16 fevereiro 2016

18 de Janeiro de 2016.

Foi o dia em que apanhei um susto relacionado à minha saúde e que, ao mesmo tempo, marcou o início de uma grande mudança. Sempre me 'gabei' de ser super saudável, nunca fiquei internada, nunca fui operada, não tomo nenhum medicamento, só vou ao médico nas consultas de rotina e as análises sempre estiveram dentro do normal. Até que num belo dia (o tal dia 18 de Janeiro) recebo o diagnóstico de 'pré-diabetes tipo 2' e foi o caos para mim. Na hora desvalorizei, ainda brinquei com a médica e disse: "mas ó doutora, isto ainda não é bem diabetes, certo? Deixo de comer doces e fica tudo bem..." e ela, que já me segue há algum tempo, disse muito séria: "não, não é só deixar de comer doces. A menina está a uma unha de ser diabética e isso não é nada bom: quando engravidar vai ter uma gravidez de risco, o bebé pode vir a nascer já com diabetes, vai chegar a uma altura da vida em que vai precisar de doses diárias de insulina injectável, isto não é brincadeira..." e eu ali já olhava para ela com os olhos do tamanho de um prato e um cagaço daqueles!

É sabido que pretendemos ter filhos em breve, é sabido que eu tenho verdadeiro horror a agulhas, é sabido que vi o meu avô paterno falecer devido a complicações com diabetes e sem dedos nos pés, um cenário horrível. Naquele momento soube que faria qualquer coisa para evitar (ou retardar) que a doença se instalasse. É preciso cortar os doces? Ok. Não posso mais comer certos alimentos? Tudo bem. Tenho que comer de 3 em 3 horas? Feito. Picar o dedo de manhã para controlar a glicémia? Aceito. E assim o fiz, nesses quase 30 dias.

E digo-vos que o caminho para a mudança não é fácil mas é possível. Estou a tomar um medicamento duas vezes ao dia (diz que intensifica a ligação da insulina aos açúcares e baixa os níveis no sangue), a fazer exercício todo santo dia (logo eu, que antes detestava qualquer desporto!) e a fazer seis refeições diárias, com alimentos prescritos pela minha médica.

Mudar hábitos alimentares é do mais difícil que há! É verdade que há tempos queria perder uns quilos mas fazia dieta, emagrecia e depois voltava a comer 'normalmente' e engordava de novo. Hoje percebo porque nenhuma dieta resultou. Por que eu não precisava de dietas, precisava aprender a comer da maneira certa, nos horários certos, de forma equilibrada (e claro, cortar doces e refrigerantes).


Para já, estou muito feliz e orgulhosa desse 1º mês. Já eliminei 6,300kg e continuo no bom caminho. Desde o diagnóstico nunca mais bebi refrigerantes (até me babo quando vejo alguém com uma lata de coca-cola ao meu lado mas mantenho-me forte), doces cortei-os todos mas tenho em casa uma barrinha de chocolate diet 0% açúcar (recomendado pela minha médica) para casos de extrema necessidade - felizmente ainda não precisei recorrer  - há alturas em que morro de vontade de comer algo doce (nessas horas como uma fruta).

Ontem fui arrumar o closet e aproveitei para experimentar roupas que estavam apertadas... e estão todas largas, que sensação maravilhosa! Não há vontade de doces que supere a sensação de vestir uma minisaia de ganga antiga (da época da faculdade) e vê-la deslizar e fechar sem qualquer esforço. Para comprovar a perda de peso, fui até o Colombo e corri tudo o que era lojas de roupa (Zara, H&M, C&A...) e confirma-se: estou a vestir uma numeração a menos. Ainda parece pouco mas para quem não mexia o rabo para nada, é um grande avanço: agora treino todos os dias, 60 minutos seguidos e ando para todo o lado com a minha lancheira cheia de coisas saudáveis para o caso de sentir fome na rua/trabalho e não ter tentações pelo caminho.

Se é verdade que fiquei muito triste com o diagnóstico da diabetes, hoje encaro esta situação com outros olhos e sei que foi um mal necessário. De outra forma eu jamais teria coragem de mudar de estilo de vida tão radicalmente. Também é verdade que fiquei em choque com a forma um tanto 'abrupta' da minha médica abordar o tema mas sei que se não fosse a frontalidade dela, não teria levado o susto que levei e não encararia o problema de frente. Como eu costumo dizer: "há um propósito para todas as coisas e aquilo que Deus faz hoje, muitas vezes só entendemos lá na frente." por isso apesar dos pesares, estou feliz por ter levado esse abanão tão necessário que propiciou a mudança que eu queria há muito! :)

(é claro que tive que comemorar e hoje mal saí da CUF fui logo para o shopping e arrematei mais umas coisinhas em saldos, mostro-vos a seguir. Isto agora promete!)
SHARE:

21 comentários

  1. Nada como um risco sério para nos pôr a mexer e mudar! Espero que continues com o bom trabalho :) Força!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mesmo! Enquanto era só "quero-vestir-um-numero-abaixo" a coisa não andava pra frente. Agora vaiii! :) Obrigada

      Eliminar
  2. Bem, 6,300kg num mês é óptimo! Se foi necessário esse diagnóstico para te fazer mudar, então que seja e, a partir de agora, vais ver que vais ser muito mais saudável. Ter uma boa alimentação, beber muita água e fazer exercício são a base para um corpo são. Eu, desde que me foquei mais nesses pontos, nunca mais estive doente (os meus colegas passam os Invernos doentes e eu nem a fungar fico eheh), sinto-me muito mais resistente, com um sistema imunitário óptimo, bons resultados nas análises, bom humor e sinto-me mesmo bem. Também quero engravidar em breve (já este ano, espero, depois de fazermos 2 viagens grandes que já temos marcadas eheh) e mesmo para se estar saudável para se dar esse passo e passar por uma gravidez, isso é importante.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é, estou mesmo contente com a perda de peso e espero que seja sempre a somar a partir de agora :) Os planos de mandar vir a cegonha são só para o final deste ano, mas quanto antes eu me pôr 'fina', melhor não é? Também quero deixar passar as viagens que temos marcadas por que sei que quando estiver grávida não vou mesmo voar para lado nenhum (só eu sei como passo mal em aviões). Tudo a seu tempo :)
      Um beijinho e obrigada pelo comentário :)

      Eliminar
    2. A esse ritmo e com resultados tão bons logo no 1.º mês, vais estar óptima no final do ano e quando engravidares :) e haja alguém que me compreende quanto às viagens! No ano passado tive a consulta de rotina na ginecologista e ela perguntou se eu estava a pensar engravidar e eu disse "sim, na 2a metade do próximo ano começaremos a tentar" e ela pergunta "então mas porquê essa certeza assim já da altura?" e eu disse que era porque queríamos fazer 2 grandes viagens na primeira metade do ano... aí ela fica com um ar espantado e diz "ai essa é nova, nunca tinha ouvido falar de planear uma gravidez em função das viagens!". Errr... nós adoramos viajar, fizemos sempre 4 ou 5 viagens por ano juntos nos últimos 6 anos (desde que começámos a namorar) e, como queremos engravidar este ano, preferimos gastar os dias de férias todos em duas últimas grandes viagens (e que são para destinos onde não convém ir grávida ou com crianças pequenas, que envolvem vacinas e profilaxias) e só depois começar a tentar (até porque não quero correr o risco de engravidar logo numa das primeiras tentativas e ter as viagens marcadas e, obviamente, não ir e perder o dinheiro gasto). Assim preferimos fazer umas últimas duas viagens e depois fazer uma pausa no viajar durante a gravidez toda e primeiros meses do bebé (porque depois o plano é levá-lo connosco eheh).

      Mas pronto, esta médica também me disse que a filha dela com a minha idade já tinha 2 filhos, como se eu me estivesse a "atrasar"... e eu a pensar "errr... tenho 28 anos! Não me parece que seja assim tão descabido pensar em ter o 1.º filho com esta idade e planear as coisas em função daquilo que gostamos e que é o nosso estilo de vida" :D enfim... que 2016 seja um ano de perda de peso, viagens e bebés para as duas (assim por esta ordem ahah)!

      Eliminar
  3. Eu tive diabetes gestacionais e tive de fazer dieta na gravidez (logo eu que sou magrissima) mas consegui controlar e apesar de terem passado tenho de estar sempre atenta pois tenho indicios de ter diabetes quando for mais velha. Não sou muito de doces mas mesmo assim controlar o que se come quando se quer engordar também não é fácil :D mas tudo se consegue ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é, muita gente associa a diabetes com obesidade e apesar de terem lá o seu fundamento, nem sempre isso se verifica (o meu avô era um pau de virar tripas e era diabético). O importante é estarmos atentas aos sinais, tentar não perder tempo e tratar logo tudo como deve ser. O meu problema sempre foram os doces, sou louca por eles mas até agora tenho conseguido resistir. Um beijinho SAV!

      Eliminar
  4. Olá Anne td bem? também estou pré-diabética mas difícil controlar os indices glicemicos, será que pode dar algumas dicas, passar os principais alimentos que tem comido agora? mudaste para tudo integral? Muito obrigada! Sônia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá :)

      Olha, a minha médica passou-me uma dieta específica para o meu caso (não sei se funcionará na sua situação) mas o principal é: nada de doces e refigerantes (óbvio), pão sempre escuro (quanto mais rústico, melhor), nada de produtos light ou diet (escondem açúcares ou gorduras), queijo fresco de cabra preferencialmente, muita fruta, legumes e carnes grelhadas (mandou-me cortar tudo o que seja carne de porco, incluindo fiambres) e sopa ao jantar. Tenho feito 6/7 refeições, estou a treinar num ginásio 3x por semana e tenho feito também tratamentos estéticos para potencializar o efeito da perda de peso (Drenagem Linfática Manual e Massagem Anticelulítica 2x por semana, nos dias em que não treino). Parece muita coisa mas agora acho tudo tão natural que até me pergunto: como conseguia ter uma vida tão sedentária, antes? :O Enfim... Tudo a correr bem e qualquer coisa que precise, pode enviar um mail: anne@agarotadeipanema.com

      Eliminar
  5. Não existe pré-diabetes. Existe diabetes de diagnóstico recente como é o teu caso.
    Inclusive se tomas medicação (suponho que seja a metformina) tens mesmo o diagnóstico e já não é susto. É doença. Não é nenhum drama, os cuidados de saúde evoluiram desde o teu avô e tu és uma cidadã muito mais jovem e informada. Mantém tudo controlado e vais ver que o drama é mais pequeno do que o que inicialmente supunhas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom, utilizei esse termo por que foi o que a minha médica usou ao se referir à minha situação. E a médica que me fez as análises também usou a mesma nomenclatura (pré-diabétes) ao falar sobre o meu caso, por isso acredito mesmo que esta situação exista. Até porque só tenho indicação de tomar a medicação por mais cinco meses e depois disso... vida livre :P

      Sei que sou jovem e passado o susto inicial, estou muito confiante e bem mais tranquila. Obrigada :)

      Eliminar
  6. Muito bem Anne, é preciso nao recuar nos momentos dificeis! :) Agora queremos o antes e depois! ehehehehe

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahaha que medo! Deixa passar mais uns tempos e quando estiver boa como o milho, partilho o antes-e-depois com vocês :)

      Eliminar
  7. vais ficar ainda mais gira e, melhor que tudo, saudável! boa sorte e força

    ResponderEliminar
  8. Anne ao início custa bastante largar os doces, porque o corpo está viciado no açúcar. O açúcar é mesmo viciante fisicamente, como o café e o tabaco.
    Eu também passei pela fase de me desintoxicar do açúcar. Tive que deixar de ter tudo em casa,era a melhor maneira. Hoje acho a maioria das coisas enjoativas e já não sinto a necessidade.
    Em relação á fruta a médica explicou-te que a fruta é muito boa mas que o açúcar da mesma é de absorção rápida e por isso nunca deve ser comida sozinha? Deves acompanhar com pão ou bolachas.
    A minha mãe é diabética e eu já conheço as recomendações todas, por isso eu tento prevenir-me de ter o mesmo diagnóstico.
    Mas posso dizer-te que a doença da minha mãe está controladissima, ela tem os cuidados normais de um diabético e por enquanto só toma comprimidos. Por isso como podes ver nem tudo é mau.
    Até acho estranho a médica ter-te receitado logo medicação, sem antes saber como iria o teu organismo reagir á dieta e ao exercício. Há pessoas que quando o problema está mesmo no início conseguem reverter a situação com os devidos cuidados.
    Desejo-te boa sorte e muita saúde!!

    Ass:Ninocas

    ResponderEliminar
  9. 6.3kg em um mês!!! OMG q marvilha, parabéns!

    ResponderEliminar
  10. Ás vezes precisamos mesmo de um abanão para abrirmos os olhos. Nada acontece por acaso, acredito mesmo nisto.
    Tenho a certeza que com essa força e garra ate os diabetes fogem de ti ;) boa sorte

    ResponderEliminar
  11. Anne que Deus ilumine sua vida .Como sei que e muito prossima da sua mae,mime a muinto como se fosse o ultimo dia .perdoe o dezabafo mas acabei de perder a minha mae.

    ResponderEliminar
  12. Parabéns Anne! Está mesmo no caminho certo pelo que conta. Esse peso todo perdido é muito bom :D que maravilha, quando a roupa passa a vestir melhor até nos dá outro ânimo. Força nessa caminhada, tem um lindo objectivo :) A saúde é o que mais temos de preservar pois sem ela não há nada.
    Parabéns pela mudança. Beijinhos

    ResponderEliminar
  13. Olá Anne pode indicar um sítio confiável que faça tratamentos estéticos? outra coisa..acho que ha muito tempo atras li aqui no blog a dica de um vidraceiros BBB em oeiras.. e agora eu precisava muito de um.. pode me indicar por favor? Obrigada e boa viagem ao Marrocos!

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig