07 maio 2014

Parece que vou viver para a aldeia...

1) Acabo de falar com a Zon para solicitar a (temida) mudança de residência. Dou o nome da rua nova e o código postal. "ah e tal, mas essa rua não existe no nosso sistema. Foi criada há pouco tempo?". Lá explico que sim, que é uma rua recente. "ah, mas nesta rua não temos fibra, só satélite". (thanks, God!). Respondo-lhe que neste caso vou então romper o contrato (ainda me faltam 5 meses de 'fidelização') ao que a senhora me responde que não, não posso romper o contrato. "Então mas se vocês não têm cobertura de fibra na minha zona e se este é o serviço que tenho contratado convosco, é lógico que vou rescindir o contrato. Totalmente contra a minha vontade (ahahaha) mas por uma incapacidade vossa, que infelizmente ainda não chegaram à minha zona com a fibra. Para além disso, a minha mãe não vai querer pôr uma antena na fachada da casa nova e o serviço por satélite deixa muito a desejar." Andei ali quase quarenta minutos a explicar que não queria continuar com eles. E a mulher lá insistia, que me baixava a mensalidade, que me oferecia canais premium, que até me fazia o jantar todos os dias caso continuasse com eles. Não continuei, como é óbvio. Estava mortinha por uma boa desculpa para largar estes gajos, finalmente!

2) Logo assim que cheguei na empresa, lá pelas 8h30, recebi a chamada da empresa de alarmes a dizer que não conseguiam dar com a morada no GPS. É claro, senhores, a rua é nova, lá explico. Pois, mas assim não temos maneira de lá chegar - dizem-me eles. Dou montes de referências "fica ao pé do Pingo Doce, fica próximo da câmara, é na rua que sobe, depois vira à direita e vê logo as vivendas" Pois, mas assim os homens não se orientavam. Lá fui eu largar o trabalho e rumar até a casa para indicar o caminho aos senhores. Sinto que vou viver na aldeia, apesar da casa estar localizada a cinco minutos do OeirasParque e quase dentro da A5. Oh, vida!

3) No fim-de-semana fomos até a casa montar os novos móveis da IKEA (a mudança definitiva será só na sexta-feira) e como tinha levado o portátil para pôr música a tocar (não sei trabalhar sem música), resolvi pesquisar as redes wireless disponíveis na zona para ver se tinha a 'zon-fon'. Nicles. Não apanhei uma única rede. Depois lembrei-me que ainda não temos vizinhos (as outras vivendas do condomínio continuam à venda) e percebi que estamos mesmo isolados (o que me dá um cagaço sem tamanho mas pronto, é por isso que fomos a correr pôr alarmes por toda a casa, que eu nestas coisas gosto muito pouco de brincar).

SHARE:

3 comentários

  1. A zon abusa abusa...mas pimba! Bem feita!!



    ResponderEliminar
  2. Anne mesmo q eles tivessem o mesmo serviço com a alteração da morada, punham + fidelização em cima.
    São assim estas empresas...

    ResponderEliminar
  3. E sempre assim, seja ZON ou MEO.
    Eu estive um ano a pagar os serviços da MEO sem poder usufruir porque na casa para onde me mudei já tinham outro operador e nem assim me deixaram cancelar, ou sequer suspender, o contrato.

    Sad but true :/

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig