27 novembro 2014

E por falar em Natal...

... aqui a maluquinha já está a pensar na decoração da mesa porque já se sabe que as decorações giras esgotam num tirinho e eu prefiro comprar sempre com antecedência para aproveitar boas oportunidades. Este será o primeiro natal cá em casa e quero reunir todos [incluindo a minha avó, que hoje fez-me a vontade e adiou a passagem de volta para o Rio para fevereiro - yey!]. Como não tenho experiência nenhuma nisto de preparar jantares, pôr a mesa e tratar destas coisas todas... andei a fazer uns testes e percebi que para aquilo que quero [caprichar nos detalhes e abusar do vermelho e dourado], precisava de um serviço de jantar básico, branco ou na loucura, com um filete dourado para dar alguma graça.

E aqui preciso confessar: eu amo loiças! Adoro-as de paixão mas reparei que não tinha um único serviço assim mais 'básico', branquinho, para o dia-a-dia. Fiquei a pensar no assunto até que fui ao Continente fazer compras no início da semana e... dei de caras com o serviço de jantar "Fio Dourado" com 50% de desconto em cartão. Nem pensei duas vezes:


É do mais básico que há, com o filete detalhe dourado torna-se ainda mais elegante. Comprei dois serviços porque o serviço é para apenas 6 pessoas e no Natal é impossível sermos menos de 15, portanto... Lá vieram os dois serviços, ao preço de 39,90€ cada. Acumulei 40€ no cartão continente, que já têm destino certo, no fim-de-semana: estes copos, para montar a mesa em condições. Não sei até quando estará este serviço de jantar em promoção mas é aproveitar, minhas amigas, que isto encaixa como uma luva no jantar de natal [e não só, obviamente].

Entretanto empolguei-me e trouxe também os pratos marcadores em vermelho [este ano quero tu-do em vermelho] e custaram 2€ cada. E depois lembrei-me dos adornos para guardanapos e lá desencantei uns raminhos com azevinho e pinhas [1,25€ cada] que ainda não sei muito bem como hei de pôr em cada prato, mas tenho tempo, logo se vê.

(entretanto reparei que sou uma naba na arte de dobrar os guardanapos de tecidos e vá de assistir tutoriais no Youtube. Adorei esse modelo que divide os talheres numa espécie de 'bolsinha')

pratos marcadores = aqui // serviço de jantar = aqui // talheres (trazidos de Barcelona) // raminho com pinha = chinês de Oeiras // toalha de mesa e guardanapos = trazidos do Rio pela avó // fitas em tecido = Lidl // manta aos quadrados = tapeçarias Lleida do Colombo (nos saldos do ano passado, por míseros 3€)

Não se nota nada que sou fanática pelo natal, pois não? E ainda mais quando posso ter o privilégio [é que é mesmo] de ter toooda a gente que amo, família completinha, ao pé de mim. Adoro!

SHARE:

24 novembro 2014

adoro ❤


[vaso dourado = Zara Home (similar) | flor vermelha 'poisettia' = chinês de Oeiras | árvore de natal = AKI [esta] | decorações e bolas = Lidl & loja Espaço Casa]

E eis que hoje, a um mês do Natal, terminamos de montar a nossa 1ª árvore 'em comum'. E se eu já sou uma pessoa apaixonada por essa época [adoro, amo o natal], estou ainda mais empolgada agora que tenho a nossa casinha para decorar, enfeitar e tratar de pôr tudo a postos para a noite mais mágica do ano!

Quando era pequena sonhava com uma árvore de natal enorme, quase a tocar o tecto, apinhada de bolas vermelhas [adoro esta cor no Natal]. Infelizmente, foi durante a minha infância que passamos mais dificuldades financeiras e o dinheiro não abundava, razão pela qual a nossa árvore era sempre pequenita e fininha, com enfeites feitos por mim e pelo meu irmão, numa confusão de cores. Por isso, nada me meu mais gozo que comprar uma árvore de quase dois metros de altura e enchê-las de bolas e laços vermelhos, como sempre quis. É tão bom poder, em adulta, fazer algo que em criança prometemos a nós que um dia faríamos... Uma sensação fantástica mesmo!

Muita gente diz que o natal é uma época de hipocrisias, que só nos lembramos de determinadas pessoas nesta altura do ano, que é puramente uma época comercial e só se fala em prendas... Não posso deixar de concordar com algumas dessas afirmações mas, para mim, o natal sempre será uma altura de expressar amor, de estar ainda mais agarrada à minha família, de perceber e dar valor àquilo que realmente é importante. Natal = casa linda e enfeitada + família juntinha. Haverá combinação melhor que esta?
SHARE:

20 novembro 2014

Para os apaixonados por massas...

... experimentem as da linha Deluxe do Lidl, são uma perdição! Fui ao Lidl no fim-de-semana comprar chocolates e alguns produtos que só encontro por lá e passeando pelos corredores, encontrei essa marca, que eu penso ser uma versão mais 'gourmet' da marca própria do Lidl.

E a italiana que há em mim deu logo o alerta ao ver essas massas, todas a 0,99€ cada saco de 500g, por isso trouxe essas duas para experimentar. Já fiz os fusillonis e são uma delícia! Ontem voltei lá e comprei o tagliatelli, que é a minha massa preferida. Ai as coisas que uma pessoa descobre!


E o ar vintage das embalagens? Adoro! Perguntei ao funcionário do Lidl se essas massas são para manter e o rapaz respondeu-me que são artigos sazonais, snif snif...

SHARE:

09 novembro 2014

A dona de casa perfeita #3

Acho que nunca na vida pensei vir a proferir esta frase mas a verdade é que... estou a adorar essa coisa de 'dona do lar'. Eu, pessoa que até meia dúzia de dias não sabia fazer um assado [bolos, então, é para esquecer]. Eu, que sempre tive empregadas para tudo [eu não, mamãe - mas dava ao mesmo], que tratavam das coisas e me faziam pensar que a roupa se lavava e passava sozinha...

A primeira mudança passou por comprar um daqueles carrinhos de compras avózinha style, que eu sempre achei horroroso mas que dá cá um jeito daqueles. Tendo eu um Pingo Doce (não é publicidade, sou mesmo fã deste sítio) quase na rua de casa, precisava encontrar uma solução para trazer os sacos de compras sem precisar tirar o carro da garagem (preguiçaaa): um carrinho de compras, é claro! Facilita imenso para ir ao supermercado, vou à pé e ainda passo na florista, que é mesmo ao lado, para abastecer a casa de flores frescas [um vício que amo]. Ainda fui ao chinês para ver se encontrava um carrinho giro e resistente, mas só vi por lá umas pirosadas com flores e corações, por isso, fui ao Continente (já perceberam que não sou esquisita com supermercados? Marcha tudo!) e comprei este modelo, super resistente, fácil de manobrar e num tecido grosso e impermeável que eu sou suspeita, já que amo: riscas azuis! Mais navy, impossível!


Um almocinho simples [que eu ainda não me arrisco em muitas aventuras]: esparguete à bolanhesa com rodelinhas de queijo e ovo cozido (ainda foi ao forno depois, para gratinar o queijo) e a boa e velha farofa (viciada, assumo) de bacon com oregãos - que o marido agora não dispensa, deve achar que é mais brasuca do que eu :P

Hoje foi só cuidar da nossa casinha, acabar de pôr molduras na parede, os varões dos cortinados e outros pequenos detalhes decorativos que fazem toda a diferença. Agora para terminar a noite vamos alapar o rabo no sofá e ver as nossas séries do coração. Tão bom!

SHARE:

08 novembro 2014

2 meses...

...E ainda não tive vontade de o devolver para a casa da sua santa mãezinha, o que é um feito histórico visto que o homem é um baguceiro do pior (e eu de.tes.to coisas fora do lugar), não sabe encontrar nada sozinho mesmo quando as coisas estão ali ao lado, nunca me volta a encher as formas de gelo (e eu que não sei beber nada sem gelo, fico furiosa quando vejo as forminhas vazias), a tampa da sanita? Seeempre aberta. É mesmo 'à gajo', nada a fazer. Como eu costumo dizer: "enquanto puderes pagar pela nossa empregada e ela manter a tua bagunça sob controlo, é na boa. No dia em que estiveres falido... vais tu tratar da casa"

Brincadeiras à parte, a verdade é que adoro-o, amo-o de paixão, é o meu apoio em tudo, meu melhor amigo, meu cúmplice. A pessoa que eu sei que está comigo para o que der e vier (principalmente nos últimos dias, deu provas de um amor inabalável), é o meu pilar, aquele que, se eu matar, ajuda-me a esconder o corpo (calma, pessoas, é uma metáfora, sim?).

Que venham muitos mais meses, mais anos, mais décadas. E mooontes de bebés para termos a casa cheia de crianças, de risadas, de traquinices, como sempre sonhamos. É tão bom fazer planos com quem amamos...

a surpresinha que o hotel RIU nos fez quando completamos 1 semana de casados no México. (a vela do bolo é um bocado 'suspeita', eu sei ahaha)

SHARE:

05 novembro 2014

Ás vezes pergunto-me se vale a pena ter um seguro de saúde neste país...

Recebemos hoje uma carta muito simpática da Tranquilidade Seguros a dizer, em suma, que a doença da minha já era pré-existente na altura em que ela fez o seguro. Para azar nosso, este seguro é novo, tem 11 meses que a minha mãe o tem - trocou a Médis pela Generalli a pensar que tinha feito um bom negócio e agora isto.

Há oito meses a minha mãe fez uma ecografia e não tinha rigorosamente nada no útero, logo, como podem dizer que há 11 meses (altura em que celebrou o novo seguro) ela já sabia que tinha cancro? A sério, choca-me que estas empresas possam agir assim. Furibunda com esta situação, enviei um mail para eles, com a ecografia que a minha mãe fez há poucos meses e que não acusava tumor nenhum, com a data impressa no exame, para ver se continuam a ter lata de dizer que a porra da doença é pré-existente.

Até agora, nenhuma resposta. Felizmente, o tumor regrediu de tamanho e estamos só à espera desta autorização do seguro de saúde para avançarmos com a histerectomia total e começarmos o tratamento do cancro. E eu odeio pensar que estamos aqui a perder tempo precioso (quando já poderíamos ter retirado o bicharoco) enquanto o seguro decide se vai ou não comparticipar a cirurgia.

E pensar que todos os meses pago um balúrdio de seguro de saúde (quase cem euros - e sim, acho caríssimo para a utilização que lhe dou, que é qualquer coisa como duas consultas de seis em seis meses) mas enfim, se quero ter filhos (e queremos tanto!), preciso investir num seguro de qualidade por que, maricas como eu sou, jamais teria coragem de ter um filho num hospital público (por várias razões) então... só me resta pagar e calar!

[e só Deus sabe como é difícil 'calar' perante situações destas, tão injustas... Vamos esperar até a próxima semana pela resposta do seguro. Se não comparticiparem a cirurgia, são 'só' 12 mil euros a suportar mas quando a saúde da pessoa que mais amamos está em risco, o dinheiro perde totalmente o valor e só queremos é que tudo dê certo. Dê por onde der.]

SHARE:

02 novembro 2014

Foi há um ano...

... numa noite gélida, em Paris, que eu vivi um dos momentos mais fantásticos e memoráveis da minha vida. Um pedido. Uma cidade que eu amo e que tanto me diz. A minha estação do ano preferida. Um homem que me compreende como ninguém (e, surpreendentemente, ainda consegue ser apaixonado por mim)

E de repente, eu que nunca tinha sonhado com vestidos, véus e sinos a tocar, passei a desejar que 2014 passasse num tirinho, só para poder estar unida, para sempre, ao amor da minha vida. Foram 10 meses de noivado, de preparativos para a nossa casinha, de pintar paredes, de pensar nos detalhes da nossa festa, de planear tudo, gerir orçamentos (tarefa que não foi efectuada com grande sucesso, assumo), foram 10 meses de 'estar noiva', daquela ansiedade, dos pensamentos malucos "ai meu Deus, onde é que me estou a meter? Eu, que nunca morei longe da minha mãe e que mal sei fritar um ovo, como vou casar?!" mas ultrapassamos os probleminhas técnicos e posso dizer que foi o meu melhor investimento.

Investir no amor, numa relação que é vivida a 100%, na partilha e sinceridade acima de tudo... só pode ser um bom investimento. Daqueles a longo [beeem longo] prazo.

Os nossos anéis, símbolo de tudo aquilo que nos une. Jóias clássicas, como nós gostamos. Simples, mas cheias de significado. Te amo, meu amor. Tanto, tanto...

SHARE:

01 novembro 2014

A dona de casa perfeita #2

Finalmente temos sofá! Depois de quase quatro meses à procura do 'nosso' sofá, encontramos o dito cujo na Lourini e é só a coisinha mais confortável em que eu já alapei o rabo, dá vontade de nunca mais levantar de lá. Adorei-o de paixão e a paixão foi tanta que esqueci-me de um pequeno pormenor... o tamanho. Como é um modelo com chaise-longue, não contei com o tanto de comprimento que isso roubaria à sala. Enfim... tudo isto para dizer que vou ter que trocar de mesa de centro [sim, que trocar de sofá não me passa pela cabeça].

E é este o meu problema. Apaixono-me por uma coisa, cismo que tenho que tê-la e que 'depois vê-se', 'damos um jeito', só que neste caso... para a nossa sala continuar ampla, preciso mesmo trocar a mesa de centro - que tem 1,35m de comprimento - por outra mais estreita.

E como pessoa de paixões arrebatadoras que eu sou... estou de olho neste modelo: em vidro, clean e minimalista, que condiz com tudo o que temos na sala. A questão que se coloca é... onde encontro mesas de centro destas? [as imagens são do Google].



Quero taaanto uma mesa assim! Se alguém soube onde encontrar algo parecido, que se chegue à frente, sim? Obrigadaaa.

SHARE:
© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig