19 agosto 2014

Das coisas que só acontecem comigo #11

Na rua onde eu trabalho existem dois cafés. Um é caríssimo (do género, uma merenda e uma coca-cola ficam a 3,90€) e eu nunca meto lá os pés, fui uma vez e paguei tanto pelo pequeno-almoço como pago para almoçar... O outro é óptimo, tem bons preços e pastelaria própria, já fiquei fã.

Mas no mês passado abriu um novo café, com montes de sandes deliciosas e sumos naturais, também com pastelaria própria e um atendimento maravilhoso. Fui lá conhecer e descobri que é um negócio familiar (trabalham pai e filho juntos e a mãe ainda serve à mesa) e são tão simpáticos que na semana passada fui lá quase todos os dias. Na primeira vez que fui, a pergunta habitual:

- Tem guaraná?
- Guaraná não temos, mas temos sumos naturais de melancia, de ananás...

No outro dia lá fui e esqueci-me que não tinham guaraná:

- Vou querer uma baguete de frango e um guaraná com gelo, por favor.
- Oh, não temos guaraná... pode ser um sumo?

Tudo isto para dizer que no sábado fui novamente ao café e o rapaz veio logo ter comigo:
- Olhe, já temos guaraná! Compramos só para si! (a aponta para vááárias latinhas de guaraná na montra).

Fiquei toda contente, não fosse o raio do guaraná ser da marca... Brasil e não Antártica. Não consigo beber o guaraná Brasil, é ácido, é estranho, o sabor em nada se parece com o Antártica. E agora, que sei que os senhores do café compraram aquilo por minha causa, sinto-me na obrigação moral de ir lá todos os dias beber um guaraná de uma marca que detesto (oh pá, os senhores ainda agora abriram o café, não podem ter prejuízo).

Quando levei lá o M. esses dias e ele viu-me a pedir um guaraná, assim que a rapariga levou a lata para a mesa, o M. começou a dizer: "ah mas esse ela não..." e eu dei-lhe um toque por debaixo da mesa, seguido de um "shiuuuu". Os senhores do café são tão queridos, não tenho coragem de dizer que não bebo o raio da bebida. Oh, céus! Adoro gente fofinha e simpática, conquistam-me para todo o sempre :)

SHARE:

5 comentários

  1. Percebo.
    Eu tambem beberia, acho que eles foram bons profissionais e os bons profissionais devem ser acarinhados.

    ResponderEliminar
  2. Também já me aconteceu parecido! x)
    Mas olha... já que parece que pretendes continuar a ir a esse cafézito, porque não dás o recado de que preferias o da outra marca, quando essas latinhas já estiverem para acabar?
    Ou então, se não tiveres coragem, pede ao teu namorado para dar o toque, de uma maneira que não pareça mal... eles não sabiam e com certeza q não levam a mal, porque irão ver que mesmo assim continuaste a ir lá ao café deles ;)

    **Deb.

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig