28 abril 2014

Há gente mesmo estúpida, não há?

Estava no supermercado e fui para a caixa pagar. Como a menor fila era a da caixa reservada a grávidas e deficientes, lá encaminhei-me para lá (mas com a óbvia consciência e dever moral de dar a vez às pessoas grávidas e deficientes, afinal, aquela caixa é destinada à eles). Estava um senhor a ser atendido e logo atrás dois rapazes entre os 20/25 anos. E eu lá me pus atrás deles. Nisto surge uma senhora, visivelmente grávida (não percebo nada de gravidez, mas devia andar ali nos últimos meses, tinha o pé super inchado - as coisas em que eu reparo!). E a senhora, evidentemente, foi para a fila dela.
Fiz imediatamente sinal para que ela passasse à minha frente. Sorriu, agradeceu e lá ficou, na esperança de que os dois jovens lhe dessem a vez. Eles, quando viram que a grávida estava atrás deles, se puseram muito direitos a olhar para a frente, como que a fingir que não a viam. E a senhora lá se fez notar:

- Desculpe, posso passar à frente?
Um dos rapazes, com um ar de frete que nem vos digo, exclamou:
- Olhe, que remédio!
- Desculpe? Você não me está a fazer favor nenhum, é um direito meu e está muito bem assinalado por cima desta caixa, veja (e aponta para a tabuleta que informa das prioridades).
- Pois, claro... Vá, passe lá.

Assim que a senhora começou a pôr as coisas na esteira para pagar, o rapaz vira-se para o colega e diz: "aposto que na hora de f*der não precisou de prioridade e agora está aqui a armar-se em VIP."

Epá, caiu-me tudo ao chão. Nem queria acreditar no que estava a ouvir, só me apetecia correr aqueles gajos à chapada. Há gente que não merece viver em sociedade, merece viver na selva, com os bichos. E mesmo assim, desconfio que entre os animais é capaz de haver mais respeito. Bolas!

SHARE:

16 comentários

  1. Há gentinha mesmo mt estúpida! Já estive grávida e usufruí das caixas prioritárias, aliás no Pingo Doce, eram os próprios funcionários das caixas que diziam que devia passar à frente. Se eu tivesse nessa situação que contaste, tinha respondido e bem! Gente estúpida mesmo!

    ResponderEliminar
  2. Surreal! Lembro-me que quando a Pipoca Mais Doce estava grávida fez um post sobre "bocas mandadas a grávidas" e imensas mulheres comentaram com histórias que lhes tinham acontecido e também fiquei parva...

    ResponderEliminar
  3. Como te percebo!!!

    Isso eu chamo falta da psicologia do chinelo! Uma palmada na altura certa trata muita coisa... enfim...

    Beijinhos para ti

    ResponderEliminar
  4. Só de ler já fiquei puta, se fosse comigo levava na cara aquilo que eu tivesse a mão, a se levava.

    E pra ser sincera, mesmo não sendo comigo, e ouvisse um disparate desse, de certeza que não deixava de mandar uma boca, poxa durante a gestação é tudo tão intenso e ainda vem uns animais desses ? Ahhh não....aiiii fico indignada.

    ResponderEliminar
  5. É um assunto um pouco complicado. Claro que nessa situação especifica, foi simplesmente falta de educação mas... enfim!

    Se num supermercado existirem caixas prioritárias/exclusivas, aí percebo que se fique indignado, afinal, se existem caixas especiais, essas pessoas devem dirigir-se a essas caixas e não esperar pela boa vontade dos outros em caixas normais. E as pessoas sem prioridade, se não querem ver outras pessoas a passarem-lhes á frente, que vão para uma caixa normal, tão simples quanto isto!

    Nestes assuntos das caixas prioritárias, só detesto aquelas pessoas que pegam em crianças ao colo para passar á frente e depois de atendidas metem-nas no chão, ou então, aquelas velhas bué irritantes -.- eu nãome importo de deixar passar à frente, mas com o minimo de educação pelo menos, que não é por serem velhos que merecem mais respeito q os outros.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estive a pensar no assunto e vendo bem as coisas... óbvio que existindo uma caixa dessas deve-se respeitar as regras, mas essa coisa das caixas prioritárias/exclusivas nem devia de existir primeiramente.
      Na verdade somos todos iguais, e não é justo alguém ter de ceder um lugar que é seu. Essa "regra" tem demasiados buracos, muita gente abusa dela, muita gente q merecia não é abrangida pela regra, e as pessoas não respeitam tabuletas. Isso dificulta mais do que aquilo q facilita =/
      Mas enfim... não vale a pena falar muito disso xD

      Eliminar
    2. Princípio da igualdade está consagrado na Constituição, mas consiste em tratar de forma igual quem está em situação de igualdade e de forma desigual quem está em situação de desigualdade. Uma senhora grávida, principalmente num estado mais avançado da gravidez, NUNCA é igual a um jovem forte e de boa saúde. E o mesmo se aplica por exemplo, nos transportes públicos, os lugares destinados a pessoas idosas, com crianças ou colo/grávidas ou dificuldades de locomoção. Se não estudou direito, não fale do que não sabe. A regra pode ter alguns problemas, mas a igualdade não tem nada a ver. Se todos respeitassem o outro e não achassem que somos todos iguais, quando efectivamente não somos, nem sequer era preciso regra.

      Eliminar
    3. Sabe porque não deviam existir essas caixas prioritárias, primeiro anónimo? Porque as pessoas, no uso do seu bom senso, razoabilidade e cidadania deviam, sem para tal estarem obrigados por um sinal, ceder voluntariamente o seu lugar a pessoas que, pela situação em que estão, não devam estar muito tempo em pé. Sejam grávidas, crianças pequenas, pessoas com deficiência física, idosos, etc. É uma questão de respeito pelo próximo, de ter atenção a quem nos rodeia, de ser simpático e voluntarioso. Isso devia ser inerente a qualquer ser humano, mas como o português típico só pensa no seu própio umbigo, em por o carro o mais próximo possível da porta por onde quer entrar, o estacionar em cima do passeio porque quer tratar de qualquer coisa ali e não pode andar 100m, o ser atendido o mais depressa possível, ainda que possa esperar, etc etc etc... é necessário criar estas regras que, ainda assim e infelizmente, são abusadas (como as pessoas que pedem crianças "emprestadas" para ir para a Loja do Cidadão beneficiar do atendimento prioritário, por exemplo).

      Experimente ir ao norte da Europa e veja se este tipo de coisas acontece. Pelo contrário, até em situações em que as pessoas não estão obviamente numa situação de precisar de ajuda, as pessoas são atenciosas e oferecem-na. Claro que para nós, parolos do sul, aquilo parece tudo muito "à frente", mas é assim que as pessoas se devem SEMPRE relacionar e só assim a sociedade evolui.

      Eliminar
    4. Rita, não leve a mal, mas eu não li isso na Constituição. Não me vai ver a discutir leis, pode voltar a guardar o canudo... a minha intenção nunca foi discutir leis, até porque o que não falta em Portugal são leis mal feitas.
      Não pense que sou uma pessoa insensivel que não deixa passar-me á frente na caixa uma pessoa com dificuldades, eu faço-o imensas vezes, mas faço-o porque tenho consideração pelo individuo e não por submissão a uma tabuleta... da mesma maneira que o faço quando (p.ex) vejo um jovem atrás de mim que apenas quer comprar um pacote de bolachas.

      Anónimo das 12:58, feliz ou infelizmente, as pessoas ainda não são obrigadas a ser simpáticas. Assim de repente, não vejo nenhuma maneira de transformar as pessoas em algo mais simpático, mas as regras essas podem ser alteradas conforme aquilo que é ou não mais adequado, e neste caso, já está mais que visto que não funciona.
      Para mim, essa "regra" é podre não só porque o cliente não-prioritário é colocado atrás, existem muitos outros motivos... as pessoas abusam delas (não-prioritários), as pessoas fazem uso dela de má fé (prioritários), e existe um sem número de situações que não são abrangidas pela sinalética, situações essas que podem ser tão ou mais importantes/perigosas que uma grávida, uma criança de colo, idoso (etc)... é tão simplista e prejudica bem mais do que auxilia, que nem devia existir.

      Já tive conhecimento que no estrangeiro as coisas passam-se de maneira diferente... mas há que ver que se as coisas são diferentes, não o serão só no caso dos não-priotirários, mas também nos prioritários.

      Concordo q os portugueses são um pouco brutos. Mas desengane-se, existem situações dessas de solidariedade aos montes, vejo-as todos os dias, imensas vezes, nos supermercados (p.ex)... Existem pessoas de mal com a vida (ou será só mau carácter? Bem, tambem é possivel =P), mas a verdade é que as pessoas agem bem melhor quando são interpeladas de maneira educada por alguém a pedir ajuda, do que a obedecer a sinais do supermercado fazendo uso de um "direito" só "porque é grávida" e que pode não precisar =)

      Eliminar
  6. Realmente...dá vontade de lhes responder á letra!!!

    ResponderEliminar
  7. Olá, em primeiro, parabéns pelo blog, leio-o á muito mas é a primeira vez que comento. Neste momento encontro-me grávida de 20 semanas, ou seja a meio da gestação. Como já é o meu segundo filho, estou com uma pança como que se tive-se comido duas melancias.
    Esta situação das caixas prioritárias ou outras situações especialmente para gravidas como os lugares de estacionamento, deixam-me podre. É espantoso, mas a malta é mesmo muito basica e egoista. Por exemplo, como já tenho um filho pequeno, volta e meia vou com ele a fnac, ou comprar uns cromos, ou outra coisa qualquer. Acredita que nunca me deram prioridade na caixa prioritaria, não nas outras, mas sim naquela que deveria ser usada somente para pessoas gravidas, com mobilidade reduzida ou ainda acompanhada de crianças de colo. Irrita ainda o ar de desdém com que te olham. Nos parques de estacionamento parece que ficam a olhar para ti para se certificarem de que estas efectivamente gravida e não só cheiinha. E de lamentar o ressabiamento da malta.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  8. Estive gravida ate à uma semana atrás!!! pois na véspera de ter a minha criança estive 3 horas à espera de uma consulta no centro de saúde para me passarem uma baixa!!! e acreditem que uma barriga de 41 semanas é bem visivel! Aqui foram as funcionarias que sabem os direitos e deveres das gravidas que se estiveram a borrifar para mim!!claro que esperei três horas mas a reclamação já esta feita! é para outras gravidas não sofrerem aquilo que eu sofri!
    Dei graças a deus de ter a possibilidade de ser seguida na minha gravidez no privado, de ter tido a minha boneca num hospital privado. correu tudo muito bem! só é pena que nem toda a gente tenha a possibilidade de optar pelo publico ou privado porque só podem contar com o publico!

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig