17 dezembro 2015

Meu querido Pai Natal,

Já seeeei, já sei, não tenho mais idade para estas coisas e a bem da verdade, este deve ser o primeiro ano em que não quero nada de especial e também não estou a precisar de nada. Felizmente não preciso esperar pelo natal para comprar o que quero, vou comprando ao longo do ano e depois chega em Dezembro e puft... não há nada que realmente me faça falta. Mas como boa gaja que sou (e nisso sou meeesmo gaja!) há sempre uma ou outra coisinha que uma pessoa não consegue recusar, não é assim? E eu cá não sou nada esquisita e escolhi 9 coisinhas que me fariam feliz neste natal (já sei que três delas estão debaixo da minha árvore hihihi - o meu marido é péssimo a esconder coisas!):


1) A nova vela da Zara Home 'white petal' (amooo esse cheiro) mas na verdade pode ser qualquer uma da Zara Home, adoro as velas desta loja. // 15,99€
2) No nosso último dia em Amsterdão descobri que a Pandora holandesa tem essa conta linda representando um moinho de vento e fiquei maluca para comprar (mas era muito cedo e a loja estava fechada). Cá em Portugal não se vende mas dá para comprar online e eu gosto tanto dela... // 29€
3) Mala 'bowling' tamanho grande da Bimba & Lola (adoro estas metalizadas, em prateado ou dourado) que são a minha cara e eu fiquei apaixonada por este modelo depois de tê-lo visto na montra da loja (o precinho proibitivo me impediu de entrar para ver melhor ahahah) // 285€
4) É oficial: não tenho mesmo sorte nenhuma com os iPhones... Perdi o meu há duas semanas, num restaurante (tenho a certeza absoluta que deixei-o em cima da mesa mas os empregados garantiram que não viram nada... e eu fiquei fula da vida!) e como já é o terceiro que tem o mesmo destino, desisti de dar tanto dinheiro por um aparelho e agora estou revoltada e só compro telemóveis de marca branca (neste caso, Huawei). Até que me passe a raiva, é assim que vai ser, por isso depois de estudar várias hipóteses (o máximo que quero gastar num telemóvel são 250€) cheguei à conclusão de que o modelo P8 era a melhor opção dentre os baratinhos e gosto muito deste dourado.// 245€
5) Adoro esse relógio Eletta na cor 'gold rosé', acho-o super elegante e fica lindo em peles morenas como a minha (já o experimentei e tudo hihihi). Acho que é uma prenda fabulosa para este natal, ouviste marido? ;) // 149€ 
6) Eu e o perfume Noa da Cacharrel somos um caso de amor antigo... Por mais que troque de perfume e experimente novos cheiros, esse é sempre o preferido. Como o meu vidrinho está quase a acabar, já era bem pensado ter um novo em stock. Digo eu... // 70€
7) Este anel da em aço da Swatch é um caso de amor antigo, nunca o encontrei no meu tamanho (está sempre esgotado) de maneira que ele ficou-me no coração. // 60€
8) Uma viagem de inverno para um sítio cheio de neve! Ahh, ando a sonhar com uma viagem assim há uns meses mas o marido agora cismou com um cruzeiro em Março para o outro lado do mundo e até lá cheira-me que não vai querer enterrar-se em neve maaas eu adorava passar uns dias num destino com neve tipo Alpes Suíços ou Serra Nevada (a Serra da Estrela ao pé destes destinos não conta, pois não? Já lá fui e fiquei tão decepcionada... a neve é tipo uma fuligem no chão, mal se notava)
9) As minhas galochas de sonho! Ainda não me esqueci delas, estou só à espera que entrem em saldos para açambarcar uma para mim e outra para a Vi. São só a coisinha mais fofa que já vi! // 80€

Pronto, pronto... era mesmo só isso. Vá, a lista nem chegou aos quatro dígitos, este ano fui contida e para provar que sou mesmo boa moça, como faço anos a 3 de Janeiro até deixo esta lista como 'wishlist de natal e aniversário', está bem assim? Eu cá não tenho culpa de ter nascido perto do Natal, por isso dá o teu melhor, Pai Natal.
Sempre tua, 
Anne
SHARE:

40 comentários

  1. Ai Anne hoje gosto de tudo, esta bem poderia ser a minha lista. A mala então, um sonho!

    Quanto ao iphone, sei bem como custa. Também eu perdi o meu (perdi não, foi mesmo roubado) há um ano e nunca mais tive coragem de comprar outro telemóvel tão caro, hoje ando com um LG e estou feliz à mesma.
    Bjo

    ResponderEliminar
  2. Todo este post me dá vómitos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh minha flor, tome um vomidrine que isso lhe passa num instantinho!

      Eliminar
    2. É uma lista de desejos de natal, é suposto desejar o quê? Só pijamas e meias quentinhas da primark?

      Eliminar
  3. a quem possa interessar ;) a sephora está com 23% de desconto nos perfumes e a douglas com 25 %, portanto o Noa não sai tão caro assim.... :D
    Eu já avisei o meu homem! ahahahah :D E pedi o Olympea, é maravilhoso! Experimenta Anne!
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  4. Anne onde encontras as Joules a 80€? :| Estou à caça há um tempo e, até agora, nada abaixo das 70 libras! Bjo

    ResponderEliminar
  5. Sinceramente acho que se o teu marido ler este post vai te oferecer tudo isso.
    Anne, não leves isto como uma ofensa, mas eu acho que és uma oniomaníaca. Não vejo outro motivo para encheres constantemente a casa de tralha e quereres mesmo assim sempre mais alguma coisa. Já não tens malas, velas, relógios, anéis, perfumes, calçado, etc que chegue?
    A desculpa que dás constantemente de que o dinheiro é teu e fazes o que bem entendes não justifica. Se fores todos os dias a um shopping é todos os dias que trazes tralha para casa. Por tralha entende-se "coisas que não te fazem falta por já teres". Parece que não consegues entrar numa loja e sair de mãos vazias, tens sempre de trazer algo mesmo que não te sirva para nada. Talvez tenha a ver com o facto de teres passado dificuldades quando eras mais nova (pelo que dizes) e agora não saberes bem como gerir o dinheiro. Digo isto porque conheço gente que nasceu em berço de ouro e não tem a tua atitude. Gastam o dinheiro sim, pois é para isso que ele serve, mas gastam em coisas com sentido. O que vais fazer à quantidade de coisas que compraste para decorar a casa neste Natal? Guardar? Para quê se para o ano vais voltar a comprar tralha sem fim porque "não resistes" à época?
    Sinceramente vejo-te como uma consumidora compulsiva e não como uma pessoa que compra de forma racional. Devias pensar nisso. Até porque nos dias de hoje as pessoas querem é destralhar, aprender a viver com menos, ser minimalista. Se algum dia tiveres de voltar a viver com menos não me parece que te vás adaptar facilmente. Eu já passei por essa fase, apesar de ser mais nova que tu, já gastei rios de dinheiro em "tralha", e eu chamo tralha a uma coisa que custa 1€ como a uma que custa 1000€. Não tem a ver com o preço/marca/qualidade. Tem a ver com a falta que nos faz. Agora sinceramente olho para essa tua listinha e não me diz nada. Nada disso me faz falta (suponho que a ti muito menos, tendo em conta a quantidade de "mais do mesmo" que nos mostras constantemente). Aliás, acho assim a puxar para o ridículo que pessoas adultas façam este tipo de listinha do que pedir ao pai-natal. No meu Natal só quero estar com a minha família. Comprei as prendas de forma consciente, comprei o que sei que estão a precisar neste momento, não comprei só por comprar.

    Bom, tudo isto para dizer que devias pensar no motivo que te leva a comprar sem necessidade. Sem tentar justificar isso com "eu trabalho e faço o que quero com o meu dinheiro", até porque isso nem está em causa. Olha à tua volta e tenta perceber qual é o vazio que te faz comprar de forma inconsciente...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é por nada, realmente existe gente que tem vicio em comprar, e a Anne até pode ser uma dessas pessoas apesar de, pessoalmente, achar que ela não compra algo "todos os dias".
      Sim, realmente ela tem muita "tralha", mas eu pergunto-me quantas pessoas é que só querem ter ou só têm o minimo indispensável!

      Por exemplo, a maioria das pessoas podia viver com um número reduzido de roupa mas tem muito mais peças do que realmente precisa.

      As pessoas não compram algo SÓ porque precisam dela, compram também porque GOSTAM mesmo que não PRECISEM, quer por ser algo realmente inútil ou por já terem algo parecido.
      Ou seja, realmente há pessoas que compram por vicio, mas também há gente que compra porque GOSTA daquilo que compra.

      Eliminar
    2. Sim, eu sei disso tudo, já fui assim e gastava dinheiro por tudo e por nada, porque gostava, porque queria experimentar, porque toda a gente tinha, porque sim. Mas felizmente a minha mentalidade mudou, não vivo numa cabana à luz das velas com um par de calças e um casaco no roupeiro! Simplesmente já não compro tralha à toa. Quando compro penso duas ou 3 vezes se vale a pena. Dei há pouco tempo dezenas de sacos cheios de roupa e senti-me mesmo bem por finalmente ter espaço livre no closet pois quase não podia lá entrar.
      Antes comprava centenas de cosméticos, porque "precisava" de tudo, até que percebi que tinha gavetas cheias de cremes e porcarias que usei uma ou duas vezes e meti de lado porque entretanto comprava outros.

      Eu acho que a Anne está sempre a comprar e dei a minha opinião sobre o assunto. Já não me parece saudável.
      Como é óbvio a Anne vive a sua vida como quer.

      Eliminar
    3. Concordo totalmente com o Anónimo17 de dezembro de 2015 às 19:12! Eu tenho a idade da Anne (28) e passei por uma fase de compras quando comecei a trabalhar (aos 23 anos). Foi a primeira vez que trabalhei ganhando dinheiro a sério, foi quando saí de casa dos meus pais definitivamente e ganhei a minha independência, então esse primeiro ano foi "chapa ganha, chapa gasta". Comprava roupa e acessórios com frequência, fiz dois tratamentos estéticos que eram caros também (depilação a laser e um para a celulite), comprava imensas coisas naquelas cenas tipo Groupon, Odisseias, etc. Depois também me apercebi que era só tralha e começou muito mais a incomodar-me a ideia de ter mais uma peça de roupa, mais uma carteira, gastar mais 20, ou 30, ou 40, ou por aí fora de euros em mais tralha, quando podia simplesmente poupar esse dinheiro e usá-lo só em viagens ou no futuro noutras coisas. Também, como a outra comentadora referiu, não vivo numa cabana e ando vestida com uma saia de palha :P mas neste momento compro apenas talvez umas 3 peças de roupa por ano e sempre apenas e só em saldos. De resto compro muito pouco mesmo. Já dei comigo a pensar e a reflectir que realmente apenas gasto dinheiro em supermercado, restaurantes umas duas vezes por semana e viagens. Objectos mesmo que tenha comprado, nem me lembro do último. E se dantes até podia ver estas listas com interesse, agora de facto não me suscitam o mínimo interesse e vejo-as como excessivas. Como diz o outro comentador: Anne, a sério que precisas ou que consegues estar assim tão entusiasmada a pensar em mais uma vela, mais uma mala, mais um relógio? Quase todas as semanas mencionas coisas que compraste, ou que "não conseguste resistir" e parecem sempre as mesmas coisas: mais roupa, acessórios, tralha para a casa, mais um jogo de lençóis, um tapete, etc... coisas, coisas, coisas. E se mantiveres essa atitude, vais sempre comprar mais e mais e acumular tudo, proque já não compras porque precisas, é porque gostas e porque pareces ter algo de compradora compulsiva, sim.

      Digo-te isto não é por mal, nem por inveja (porque, como referi, até teria posses para ter continuado nesse estilo de vida, mas a verdade é que me fartei rápido) e gosto de vir a este blog especialmente pelos posts sobre viagens. Mas estes de compras acho realmente excessivos.

      Eliminar
    4. Haja alguém que compreenda o que eu quis dizer! Acho que todas nós passamos por essa fase especialmente quando começamos a ter a nossa independência financeira! Depois começa a cansar. Quando a coisa continua por anos e anos já não me parece uma fase mas sim um vicio.

      Eliminar
    5. E mais! Aquelas justificações que quem é consumista dá a si mesma, de que "precisa" de algo, de que é uma "coisa para a vida", são só maneiras de se enganarem e mostram que, no fundo, precisam de encontrar uma justificação e uma validação para os gastos. Nunca são coisas realmente necessárias ou para a vida, porque vão comprar N coisas idênticas ao longo dos anos.

      A verdade é que a maioria das coisas tem uma grande durabilidade e não precisamos de andar sempre a comprar novo. Por exemplo, ainda tenho uma televisão "antiga" (daquelas que não são plasma nem LCD), que tem uns 8 anos e que era do meu namorado dos tempos da Faculdade. Porque hei-de gastar 300 ou mais euros numa nova, se aquela ainda funciona? Ainda tenho um "dumbphone" que comprei em 2008 quando fiz Erasmus por 10€ e que funciona perfeitamente. Porque hei-de comprar um novo por 200 e tal euros, só para ser um smartphone? E por aí sucessivamente. O que acho piada é que muitos amigos meus que no início compraram essas tralhas todas, agora andam todos adeptos de movimentos de "destralhar", movimentos de "deixar a tecnologia", andam a dar ou a vender coisas, a tirar todas as apps do iphone e postar sobre como tornar o seu smartphone num dumbphone... isto é tudo o que o capitalismo e o consumismo querem. Que as pessoas comprem coisas, se fartem delas, comprem novas coisas, lançem novos modelos e promoções e façam as pessoas crer que é imperdível comprar essas coisas, que precisam delas, que valem imenso a pena... mas depois surge uma corrente nova e 'bora lá doar tudo, deixar tudo, voltar ao minimalismo, mas comprar os items ABC que são úteis para quem quer "viver com pouco", mas depois há-de surgir outra corrente qualquer e outra novidade qualquer que implica mais consumo e estamos nisto sucessivamente.

      O que penso que quem comentou acima apela (e eu também) é que pensem antes de comprar e não o façam apenas porque está em promoção e porque é giro. Pensem se vale a pena este consumo insustentável, este esgotar de recursos, poluição, mão-de-obra barata em países de 3º mundo, tralha que nos faz adquirir mais tralha, tralha que dura pouco para que tenhamos de comprar mais, tralha em promoção, teconologia, etc... de repende estamos embrulhados num mundo em que passamos demasiado tempo em trânsito/transportes e no trabalho, o tempo que temos livre é a comprar coisas e a olhar para um écran, as casas estão cheias de nada e as pessoas relacionam-se mais com coisas que entre elas.

      Eliminar
    6. E a tristeza que é ir a um café com amigos e estes estarem colados aos telemóveis.
      A meu ver quanto mais consumistas são mais antisociais se tornam. Mas depois acham que são muito sociais porque têm 3000 amigos no facebook, dos quais só falam pessoalmente com 1 ou dois.

      Quando fiz o meu comentário nunca pensei que ia ter tanta gente a concordar comigo, aliás, pensei que iria ser logo atacada como fui pela Joana. Há pessoas que pensam que destralhar ou viver de forma minimalista é viver debaixo da ponte. Deviam informar-se melhor, não é à toa que muita gente tem adoptado este estilo de vida. O natural é sermos bastante consumistas quando ganhamos liberdade financeira, mas com a idade vamos percebendo a dar valor ao dinheiro e não só! Viajar é saudável e a Anne faz muito bem em fazê-lo visto que tem oportunidade. Sair, estar com amigos, gastar dinheiro em boa alimentação, etc. Agora comprar objectos que não fazem falta nenhuma (sim porque duas pessoas não precisam de 30 conjuntos de cozinha diferentes um para cada dia do mês) isso já é um vicio, uma doença psicológica.

      A Anne saberá da sua vida, mas quem vê de fora vê melhor. Gostava que ela fizesse um post a explicar (não estou a pedir justificações) o porquê de comprar tanto constantemente. O "porque me apetece e tenho dinheiro para isso" não me parece uma boa explicação nesta altura do campeonato e com a maturidade que já tem, apesar de ser válido obviamente. Reflectir um pouco sobre o assunto fazia-lhe bem.

      Eliminar
    7. Eu concordo totalmente com esta perspectiva que aqui foi dada e "já não tenho saco" para perder tempo em lojas, equacionar comprar mais coisas. Confesso que ainda tenho primeiros impulsos de "quero isto", mas dando-lhe uma 2a olhada e pensando sobre o assunto, em 90% das vezes desisto de comprar. Se passar aquele impulso inicial e não comprar, não me volta a apetecer e apercebo-me como seria errado tê-lo feito. Acho que a Anne ainda não passou esse primeiro impulso e ainda vai atrás de tudo o que lhe parece uma boa compra, sem pensar duas vezes. Eu a única coisa em que gasto algum dinheiro é em viagens, isso aí não tenho qualquer problema em gastar. É algo que gasto sem hesitar e depois quando vejo objectos de que as pessoas me falam, ou que pondero comprar, rapidamente desisto porque "converto" o seu valor em possíveis viagens e desisto logo. Tipo a bimby, que custa 1.000€ e que tenho uma colega que me quer convencer que é a 7ª maravilha do mundo!! É que nem pensar. Por esse valor faço uma viagem brutal de 2 semanas. E aí sucessivamente, quer sejam malas, jóias, roupas, sapatos, telemóveis, relógios... tanta coisa para quê? É assim que o nosso mundo está organizado, para nos fazer achar que quem tem posses pode e deve gastar nisso, mas já pararam para pensar se isso faz algum sentido? Vai-vos fazer sentir assim tão melhor comprar uma coisa dessas? Não deve, porque todas as semanas compram mais, é porque o que já compraram não vos satisfez assim tanto... deve ser um vício, então! Tipo droga, quando compram sabe bem e depois passa o efeito e têm de comprar mais!

      Eliminar
    8. Em relação à bimby, é realmente uma maravilha e eu não me arrependo um único dia. A bimby apesar de cara consegue ser "minimalista".
      Ora vê no que poupamos:

      - Espaço. Com a bimby reduzi imenso o nº de tachos e panelas assim como o nº de pequenos electrodomésticos.

      - Dinheiro: Além de pouparmos na compra de outros pequenos electrodomésticos, poupamos no gás (para quem tem fogão a gás) e na água (para quem lava loiça à mão ou mesmo à máquina pois terá menos loiça para lavar). Poupamos dinheiro também em imensos produtos que a bimby faz em maior quantidade e melhor qualidade (Tipo pão, iogurtes, leite condensado, nectar, manteiga, um sem fim de coisas).

      Tempo: Na confecção das refeições. Faço arroz doce na bimby (por exemplo) sem ter de estar o tempo todo perto dela. No tacho isso seria impensável. Consigo fazer peixe ao vapor, legumes e arroz tudo ao mesmo tempo com um só electrodoméstico. Sem sujar panelas nem fogão, nem colheres nem nada de nada e sem me preocupar que o arroz pode "pegar", que os legumes cozeram de mais ou de menos, etc. Isto é um exemplo num sem fim deles. Posso tomar banho enquanto o jantar se faz sem me preocupar com nada.

      Substitui o forno: É verdade! A bimby substitui o forno por exemplo na cozedura de bolos, e o melhor de tudo é que ficam perfeitos sem a preocupação de poderem sair queimados! Os bolos crescem e ficam fofos como nunca me acontecia quando usava forno!

      A meu ver a bimby nunca poderá ser considerada tralha, tendo em conta todos os pontos positivos sendo que o único negativo é mesmo o preço, mas compensa sempre. É a coisa mais "minimalista" que podemos ter na nossa cozinha.
      O conceito de ser minimalista não tem bem a ver com não querer gastar dinheiro em algo, mas sim gastar esse dinheiro de forma consciente e de acordo com as nossas reais necessidades.
      É óbvio que tudo o que se faz com a bimby se pode fazer no tacho, no entanto a bimby não precisa de apoios para confeccionar várias refeições ao mesmo tempo. Com um único electrodoméstico fazes tudo.

      Não sou vendedora, tenho a bimby há anos e está impecável (espero que não se estrague agora, quando a pessoa fala muito acontece sempre algo...) e só tenho coisas boas a dizer. Só não consigo ainda fazer refeições para muita gente na bimby, quem tem uma família muito grande deve ser mais complicado, apesar que a agente que ma vendeu tem uma família grande, tem uma hora de almoço e consegue fazê-lo nessa hora com a bimby e ainda almoçar descansada! Depois também tem a ver com a prática que ganhas com a máquina.

      De resto concordo com tudo o que disseste! Mau seria ter a bimby, mas ir comprar a yammi, a do pingo doce, e todas as outras imitações da mesma só porque sim.

      Eliminar
    9. Opa estas anonimas ganharam o dia! Então fofas já não se sentem sozinhas no mundo das "ressabiadas que já tiveram tudo e agora não têm e agora sim é que são felizes". Sim é vocês a terem dinheiro não compravam 3 peças de roupa por ano (3 peças darling? E Atualize o guarda roupa, como nos vêem é como nos tratam).
      Um brinde à dor de cotovelo!

      Eliminar
    10. LOL! Esta Ana ganha o prémio é da croma do dia :D querida, ganho cerca de 2.000€ limpos por mês e, sim, compro apenas cerca de 3 peças de roupa por ano. Tenho muita roupa do tempo em que comprava mais, roupa essa que está em muito bom estado. Não preciso de andar constantemente a mudar de guarda-roupa e a aderir a modas para ser bem tratada, se essa é a sua perspectiva, lamento os ambientes em que se move. E lamento também o seu triste pensamento fútil de que quem tem dinheiro tem é que o esturrar todo em coisas fúteis.

      Enquanto você deve ter esse seu guarda-roupa cheio de calças rasgadas da Bershka, eu faço 5 viagens por ano e, daqui a uns 3 anos, conto comprar uma casa a pronto (sim, sem créditos, empréstimos a 30 anos, etc... essas coisas que pé-rapados que gastam tudo em tralha como a Ana fazem, está a ver?).

      Eliminar
    11. Cara anónima...pergunte-se antes de escrever outro comentário, se você é assim tão feliz e se está assim tão satisfeita com a sua vida. Quem está satisfeita não tem razões para criticar o outro. Por norma o que incomoda é mesmo a felicidade.

      (mas já que quer saber, tenho um guarda roupa pequeno e sem calças rasgadas da Berska. Mas se a profissão me deixasse pode crer que tinha uns pares de jeans com aqueles rasgões tão "in" da berska, da Salsa, da Calvin Klein, da Reply... se isso me fazia feliz ninguém tem nada a ver com isso. Percebeu a dica? )

      Eliminar
    12. Quem quer e pode comprar este mundo e o outro, que o faça. Se isso faz a Anne feliz é o que importa. Eu cada vez quero viver com menos. Por exemplo se antes tinha necessidade de ter uns 8 perfumes, hoje tenho um e quando acaba compro outro e assim por diante com cremes, maquilhagens etc. É que com a maturidade percebi que o que levamos desta vida, não se compra.

      Eliminar
    13. Aqui ninguém criticou por criticar, deu-se uma opinião. Só quem é infeliz é que tem opiniões cotnrárias às da Anne? Quem comentou acima e eu também, fizémo-lo de forma educada e apresentando as nossas razões para considerar estes gastos excessivos. Adoro esta facção de comentadores que acha que só está bem quem aplaude e diz que gostava de ser igual!

      Eliminar
    14. Eu adoro telemóveis e tenho uma gaveta cheia deles. Por mim comprava um todos os dias. Se preciso de mais que um? Nop... se gosto de os comprar (além de que compro mais que três peças de roupa por ano, tenho carro, casa - aliás, se contarmos com as casas dos meus pais, tenho casa no campo e na praia, além de morar em Lisboa, sim LISBOA) é porque me apetece comprar.
      Também faço viagens ao longo do ano. E garanto que nem dois mil euros ganho por mês. Se as pessoas se preocupassem mais com as suas vidas e deixassem as dos outros, garanto que seriam muito mais felizes (e comprariam mais roupa, fariam seis viagens em vês de cinco, essas coisas)... **dassss

      Eliminar
    15. Patrícia, menos! Se ganha menos que isso, duvido que "tenha" casa em Lisboa (provavelmente tem uma arrendada, ou uma que anda a pagar a crédito... se a tem como sua só se foi paga por alguém ou de dinheiro que herdou) e as casas de familiares não são para aqui chamadas. Viagens por ano não posso fazer mais das à volta de 5 que faço, porque trabalho e tenho dias de férias limitados. A boa gestão que faço dos mesmos, o juntá-los a fins-de-semana e feriados, dá para fazer esse número de viagens, não faço mais não é para não gastar dinheiro, mas sim porque não tenho tempo. Porque, se pudesse, era nisso que gostava dinheiro de bom grado, é a única coisa que acho que vale mesmo a pena gastar 100€ ou 1.000€, ou mais, não é em velas e carteiras. E comprar mais roupa, ou telemóveis, ou o que seja, não me faria mais feliz (triste seria se a minha felicidade dependesse da compra de objectos). Acho uma piada é se alguém comenta a concordar e a elogiar a "vida dos outros" (que a partilham num blog), não se está a meter, nem a ser invejoso, nem infeliz... quem o faz no sentido contrário, já é essas coisas todas. Haja coerência!

      Eliminar
    16. Caro anonimo/a... eu falei de mim... só que eu sou CASADA!! Não sabe a situação financeira do meu marido ou a nossa em conjunto... menos?! Não sei porquê não conseguir aceitar que há quem tenha as coisas sem e esforçar muito só porque provavelmente faz por isso...
      Ainda bem que há outras coisas que a fazem feliz... mal de nós se fossemos todos iguais. Era uma grande seca...
      Eu não estou a criticar ninguém. cada um é livre de pensar aquilo que bem entender. Só acho mal estarem a dizer "mal" de um modo de vida para o qual nada contribuem.
      Feliz Natal!!!

      Eliminar
  6. olhe, desculpe, não leve isto como uma ofensa, mas acho comentários deste teor absolutamente anacrónicos. Se o anónimo leva esse modo de vida frugal, próprio do mais irrepreensível monge budista, isso é óptimo. Mas é óptimo para si!

    Não pode querer que a Anne, que partilha as suas compras no SEU (atenção que a chafarica é dela!) blogue, justifique o porquê de não adoptar essa frugalidade que você adoptou como modo de vida! Ela não tem de arranjar " desculpas" como você diz, porque simplesmente não tem de se justificar! Isto é óbvio!

    Se não se identifica com o blogue, sinceramente, não o visite. A sério. E adopte essa frugalidade não só nas compras, mas nos hábitos. É que você nao PRECISA de vir a este blogue se nao o aprecia.

    E sinceramente acho isto triste. Há leitoras e leitores, que como eu, se identificam com o blogue e escrita da Annne e querem que ela continue a escrever. Mas seria totalmente compreensível que ela privasse o blogue já que não pode escrever nenhum post sem receber comentários idiotas!

    E isso, sinceramente é triste... Desçam do pedestal em que se encontram para pensarem que podem sair por aí a tirar satisfações das bloggers que lêem. Por amor de Deus! Caramba!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Joana Filipe, como deve calcular o comentário foi para a Anne, ela publicou porque quis visto os comentários serem moderados! Se ela achasse uma ofensa provavelmente não o faria, se o fez foi de livre vontade. O comentário não foi para si, por isso dispenso a sua opinião pois não a pedi. Já a Anne tem um blog aberto ao publico, por isso a partir do momento que publica algo sabe à partida que terá comentários sobre o assunto.

      Portanto Joana, limite-se ao que lhe diz respeito por favor e deixe de ofender as pessoas visto que não me viu em momento algum ofender a Anne. Apenas comentei para ELA! Ela publicou porque assim entendeu que deveria fazer. Quanto à minha vida não lhe pedi opinião, se quisesse opiniões sobre a minha rotina fazia um blog.

      Já agora, se eu venho ao blog, que venho todos os dias, é porque gosto sim! Gosto de ver algumas coisas que a Anne faz, ver os sítios para onde vai, etc etc, em relação à tralha que ela está a acumular isso sim "preocupa-me" pois já estive na mesma situação tal como disse acima.

      Triste é haver pessoas que vêm maldade em tudo e depois querem tentar virar o disco para parecer que os outros é que estão mal.

      Eliminar
    2. É evidente que o comentário que fez era para a Anne, o blog é dela. Aquilo que acho, e repito, é que independentemente da justeza das vossas posições (quer da sua, quer da Anne, não importa agora), não se devem exigir justificações das bloggers por terem as perspectivas/opiniões/hábitos/estilos de vida que têm e cometerem a imprudência (!) de ter um blog. E é isto que me parece que se está aqui a fazer, quando se pede um post justificativo de compras.

      A minha perspectiva é esta: se discordo ou nao aprecio algo que uma blogger posta, não comento. Passo à frente.

      Imagine o que seria se fosse você a blogger e lhe pedissem sistematicamente que justificasse isto ou o outro? Pavoroso! As pessoas escrevem pelo prazer de escrever ( ou pelo menos creio que este é o caso da Anne, que já tomou posição publicamente contra a publicidade nos blogs) e é muito fácil ver como isso (a tal necessidade constante de se estar a justificar) pode retirar a alguém o prazer na partilha através da escrita.

      E acrecento, não ofendi ninguém, não uso linguagem imprópria nem faço ataques pessoais. Nisso não sou nada modesta. Agora, como a Sra. dá a sua opinião, eu dou a minha :).

      Vivam e deixem viver. É mais ou menos isto. E quanto a mim dou o assunto por encerrado, que acho que já se escreveu mais sobre isto do que sobre a cimeira ambiental de Paris....LOL.

      Eliminar
    3. Eu também concordo com a Joana Filipe :-)
      No fim de contas é um blog. Devia ser um espaço de troca de ideias, diversão, esse tipo de coisas. Eu gosto do que a Anne escreve e também gosto de ver o que compra (há sempre alguma coisa que eu nem sabia que existia, por exemplo).

      Eliminar
  7. Já reparei que gostas muito de velas, assim como eu. No entanto, já te vi fazer referência a muitas, mas nunca vi à Castelbel. Para mim, são das melhores que há. Em primeiro lugar é de uma marca nacional, e com uma projecção lá fora cada vez maior. Não são muito caras, eu pessoalmente compro na perfumes e companhia sempre que estão com 20% de desconto, e cheiram maravilhosamente bem, mesmo antes de as acender basta tirar a tampa e fica um cheiro fantástico no ar. Fica a dica, acho que vais gostar.

    ResponderEliminar
  8. Joana Filipe, o seu comentario foi talvez o comentario mais bem escrito que ja li neste blog. Reflecte em tudo aquilo que eu penso e que ja andava para escrever ha uns tempos mas nao sabia como o fazer sem soar ressabiada, arrogante, invejosa e sei la que mais sao apelidados os comentadores que nao escrevem apenas para bajular.Continuo a gostar do blog da Anne.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelo seu comentário, você concorda é com o comentário do anónimo acima, não é com o da Joana Filipe (que discorda desse anónimo e concorda com a Anne).

      Eliminar
  9. Anne, já pensaste em Windows Phone ? Há modelos fantásticos, não muito caros e em breve vai sair o Windows 10 também para estes dispositivos. Eu tenho um Lumia 735 e estou satisfeitíssima e o meu telm. anterior era também um iPhone.

    Só uma dica ;)

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá. Eu gosto do windows phone. Acho giro personalizarmos o ecrã e etc, mas vi-me obrigada a deixar o meu :( Lumia 630. Bloqueava muito, sei lá.
      Agora voltei ao android. Iphone tive o 3G (ai que velhaaaaaa) mas não fiquei fã. :-)

      Eliminar
  10. Anne, acho que é uma pessoa adorável e divertida, gosto do modo como vê as coisas e da forma como escreve, mas acredite que muitas vezes me faz lembrar aquele filme "Confessions of a shopaholic" (exceto que a Anne não está falida e já encontrou o principe encantado!)
    Não pretendo dizer-lhe como viver a sua vida nem como gastar o seu dinheiro, mas considere a possibilidade de ser uma consumidora compulsiva...
    Por mais que compre mais e mais coisas, a Anne já tem tudo: uma boa vida e uma familia maravilhosa ;)
    Beijos e Feiz Natal

    ResponderEliminar
  11. Aconselho a leitura deste post que acho bastante adequado a esta discussão: http://www.becomingminimalist.com/wanting-less/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fantástico, anónimo! Obrigado por nos ter dado a conhecer esse post. Não retirava nem uma virgula. Está tudo dito. Também acho que não há maior felicidade do que aprender a viver com menos, não no sentido de ir viver debaixo da ponte mas sim no sentido de destralhar a nossa vida de coisas que só nos sufocam.

      Eliminar
  12. Ora para mim pode ser:
    - 5
    - 6
    - 8 (já fui à Sierra Nevada e amei)
    :-)

    ResponderEliminar
  13. Anne, onde viu esse Huawei P8 a 245€??

    ResponderEliminar
  14. Anne, Já faltou mais para estas suas queridas anónimas a indicarem para um programa que passa na "Nos" "Os acumuladores" ahahah não sei como se dá ao trabalho de dar justificações a estas pessoas. já compraram e agora não compram e daí?!? Viver assim é que é bom? Cada um sabe de si se se a Anne quer e pode faz muitissimo bem. Eu pessoalmente não posso mas adoro vir aqui ver as suas comprinhas. Ainda por cima se não houvessem pessoas a comprar a economia não rodava não é queridas anónimas e isso poria em risco muitos postos de trabalho, certo? talvez até indirectamente os vossos e olha que eu aconselhava a conserva-los já que ganham assim tão bem (pronto já vou ser chamada de invejosa) Ó pá vivam e deixem viver! São felizes assim? ponto A Anne é feliz assim? ponto também

    ResponderEliminar
  15. Sou só eu ou para mim estes anonimos são a mesma pessoa? O teor de cada comentário parece ser escrito pela mesma pessoa. Penso que o melhor é deixarem as pessoas em paz sem julgamentos que aqui neste mundo ninguem é superior ao outro

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig