28 junho 2014

Do oportunismo alheio:

Ando fartinha, pessoas, fartinha de gente interesseira que só se lembra de mim para pedir favores. Eu sei, é o pão nosso de cada dia mas caramba, a coisa enerva! Só esta semana foram três alminhas que vieram 'puxar conversa' como se não fosse nada. A primeira lembrou-se que precisa renovar o passaporte brasileiro mas o SEF só lhe arranjou vaga para Outubro e então lembrou-se que uma das minhas melhores amigas trabalha no SEF e pensou que eu poderia pedir à essa amiga para 'passar o processo dela à frente dos outros'. Nem vou comentar.

A segunda ligou-me na terça a dizer que está desesperada por trabalho, que a empresa onde estava faliu e ela não teve direito à subsídio. E que como sabe que eu "tenho uma empresa" (que é da minha mãe mas adiante), tinha certeza que eu poderia arranjar-lhe um trabalho. Não interessa que ela nunca tenha trabalhado na área e, pior, que neste momento não estejamos a contratar ninguém para a função que ela 'quer'. Se sou amiga dela, tenho que lhe arranjar trabalho. [agora além de tudo sou mágica, ando a criar vagas, valha-me Deus, esta gente quer que eu invente uma vaga que não existe, só porque 'é minha amiga'. Não me fala há quase dois anos, mas é muito minha amiga. Não há pachorra.]

O último caso foi com um amigo meu, dos tempos da faculdade. "Ah e tal, será que me consegues tirar um iPhone pelo pack empresarial da vodafone? Como tu "tens uma empresa", consegues iPhones a preços ridículos e depois eu pagava-te todos os meses o valor da 'mensalidade', é que estou com problemas bancários e não consigo financiar um na Fnac." Fiquei danadinha para responder: mas olha, se estás com problemas bancários, acho que a última coisa de que precisas é de um iphone novo, certo? E que tal usares esse dinheiro para negociar a dívida que tens e fazeres um plano de pagamentos?

Mas segurei a língua, que cada um faz o que quer com a sua vidinha, e disse-lhe apenas que esta decisão cabe apenas à dona na empresa (neste caso, a minha mãe) e que eu não interferia nesses assuntos, que não podia mesmo ajudar. [sempre que posso ajudar, estendo a mão, é um facto. Ajudo até mais vezes do que o 'recomendável' tendo em vista que quase sempre se esticam e se dou a mão, querem o braço mas caramba, não estiquem demasiado a corda, sim? Olha que ela rebenta.]

SHARE:

1 comentário

  1. Esse do iPhone é ridículo! Então e não teria problemas bancários para te pagar a mensalidade?

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig