02 maio 2015

Dúvida existencial...

... ou na versão popular: "bem que Deus poderia ter me abençoado com um cabelo 'bom' no lugar dessa massa selvagem encaracolada que me tira a paciência (e os euros)". Enfim...

A verdade é que nunca gostei de ter caracóis, sempre foi uma chatice ter que usar espuma de definição (senão o cabelo parecia uma juba sem forma), depois ter que usar óleo nas pontas (porque são super secas), não poder pentear o cabelo depois de seco, sob pena de me transformar no Simba em pleno trabalho, enfim... não era prático para o meu ritmo de vida.

Achava incrível as minhas amigas acordarem, pentearem os cabelos lisos e tcharãm, já estavam prontas. Eu não, eu tinha tooodo um ritual para cumprir: umedecer, modelar, hidratar, uma verdadeira seca. Não estava para isso. Lembro-me de fazer a minha primeira 'desfrizagem' aos 15 anos, depois de muito implorar a minha mãe lá concordou e levou-me ao cabeleireiro.

Durante anos foi assim: de dois em dois meses lá estava eu no cabeleireiro para 'retocar as raízes' do alisamento e ostentava, orgulhosa, fios lisérrimos e que não davam grande trabalho a manter. Só que entretanto surgiu uma tal de 'escova progressiva' e pronto, eu e ela tornamo-nos melhores amigas. Não queria saber se tinha formol na fórmula (podia ter até ácido sulfúrico, desde que me mantivesse com os cabelos lisos, era só o que me importava), e durante alguns anos mantive-me com estes alisamentos.

Só que agora estou um bocado farta desta vida, sabem? Estou farta desse 'compromisso' de ter que ir ao menos uma vez por mês ao cabeleireiro (para alisar, para hidratar, para 'carga de queratina', para 'selagem térmica', para tanta coisa que eles inventam...), detesto estas obrigações, ando cansada dessa rotina capilar. É o tempo que se perde, é o dinheiro absurdo que se gasta (o meu último alisamento ficou em 150€), são os produtos que temos que usar depois sempre todos xptos, é a obrigatoriedade de ter que secar o cabelo com o secador sempre que o lavamos (é há dias em que me apetece deixá-lo secar ao natural), é a inibição de poder dar uns bons mergulhos na praia/piscina (não é recomendável molhar o cabelo com água salgada/cloro)...

No resto do ano não me faz tanta confusão mas agora com o calor e o verão, é terrível. Eu adoro sair na rua com o cabelo molhado, não consigo ficar na praia sem mergulhar e molhar o cabelo, também não consigo estar numa piscina e não mandar-me de cabeça lá para dentro... E é sempre chato estarmos sempre a pensar no cabelo, 'ai meu Deus, mergulhei, agora tenho que tomar um duche de água doce e pôr creme no cabelo..'. Eu não quero viver com essa preocupação, percebem? Se o cabelo tiver que secar ao natural, pois que sim, vai secar ao vento. Que se lixe se vai ficar uma moita gigante, quero ser livre dessas merdices...

Quer dizer, livre até certo ponto. Não pretendo ficar com a raiz toda encaracolada (não consigo, é mais forte que eu), mas também não quero estar com progressivas. Ai, pessoas, não sei o que faça. O meu cabelo de sonho é: raiz lisa e caracóis nas pontas mas neste momento, está exactamente o oposto: raiz encaracolada (natural) e pontas lisas (alisadas). Socorro!

[gosto quanto ele está assim ou assim. Mas em ambas as fases, estava com quilos de alisamento progressivo em cima... Já pensei em procurar uma terapeuta capilar que talvez conseguisse me auxiliar mas parece que cá em Potugal não existe ainda este conceito, só mesmo no Brasil. ô vida difícil, viu?]

SHARE:

6 comentários

  1. Sabes Anne, esse é um assunto difícil para mim. Sou africana e como tal, tenho cabelo tipo carapinha. Vivo na Europa desde os 3 anos de idade e em França as miudas tinham todas cabelos lisos e loiros. Por isso, fiz muitos tipos de alisamento, durante anos. Alguns queimavam a minha cabeça, descamava tudo, doía tanto... mas eu só sentia-me feliz de cabelo esticado.

    Hoje sou mãe de uma piolha de 4 anos, de cabelo carapinha também. E por causa dela, aceitei o meu cabelo tal como ele é. Nunca quero que ela passe pelo que eu passei, quero que ela valorize a nossa cultura, o nosso tipo de cabelo. Tenho o cabelo afro, sim. Mas aprendi a gostar dele.

    Pelas fotos que já vi de ti, algumas em que eras criança, o teu cabelo perto do meu é considerado bom, ou seja, é um cabelo normal mas com caracóis, está longe de ser afro. Descontrai, aprende a gostar dele tal qual ele é. Experimenta :)

    ResponderEliminar
  2. Ola Anne, sei que e difícil mas concordo com o comentário da @Luana. Essas miudas de cabelos lisos de certeza que têm outro problema qualquer: olha o meu é super oleoso na raiz e muito seco nas pontas.
    Aliás gostava de saber que produto usas nas pontas.

    Obrigada.

    ResponderEliminar
  3. Olá, Anne.
    Se puderes experimenta o alisamento INO9 da Makeover. O meu cabelo é naturalmente ondulado, mas basta que o tempo esteja húmido ou queira tomar banho de mar e logo fica uma juba. Este alisamento foi uma bela surpresa para mim. Durou 9 meses! Podia ir à piscina, ao mar, deixar secar ao ar, uma maravilha. Já fiz 2ª vez e estou a ter o mesmo resultado. Maravilhoso! Recomendo :-)
    Rita

    ResponderEliminar
  4. Olá Anne :) eu há cerca de 1 ano (Julho 2014) fiz uma um tratamento ao cabelo que tem por benefício o alisamento do mesmo sem se tratar de um alisamento. Sem aqueles produtos tóxicos. Hoje, passado quase 1 ano ainda posso deixar o meu cabelo secar ao natural que ele não encaracola nem nada que se pareça. O tratamento é da marca Goodwell. Se estiveres interessada eu depois mando-te o link de onde fiz. Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Mas e a escova milagrosa de 80 euros???não resultou?

    ResponderEliminar
  6. Realmente isso não é vida principalmente no verão! Abusa mais dos apanhados e penteados para disfarçar o volume e pelo menos no verão não faças nenhum alisamento.

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig