02 novembro 2015

Das coisas que não compreendo #4

Ontem fui à loja Espaço Casa em Sintra (disseram-me que era uma megastore e eu adoro lojas grandes, por isso lá fui conhecer). Comprei as coisas que precisava (e os extras do costume, coisas tão fofinhas que tive que adoptar) e entre elas constava um tapete para o corredor. Comprei assim à olho, sem medir nem nada com a típica mania "isto deve ser mesmo a medida que precisamos para o corredor".

Chego a casa toda serelepe e vá de esticar o tapete no corredor...Pois, ficou muito curto para o tamanho do corredor e visualmente feio. Enrolei o tapete de novo, almocei e de tarde voltei à loja para fazer a devolução. 

"Ah e tal, não fazemos devoluções." oi? Li e reli a fatura, não havia essa informação em lado algum, nem mesmo na própria loja (quando não fazem devoluções, costumam pôr uns avisos na caixa, para informar ao cliente). Neste caso, nada. "Não quer dar uma volta à loja para escolher outro artigo?" e eu sinceramente não precisava de comprar mais nada, já tinha saído de lá com três sacalhões e uma conta de três dígitos e não ia estar a comprar coisas só porque sim, porque não devolviam o dinheiro. Pedi para falar com a responsável de loja e perguntei-lhe porque razão não havia nenhum aviso a informar que não devolviam o dinheiro, ainda para mais penso que é um direito do consumidor devolver um artigo que não lhe convém em até 8 dias úteis (e neste caso, só tinham passado poucas horas desde a compra). 

Muito contrafeita e a frisar a todo o momento que "era uma excepção e que a loja não faz devoluções", a responsável de loja lá me devolveu o valor do tapete. Quando sugeri que, no futuro, colocassem um aviso na caixa com essa informação, disse-me que não valia a pena, que os clientes só liam aquilo que lhes convinha. Estive a uma unha para pedir o livro de reclamações, acho um abuso este tipo de comentários generalistas mas tinha o meu marido no carro à minha espera, já estava farta da loja e só queria sair dali. 

Por isso, fica o aviso: Se forem comprar algo à Espaço Casa, pensem duas vezes se aquele é mesmo o artigo que precisam, se o tamanho está certo e tudo o mais. Já sabem que devolver o dinheiro não é com eles. (pelo que percebi, só fazem devoluções em caso de defeito de fabrico)

SHARE:

20 comentários

  1. Boa tarde Anne. Deixa que te diga uma coisa : (e eu própria fiquei super admirada quando me disseram isto numa formação) em termos legais nenhuma loja é obrigada a trocar ( e muito menos devolver) um artigo a menos que se trate de um problema de qualidade (e mesmo assim só é obrigada a trocar pelo mesmo artigo - a menos que este se encontre em ruptura). De resto, são tudo leis internas da própria marca e como tal pode optar por fazê-las como bem entender. Se acho bem?! Claro que não (pelo menos podiam avisar) mas pelos visto parece que funciona assim. Obviamente que as marcas como querem cativar clientes e não perder os que têm abrem excepções.
    Espero ter ajudado na tua indignação :)

    ResponderEliminar
  2. Epá eu já devolvi várias coisas numa outra loja do Espaço Casa e nunca levei com essas desculpas esfarrapadas!! =/ Que péssimo!

    ResponderEliminar
  3. Aconteceu me o mesmo com um tapete também. Não devolveram o dinheiro e agora trnho lá crédito de 50 euros por um ano. Acho uma aldrabice para o cliente. Depois de gastar o crédito não comprarei lá de novo.

    ResponderEliminar
  4. Façam como eu, deixei de lá ir!!!! Se ficarem ás moscas , arrepiam caminho!!!! Arrogantes!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Alguém lhe perguntou alguma coisa? Eles não são simpáticos porque vêem clientes como você!:)

      Eliminar
  5. Olha, já lá fui algumas vezes mas acho que nunca comprei nada de especial e nunca tive necessidade de ir lá trocar ou devolver nada... Mas realmente agora fiquei com pé atrás! Quer dizer, primeiro que tudo têm que avisar que não fazem devoluções... Não conheço a lei nesse sentido, mas acho que não conheço nenhuma loja onde não façam devoluções - mediante determinadas condições, claro - portanto ficava-lhes bem. Depois, e mais importante que tudo, a forma como as pessoas falam com os clientes é coisa para me deixar muito irritada, sobretudo dada a situação...

    ResponderEliminar
  6. Anne já me aconteceu exatamente a mesma coisa mas noutro centro comercial, aparentemente é algo comum nessa loja, tive de reclamar, chamar gerente, pedir livro de reclamações e só ai é que me devolveram o valor do artigo. E também não estava informado em lado nenhum. Parece que se torna moda esse tipo de situações como por exemplo na Natura e na Magnólia, onde também já me aconteceu o mesmo. Beijinhos*

    ResponderEliminar
  7. Pode parecer mentira, uma vez que a maioria das lojas o faz, mas não é mesmo obrigatório fazer devoluções nem sequer trocas. Quem o faz, faz por simpatia ou para não perder clientes. Só é obrigatório trocar um artigo que tenha defeito. Como não é obrigatório trocar/devolver, muito menos é obrigatório ter a informação de que isso não se faz. Por isso, agradeça ao Espaço Casa, foi mesmo uma exceção simpática que lhe fizeram ;)

    ResponderEliminar
  8. Trabalhei numa loja cujo um dos principais fornecedores é essa cadeia de lojas e o princípio relativamente às trocas era parecido: se a compra fosse feita a dinheiro, fazia-se a troca, mas se fosse através de cartão...dava-se um talão. Só havia devolução com pagamentos em multibanco se houvesse escândalo. Diziam que era por causa das taxas, ficam a perder dinheiro.
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  9. Será que é mesmo assim? É que segundo fui informada as lojas, desde que dentro do prazo, são obrigadas a devolver o dinheiro. Qual a lei que diz que não são obrigados? Existe? Qual é? (gostava mesmo de saber, não é ironia! è mesmo para ficar informada.)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não existe uma lei "que diz que não são obrigados..." ou não há ou é omissa, logo ninguém lhe pode indicar o que não existe.

      Eliminar
    2. Lei não há, mas também não há uma que diga que é obrigado a trocar. Se lhe serve de "lei" veja o que diz a DECO sobre o assunto: "Quando o artigo não apresenta qualquer defeito, o comerciante não é obrigado a trocá-lo após a venda. Muitos fazem-no por cortesia, para manter os clientes. O mesmo acontece se o produto tiver um defeito e indicar que a redução de preço se deve a essa razão."

      Eliminar
    3. Por oposição se não é há ou é omissa, vou continuar a exigir que devolvam o dinheiro quando não me interessar mais nada da loja. Prevalece o direito do consumidor!

      Eliminar
    4. E se por acaso, aparecer magicamente um defeito no artigo?
      Muitos comerciantes não reparam se os artigos têm defeito ou não por isso...

      Sim, ok, eu sei que é feio... mas há lojas que parece que não facilitam e só vêem dinheiro á frente.

      Eliminar
    5. Mas ao que parece, se for uma compra online (por exemplo) segundo as normas europeias, o consumidor tem 14 dias para devolver o produto, isento de qualquer encargo e sem ter de prestar qualquer esclarecimento.

      Eliminar
    6. Fernanda o consumidor não tem direito à devolução do dinheiro, a menos que haja um defeito, aí é que está a questão.
      Anónimo das 19:03, de acha bem estragar um artigo para que se faça a troca, força. Não se esqueça é que criticar a loja porque não troca (o que está na lei) e fazer uma coisa dessas (que é vandalismo) é um bocadinho contraditório, para não dizer pior.
      Anónimo das 19:06, penso que nas compras à distância a lei é diferente.

      Eliminar
  10. Fernanda, tentar não custa, mas enquanto a lei só for imperativa no que respeita a devoluções/trocas em caso de produto de consumo defeituoso, a loja continua a não ser obrigada a fazê-lo por mais insistente que seja ou reclamações que se faça.

    ResponderEliminar
  11. Querida Anne a funcionária não devia ter dito aquilo é verdade mas uma coisa é certa e digo isto porque trabalho numa loja temos a informação toda no balcão trocas devoluções etc tudo bem visível para o cliente ler e ficar informado mas mesmo assim perguntam quanto tempo tem para troca se fazemos ou nao devoluções blá blá blá.. Portanto ter ou não ter é igual vão estar sempre a perguntar.. Perde se muito tempo a ler aquilo nao haja duvida...está mesmo a frente dos olhos mas as pessoas andam xones de todo nem vale a pena. É preciso e ter paciência.

    ResponderEliminar
  12. A lei só exige que seja devolvido o dinheiro quando há defeito do mesmo ou quando a compra seja feita à distância, em que há o tal prazo /direito de "arrependimento" em que podes devolver sem sequer apresentar motivo. Os casos já comuns em que as lojas permitem as devoluções sem haver defeito é um direito extra que as mesmas conferem ao consumidor, contratual e não legal. O livro de reclamações só serve mesmo para incumprimentos da lei logo no caso não os afetaria em nada reclamar. Infelizmente é a lei que temos :/ também acho péssimo as lojas que não permitem devolução. O que fazem a clientes como eu é com que deixem de comprar, pura e simplesmente -.-
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  13. Aconteceu o mesmo a uma amiga minha a quem ofereci uma pulseira Pandora. Não lhe servia, ela foi à loja passados 2 dias e pediu para trocar ou o reembolso. Não tinham o tamanho dela e recusaram o reembolso. Escreveu no livro de reclamações.
    Conclusão: não deu em nada pois estas situações não estão sob a alçada da Asae. Ela recebeu inclusivé uma notificação da própria Asae a informá-la de tal.
    Parece uma anedota, né?

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig