23 julho 2014

Vidas artificiais?

Vi esse vídeo no youtube e não pude deixar de reparar como este 'fenómeno' está a crescer na nossa socidade: as vidas perfeitas na internet. Sim, falo das pessoas que estão sempre felizes no facebook, daquelas que almoçam todos os dias em restaurantes xpto e espetam com a foto no instagram, das que escrevem blogues e que mostram apenas 'o lado b da vida', como se essas vidas fossem sempre assim: perfeitas e 'fotografáveis'.


O vídeo dá que pensar. Qual será a imagem que transmitimos nas redes sociais? Será que nos vêm como pessoas perfeitas, com vidas perfeitas, sem problemas no horizonte, vivendo no país das maravilhas, como a Alice? De vez em quando recebo uns comentários que dizem: "Ah, quem me dera ser como tu/ ter o que tu tens / viver como vives" e confesso que tenho uma certa 'pena' da pessoa que pensa assim. Eu acho que antes de sermos infelizes por ver que um amigo postou uma selfie na Polinésia Francesa, uma fotografia num SPA 5* ou apenas as fotos das férias no Algarve... devemos primeiro pensar: o que eu deixei de fazer para estar lá? Que tipo de sacrifício eu fiz para merecer ter a vida que fulano tem?

É claro que é muito mais fácil sermos dominados por aquele sentimentozinho de "toda a gente viaja, menos eu"; "toda a gente troca de carro, menos eu", "toda a gente tem dinheiro, menos eu". Confesso que não tenho paciência para gente que passa a vida a lamuriar-se e a choramingar pelos cantos. Se alguém se identificou com esse vídeo, acho que é hora de mudar essa mentalidade. De viver a tua vida para ti. De resolver os teus problemas, assumir as tuas escolhas e parar de sofrer porque "a minha melhor amiga casou, e eu ainda não".

Eu não vivo uma vida perfeita, não sou 100% feliz o tempo tempo e não moro num palácio com serviçais espadaúdos que abanam folhas de bananeira ao meu caminhar... Tenho meus momentos de tédio absoluto, quando acho que a minha vida ainda não está com o 'speed' que eu quero, há dias em que chego a casa e janto um bacalhau com natas ultracongelado do Pingo Doce porque o cansaço é tanto que nem um ovo me apetece fazer, enfim... vida de gente de verdade. Mas eu curto muito essa minha vida do 'meu' jeito e não do jeito que eu acho que outros 'devem' ver. E acho que esse é o grande segredo para ser feliz de verdade. [não o tempo todo mas uma boa parte dele].

SHARE:
© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig