedência (foi o máximo de tempo que uma encomenda minha demorou a chegar) e pesquisarem sempre as recomendações dos vendedores antes de comprarem. Depois... é só aproveitar!


P.S: Eu sei que estou uma chata com o assunto do casamento, que este blog está a meio caminho para ser um 'wedding blog" mas não posso evitar. I´m sorry!

SHARE:

23 abril 2014

Habemus vestido!

Sim, sim...encontrei-o! Depois de quase três meses de buscas incessantes por essa Lisboa adentro (acho que escarafunchei tudo o que era loja de marca, loja pequenina, ateliers e coisas que tal... só me faltou ir aos chineses). E sim, confirma-se: quando vestimos o tal somos capazes de ouvir sinos a tocar, ver unicórnios e suspirar feito uma idiota. Aconteceu-me hoje.

A senhora da loja de noivas foi uma santa e deixou-me experimentar 9 (no-ve!) vestidos assim de uma enfiada só. "ai este não gosto do efeito da saia", "ai este tem brilhantes, não quero", "ahh, nada de vestidos em cetim, é demasiado pesado", "mangas até o cotovelo também não, vou morrer de calor", "ui, este nem pensar, faz-me uma barriga de grávida de sete meses". Enfim, uma grande seca. Duas horas a experimentar vestidos e nada.

Até que a senhora diz-me assim: "pronto, já esgotámos todas as opções desta sala, vamos passar para a sala ao lado, onde temos mais modelos". E aí sim, a coisa se deu. Adorei um da Pronovias, com corte em A, rendado, lindo de morte e que custava perto dos dois mil euros. Estava a um passo de reservá-lo quando a senhora diz-me: "olhe, e este aqui? Como você tem a cintura fina e anca larga, vai ficar um espanto". Torci um bocado um nariz, eu e folhos não somos os melhores amigos mas lá experimentei-o. E deu-se o click. 

Ai-meu-deus-que-coisa-mais-linda. Quando caminhei até o espelho central da sala e olhei-me, juro que ia rolando uma lagrimita. Modéstia à parte, o vestido foi feito para mim. Fiquei com um corpaço tipo Kim Kardashian, aquela coisa da ampulheta e tal, ficou perfeito! Juro que o vestido tem qualquer coisa que me deixou com menos 10kg em cima (está bem que respirar tornou-se uma tarefa complicada porque o raio do vestido é todo espartilhado atrás mas há sacrifícios que valem a pena).

A marca escolhida é a Mori Lee e a parte boa é que custou quase pouco mais que metade do que pagaria pelo da Pronovias (e é muito mais bonito). O segredo é procurar, procurar, procurar. Até achar.

SHARE:

22 abril 2014

Report #4

Pessoa chega do trabalho, toma um banho, veste o pijama e vai diretinha ligar o portátil para assistir um filme online. A internet está instável como tudo. Pessoa reinicia o modem. A internet só funciona se a pessoa estiver na sala (sitio onde está o modem), se a pessoa tenta ir até o quarto, adeus internet. Pessoa fica farta e decide ligar para a operadora, para saber o que se passa.

- Boa noite, a minha internet está muito instável, só funciona se eu estiver mesmo ao pé do modem e mesmo assim, tenho apenas 11Mb quando supostamente o meu serviço é o 30Mb Fibra. Será que me pode ajudar?
- Com certeza. Já experimentou desligar e voltar a ligar o seu modem da corrente eléctrica? (sou só eu ou vocês também se passam quando ouvem estas sugestões?)
- Sim, mas não resultou.
- Muito bem, vou aqui fazer uns testes. Aguarde uns minutos.

Pessoa aguarda quase cinco minutos, sempre na esperança de resolverem o problema.

- Obrigado por ter aguardado, fiz todos os testes e o serviço está normal.
- Não, não está que eu não consigo aceder à internet noutras zonas da casa, só mesmo na zona onde está o modem e mesmo assim, com velocidades abaixo do suposto.
- Pois, mas nós em wireless só podemos garantir 4Mb.
- Desculpe?! Mas eu pago por 30Mb, como podem garantir apenas 4Mb? É uma diferença enorme!
- Pois, mas 30Mb é se fosse com cabo, por wireless só garantimos 4Mb.
- Bom, então se é assim é escusado eu estar a pagar quase 50€ mensais para ter apenas 4Mb 'garantidos', não acha? Neste caso, faça-me o 'downgrade' para os 4Mb, se faz favor.
- Certo, neste caso vou então transferir a sua chamada para os meus colegas que tratam das alterações do contrato.

(mensagem automática: estimado cliente, esta chamada passará a ter um custo de 0,36€, se pretender continuar, não desligue e a sua chamada será atendida em breves instantes). Ou seja, quando é para romper contratos ou reclamar, a chamada passa a ser paga, nem uma linha de atendimento gratuita estes gajos conseguem oferecer. Lá esperei, que eu sou pessoa que quando emputece com alguma coisa, só descansa depois de resolver a questão.

E eis que de repente, ouço a mensagem que me transportou ao nirvana: "Devido ao elevado fluxo de chamadas, não será possível atender a sua chamada com a brevidade desejada. Esta chamada será encerrada automaticamente.". E pimbas! Toma lá com o telefone na tromba, que é para aprenderes que neste país não se pode reclamar, só pagar, pagar e calar.

A sério, fiquei sem reacção, parada feito estúpida com o telefone na mão sem acreditar que me tinham mesmo desligado o telefone. Não satisfeita, tornei a ligar e carreguei na opção "informações comerciais". Fui atendida em dois segundos (quando é para fazerem novos contratos o 'fluxo de chamadas' nunca está elevado). Ninguém merece esta merda. Amanhã vou à loja da Zon e não respondo por mim!

P.S: Sim, neste momento estou deitada no tapete da sala, quase a beijar o modem de tão colada que eu estou e a internet continua miséravel. É isto a minha vida. Que ódio!

SHARE:

Os preparativos #2

Hoje recebi o croqui dos nossos bonequinhos e estou apaixonada! São a nossa cara e quase ia dando beijinhos à ilustradora por ter captado tão bem a nossa essência através da meia dúzia de fotos que lhe enviei (ela é carioca, conheci-a por intermédio de uma amiga do Rio). O trabalho está perfeito e eu não vejo a hora de espetar com os bonecos em tudo quanto é sítio.

Em contrapartida, ia tendo um AVC quando abri o mail com o orçamento do fotógrafo. 2200€ por dois álbuns, 300 fotografias e um vídeozeco? A sério? Amigo, eu pedi orçamento para tu fotografares um casamento, não a guerra do Iraque. Menos, xuxu, bem menos.

Eu seeeei que temos que escolher um bom fotógrafo, que eles são 'a alma' do casamento, que se poupamos nesta área está tudo estragado, eu sei minha gente. Mas por favor, dois mil e tal euros para fotografar um casamento parece-me um absurdo. Estava a pensar em, sei lá, na loucura, uns 1200€ (e a contrair todos os músculos deste meu corpinho, que eu acho que esta merda é cara que se farta). Enfim, agradeci-lhe e disse que talvez no meu próximo casamento (quando me casar com um milionário - esta hipótese nunca está descartada) aí sim voltamos a falar. Por enquanto... estou mais voltada para os fotógrafos ditos 'normais'. A questão que se coloca é: eles existem? Andam por aí?

E como nem tudo são notícias chatas... a boa é que já temos tema! É diferente de tudo o que eu já vi por aí e tão a nossa cara...

SHARE:

17 abril 2014

Ao sul! ☼


Daqui há algumas horas rumamos para o sul, onde o sol é mais forte, a água mais quente e o clima convida sempre à boa disposição. Já sei que dão chuva para o fim-de-semana mas é para o lado que durmo melhor. Se chover, é certinho e direitinho que vou passar os dias enfiada na piscina interior (aquecida). Ou na jacuzzi. Ou metida no SPA. Por isso, dê por onde der, estes dias serão de puro descanso, de ronha, de acordar depois da hora de almoçar, de ficar de papo para o ar... tão bom! As últimas semanas deixaram-me em stress com tanta merdinha para tratar do casamento por isso tudo o que eu quero é... não ter que pensar em nada.

Posto isso, uma excelente Páscoa para vós, que aproveitem bem os dias em família e desfrutem ao máximo! Até segunda :***

SHARE:

16 abril 2014

Depois não digam que eu não avisei... #5

À hora do almoço fui à florista pedir orçamentos (a primeira disse-me logo: ah, o ramo que você quer, com pêonias, em setembro será complicado arranjar... vamos ter que mandar vir as flores da Nova Zelândia. - nem quero imaginar o valor que esta senhora vai me cobrar pelo ramo... medo!) e mesmo ao lado da florista havia um Pingo Doce. Decidi entrar para comprar umas coisas para o jantar e, como é hábito, agarrei num dos panfletos com promoções mensais.

Qual não é o meu espanto quando vejo umas velas aromáticas, com uns copos super elegantes, em dourado e branco... por 1,99€ cada (50% do preço habitual)! Pensei logo em conjugá-las com flores e mais umas idéias que tenho para ornamentar os centros de mesa. Liguei ao M. e enviei-lhe a imagem das velas. Disse-me para as comprar já, que estavam super baratas (e são cheirosíssimas). Trouxe 18 velas, 13 brancas e 5 cor-de-rosa (estas são para uma mesa especial) e acho que são uma compra imperdível. Cada vela têm 60g e capacidade para 30 horas a queimar.

 (as minhas são iguais a essas mas com o pavio normal - estas têm o pavio em madeira para dar aquele som crepitante de lenha a queimar)

Escolhi dois aromas, o Cereja em Flor [frutos vermelhos, floral e fundo baunilhado] e o Baunilha Cream [baunilha, gardênia, sândalo e fundo amadeirado]. Confesso que escolhi as velas pelas cores [o nosso casamento será em branco, cinzento e rosa], mas depois de as cheirar... apaixonei-me. As brancas são maravilhosas, um cheiro fantástico mesmo [quando forem ao Pingo Doce, experimentem e digam-me], já a vela rosa é bastante doce, um cheiro mais fresco e marcante.

Como a benção religiosa será também na quinta, quero deixar o espaço da cerimónia o mais harmonioso possível [quero aquele 'caminho' de velas até o altar, por exemplo] e flores, muitas flores. Por isso, se estão a preparar um casamento/baptizado e também adoram velas... estas são maravilhosas e amigas da carteira [e têm um ar super chic, não têm?].

P.S: O folheto dizia que a promoção estará disponível apenas até dia 20 de Abril, por isso... corram!

SHARE:

15 abril 2014

Das coisas que ele diz.... #3

- Amor, lembras-te quando foi que mudaste o teu seguro de saúde para o que tens agora?
- Hummm acho que foi em Setembro, talvez. Porquê?
- Nada... (desvia o olhar)
- Então?
- Era só para calcular quantos meses faltam para completar o período de carência...
- Carência? Mas isso já terminou há meses! Já usei o seguro várias vezes este ano, não te lembras?
- Não, estou a falar da outra carência... 
- Ahn?!
- A carência para cesariana...

Opá, eu não mereço ouvir isto ao pequeno-almoço. Desatei a rir, sim, que nestes casos só mesmo com bom humor para não dar em maluquinha.

A verdade é que no ano passado alterei o meu seguro de saúde para um mais completo que inclui tudo e mais alguma coisa: cesariana, UTI neonatal (Deus queira que não venha a ser preciso), dentista e mais n coisas que eu sinto-me mil vezes mais calma sabendo que tenho este lado da questão minimamente orientado [e sim, já o disse mil vezes: se não for por cesariana, não terei filhos]. Mas quer dizer... fiz isso como um investimento a longo prazo, não conto engravidar nos próximos, vá, dois anos. [sim, mãe, eu sei o quanto anseias por um neto mas ainda não será para já]

E estou farta de dizer isso ao homem mas ele lá diz que daqui a nada tem 35 anos (eu esqueço-me sempre da nossa diferença de idade) e que não quer ser um pai velho, cheio de reumatismo, que não vai poder chutar uma bola com o puto ou brincar às cavalitas com a miúda. E eu compreendo a questão mas acho que dois anos é um bom tempo para curtirmos o nosso casamento, a vida em comum, para as nossas viagens e maluquices; sem atrasar muito o lado dele.

Vamos lá ver...

P.S: Sobre a questão da cesariana, já aqui falei sobre o assunto. Venho de um país onde ter filhos por cesariana é mais normal que respirar. Toda a gente faz, a recuperação é maravilhosa (mamãe teve os três por cesariana - e é só elogios] e eu cresci com a idéia de que o parto natural é uma violência e um risco desnecessário. Por mais que busque informações sobre o assunto, certos conceitos são demasiado arraigados em mim. Este é só um deles.

SHARE:

13 abril 2014

Habemus quinta!

Há dois meses que ando a visitar quintas para o casamento e ainda não tinha ficado realmente encantada com nenhuma, o que me estava a deixar com vontade de cortar os pulsos porque sem quinta não podia avançar com convites, com datas, com nada... E se é verdade que por norma eu sou super despachada e decidida [quando quero, quero mesmo], no assunto 'quinta' a situação estava complicada.

Tinha visitado muitos sítios mas nada que me fizesse suspirar e morrer de amores. Quando gostava do salão principal, detestava o jardim. Quando gostava do jardim, não havia sítio para a bênção religiosa&civil [sim, vamos fazer as duas no espaço], quando gostava de tudo, não gostava das ementas [ou dos preços - acho impensável pagar 100€ por cada convidado].

Sem contar que muitas quintas que visitei tinham um péssimo atendimento [de fugir, mesmo], numa delas fui atendida por um 'consultor de eventos' claramente alcolizado, que falava tão enrolado que não se percebia nada e eu não sabia que havia de rir ou de chorar. Noutra quinta, que por acaso era uma das que tinha gostado, realizavam três casamentos ao mesmo dia, um em cada sala [e eu quero exclusividade total no meu dia], portanto, estava fora de questão. 

Mas hoje fez-se luz. Tínhamos ouvido falar maravilhas de uma quinta pertencente a um grupo em Mafra e lá fomos conhecer o espaço. O grupo tem várias quintas e as duas primeiras que visitei não me encantaram por aí além. Mas a terceira... foi mesmo de vez, como se costuma dizer. O espaço é a minha cara!


Assim que lá entramos, o M. disse logo: "Já nem precisamos de ver mais. É esta!". Ficamos apaixonados, é exactamente como nós queríamos: moderna, com um jardim fantástico, cheia de luz e com janelas em vidro por todo o salão principal. O senhor que nos atendeu desmanchou-se em cuidados, foi um santo e ouviu todas, mas todas as minhas exigências. E tenho consciência de que fui uma chata mas ele lá abria um sorriso e dizia: não se preocupe, vai ser tudo como você quer, só tem que dizer-me aquilo que quer e nós conseguimos arranjar. 

Consegui que me colocasse um arco/pérgula em madeira com tecidos esvoaçantes na zona da cerimónia religiosa, que metesse um ecrã no jardim e que pusesse outros móveis na zona do cocktail. Ainda me ofereceu a montagem da cerimónia [passadeira vermelha incluída, porém sem as pétalas - já sei que vou 'morrer' num dinheirão em flores], ofereceu-me o fogo preso e o de artifício, o bolo dos noivos, o champagne e trocou-me o vinho da ementa por outro da minha escolha, sem mexer no preço final. Adorei a atenção e o profissionalismo com que fui atendida - confesso que foi um [entre muitos] factores que pesaram na decisão de escolher esta quinta.

Para a semana vamos fazer a primeiro prova de decoração e vamos marcar a de degustação para o início de Maio. Agora sim a coisa começa a aquecer e eu estou super empolgada! Esta semana tenho quatro marcações em lojas de vestidos de noiva [porra, que se não gostar de nenhum desta vez, é porque sou mesmo muito esquisitinha] e vejo-me a braços com outro 'probleminha': o tema do casamento. Tenho sentimentos mistos em relação a temas de casamentos tipo "o mar", "contos de fadas", "primavera" e outras coisas que tais. Acho um bocado parolo, mas toooda a gente parece ter um tema. Menos eu =/
Sugestões?

SHARE:

12 abril 2014

Hoje o homem da minha vida faz anos:

Ainda não era 10h e já o tinha enchido de surpresas [e de beijos]. Não é para menos, que este é o último aniversário do rapaz enquanto 'solteiro' e isto de aturar-me durante tooooda a vida pode facilmente dar cabo de uma pessoa, eu bem sei. Vai daí, achei que o moço merecia assim uma espécie de 'últimos dias de felicidade' antes da boda e decidi preparar um dia cheio de surpresas para o homem da minha vida.

Comprei uma cesta em verga, no chinês aqui do bairro e enchia-a com coisinhas que ele adora [pão quentinho, croissants, doces, bolos, chocolates, chás...] tipo as cestas de pequeno-almoço que são muito comuns no Brasil (entregam em casa e tudo - fartei-me de procurar em Lisboa alguma loja com esse serviço mas sem sucesso), por isso, fui ao Pingo Doce e preparei tudo, envolvi a cesta com papel transparente (comprei dois rolos na papelaria), pus um mega laço verde [a cor preferida dele] e às 8h da manhã estava a tocar à porta dele, meti a cesta no tapete e escondi-me nas escadas. [e a voz dele, a dizer, todo preocupado: "desculpe, está aí alguém?"] e eu: tchanãããa!

Dentro da cesta, um envelope com um cartão todo romantiquinho e meloso [que eu empolgo-me sempre a escrever cartões e meto toda a gente a chorar - é a minha veia drama queen a falar] e por trás do cartão, a surpresa:


Uma espécie de cheque [não é bem um cheque mas fiz uma montagem engraçada no photoshop, a imitar aqueles vouchers da Groupon e afins] com 4 dias num resort em Cabanas de Tavira, para duas pessoas [é claro, eu sou pro em dar prendas para-ele-mas-podia-ser-pra-mim] com reserva para o fim-de-semana de Páscoa [espero bem que esteja um sol de rachar o asfalto]. E ele amou! Adora o Algarve, adora praia [neste aspecto parece mais carioca que eu] e andava há muito para conhecer Tavira. Parece que é desta!

No verso do envelope, um link daqueles tipo "www.anaefrancisco.com", mas com os nossos nomes... e a nossa história. É piroso, eu sei, mas sou noiva e tenho direito à minha cota de pirosice. Estive toooda a semana a 'montar' o nosso site, as fotos do início de namoro, o noivado, a viagem para a lua de mel, a lista de casamento... E, gostando de escrever como eu gosto, escrevi imenso sobre como nos conhecemos, lembrei de detalhes dos primeiros meses, músicas só nossas, enfim, revivi tudo de novo. E foi mágico [nem preciso vos dizer que a dada altura já eu estava a chorar - isto no dia do casamento vai ser bonito, vou dar cabo da maquilhagem em dois tempos]. Ele amou a surpresa e eu... amei-o um bocadinho mais. 

Parabéns, meu príncipe. Desejo todas as coisas lindas deste mundo para ti e as benções de Deus sobre nós, sempre. Amo-te daqui até a lua.

SHARE:

09 abril 2014

Acabadinho de acontecer #3

Esta é a primeira semana da nova empregada lá em casa [a última deixou-nos de boca aberta com a 'cena' que nos aprontou, mas pronto, já passou] e, como é óbvio, há muitas coisas que ela ainda não sabe. Ontem expliquei-lhe sobre a placa da cozinha, que é touch e tem que ter cuidado ao limpar porque às vezes esbarramos e pumbas, a placa fica ligada.

Há bocado a Vi [que está de férias] liga-me a dizer que não há electricidade nas tomadas cá de casa. Que o modem da Zon desligou-se, que não há televisão para ninguém e que "não tinha nada para fazer" [sim, se não há internet nem televisão, ui, não há mesmo nada para fazer]. Pedi-lhe para ver o quadro eléctrico, se estava tudo bem. "não, mana, tem aqui um 'botãozinho' para baixo". Levantou o 'botãozinho'. Fez-se luz. Já temos wireless pela casa, a vida retorna ao seu curso natural [esses miúdos de hoje deixam-me um bocadinho abananada, enfim...]

Dali a cinco minutos, torna a ligar-me: "a televisão desligou-se novamente". Ai, porra. Pedi para falar com a empregada: "Tens a certeza que não esqueceste nada ligado? Já viste a torradeira, o fogão, o ferro de engomar? Está tudo desligado? É estranho, o quadro nunca antes foi abaixo... e vem a resposta: "Deixa cá ver... Ah, pois, o fogão está aceso e eu já terminei de cozinhar há umas duas horas, devo ter esquecido..."

Pois. Era a placa ligada. Há duas horas. Nem quero ver a conta de luz este mês... A ver se também me esqueço de pagá-la. Oh, vida!

SHARE:

08 abril 2014

Olha o Brasil aqui tão perto...


Todos os motivos são válidos quando o assunto é comemorar! E nos últimos dias os motivos são mais que muitos [obrigada, Deus]. Por isso, hoje só me levanto desta mesa quando o botão das calças ameaçar estoirar [mentira, que eu hoje vim de vestido mas... vocês perceberam a idéia].

A verdade é que não há melhor comida no mundo [para mim, obviamente] que supere um bom arroz branco soltiiinho, com uma montanha de farofa por cima e muita, mas muita picanha, cupim, linguiça e baby beef a acompanhar. Nisto, senhores, sou do mais brasileira que há.
Venha daí esse rodízio!

SHARE:

Há coisas que dão cabo da minha psique

Toda segunda-feira é dia do meu amor jogar futebol com os colegas de trabalho. Saem todos do trabalho às 19h, comem qualquer coisa e alugam o campo das 20h-21h para o jogo. Ontem à noite o rapaz ligou-me a dizer que afinal não ia haver bola. Perguntei-lhe o porquê. Hesitou.

- Ahn, tivémos um imprevisto.
- Mas qual imprevisto? - insisti, que eu sinto cheiro de 'coisa estranha' no ar.
- Errr... parece que houve um problema no campo, não vamos poder jogar.
- A sério? Mas o que aconteceu? 
- Um grupo costuma alugar o campo todas as segundas, tal como nós, mas eles jogam primeiro. Pelo que percebi, um dos gajos sentiu-se mal a meio do jogo e tiveram que chamar o INEM. Então ligaram a avisar que ninguém vai poder jogar mais hoje.
- Nossa, mas e o homem, como está? Foi grave?
- Errr... o homem morreu.
- Ai meu Deus! Amor, vem já para casa, acabou-se a brincadeira do futebol. Ainda por cima tens tensão alta, nem pensar que continuas a jogar futebol toda semana, esquece. 

Pronto, esta sou eu. Neuroticazinha com os meus, é um facto. Se pudesse enfiava-os a todos num tupperware com tampa hermética, para que nada de mal lhes acontecesse. Sou daquelas pessoas que sofre por antecipação, sofre só de imaginar 'que', 'se', enfim, todo um rol de coisas que me passam pela cabeça.

Já viram o que é uma pessoa estar a jogar à bola, a divertir-se e de repente, pimbas, acabou-se? Quinou. Ali, em pleno relvado, numa situação aparentemente 'inofensiva'. Já disse ao M. que não quero ficar viúva antes de casar (e especialmente depois de casar - na verdade, não quero ficar viúva nunca) e ele ri-se, diz que está óptimo, que nunca esteve tão bem... mas uma pessoa não consegue evitar tais pensamentos. A morte é estúpida e não consigo aceitar que as pessoas que amo um dia vão morrer - esta sou eu: Anne, 27 anos mas com idade mental de 5.

SHARE:

04 abril 2014

Barcelona!


Barcelona está fantástica e recomenda-se. Viemos pela TAP (mamãe só gosta de voar pela TAP, é outra cagunfas como eu) e o vôo foi óptimo, já há um ano e tal que não voava pela TAP (dentro da U.E acabo sempre por escolher companhias low cost - a última vez que viajei com a TAP foi para o Rio, aí sim, nunca escolho outra companhia) mas notei imensas diferenças. Realmente, têm que haver um motivo para num lado pagares 40€ pelo vôo e noutro lado pagares 120€... o conforto foi outro!

Aqui chove um bocadinho mas está mais quente que Lisboa. Os espanhóis continuam a estar nas minhas boas graças, são uns educados de primeira e desmancham-se em atenções quando pedimos alguma ajuda/informação, adoro esta gente (não é à toa que me vou casar com um). Hoje fomos "trabalhar" de manhã, que é como quem diz, fomos conhecer as instalações de um laboratório médico - e fechámos uma parceria fantástica! À tarde fomos ao centro comercial ao lado do nosso hotel e descobrimos um outlet maravilhoso da Mango, a sério, sapatos e malas a 4,99€, maxi-dress daqueles coloridões lindos a 9,90€ - foi a loucura. Amanhã é dia de visitar Las Ramblas, o Parc Guell, a Sagrada Familia e tooodas aquelas coisinhas tipicamente turistas, que esta é a primeira vez de mamãe por cá e ela quer aproveitar ao máximo!
Hasta!

Para acompanhar a viagem pelo instagram, é só ir aqui:   =)
SHARE:

02 abril 2014

Report:

Chove a potes em Lisboa. 

E eu tenho um avião para apanhar daqui a menos de 10 horas. Que pontaria! Logo eu, que detesto voar [e detesto ainda mais em dia de chuva], vou ter que me enfiar num avião com um tempo de merda. É desta que vou viajar cheia de calmantes no bucho...

Estava a comentar com o M. que estou borradinha de medo e ele riu-se, acha que é fita minha. "Voaste há menos de dois meses, já devias estar mais que acostumada. Prepara-te, que para a lua-de-mel são três escalas e, no total, 14 horas de vôo. Estou para ver o circo que vais armar nessa viagem" - sim, sou daquelas que chora, reza, jura que é a última vez que entra num avião, pede perdão pelos pecados à espera da morte certa...

Prometo que se eu quinar em pleno vôo peço ao M. para fazer um sorteio aqui no blog com a mesa de jantar do último post... mas o prémio só é válido para as leitoras anónimas. Coitadinhas, andam tão amarguradas que só mesmo um premiozinho de consolação para ver se ganham algum ânimo.

SHARE:

Pequenos dilemas da vida doméstica #3

Terminada a compra dos móveis [e demais acessórios] para a nossa cozinha, partimos para o cómodo a seguir: a sala! E foi onde a coisa começou a descambar. Para já, não faço a mínima idéia de onde encontrar o sofá, já corri tudo o que é sítio e nada, não gosto de nenhum. Não quero cá sofás em pele, nem em napa [se não quero a pele original, quero menos ainda a 'imitação'], não quero estampas, nem bonecada e também não quero aquela paneleirice dos puffs que saiem dos braços, das laterais, é puffs por todo o lado. Dispenso.

E na saga dos sofás já fui ao site da IKEA [é impressão minha os sofás de lá estão caríssimos para a qualidade que têm?], já espreitei o da Moviflor [estão com descontos de 500€ em vários modelos - pudera! a loja está a falir e eu não confio naquilo do 'pague agora e daqui a X dias entregamos em sua casa' - vai na volta e ainda fico sem sofá] e, na loucura, entrei na Chateaux D´ax mas fiquei logo com os olhos em bico que ainda não estou maluca de vez para dar 3000€ num sofá. Só me falta passar pela Area Store e...que mais?! Que outras lojas vendem sofás giros, em tecido, com pés de inox, chaise-longue e que eu não precise vender um rim para o comprar? Ajudem esta pobre alma com sugestões, sim?

Mas voltando ao assunto da sala, a escolha da mesa de jantar e das cadeiras também está a dar que falar. A mesa quero em vidro, rectangular [entre 1,50m e 1,80m] e de preferência, com pés em cromado/inox/aço/qualquer-porcaria-prateada. As cadeiras, ui, as cadeiras. As que gosto, que gosto mesmo à sério, custam 199€ cada [e eu preciso de seis]. Logo aí temos um 'probleminha' de logística. Isto porquê não aceitamos que ninguém da nossa família nos pagasse o casamento e está a sair tudo do nosso bolso [quinta, fotógrafo, wedding planner, lua de mel, and so on] e como devem calcular, o casamento está a tirar-nos o couro. Não vejo a hora de chegar Setembro!

Decidi então concentrar-me primeiro na mesa de jantar e depois nas cadeiras. E fiquei realmente in love com esta mesa:


Adoro-a de verdade! Gosto do ar 'clean', da espécie de 'logo chanel' que tem na base cromada, acho-a super invulgar e qualquer cadeira que coloque ali ficará sempre bem [apesar de ter uma preferência por cadeiras brancas]. É claro que, vindo da minha parte, só poderia ser algo inalcançáve-difícil-impossível e... a mesa não é vendida cá em Portugal [why?! whyyyy?] maaaas já consegui um jeito dela vir cá parar [sim, eu sei que só invento coisas estrambólicas]. A questão é que o M. detesta-a. Odiou a mesa, revirou os olhos, bufou, disse que nem pensar, que é estranha, que vão achar que a roubamos do showroom da Chanel [não aguentei e tive que rir], que quer uma mesa 'normal' e mais n desculpas.

E eu, que já estou farta das intromissões dele na minha decoração [e a cristaleira, pá? Demorei imenso a decidir-me e o senhor vendeu-a! Tão cedo não vou perdoar o M. por me ter dado esse desgosto], decidi ignorar solenemente os olhares assassinos do homem e lá encomendei a mesa. A data prevista de entrega é só daqui a três semanas, por isso agora só me resta... esperar.

O M. ficou logo avisado: se começar a embarreirar as minhas escolhas [por mais esquisitas que sejam], eu finjo-me de maluca [se calhar nem é preciso fingir] e compro uma coisa destas para enfeitar lá a sala. Uma mesa cheia de cãezinhos, não é fofo? Aí sim, o homem vai ter motivos [de sobra] para refilar. Hunf =/

SHARE:

01 abril 2014

Não sei se rio, não sei se choro #2

Eu não sei o que é mais estúpido: se é fingirem ter uma experiência que não possuem (e que, facilmente, se verifica no dia-a-dia de trabalho) ou se é acharem que as empresas não andam em buscas de referências/recomendações. É certo que muitas já não o fazem nos dias que correm mas nós cá gostamos sempre de saber quem estamos a contratar e fazemos questão de contactar os ex-empregadores para tentarmos perceber se vale a pena investir (ou não) naquela pessoa.

A verdade é que contratar um funcionário gera muitos encargos para as empresas (então para as pequenas como a nossa... ui ui) por isso, como é lógico,  ninguém quer estar a dar contratos a pessoas das quais não sabem nada. Por isso buscamos referências. E por isso recebemos mails destes, que deixam qualquer pessoa embasbacada. (neste caso em particular, as três últimas referências que constavam no currículo eram falsas, nunca tinham ouvido falar da rapariga). Eu compreendo que o desespero seja grande mas, caramba, não é assim que chegam lá. Digo eu.

Eu sou sempre a favor da honestidade, sempre. Já estive numa entrevista em que tinha a plena consciência que estava aquém dos requisitos pedidos (não tinha nem metade da experiência que pediam para a vaga) mas fui sincera desde o princípio, mostrei garra, atitude... e no final, a vaga era minha. Por isso, sou sempre a favor da sinceridade, principalmente nas entrevistas de emprego. Especialmente nas entrevistas de emprego.

SHARE:
© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig