05 junho 2014

Da sorte que temos:

Andava eu aqui a pensar que há não sei quantas noites que não sei o que é dormir mais de 6 horas (e a falta de sono dá logo cabo de mim), a pensar que se calhar não vou ter tempo de fazer tudo o que tenho que fazer, a pensar que até agora ainda não temos sofá lá pra casa (nem cadeiras de jantar, nem aparador), que não tenho tempo para tudo e ainda por cima estou cheia de dores nos rins (TPM a quanto obrigas) quando de repente... entra-me pelo escritório adentro uma funcionária, a chorar baba e ranho (em total descontrolo, quase nem conseguia falar) a dizer que a mãe acabou de sair do médico e que o cancro voltou e os médicos dizem que já não podem fazer nada porque está a alastrar-se para outros órgãos (a merda da metástase). E que mandaram a mãe dela para casa para "aproveitar o tempo que lhe restava com a família". E eu não consegui articular uma palavra que fosse, só chorei. Abracei-a e choramos as duas porque, caraças, não consigo imaginar maior dor que essa.

E de repente, os meus problemas passaram todos para último plano. Tornaram-se tão insignificantes perto do problema dela que nem tenho coragem de abrir a boca para me queixar do quer que seja. Só posso agradecer a sorte que temos, todos nós, os que temos a nossa família com saúde e perto de nós. E esse é mesmo o nosso bem maior. Sempre.


SHARE:

4 comentários

  1. Que murro no estômago...Pior do que isso me acontecer a mim, era acontecer a um dos meus...

    ResponderEliminar
  2. Tive essa noticia à duas semanas, mas de uma das minhas melhores amigas, infelizmente sei bem o que isso é...

    ResponderEliminar
  3. Catano, não dá nem para imaginar o desespero. Ainda por cima saber que não há volta a dar...

    ResponderEliminar
  4. meu deus... de facto :( nem quero pensar na aflição e angústia :( :(

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig