30 novembro 2015

Novo fenómeno:

As lojas-fantasma!

Não sei se terá sido coincidência, se é das horas a que vou ao centro comercial (geralmente já perto do fecho, aí pelas 21h30/22h), se é da crise ou se tenho tido azar mas a verdade é que já começo a ficar incomodada com isto. Vou explicar:

Cenário: Loja Pandora do Fórum Sintra às 22h de uma sexta-feira, apenas 1 funcionária na loja.
Entro, reparo que a (única) funcionária da loja está a mostrar anéis a uma cliente e fico a passear-me pela loja, a ver coisas, à espera que a funcionária fique desocupada. Passam-se uns dez minutos, a cliente entretanto pede para ver relógios e depois quer brincos para oferecer à não sei quem (é normal, está a ser atendida, bem que podia pedir para ver todos os artigos da loja), a funcionária olha para mim com uma certa pena e murmura: "eu peço imensa desculpa mas é que estou sozinha até a hora do fecho..." eu digo que não tem problema, que posso esperar. Entretanto entram mais pessoas na loja e a vendedora apressa-se em dizer que está sozinha e que vai demorar um pouco a atender visto que já tinha outra cliente à espera (eu) pelo que as pessoas lá vão desistindo e aos poucos saem da loja até só restar novamente eu. Quando percebo que já estou ali há uns bons vinte minutos, decido que afinal passo outro dia e vou-me embora. Moral da história: a Pandora possivelmente quererá poupar nos funcionários (um passarinho que trabalha nos escritórios contou-me que a marca passa por uma profunda crise) pelo que faz todo o sentido cortar no pessoal. Contudo, desde que entrei na loja até o momento em que me fui embora, contei 7 pessoas a entrarem e a sairem, por não poderem ser atendidas. Não sei se faz algum sentido andarem a perder clientes assim quando precisam de recuperar mas eles lá saberão.

Cenário 2: Loja Geostar do Colombo às 22h15 de uma quarta-feira, apenas 1 funcionária na loja.
Entro na loja, percebo que a funcionária está a tratar da viagem de uma senhora e sento-me para ver folhetos e promoções (coisa que adoro - como vocês sabem). Oiço a cliente dizer que precisa juntar ao vôo o hotel para uma semana e penso comigo: "mas que raio, nos dias que correm ainda há gente a comprar viagens por agências? E a pagar o dobro do preço, a sério?" mas enfim, cada um sabe dos seus motivos. Passam-se dez minutos e nada. Mais cinco minutos e de repente entra um casal e a vendedora (que até então não me tinha nem dado "boa noite") vira-se para o casal e diz: "estou mesmo a terminar, penso que mais uns cinco minutos e já vos atendo" e eu imediatamente levanto-me e pergunto à senhora quantas pessoas estão na "fila invisível" que eu até então pensava que era a próxima a ser atendida. Sorriso amarelo, pedido de desculpas e "ah é que este casal está há quase meia hora à espera, é para escolherem a lua-de-mel" e eu já sem paciência nenhuma agradeço a informação e dou meia-volta que gosto muito pouco que me façam de parva e tempo para mim custa caro. 

Cenário 3: Multiópticas do OeirasParque às 19h30 de um domingo (ontem, para vos ser sincera)
Entro na loja, aproximo-me do balcão e a funcionária que estava sentada numa mesa lá atrás a atender uma cliente, levanta-se e diz por cima do balcão: "vai ter que esperar, que eu hoje estou sozinha na loja". Acham normal? A minha mãe, que estava comigo, arregalou logo os olhos e fez-me sinal para irmos embora. Começo a achar que o "boa tarde" não faz mesmo parte do vocabulário desta gente, que medo. Digo que passo depois e saio da loja. Obviamente não voltarei a passar, detesto sentir que chateio as pessoas, onde já se viu... querer gastar dinheiro numa loja às 19h30 de um domingo, só mesmo eu para ter estas ideias da treta.

Confesso que só há bem pouco tempo comecei a reparar nesta situação de algumas lojas só terem um funcionário para tudo: atender, receber o dinheiro, ir ao armazém, fazer faturas... acho um abuso laboral, sinceramente, é mesmo deixar uma pessoa entregue aos lobos. E se querem fazer xixi, vão ter que pedir ao segurança para irem "dar um olhinho à loja" enquanto correm para a casa de banho do shopping? É ridículo. Nós, clientes, somos sempre atendidas à pressa (isso quando temos a sorte de nos atenderem), ficamos sempre com a sensação de que se calhar estamos ali a mais ou que as lojas estão-se a cagar para os clientes e se pudessem nem funcionários tinham, metiam ali um robot e já está, era tipo atendimento self-service

Devo estar a ficar velha para estas coisas, cada vez tenho menos paciência para tudo o que não sejam compras online. E choca-me imenso perceber que o país está do jeito que está, com imensa retração nas compras e mesmo assim, as lojas andam a espantar os clientes desta forma. Surreal... Já vos aconteceu algo semelhante? 

SHARE:

14 comentários

  1. Simmmm tem vindo acontecer aqui no Algarve uma vergonha desde Conforama até à Fnac provavelmente somos nós os consumidores os culpados pois acabamos por nos sujeitar a este tipo de atendimento por uma boa promoção se eu vou-me embora insatisfeita mais 10 ou 20 irão procurar parece-me um ciclo vicioso

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E a Staples? Quase que é preciso implorar para parecer alguém, é só corredores vazios e nada de funcionários... E as agências bancárias? Uma vergonha... O meu banco é o Millenium e calha de às vezes ter que ir à agência de Algés, aquilo é de bradar aos céus, nunca apanhei menos que 10 pessoas à minha frente, a fila cheia de idosos (que supostamente teriam prioridade) e apenas 1 caixa a funcionar. Sempre que lá vou peço para abrirem mais uma caixa ou ameaço pedir o Livro de Reclamação, acho um descaso total. Uma vergonha.

      Eliminar
  2. Eu confesso que faço muitas compras online e que quando vou a lojas raramente preciso de "apoio" de um funcionário. Lojas de roupa nunca preciso e de produtos tipo electrónica, supermercados... normalmente encontro sempre algum a passar a quem consigo fazer uma pergunta rápida e isso é suficiente. Nunca tenho de solicitar uma ajuda que seja demorada. Multiópticas costumo ir à da Avenida da República e nunca demorei a ser atendida, quer seja para escolher óculos, levantar lentes de contacto, etc... têm sempre funcionárias disponíveis.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também considero que sou bastante autónoma nas lojas, já sei onde ficam os artigos que quero e não costumo precisar de apoio. Contudo, numa óptica, numa joalheria e numa agência de viagens, onde o serviço é personalizado, esta premissa não é válida e subentendesse que alguém estará lá para ajudar, digo eu. Fiquei parva com a situação de ontem (e a forma pouco cortês com que fui tratada) e acho um absurdo que uma loja de shopping tenha apenas 1 funcionário em pleno domingo (e numa altura tão próxima do Natal).

      Eliminar
  3. Infelizmente para nós, que atendemos o publico, a situação é muito mais chata do que para o próprio publico. Cheguei a ter dias em que tinha a receção cheia de gente (isto num hotel) e estava sozinha. Os clientes ficam fartos de estar à espera (e com razão) e nós ficamos fartas de levar com a má educação dos mesmos. Depois por uns pagam os outros, a pessoa chega a um ponto que já nem os pode ver à frente. A culpa não é dos funcionários, por eles toda a ajuda é bem vinda. A culpa é dos patrões que para pouparem sacrificam os que lá estão. O pior é que quem dá a cara é que fica sempre mal visto. Reclamações no livro ou sugestões sobre a falta de funcionários era excelente, mas as pessoas só reclamam com quem está ao balcão, como se este pudesse mudar alguma coisa...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo que é muito mais extenuante para quem está a atender, por que tem vários clientes à espera, anda ali num stress terrível, não tem tempo nem para se coçar. Também já calhou de estar sozinha numa loja a atender mas foi por 30 min (e por que uma colega faltou sem avisar), como era muito de manhã a coisa até esteve controlado mas apanhei uns nervos... Eu confesso que fico tão irritada com a situação que nem me lembro de pedir o Livro de Reclamação (que bem vistas as coisas, não dá em nada - ao menos, todas as reclamações que já fiz ficaram em águas de bacalhau).

      Eliminar
    2. Isso sim não faz sentido. Os patrões querem poupar diminuindo os funcionários mas não se lembram que poupam também no atendimento aos clientes e diminuem-nos, quando é precisamente o oposto que precisam (ter clientes)!

      Eliminar
  4. Ora aqui está uma oportunidade para um post interessante e importante. Dicas de lojas online onde se façam compras seguras, e digo seguras porque este "detalhe" é a palavra chave.
    Por isso, Anne, deixo o desafio para que tu e, quem por aqui passa, deixe algumas indicações de lojas online em conta mas que não nos enganem na hora de gastarmos o nosso dinheirinho!
    Obrigada e um beijinho
    Carina

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Carina, obrigada pela sugestão, vou compilar todas as lojas onde costumo fazer compras online num mega post, em breve.

      Um beijinho

      Eliminar
  5. ahhh lamentável mas pior pior é quando as duncionárias estão a conversar entre elas de assuntos não profissionais e nem aí p os clientes! E ainda fazem cara de incomodadas se lhe pedimos ajuda!!!

    ResponderEliminar
  6. Isso tem -me acontecido vezes sem conta,estar uma funcionária sozinha e não conseguir atender toda a gente.Nunca me lembro de entrar numa loja e ninguém responder ao meu cumprimento mas sei que isso também acontece,principalmente se a pessoa tem o "azar" de entrar quando falta pouco tempo pra fechar a loja,mas estou a responder pelo motivo oposto:no sábado à noite,desloquei-me ao Fórum Montijo,mais propriamente à RP,para comprar uma máquina de café com moinho,e fomos atendidos por uma jovem que mais parecia a formiga atómica!!!Ela não só era gira e extremamente simpática como atendeu 3 pessoas em menos de 30 minutos,nós incluídos,foi 2 vezes ao armazém e vendeu 3 ou 4 electrodomésticos.Tiro o chapéu à eficiência e simpatia da moça,que pelo ordenado que deve ganhar,não devia fazer metade!A continuar assim,vai longe na vida,enquanto que as mal educadas que fazem fretes atrás de um balcão nunca vão sair do sítio,atrás do balcão(Onde eu já estive e garanto ser um verdadeiro pain in the ass)...

    ResponderEliminar
  7. Tens toda a razão, infelizmente vemos isto a acontecer por todo o lado.
    É a falta de educação dos funcionários, a ausência de número deles apropriado e falta de profissionalismo muitas vezes. Dá-me cabo dos nervos. Mas se for preciso, noutras lojas há aqueles que nos vêm logo chatear quando uma pessoa está só a ver e não precisa de ajuda. Isto tá tudo desajustado, é o que é...
    Eu sou como tu e quando apanho respostas ou atitudes dessas ponho-me logo na alheta e não volto lá enquanto me lembrar. Haja paciência, uma pessoa querer comprar ou estar interessada e ainda se sentir um estorvo !
    É triste ver o rumo que as coisas levam :/

    ResponderEliminar
  8. P.s. Depois há aqueles funcionários que, como diz a Lúcia, valem por 4 e o que é pena é muitas vezes não serem valorizados.
    P.s.2: Outra coisa que me tira do sério é estarem ao telemóvel. A sério? Eu ainda ontem fui a uma bilheteira e a funcionária estava a mexer no telemóvel, com ele em cima da mesa à descarada. Não tirou os olhos dele quando nos aproximámos e foi preciso sermos nós a falar para levantar a cabeça e nem a um "desculpe, boa tarde" tivemos direito! Isto é capaz de me tirar do sério! Que lata a desta gente.

    ResponderEliminar
  9. O que se passa?? desapareceste do blog?? acabou??

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig