30 dezembro 2014

Dos melhores presentes deste Natal #2

Receber tooodas as fotos do nosso casamento em alta definição e sem marca d´água! São quase 3000 fotos do nosso dia e ainda não sabemos muito bem para onde nos virar. Já escolhemos as que irão constar nos álbuns (foi uma luta, mas lá conseguimos) e agora estamos a rever todas e escolher umas quantas para espalhar pela casa. Foi uma delícia rever cada fotografia, lembrar de cada momento, das emoções à flor da pele, dos gestos e olhares... Adoro estar casada, se soubesse que era tão bom tinha casado aos 18 anos ahahaha. A verdade é que adoro acordar todos os dias ao lado do meu amor, adoro a nossa 'rotina' (que não é bem rotina, porque estamos sempre a inventar cenas, mas pronto, é aquela certeza de que ao fim do dia estaremos juntinhos), até das nossas briguinhas bobas eu gosto, o ar dele todo zangado "ai que me dás cabo do juízo, miúda", as asneiras que diz a ver futebol (então quando usa expressões em espanhol, é mesmo de fazer uma pessoa passar mal de rir). Adoro-o. Não sei se será sempre assim entre nós, se é só efeito dos primeiros tempos ou outra coisa qualquer mas Deus queira que continuemos sempre assim: apaixonados e maluquinhos um pelo outro.

SHARE:

29 dezembro 2014

Então e essas férias, Anne? #3

Vão bem, sim senhor. Para mim não são bem férias, que estou farta de fazer coisas em casa e descanso que é bom, nicles, mas pronto, precisava destes dias para terminar de decorar a nossa casa, aproveitar os saldos, curtir a família e coisas assim. O M. está a trabalhar em casa esta semana e já jurou que é a última vez que o faz, que eu o distraio o tempo inteiro, sempre a inventar coisas, sempre a chamá-lo ("amooor, ajudas-me aqui na cozinha?", "olha, podes ir à arrecadação buscar mais lenha?", "olha, vou dar banho ao Rio, ajudas-me?") enfim, o pobre homem lá resmunga um "eu sei que não parece mas eu estou a trabalhar, caraças!" ahahah coitado, mas lá ajuda-me sempre, um querido.

Para completar, no sábado recebi um mail com as promoções da IKEA (a minha meca, adoro!) e por acaso tinha lá um móvel que, não sendo propriamente para o efeito, faria um aparador bem giro por um precinho supimpa. O aparador foi dos móveis que mais demoramos a comprar porque são caros como o raio! Todos os que vi (e gostei) andavam ali nos 350-500€  e eu não estava com vontade de gastar tanto num móvel. Depois tínhamos o segundo problema: é que a nossa sala tem um tamanho mediano (35 metros) e uma lareira que rouba algum espaço, mais um sofá gigante com chaiselong que também ocupa um lugar considerável e uma mesa de jantar grandota, enfim... espaço é coisa escassa para aquelas bandas e o nosso aparador não poderia ter mais que 1,20m contadinhos.

Como tenho muita loiça (e faqueiros e cálices e outras mariquices), pensei em comprar dois módulos da IKEA de 1,20 e dispor um por cima do outro (por exemplo, um da gama BESTA). Mas quando vi o STOLMEN em promoção (de 79€ por 45€) não pensei duas vezes e decidi comprar duas unidades e adaptar para aquilo que pretendemos (colocar uns pés giros que vi no Leroy, por exemplo) e já está: aparador giro, com portas deslizantes de vidro e prateleiras internas também de vidro, com 1,10m de comprimento e 90cm de altura... por míseros 90€. Uma pechincha considerando-se o valor que estávamos dispostos a pagar por um móvel praticamente igual.

Escusado será dizer que no dia anterior aos saldos fui ver a disponibilidade deste artigo na loja de Alfragide e já só tinham 4 em stock. Resultado? Obriguei o homem a acordar as 8h30 de domingo (o 1º dia dos saldos) para sermos os primeiros a chegar e alancarmos logo com o móvel. Chegámos ao IKEA as 9h50 e já havia uma fila do caraças, parecia que estavam a dar doces ou lá o que é. Muita gente, tudo ali à espera que a loja abrisse, o segurança à porta a controlar que as pessoas só entrassem mesmo as 10h, foi a loucura. Lá conseguimos trazer os dois móveis, ainda tomamos um delicioso pequeno-almoço sueco e de seguida... rumamos à Feira do Relógio, em Marvila, que eu estava mortinha para comer um pastel de vento feito na hora.

Chegando na feira, mooontes de coisas giras para a casa, a preços da uva mijona. Não me fiz de rogada: voltei ao carro, abri a mala do carro e saquei de lá uma bolsa daquelas grandes que o Pingo Doce vende a 0,50€ e fui enfeirar à grande. Adoro feiras, adoro regatear preços (e por acaso, acho que sou bastante boa no assunto), adoro fazer compras à antiga, é que adoro mesmo.

O saldo: 
  • 12 pares de meias coloridas por 5€; 
  • 2 lençóis de elástico 100% algodão, num tecido maravilhoso, por 6€ cada (na medida 1,60x2m); 
  •  Um conjunto de lençol de baixo, lençol de cima e duas fronhas de almofada, tudo em flanela (sou friorenta e adoro lençóis térmicos no inverno) por 5€.
  • 2 dúzias de ovos XXL (com gema dupla, garantiu-me o vendedor) por 2€
  • 12 taças em cristal de uma colecção desenhada pela Fátima Lopes (estas) por 15€ (o vendedor queria a todo custo vender-me a 25€ 'ai menina, mas olhe que isto é cristal, vale dinheiro' mas bati o pé e fui firme. E ele lá cedeu)
  • Pão alentejano cortado em fatias grossas para torrada (fresquinho que só) por 1€
  • 1 jarra com um design lindo por 3€ e mais duas simples, brancas, para pôr flores, por 5€ as duas.
  • Um chapéu de inverno bordeaux, em 100% lã, quentinho e de qualidade irreprensível, por 5€ (custava o dobro mas...)
  • 5 pastéis de vento com frango e catupiry (o M. sozinho comeu 3, acham isto normal? Eu comi um e meio, a outra metade guardei para depois ahaha)
Ou seja: descobri que vale muito a pena comprar em feiras, apesar dos olhares chocados do marido (principalmente ao ver as taças em cristal, só dizia: isto é tudo roubado, só pode...) e eu a ralhar com ele e a dizer-lhe para não ser tão preconceituoso, enfim... Acho que vale a pena porque fazem-se grandes achados e os vendedores estão quase sempre acessíveis para negociar o preço.

Quanto à segurança, não me senti minimamente assustada ou insegura (mas lembrem-se: eu venho do Rio de Janeiro, por isso, para ficar realmente assustada com algo, é preciso ser mesmo hardcore). De resto, a feira esteve sempre policiada, não vi nenhum assalto nem levei uma facada, por isso, voltarei lá mais vezes, com certeza.

[sim, confirma-se que há lá um pessoal mais 'estranho', como o rapaz que nos abordou com um iphone 6 novinho em folha, a perguntar se queríamos comprar. Isto sim, acredito que seja mesmo roubado. E a polícia a fingir que não via nada, a assobiar para o lado. Lindo.]

E vocês, também costumam ir em feiras? Disseram-me que a melhor feira para comprar artigos para a casa é a Feira da Ladra mas só lá fui uma vez, há muitos anos e nem me lembro direito. É assim tão boa? Que feiras costumam visitar?

SHARE:

26 dezembro 2014

Destes dias tão bons...

A nossa noite de Natal foi fantástica: passada cá em casa, família toda reunida, comida boa, brincadeiras, risadas, webcam em directo com o restante da família no Rio, prendinhas boas e agora, uns diazinhos de férias para descansar bastante, curtir os meus amores e carregar baterias para a chegada de um novo ano. Adoro esses dias entre o natal e o ano novo, depois faço anos logo na 1ª semana de Janeiro e parece que só depois disto tudo é que o ano realmente começa para mim.

Tirei estes dias de férias, só regresso ao trabalho dia 7 de Janeiro e está a saber-me pela vida esses dias de ronha, muito sofá, séries e filmes, o meu marido a trabalhar a partir de casa esta semana e nós sempre juntinhos, adoro!


E é isto, vou estar um bocadinho ausente porque quero dedicar-me totalmente à minha familia e à minha casa (ainda temos uns móveis para comprar e vamos aproveitar agora o início dos saldos para arrumarmos o assunto), quero curtir a minha avó e passear bastante antes dela se enfiar no aviãozinho e voar para longe de mim (ai, até me custa pensar) e claro, estar ao lado do meu amor e fazer toodos aqueles programas giros que adoramos :) Vou ali ser feliz e já venho.

SHARE:

24 dezembro 2014

Diz que é natal...

Estou deitada no sofá da sala, a escrever no portátil, sem sono. O relógio marca 2:42 da manhã. Ao pé da janela tenho a nossa árvore de natal iluminada a piscar, carregadinha de prendas. No nosso quarto, o marido já dorme. No outro quarto, a minha avó dorme descansada, depois de um dia intenso de ajudas e dicas na cozinha, com muitos doces pelo meio.

Só consigo sentir-me abençoada e tão, tão feliz neste momento. Tenho a minha casa linda e toda enfeitada para receber os meus amores, amanhã. Na cozinha, o bacalhau está de molho, o peru recheado já foi temperado, o frigorífico abarrota dos meus doces preferidos. Hoje falei com o meu pai pelo skype e foi tão, mas tão bom! Daquelas conversas que nos deixam de sorriso nos lábios durante horas. Acho que finalmente os nossos ponteiros estão a ficar lado a lado.

Na semana passada a minha mãe e o meu marido fartaram-se de perguntar: mas o que é tu queres receber no Natal?! E, ao contrário dos anos anteriores, em que tinha sempre uma resposta na ponta da língua (um gadget, uma mala cara, umas botas xpto, um novo portátil...) desta feita fiquei sem articular resposta nenhuma. Não preciso de nada material, não há nada que efectivamente eu queira que já não tenha comprado ou encomendado. Roupas, botas e malas, pufff, tenho uma divisão da casa, um quarto inteirinho com estas coisas, portanto, não quero nada (estou a guardar-me para os saldos, não pensem que estou tão altruísta assim) mas bem, dizia que não há nada que eu queira de verdade e deixei a minha família em choque por eu 'não ter pedido nada'.

Sinto que este ano tenho muito mais a agradecer do que a pedir. Todos os dias Deus dá-me muito mais do que eu mereço. E este ano, aquilo que eu realmente quero, de todo o meu coração, só Ele pode me dar. Por isso, esse ano não há cá Iphones, Ipads e outros que tais. Este ano há Ilove. Amor, simplesmente amor.  Neste natal quero amar sem medidas, não desperdiçar momentos, expressar tudo aquilo que sinto pelos meus, ser grata por ter uma família tão maravilhosa e, sobretudo, disfrutar. Este Natal é especial e eu quero vivê-lo em pleno com as minhas pessoas!


Um feliz natal, pessoas! Que vocês aproveitem muito para estarem com aqueles que amam, para descansarem, comerem coisinhas deliciosas e agradecerem a Deus por tudo aquilo que têm: uma casa quentinha, uma família que vos ama e uma mesa repleta. Se aprendermos a valorizar as pequenas coisas, temos tudo para viver em pleno esse 2015 incrível que está por vir. Beijo!

SHARE:

22 dezembro 2014

Só porque o ano chega ao fim...

... resolvi actualizar a informação na secção 'Autora', que aquilo já tinha pó e ao ler, já não me identificava com nada do que estava para ali. Sem contar que escrever em 3ª pessoa é só das coisas mais esquisitas de sempre (não, não sou jogadora de futebol para fazê-lo), por isso, cá vai a versão nova do meu 'eu', sem firulas, sem terceiras pessoas, só eu, simplesmente.

[e já agora pode ser que o Pai Natal também traga um layout novo aqui para o estaminé que eu estou fartinha deste header e destas cores, apetece-me mudar tudo. Arre, que isto de ser mulher é tramado. Acho que vou ao cabeleireiro, novamente.] 

SHARE:

21 dezembro 2014

Os preparativos para a noite mais linda do ano:

Acho que ontem fomos as últimas pessoas a sair do Colombo... Viemos embora quando já passava da meia-noite, andamos ali horas a ver as coisas, depois fomos jantar, a minha avó a querer comprar meio mundo e o outro ("ah, mas isto aqui custa uma fortuna no Brasil e aqui está tão barato. Vou levar um pra oferecer pra fulana, outro pra beltrana..." - medo!). Às tantas fartei-me de alancar com os sacos e agarrei num carrinho do Continente e vá de mandar tudo lá para dentro, que eu não sou parva.

Fui com mamãe à Parfois e comprámos montes de ganchinhos de cabelo e acessórios para ela variar no penteado, definitivamente, gosto muito mais dela com o cabelo curtinho. Ela, empolgada, ainda comprou um vestido lindo de morte para usar na noite de natal e adorei saber que a minha mãe está 'de volta', entusiasmada e a fazer montes de planos... Pelo meio descobrimos que a Vi já veste o S da Berskha (mas não era ontem que ela usava cueiros? Valha-me Deus que este tempo não anda, voa!) e eu descobri que já só enxergo à frente coisas para a casa. Qual roupa, qual sapatos! Toda eu estava virada para a Area, a Zara Home, a Vista Alegre... Oh, céus! Enquanto não me passar o 'mood' dona-de-casa, é o que temos.

 Uma prendinha da minha mãe, que aproveitou enquanto eu estava no Continente (a comprar faqueiros, acham isto normal?) e comprou-me os copos dos bicos em branco, para combinar com os vermelhos que comprei na semana passada. 

SHARE:

20 dezembro 2014

Manter o jogo de cintura...

... e não deixar a 'peteca' cair, é o meu lema destes dias. Há dias em que só quero estar sossegada no meu canto, sem grandes conversas, só eu ali a pensar. O M. tem sido o meu maior pilar nesta altura, meu companheiro, aquele que me percebe sem eu precisar abrir a boca. Às vezes chego a casa cansada e sem paciência e tenho a certeza que ele é um homem especial: está à minha espera com a mesa posta, o jantar feito, a minha sobremesa preferida no frigorífico . São pequenas coisas, mas que me transmitem um novo ânimo. Ele, mais do que ninguém, sabe o quanto eu preciso demonstrar força neste momento.

Pelos meus irmãos mais novos, pela minha avó que está de férias cá e foi apanhada no olho do furação. O meu irmão está de tal forma 'mexido' com a doença da mãe que precisou afastar-se desse ambiente de hospitais, IPO e cirurgias, e está fora do país, só chega pra semana. O Pê sempre foi assim, sempre sofreu sozinho, em silêncio, sem ninguém para o consolar, desde pequeno que ele 'se isola' para lamber as feridas. A Vi não sabe da missa a metade, que ela é demasiado pequena para tanto. Só sabe que a mãe tem umas 'coisinhas na barriga' e que está a fazer tratamento. Não quero ter que lhe dizer a palavra 'cancro'. É demasiado pesado para uma miúdinha da idade dela.

A minha avó, surpreendentemente, foi aquela que reagiu melhor. Assim que soube da notícia, suspirou: "Graças a Deus que eu estou cá com vocês, se estivesse no Rio acho que tinha caído para o lado". Pensei em poupá-la dos detalhes mas esta velha de 81 anos parece que sabe de tudo o que se passa, tem um radar especial. Talvez por a minha avó ter tido tantos problemas de saúde (um derrame, dois AVCs, um cateterismo e uma cirurgia ao coração para pôr bypass e fazer ponte de safena) e ter saído 'quase' ilesa de todos eles, ela tem a certeza (a mesma que eu tenho) de que estamos no caminho certo para a cura e que mamãe vai ultrapassar essa fase.

Para mim tem sido difícil porque tanto eu como os meus irmãos, principalmente o Pê, sempre  vimos a minha mãe como uma rocha inabalável, uma mulher que nunca se curvou a nada nem a ninguém, que nos criou sozinha, sem apoio do nosso pai, que chegou a ter três empregos para nos conseguir pôr nos melhores colégios, uma mulher que sempre se pôs à margem para que nós vencêssemos, que sempre pensou: 'primeiro eles, depois eu', uma mãe maravilhosa... Sempre a vimos como uma guerreira e por isso, temos a certeza que esta batalha (que, afinal, é só mais uma) já está vencida.
(mas não posso dizer que está a ser fácil, não senhora).

[e para dissipar um bocadinho a névoa escura em que acordei hoje, vamos todos para o Colombo passar a tarde a passear e fazer compras, que é disto que esta família precisa. Vá, talvez não seja bem isso que precisamos mas para já, é um bom começo. Até a minha avó, que odeia centros comerciais, alinhou no passeio. Isto hoje promete!]

SHARE:

13 dezembro 2014

Vermelho!

Hoje fomos ao Freeport despachar os últimos presentes da nossa lista (pela primeira vez em não sei quantos anos, já tenho tudo comprado, embrulhado e prontinho para a grande noite, com muuuita antecedência) e não resisti em passar pela Vista Alegre para espreitar os copos de bicos. Os meus olhos foram automaticamente atraídos pelos vermelhos, nada a fazer. Havia em montes de cores e fiquei ali um instante indecisa entre o verde e o vermelho mas, caramba, é natal! E natal que é natal... pede muitos apontamentos em vermelho. E assim vieram os copos, baratíssimos que só (isto de irmos a uma loja 'de fábrica' é um pequeno perigo, queria trazer tudo atrás). Ah, e com a vantagem de poder trazer os copos à unidade, que era mesmo o que eu queria. Tão bom!

Sim, trouxe-os por 3,30€ cada! Um achado, eu sei... Nas lojas normais da VA a caixa com 4 copos de vinho (cor vermelha) fica por 36€, o que significa que cada copo sai a 9€. Logo, comprar o mesmíssimo copo por 1/3 do preço tem todo um outro sabor :)

Entretanto deixei encomendado o jarro de água (por míseros 12€) e também a fruteira, tudo em vermelho. Costumava comprar estes artigos sempre na loja do Vasco da Gama mas já percebi que compensa (e bem) cruzar a ponte e dar um saltinho ao Freeport. Só é pena não terem todos os artigos disponíveis (há muitas coisas que não vão para outlet, principalmente as novas cores), mas os artigos mais tradicionais e clássicos estão sempre por lá. Eu adorei a descoberta!

E, entre a compra dos últimos presentes, lá acabei por perder a cabeça com umas botas da Mango, pretas e em pele, um clássico para o inverno. Pronto, foi uma assim uma pequena loucurinha. E já no último corredor, prestes a ir para o parque de estacionamento... dei um saltinho à SPAL e trouxe uns pratos de sobremesa por preços ridículos (eu fico ma-lu-ca com promoções, não lhes resisto), da coleção Gold & Diamond by Fatima Lopes, com detalhes em dourado para juntar ao serviço de jantar dourado que comprei no início deste mês.

E é oficial: estou proibida de pisar no Freeport até o ano que vem (que, assim como assim, é já daqui a duas semanas). E vocês, já têm as prendinhas todas compradas?

SHARE:

03 dezembro 2014

Ai La Redoute... assim você me mata!

Há uns dias recebi um mail da La Redoute em que diziam estar com descontos de 80%, portes grátis, oferta disto, oferta daquilo... Como eu sou pessoa desconfiada, lá arrisquei uma encomendazinha, em artigos que estavam mesmo irresistíveis. Ontem fui levantar a encomenda nos CTT e, espanto, os artigos são óptimos, de excelente qualidade e caimentos perfeitos. Estava com medo dos casacos ficarem-me grandes, já que só havia disponível o 42 (e eu normalmente visto o 40) e depois eram todos tamanhos muito grandes mas, ficou tudo impecável e eu recomendo de olhos fechados!

 [de 149,99€ por 31.99€]
Sobretudo em lã (70%), cintado e com dupla fileira de botões (os meus preferidos). Adoro casacos com este tipo de corte, acho que nos dá uma elegância imediata, para além de serem muito quentes.



 [de 129,99€ por 54,99€]
Botas rasas, em pele, feitas em Portugal. Três motivos para me fazer querê-las de imediato. O preço inicial desanimava um bocado mas em saldos, nem pensei duas vezes. Adoro o detalhe atrás, com atilhos.


 [de 139,99€ por 29,99€]
Sobretudo em lã (40%), com drapeado à frente e cinto de atar (que não aparece na foto). Comprei nesta cor, em vermelho, mas ainda havia em azul escuro e preto. Gosto mais da versão sem cinto, têm um cair fabuloso e nem acredito no preço que me custou. 
 
Os portes foram oferecidos e ainda trouxe mais umas coisinhas para casa, a precinhos irrisórios (as capas de edredão em cetim são uma perdição e estavam com 60% de desconto). Ai ai anda uma pessoa a evitar pisar em centros comerciais para isto... O que vale é que nem me desgracei assim tanto e estava tudo com preços fantásticos. 

E vocês, costumam perder a cabeça nas compras online?

SHARE:
© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig