30 novembro 2015

Novo fenómeno:

As lojas-fantasma!

Não sei se terá sido coincidência, se é das horas a que vou ao centro comercial (geralmente já perto do fecho, aí pelas 21h30/22h), se é da crise ou se tenho tido azar mas a verdade é que já começo a ficar incomodada com isto. Vou explicar:

Cenário: Loja Pandora do Fórum Sintra às 22h de uma sexta-feira, apenas 1 funcionária na loja.
Entro, reparo que a (única) funcionária da loja está a mostrar anéis a uma cliente e fico a passear-me pela loja, a ver coisas, à espera que a funcionária fique desocupada. Passam-se uns dez minutos, a cliente entretanto pede para ver relógios e depois quer brincos para oferecer à não sei quem (é normal, está a ser atendida, bem que podia pedir para ver todos os artigos da loja), a funcionária olha para mim com uma certa pena e murmura: "eu peço imensa desculpa mas é que estou sozinha até a hora do fecho..." eu digo que não tem problema, que posso esperar. Entretanto entram mais pessoas na loja e a vendedora apressa-se em dizer que está sozinha e que vai demorar um pouco a atender visto que já tinha outra cliente à espera (eu) pelo que as pessoas lá vão desistindo e aos poucos saem da loja até só restar novamente eu. Quando percebo que já estou ali há uns bons vinte minutos, decido que afinal passo outro dia e vou-me embora. Moral da história: a Pandora possivelmente quererá poupar nos funcionários (um passarinho que trabalha nos escritórios contou-me que a marca passa por uma profunda crise) pelo que faz todo o sentido cortar no pessoal. Contudo, desde que entrei na loja até o momento em que me fui embora, contei 7 pessoas a entrarem e a sairem, por não poderem ser atendidas. Não sei se faz algum sentido andarem a perder clientes assim quando precisam de recuperar mas eles lá saberão.

SHARE:

29 novembro 2015

Do It Yourself (facílimo) do dia:

Fui à Primark comprar umas coisinhas e quando me encaminhava para a caixa de pagamento, vi uns sacos de presente super giros, com um lettring adorável e frases que me diziam muito :)

Custavam 1,50€ e decidi que por serem tão giros, tinha que os levar, depois logo pensava numa utilidade. E eis que mal cheguei em casa, fez-se luz: molduras! Vou emoldurar os sacos como se de posters se tratassem! Como ainda tenho várias molduras vazias à espera de inspiração, foi super fácil. Eu ando sempre a mudar as fotos/posters das molduras e vejo inspiração em tudo: recortes de revista, encartes de catálogo de viagens (como este que deu origem ao meu quadro: "paris is always a good idea") e por ai vai. Eis o resultado:

 Saco de presente tamanho A4 

SHARE:

26 novembro 2015

Mau, mau, Longchamp!

Como apaixonada por malas (e botas) que sou, confesso que estou um bocadinho desiludida com a qualidade das malas Le Pliage da Longchamp (que adoro de paixão)... Em Setembro, quando estivemos na Riviera Francesa, o marido ofereceu-me a Le Pliage Neo da nova coleção de outono, na cor mirtilo (aqui) que eu adorei e estou a usar imenso nos últimos dias. Ainda não vos tinha mostrado (só pelo instagram, na altura da viagem) mas cá está ela em todo o seu esplendor! A cor é uma coisa assim linda linda, com uns multireflexos violeta, a cara desta estação. 


SHARE:

25 novembro 2015

roteiro Amsterdão: informações úteis

Conhecer Amsterdão não fazia parte dos meus planos imediatos. Quer dizer, é claro que queria conhecer a Holanda, mas tinha planos de conhecer outros países primeiro (na lista imediata estavam: Escócia, Suíça e Cabo Verde). Mas quis o destino que a companhia holandesa KLM fizesse uma promoção assim pra lá de boa e é claro que não pudemos recusar. Compramos os bilhetes pelo site da KLM e saiu-nos a 70€ ida e volta, o que achei baratíssimo para uma companhia 'não low-cost'. Como já é nosso costume em capitais européias, alugamos um apartamento pelo AirBnB que ficava nos arredores de Amsterdão (o bairro chama-se Diemen) e contava com uma estação de metro (e comboio) a cinco minutos de caminhada (estação Diemen Zuid). Apanhamos o metro todos os dias em direcção à Centraal Station (12 minutos de metro até lá chegar) e gostei imenso da localização do apartamento, era central na medida em que nos metíamos no centro em menos de nada mas afastado o suficiente para ser um bairro super tranquilo e com um excelente supermercado local onde fazíamos as compras.
SHARE:

24 novembro 2015

Done!


E pronto, habemus apartamento tooodo enfeitado para a quadra mais feliz do ano! :) Estou tão feliz, é uma delícia andar pela casa e ver tudo cheio de bonecada, vibro com esse momento e olhem que nem tenho criança em casa, quando tiver... vai ser a ramboiada total. Ahhh, venha o Natal e todas as coisinhas boas associadas à ele ;)

SHARE:

22 novembro 2015

Aiii que eu não resisto!

Aos enfeites de Natal. Ao apelo dos pinheiros, das bolas vermelhas, dos laços dourados, os bonequinhos para a lareira, a guirlanda para a entrada, as luzinhas, ai as luzinhas, o que eu gosto de ver tudo aceso, a piscar! Sou uma maníaca-pelo-natal, adoro tudo o que seja relacionado ao tema e por mais que uma pessoa tente ser contida nisto dos enfeites, lá fui comprando uma coisinha aqui, outra ali... Ontem fomos jantar ao IKEA e viemos de lá com os últimos detalhes:

(não satisfeita com uma big árvore de natal na sala, ainda me deu para comprar um pinheirinho natural para pôr no nosso quarto, devidamente ornamentado, é claro)

Hoje fui ao Lidl buscar croissants quentinhos e comprei mais algumas coisinhas (inclusive os já tradicionais rolos de papel de embrulho por 0,89€ - são os melhores!). Estou a fazer um esforço para não perder a cabeça nos enfeites para a casa mas custa tantooo... É uma altura tão bonita do ano que não gosto de medir esforços para ter tudo alegre, enfeitado e lindo. Este ano então, por ter sido especialmente difícil (talvez um dos mais difíceis de que tenho memória) e por estar a terminar da melhor forma... merece mesmo uma comemoração em grande! 

E vocês, já começaram a preparar a casa para o Natal? Partilhem as vossas dicas para poupar nesta altura, é tudo tão tentador... Haja carteira!

SHARE:

19 novembro 2015

Depois não digam que eu não avisei... #4

Pois que ontem fui jantar ao Colombo com uma amiga e depois passamos pela FNAC para ela comprar um carregador para o telemóvel. Assim que entrei na loja, deparo-me com um corner da Nespresso e o placar a anunciar máquinas com 70€ de desconto... Pensei comigo: "deve ser, deve... aposto que há por aí uma fidelização qualquer ou outro 'truquezinho' para juntar ao valor da máquina..." mas como sou pessoa de dar o benefício da dúvida, lá fui espreitar as máquinas e era mesmo verdade: havia dois modelos com uma super promoção: um a 29,90€ e outro a 39,90€. E ainda traziam 16 cápsulas cada. Não pude resistir!


(estão disponíveis outras cores destes modelos - eu optei pelo branco)


A promoção é válida até Janeiro/2016 mas não creio que terão unidades suficientes até lá, visto que ontem já só havia 4 ou 5 caixas de cada modelo, por isso... é correr e agarrar a máquina, que por esse preço, meus amigos, não arranjam melhor. Eu comprei com intenção de oferecer à uma amiga no Natal mas cheira-me que ainda volto à Fnac para buscar mais uma máquina e oferecer à sogra (que já tem uma máquina de café mas gostava mesmo era de ter uma Nespresso). Ah, não sei se disse mas a embalagem ainda vem com 16 cápsulas de café e 10€ de desconto numa encomenda futura de cápsulas. Parece bom demais para ser verdade... mas é!

Quem é que vos dá boas dicas, quem é? :)

SHARE:

Vidas tão tristes...

O que será que se passa na cabeça de uma pessoa para vir para um blog que aparentemente detesta, destilar comentários da treta? Acho que isto dava até uma tese de mestrado, confesso que fico curiosa para entender o que está por detrás destes comentários. Fico sempre a imaginar uma pessoa triste, frustrada com a vidinha que leva, sem grandes emoções, sem grandes aventuras... "ah, não tenho mesmo nada de bom para fazer, tenho muito tempinho livre, deixa-me cá ver se consigo irritar esta fulana que acha que é feliz..

Ooops, lamento informar que: só me consegue deixar com um sorriso nos lábios. Aquele sorriso de superioridade, sabe? Aquela certeza de que somos tão melhores, tão acima destas coisas pequenas... só me dá para rir. Divirto-me a carregar no botão DELETE e, como que por magia, toda a estupidez desaparece para sempre no lixo cibernético. É triste, profundamente triste, que certas pessoas precisem de criticar e encontrar defeito nos outros para sentirem-se um bocadinho melhor. Que vidinha de merda, a desta gente. 

(é muito amor, não acham? A pessoa dar-se ao trabalho de comentar de minuto a minuto, sempre em modo anónimo - como se eu não soubesse quem é a ave rara - e seeempre para criticar e ofender.)


Desta vez a querida anónima recebeu 'tempo de antena' mas informo já que foi a última vez. Os próximos comentários amorosos terão unicamente o destino que merecem: o lixo.

Beijinho (no ombro) para si, xuxu!

SHARE:

18 novembro 2015

I ❤ Amsterdam

Regressámos a Lisboa de coração cheio. Amsterdão é linda, linda... uma cidade de sonho! De todas as cidades europeias que já tive a oportunidade de conhecer (e já são algumas) esta ficou-me mesmo no coração. Adorei tudo: a atmosfera cultural que se respira por lá, os canais belíssimos (e super 'fotografáveis' - renderam fotos lindas!), as várias bicicletas que circulam livremente por todos os cantos (era escusado ter sido atropelada por uma mas tudo bem, o erro foi meu - não do ciclista), as comidinhas típicas que são assim um pequeno atentado (o que é aquele stroopwafel com recheio de caramelo e cobertura de nutella? babo-me só de lembrar...), adorei tudo o que vi sobre Anne Frank (uma inspiração e um testemunho de vida incrível), enfim... estou capaz de querer ficar por lá mas é isso o que eu digo sempre que volto de uma viagem, portanto, não é para ser levado a sério. Foram dias fantásticos ao lado do meu amor, carregamos baterias, divertimo-nos, culturalmente falando então... só num dia conhecemos três museus (Amsterdão é a cidade para quem ama museus como nós) e sinto-me neste momento a ponto de vomitar cultura e de desbobinar todos os quadros de Van Gogh, Vermeer e Rembrandt. É tanta coisa a entrar-nos pelos olhos adentro que uma pessoa fica assim a modos que tonta. Amsterdão é para visitar com calma, percorrer aquelas ruazinhas e canais de ponta a ponta, visitar tantos museus como aqueles que forem possíveis, enfim, é uma cidade cheia de vida que merece ser conhecida e desfrutada ao máximo! 

SHARE:

17 novembro 2015

Isto promete...

Quem me acompanha pelo instagram sabe que logo no meu primeiro dia cá em Amsterdão o impensável aconteceu: fui atropelada por uma bicicleta (no coments...) e torci o pé, que imediatamente inchou e ficou do tamanho de um ovo de avestruz. Por causa disso foi preciso reavaliar todo o nosso roteiro e com muita pena minha, riscámos Roterdão e outras duas cidades do mapa, concentrando toda a nossa atenção por essa cidade linda que é Amsterdão.

Hoje, nosso último dia na Holanda, vamos fazer passeios leves e no fim da tarde... shopping! Já andei ali pela Kalverstraat (a rua das compras por excelência) a espreitar as montras e a coisa promete: Top Shop, Forever 21, Marks & Spencer, Hema, De Bijenkorf (estas duas últimas, tipicamente holandesas - estou curiosa para conhecer). Enfim, quer me parecer que é desta que o meu pé melhora ahahaha :)

SHARE:

15 novembro 2015

Sobre o 13 de Novembro.

pray for paris.

Apenas chocada com todos esses acontecimentos... Quando isso terá fim? Ontem estive na Casa da Anne Frank, o museu sobre a menina judia que viveu dois anos escondida num anexo secreto por causa da perseguição alemã. Enquanto caminhava pelos corredores do anexo e via o quartinho minúsculo onde ela dormia, as janelas tapadas com lençóis pretos, sem nenhuma luz ou claridade... pensei comigo: "meu Deus, que época terrível para se viver..." mas assim que cheguei no hotel e vi as notícias sobre Paris percebi que afinal, pouca coisa mudou desde a época de Anne Frank. A intolerância, o preconceito, as atrocidades continuam as mesmas... Será que a humanidade não aprendeu nada com o passado? Uma das frases mais emocionantes ditas pelo pai da Anne, Otto Frank, encaixa na perfeição nesse contexto: 

"Publiquei o diário da minha filha em memória aos que partiram mas sobretudo como um aviso aos que ficaram: a história pode voltar a repetir-se" 

(Para quem perguntou como estão as coisas aqui na Holanda, por enquanto está bem tranquilo, vemos muitos policiais na rua, especialmente em lugares muito movimentados como a Centraal Station, no metro e em algumas praças mas nada de grandes transtornos)


SHARE:

11 novembro 2015

Blog de fééérias!


E é isso, pessoas. Este blog está oficialmente em modo férias até a próxima quarta-feira. Não prometo posts, nem actualizações, nem sequer fotos no instagram que já se sabe que eu em férias quero é abstrair um bocadinho disto das 'internets' mas pode ser que sim, nunca se sabe. Vamos ver.
Até logo! :)

SHARE:

09 novembro 2015

Moment of glory!

Pois que, imaginem só, fui reconhecida na rua por causa do blog! Não, juro que não é brincadeira. Apanhei um susto daqueles, depois desatei-me a rir enquanto voltava para o trabalho... Eu sei que não parece mas sou super tímida 'ao vivo e a cores', acho que só não fiquei vermelha porque sou morena, caso contrário... teria saído da loja um verdadeiro tomate. 

Entrei numa loja ao pé do meu trabalho com intenção de comprar uma prenda para mamãe. Já tinha estado nessa loja duas ou três vezes (sempre acompanhada pela minha mãe que ficou fã da dita loja) de maneiras que assim que cheguei, comentei com a funcionária que queria algo especial, que era para comemorar um momento importante e resumidamente, disse-lhe que a minha mãe tinha feito uma cirurgia de alto risco e que queríamos fazer-lhe uma surpresa.

Para meu espanto, a funcionária responde-me:
"Ah, eu sei que correu tudo bem, estou a par do assunto". E eu fiquei tipo "oi?", como assim a par do assunto? E foi isso mesmo que lhe perguntei, com a minha cara mais espantada de sempre. Respondeu-me: "Ah, tenho lido por ai..." e eu continuei a insistir: "mas lido onde?" e ela, muito baixinho respondeu-me: "É que eu acompanho o seu blog há vários anos...

Opá, caiu-me tudo ao chão. Devo ter feito uma cara mesmo estúpida, por que ela disse: "eu percebi que era a autora do blog que leio, até comentei com a minha colega de trabalho... "  Oh-meu-Deus! Fiquei tão envergonhada que nem me lembro bem do que lhe disse, mas lembro-me de dizer: "a sério? oh pá, não acredito... nunca tal coisa me tinha acontecido, que coincidência...". Acho que ela ficou um bocadinho envergonhada, não sei, foi o que me pareceu. Depois que saí de lá, desmanchei-me a rir no carro e até liguei para o marido para contar. Ele só dizia: "já viste? amanhã sais de casa com a tua assessora e os dois guarda-costas e tens de começar a pensar na sessão de autógrafos..." e desatamos a rir os dois. Que cena marada! Quer dizer, Portugal também não é assim tão pequeno para que eu encontre leitores ali na esquina, ainda por cima tão perto do meu trabalho... achei tanta piada!

Aqui fica um beijinho à G., que apesar do encontro inesperado, gostei muito de saber que também anda nisto dos blogs e que passa por cá. Desculpa lá o mau jeito mas eu sou um bichinho do mato quando apanhada de surpresa (ainda por cima sem um pingo de maquilhagem, olheiras até o queixo que isto de dormir pouco não é comigo... e cabelinho numa lástima, oh céus).

P.S: Eu sei, eu sei... depois de quase cinco anos de blog, não faz muito sentido continuar a esconder a minha identidade mas a verdade é que prezo imenso esse lado incógnito da coisa por que desta forma consigo manter o meu à vontade para falar de qualquer assunto por aqui, o que me apetecer, sem ter que pensar se A, B ou C poderão ler o que escrevi e nas implicações que isto teria. Gosto deste anonimato, ainda que já não seja mais tão anónimo assim (mas vá, confesso que foi mesmo giro o acontecimento).  

SHARE:

02 novembro 2015

Das coisas que não compreendo #4

Ontem fui à loja Espaço Casa em Sintra (disseram-me que era uma megastore e eu adoro lojas grandes, por isso lá fui conhecer). Comprei as coisas que precisava (e os extras do costume, coisas tão fofinhas que tive que adoptar) e entre elas constava um tapete para o corredor. Comprei assim à olho, sem medir nem nada com a típica mania "isto deve ser mesmo a medida que precisamos para o corredor".

Chego a casa toda serelepe e vá de esticar o tapete no corredor...Pois, ficou muito curto para o tamanho do corredor e visualmente feio. Enrolei o tapete de novo, almocei e de tarde voltei à loja para fazer a devolução. 

"Ah e tal, não fazemos devoluções." oi? Li e reli a fatura, não havia essa informação em lado algum, nem mesmo na própria loja (quando não fazem devoluções, costumam pôr uns avisos na caixa, para informar ao cliente). Neste caso, nada. "Não quer dar uma volta à loja para escolher outro artigo?" e eu sinceramente não precisava de comprar mais nada, já tinha saído de lá com três sacalhões e uma conta de três dígitos e não ia estar a comprar coisas só porque sim, porque não devolviam o dinheiro. Pedi para falar com a responsável de loja e perguntei-lhe porque razão não havia nenhum aviso a informar que não devolviam o dinheiro, ainda para mais penso que é um direito do consumidor devolver um artigo que não lhe convém em até 8 dias úteis (e neste caso, só tinham passado poucas horas desde a compra). 

Muito contrafeita e a frisar a todo o momento que "era uma excepção e que a loja não faz devoluções", a responsável de loja lá me devolveu o valor do tapete. Quando sugeri que, no futuro, colocassem um aviso na caixa com essa informação, disse-me que não valia a pena, que os clientes só liam aquilo que lhes convinha. Estive a uma unha para pedir o livro de reclamações, acho um abuso este tipo de comentários generalistas mas tinha o meu marido no carro à minha espera, já estava farta da loja e só queria sair dali. 

Por isso, fica o aviso: Se forem comprar algo à Espaço Casa, pensem duas vezes se aquele é mesmo o artigo que precisam, se o tamanho está certo e tudo o mais. Já sabem que devolver o dinheiro não é com eles. (pelo que percebi, só fazem devoluções em caso de defeito de fabrico)

SHARE:

01 novembro 2015

Objeto de desejo // as galochas 'Evedon' da Joules

Que eu sou fã de botas no geral, acho que todos sabem, é um vício! E gosto especialmente das galochas, em dias de chuva estou sempre com umas nos pés, dá-me um gozo enorme andar a saltar poças de agua (sou uma criança grande, também é verdade). Há uns bons 4 anos (tudo isso?!) partilhei aqui no blog um dos meus objectos de desejo na altura: umas galochas da marca Joules. Acabei por ganhar um parzinho no natal e fiquei ainda mais fã. Ainda estão ai para as curvas mas já são velhotas e estão muito riscadas (o problema do acabamento glossy é mesmo esse, riscos e riscos sem fim) e estou a precisar de arranjar substituta.

Não sei, mas cá para mim acho que já encontrei a nova aquisição:

Repitam em coro: Oh-Meu-Deus! Se não são as galochas mais giras de todo o sempre, não sei o que serão. Gosto de tudo: de ser bicolor, do formato tipo botas de montaria com aquela parte da frente mais comprida, do detalhe da sola com mini-salto e claro, a cerejinha no topo do bolo: o mega laço atrás. Estou apaixonada, quero-as para ontem! Só que... temos aqui dois probleminhas:

1) o preço não é muito convidativo para umas botas de plástico (90€, mais coisa menos coisa) mas estão com 50% de desconto e pronto, um amor é um amor e e até estou disposta a fazer tal investimento. O que nos leva ao problema nº2.

2) Não há o meu número! E eu que sempre me gabava que ter pés grandes era ótimo porque os 40's e 41's da vida estão sempre a sobrar num canto das lojas mas parece-me que as inglesas, estas gigantones, fizeram uma razia aos números grandes e só há por lá o 36. Não há justiça nesse mundo!

Não obstante e como sou gaja de ideia firmes, já mobilizei todos os amigos emigrados em Inglaterra, já sinalizei aos tios do M. que vivem em Oxford, anda tudo à caça de um parzinho desta belezura para mim. E claro, ando a fazer refresh à página da Joules a ver se a coisa se dá. Não me parece mas... a esperança é a última que morre.

Aiii vou ali chorar e volto...

(nunca vi destas meninas cá em Portugal mas se alguém bater o olho nelas, numa loja qualquer deste país, é favor avisar, sim? fico muito agradecida).
SHARE:
© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig