03 outubro 2015

Um dia pelo Principado do Mónaco

Ahh, o Mónaco! O micro-país de 2km² quadrados de área soube ganhar o meu coração! Saímos do porto de Nice bem cedinho e apanhamos o autocarro que em cerca de 1h nos deixou à porta do Casino de Monte-Carlo, no coração do Mónaco. A primeira vista que tivemos foi a praça imponente com o Casino ao fundo e juro, parecia cena de filme e lembrei-me automaticamente do 007 Casino Royale. A atmosfera é outra, as pessoas têm aquela aura de glamour inegável, há estátuas em honra da princesa Grace Kelly por todos os cantos e foi a presença mais forte que sentimos no Mónaco, parecia que estávamos dentro de um filme de Hollywod e a qualquer momento a Grace Kelly surgiria por ali, num vestido esvoaçante desfilando todo o seu charme!


Os preços, beeem, tudo é caro, caro, caro. Uma garrafa de água pequena custava 4,50€, uma coca-cola 6€ e por aí vamos... a nossa sorte foi ter encontrado um dos vários supermercados Casino (estão espalhados um pouco por todo o sul da França) que vendiam saladinhas de massa com frango, já prontas, além de baguetes deliciosas por um preço justo (cerca de 5/6€ por refeição) e também compramos uma baguette de queijo para comer durante a tarde. O nosso único pecado foi um doce típico do Mónaco, um género de tarte com amêndoas e chocolate que minha-nossa-senhora era de chorar por mais! Não comprei absolutamente nada, apenas um ímã de frigorífico para a colecção e mesmo assim, deve ter sido o íman mais caro que já comprei (6€ por uma coisinha minúscula?). De resto, passamos um dia absolutamente divinal, caminhamos imenso (mesmo!), o Mónaco é cheio de subidas e muuuitas escadas (estão a construir escadas rolantes em várias partes da cidade para o pessoal com locomoção reduzida - eu, eu!) e é uma experiência bem diferente de tudo o que já vivenciamos, é a típica cidadezinha perfeita: tudo funciona direitinho, os autocarros são mega pontuais, a cidade é limpíssimas, não vemos ninguém a atirar lixo na rua e reparei que poucas pessoas fumavam (a minha ideia de cidade perfeita - sem baforadas fedidas na minha cara!). Amei o Mónaco, quero me mudar para lá amanhã! :)


 A bandeira do Mónaco: metade da bandeira francesa :P
Sabem aquela sensação de que estamos no meio de um videogame? Foi o que sentimos quando vimos as ruas por onde passam os carros de F1 e as míticas curvas que consagraram tantos ícones (como o saudoso Ayrton Senna - que me fez passar a gostar de Fórmula 1). Os carrões descapotáveis que passavam, bem como Ferraris e Bentleys e mais não sei quantos carros absurdamente caros só contribuíam para aumentar a sensação daquilo tudo ser irreal mas lindo.

 Lá é tudo tão pequeno em termos de espaço que a única solução é crescer para cima e encavalitar prédios sobre prédios (para tudo nessa vida existe uma solução, até para países minorcas). 

 No caminho para o Palais Princier, depois de subir toooda uma montanha para alcançar o topo (parte antiga do Mônaco e capital, chamada Monaco-Ville) nos deparamos com esta placa que indicava um desfibrilador a 20 metros. Olhem, eu bem precisava, que sentia-me derreter por todos os poros.

 No dia que escolhemos para visitar o Mónaco caiu uma chuvinha leve e o céu esteve assim durante todo o dia: super encoberto e cinzento mas nem isso foi capaz de diminuir a beleza do lugar!

 Não chegamos a tempo de ver a troca da guarda no Palácio mas achei os guardas monegascos bem sem-graça (nada parecido aos guardas da Rainha da Inglaterra, por exemplo - aquilo sim foi uma cena memorável) e com um uniforme feinho de dar dó (e o chapéu à mestre de obras? ehehe engraçado essa coisa das culturas e as enormes diferenças que existe em cada uma delas...)

 Dentro da Igreja podemos ver os túmulos de Grace Kelly e Rainier (para além de outros membros da realeza monegasca) mas é claro que o túmulo mais enfeitado, florido e cheio de cartas era o da Princesa Grace, especialmente por que no dia anterior à nossa visita tinham-se assinalado os 33 anos da morte de Grace.

 A única praia do Mónaco é a Larvotto Beach, uma praia bem lindinha com água clara e morna mas que devido a chuva e tempo assim-assim não pudemos desfrutar e nem dar um mergulhinho... 

 Ao pé da praia temos o Jardin Japonais, um jardinzinho de inspiração oriental que faz um sucesso pela paz e tranquilidade que inunda o local, nem parece estar situado em plena cidade, tamanho o silêncio e a calmaria do sítio. Estavam a preparar o local para um casamento, então uma boa parte do jardim (público) estava reservada para o evento, mas ainda conseguimos ver muitas carpas nos lagos, tartarugas e diversas espécies de plantas exóticas.

Ai que saudade do Mónaco, nem parece que estive lá há menos de um mês, quero voltar! Vocês sempre me pedem para escrever sobre viagens e eu adoro fazer estes posts mas bate uma nostalgia, passou tão rápido... acho que já estou a precisar de férias novamente! E as próximas são num sítio beeem frio, mesmo do jeito que eu gosto! Venham elas :)

E vocês, já estiveram pelo Mónaco? O que mais gostaram de visitar? Adoro ouvir relatos de pessoas que estiveram nos mesmos lugares, geralmente cada um tem uma visão bem distinta daquele sítio e é essa troca de impressões que torna tudo mais interessante, não acham?

SHARE:

3 comentários

  1. Gostei muito das poucas horas que passei no Mónaco. Era a primeira vez que eu estava no sul de França, vinda do cruzeiro e a primeira paragem foi mesmo Villefranche-sur-mer, que com meia hora de comboio chegamos, finalmente, ao Mónaco!

    viajarso.blogspot.com/2011/08/villefranchemonaco.html

    ResponderEliminar
  2. Oi, Anne!
    Eu estive no Mónaco em 2005 e é mesmo como dizes: pequenino, mega caro, mas maravilhoso! muito bom! :)

    ResponderEliminar
  3. Adoro! A minha avó dizia muitas vezes que se pudesse escolher qualquer sítio do mundo para viver seria a Riviera Francesa e eu não percebia a piada, mas agora vejo que é mesmo muito bonita.

    http://www.perdidaemcombate.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig