30 março 2016

Depois não digam que eu não avisei...#4

Ontem mamãe fez aniversário (e ficou deprimida por fazer 48 anos - embora esteja com rostinho de 35 ahaha) e fomos tomar o pequeno-almoço no Starbucks do shopping Alegro (ela AMA Starbucks, eu detesto mas pronto, era o dia dela). No caminho, passámos pela loja Catherine Lansfield (roupa de casa, toalhas e afins) e vimos uma placa enorme que indicava: tudo a 1€, 4€, 7€... motivo: encerramento de loja. Oi?! Agarrei na minha mãe e entrámos. Bem, o que eu fui fazer! Aquilo estava uma perdição! Tudo a preços ridículos, estava dado mesmo. Por isso, se querem renovar os vossos têxteis de casa, recomendo vivamente uma visita (a loja encerra dia 03/04).


Preços:
Ursinhos decorativos de natal (peluches): de 9,90€ por 1€ cada. 
Almofadas decorativas amarelas (já com enchimento): de 39,90€ por 4,99€ cada.
Almofada redonda com folhos (na foto não se nota mas é um azul acinzentado lindo - da cor do nosso quarto) que estou doida para arrancar com aquele botão brilhante do centro hahaha: de 12,90€ por 1€
Jogo de Lençol de cima e 2 capas de almofada (100% algodão): de 44,90€ por 4,99€ (trouxe 2)
Conjunto de 2 capas de almofada luxury em cetim: de 24,90€ por 1€ cada (trouxe 2)
Base de cama (saiote c/ pregas) em 100% algodão: de 27,90€ por 3,99€ (trouxe 3) 

Portanto, não cheguei a gastar 40€ e comprei imensas coisas com qualidade, algumas que queria há tempos mas era sempre caro (como a base da cama) e outras que comprei porque eram giras e baratas (como as almofadas, que nunca são de mais).



 Detalhe dos lençóis em 100% algodão e como fica a 'saia' de cama vestida (está toda amassada mas ontem cheguei à casa tardíssimo e foi a foto possível para vos mostrar como fica).

(quando li o aviso a dizer que a loja vai encerrar, confesso que tive aquela sensação de 'eles bem que mereceram' porque esta loja tinha um atendimento terrível e já até fiz um post sobre isso, na altura. Depois conversei com a empregada e tive pena, mais uma (fora as outras colegas que já foram dispensadas) que vai para o desemprego...)

SHARE:

27 março 2016

💔💔💔


Uma Páscoa feliz e abençoada a todos os que passam por cá! 

A verdadeira Páscoa não tem nada a ver com coelhos, amêndoas ou chocolate... É algo sublime, é um amor indescritível o que Deus sente por nós, por cada um de seus filhos. Jesus foi morto mas ressuscitou para nos dar esperança de vida e salvação eterna. Esse foi o maior amor do mundo:
✝ = ❤

Em um mundo de feridas e dor, em um mundo com lágrimas e noites de escuridão, em um mundo de perseguições e derramamento de sangue... O amor luta. E o amor vence!
SHARE:

26 março 2016

Está bem, está bem.... eu confesso:

Sinto-me 'um bocadinho' responsável por essa Páscoa chuvosa. Sim, pedi a Deus que chovesse imenso por esses dias, podem começar a lançar as pedras. Queria muuuito um fim-de-semana de chuva e tenho um mui nobre motivo:


Tenho as galochas mais giras de sempre por estrear! Daqui a nada já vão sair à rua pela primeira vez, depois de mais de um ano a desejá-las (aqui), lá vieram como prenda de Páscoa já que aqui a menina não está a aceitar chocolates :)

 ☔☔☔
SHARE:

Ontem fui ao Freeport...

... comprar uma prenda de anos e fiquei em estado de choque com o que vi: o Freeport mudou (e muito) embora ainda seja cedo para dizer se foi uma mudança boa ou ruim. Vi muitas lojas encerradas com dizeres chineses colados à porta (que, obviamente, não faço ideia do seu significado), vi corredores e ruas inteiras encerradas (por exemplo, para quem vem da praça central - aquela do carrosel - e vai em direção à Vista Alegre, Ana Sousa... pois, tudo fechadinho: já não há SPAL, nem Vista Alegre, nem Continente ou Modalfa, nem Prénatal, nem Simel... tudo fechado). Eu adorava ir à Vista Alegre (foi onde comprei os meus copos de bicos com 50% de desconto), o Continente tinha sempre coisas jeitosas para a casa (já lá comprei velas, cabides, material de escritório e até malas de viagem com descontos brutais), a Modalfa era o meu ponto de eleição para básicos e interiores. Enfim... só posso lamentar esse encerramento.

Fui à página de facebook do Freeport e está pejada de reclamações e críticas sobre o encerramento das lojas (além de uma polêmica qualquer com a morte de um cãozinho que por lá andava a passear - não sei se é verdade ou não). Muita gente escreveu que "o Freeport agora é só para ricos, só ficaram as lojas chiques e caras" mas não posso concordar. O conceito de outlet sempre esteve associado à grandes marcas e lojas de luxo (acho que ninguém está à espera de ir a um outlet da Primark, por exemplo), as pessoas que vão a um outlet por norma procuram: artigos de qualidade e materiais nobres, de colecções passadas, por um preço muito mais simpático.

Na minha concepção, não faz sentido existir uma Lefties logo à entrada do Freeport (toda a gente sabe que a Lefties é assim uma Zara dos pobres, uma espécie de cadeia 'farofeira' da Inditex) logo, não deveria estar num outlet, digo eu.  Em todos os outlets que já fui no estrangeiro, só vi grandes marcas, toda a gente espera isso de um outlet e se o  objectivo da direcção do Freeport é atrair o turismo de luxo (especialmente chineses), é óbvio que querem correr com as lojas populares e no lugar destas abrir outras de renome. Eu compreendo, é uma estratégia de marketing, embora não compreenda o sentido de terem encerrado com a Vista Alegre (que é uma loja portuguesa emblemática e de qualidade superior) mas eles lá saberão.

Não será por isso que deixarei de visitar o Freeport, mas é estranho passear por lá e notar tudo tão diferente... Continuarei com as minhas lojas de eleição: Bimba Y Lola, Coach (que abriu recentemente), Lanidor, Adidas, Asics, Samsonite e A Loja Do Gato Preto. Mas ontem infelizmente não foi um bom dia para lá ir, o marido só comprou uns ténis da Adidas e eu fiquei-me pelas malas da Bimba y Lola (logo três, que a ByL nunca decepciona!) e foi só. Era quase um loja-sim-loja-não com tantas lojas fechadas que eu nem perdi o meu tempo: vim-me logo embora.

E vocês, já tiveram a oportunidade de conhecer o 'novo' Freeport? O que acharam? Mudou para melhor ou para pior?
SHARE:

23 março 2016

Sharing love ❤

Criei este blog em Fevereiro de 2011, ou seja, há mais de cinco anos. Antes dele já tinha sido 'colunista' de um famoso blog brasileiro (que existe até hoje) sobre beleza e comportamento feminino. Estive três anos neste primeiro blog e antes dele já andava por estas bandas cibernéticas (quem é que se lembra do extinto 'fotolog'? eu era viciada!). Tudo isto para dizer que desde cedo percebi que quem se mete nisto da internet e da partilha de experiências virtual sabe que vai receber críticas, vai ouvir/ler muita coisinha desagradável, enfim, faz parte da brincadeira e nunca foi coisa que me tirasse o sono.

Nisto das críticas e dos anónimos de plantão, até me considero uma sortuda por que não recebo esse feedback com frequência (aliás, até acho que o meu anónimo(a) de estimação descobriu qualquer coisa mais gira para fazer da sua vidinha - não, não estou a reclamar, mantém-te assim) e quando recebo e percebo que o intuito daquele comentário é só mesmo me chatear ou perguntar coisas irrelevantes (por exemplo: quanto é que recebo de ordenado ou quantas vezes faço sexo com o meu marido para mantê-lo 'interessado' em mim ahahaha - juro!) simplesmente elimino e sigo o meu caminho.

Prefiro recordar das pessoas maravilhosas com quem tenho tido o prazer de me cruzar nessa blogosfera, dos amigos que entretanto fiz, das coisas que aprendi e claro, dos emails queridos que todos os dias me chegam através do blog. Pessoas que não conheço de lado algum mas que sentiram uma qualquer empatia comigo e muitas vezes escrevem-me apenas para dizer que descobriram o blog há pouco tempo, que adoram a forma como eu escrevo, que identificam-se imenso comigo e coisas assim do género. Respondo sempre a todos os emails (ontem estive até 1h e picos da manhã a responder emails tão distintos como: dúvidas sobre seguros de saúde e qual escolher, conselhos sobre o cronograma capilar e até dicas de uma viagem ao México - e ainda há quem chame este blog de fútil, não há justiça, tsc tsc tsc)

Ontem recebi um mail destes, todo especial, de uma leitora que nunca vi mas que soube ser tão querida, tão sensível e amorosa que fez o meu dia (um beijinho, Maria!). Pensar que alguém que só me conhece de um écrã de computador possa ter pedido minutos do seu dia a escrever-me um mail tão carinhosor, sem esperar nada em troca... é muito amor, minha gentxi! Gosto cada vez mais disto, apesar dos anónimos maluquinhos, o lado bom vencerá sempre. O amor vence sempre, não é isso que nos ensinam desde pequeninas? Eu cá acho que vence mesmo!





(aproveito para avisar que respondi a toooodos os emails que tinha pendentes e caso alguém não tenha recebido resposta, provavelmente o email terá ido parar noutro lado pelo que se quiserem reenviar (contacto@agarotadeipanema.com), prometo responder tão breve quanto possível)
SHARE:

21 março 2016

Coisas que me deixam a pensar... #3

Estava eu feliz e contente [e 13kg mais magra, não sei se já vos tinha dito, ai que convencida que eu estou] a terminar de preparar as últimas coisinhas antes das férias, a separar o dinheiro para ir trocar na casa de câmbio, a verificar a validade do passaporte, essas coisas chatas que devemos sempre confirmar com alguma antecedência... quando me lembro de ir verificar se era preciso alguma vacina em específico para a viagem. Na net a informação que consta é que não, apenas são necessárias as vacinas normais do plano de vacinações. "Ahh, então tudo bem, deixa cá ver o meu boletim... ups!" afinal a minha vacina contra o tétano estava vencida desde Outubro do ano passado (tem validade de dez anos) e eu lembrava-me que na altura tinha tomado junto com a Vi e mamãe, ou seja, se a minha estava vencida, a delas também!

Bem, só eu mesmo para viajar para África e esquecer de verificar o básico que são... as vacinas. E ainda por cima do tétano! Saímos da cama mais cedo e fomos as três logo pela fresquinha levar as vacinas. Chegando na CUF, a enfermeira olha para o boletim da Vi e diz: "ah mas a menina ainda não levou a segunda dose da Gardasil, pois não? Era para Fevereiro..." e abriu-se todo um novo mundo para mim... Gardasil é o nome da vacina contra o HPV, o agente causador do cancro de colo de útero. Lembro-me de há uns meses a minha mãe ter comentado qualquer coisa sobre a Vi ter ido levar uma vacina mas não associei bem o que era. Já tinha ouvido falar da vacina contra o cancro do colo de útero mas, santa ignorância, julgava que ainda nem estava a ser comercializada cá! E vai na volta, até já faz parte do Plano Nacional de Vacinação (e é gratuita até aos 18 anos).

Como é que a minha ginecologista nunca me tinha falado nisto, tendo a minha mãe feito uma histerectomia no ano passado? E como é que eu, estúpida, nunca me tinha lembrado de pesquisar sobre tal coisa? Enfim... há descobertas que vêm para o bem. À tarde marquei consulta com a minha ginecologista e perguntei-lhe todos os prós e contras da vacina, se era realmente eficaz, se era indicado que eu tomasse, enfim... Lá tirei as minhas dúvidas todas e vou na quinta-feira tomar a 1ª dose (são duas) da Gardasil.

Fiquei um bocado desiludida quando percebi que a vacina não é comparticipada pelo Estado (nem que um desconto de 20%, era melhor do que nada) e triste por perceber que tantas mulheres vão ficar sem tomar esse medicamento (parecendo que não, 250€ é metade do ordenado mínimo nacional e há pessoas que nem isso ganham de reforma, por exemplo). Acho acima de tudo injusto. Injusto que um país não olhe pelas suas mulheres, que não queira protegê-las de uma doença tão silenciosa e mortal... Para isso não há dinheiro, dizem eles. Mas dinheiro para andarem a enfiar nas mãos de ciganos (conheço dois casos em que recebem quase 1800€ do estado sem nunca na vida terem feito um desconto ou trabalhado legalmente) ou para distribuírem RSIs a quem também não contribui para nada da economia... isso há sempre. É a merda da injustiça, que me mói o juízo. Cada vez mais convenço-me que a saúde não é um bem de todos mas sim daqueles que estão dispostos a pagar por ela.
SHARE:

19 março 2016

Digam de vossa justiça:

Cabelo da esquerda (com californianas) ou cabelo da direita preto-azulado? 

Estava farta do meu cabelo tão escuro (a cor natural é castanho-escuro quase preto mas fazia regularmente banhos de brilho com coloração preta-azulada porque ainda está para existir uma cor que brilhe tanto quanto esta!), então disse à cabeleireira que queria algo que 'iluminasse' mais o rosto, que estava com vontade de mudar mas nada muito radical nem nada muito claro porque com o meu tom de pele moreno ficaria horrível umas madeixas loiras, por exemplo. Ecat. Ela sugeriu-me californianas (só uns leves reflexos nas pontas, tipo highlights) e eu concordei. Dizia ela que o meu cabelo seria difícil de aclarar porque tinha uma cor de base muito escura mas quando foi retirar as pratas, uiii, que espanto. "Ai que abriu tanto!" e eu a imaginar que saía dali tipo Beyoncé (nada contra, só acho ridículo) e lá concordámos que não ficou exactamente como eu tinha pensado (queria algo mais subtil) mas que também não queria massacrar mais o cabelo com química naquele dia, pelo que deixámos para hoje o ajuste da cor das madeixas. 

A questão é que tenho saudades do raio do cabelo preto, acho que as madeixas não ficaram como tinha imaginado (e pior, tenho um género de 'sinal' na frente do cabelo, em que a cor é bem mais clara que o resto - e isso ficou ainda mais acentuado com a coloração - abriu imenso a cor!). Ai pessoas, não sei o que faça. Nunca antes tinha descolorido o cabelo e já li na net que quanto mais sol apanhamos, mais a cor abre. E eu viajo daqui há duas semanas para um sítio cheio de sol, praia e calor, logo, deduzo que voltarei a Pipi das Meias Altas de tão vermelho que há de estar o cabelo. Ando numa indecisão do caraças... Acerto o tom das madeixas para algo mais natural ou deixo-me estar quieta e volto ao bom preto de sempre? Socorro!

SHARE:

18 março 2016

Comprei no Ebay #4

Como eu sei que vocês adoram as pechinchas que encontro no ebay e finalmente tive tempo para fotografar tudo como deve ser, cá venho mostrar-vos as coisinhas que entretanto fui comprando. De ressaltar que algumas coisas foram encomendadas num mês e só chegaram mais de 40 dias depois...  (já eu estava a pensar que tinham ficado perdidas pela alfândega - que por sinal, passou a abrir todos os meus pacotes e a pôr lá um selo manhoso, ainda não percebi bem qual a ideia). Entre coisinhas para a casa, capas de telemóvel e afins, encontro quase sempre de tudo por lá (e adoro):

Fiz a minha primeira incursão no mundo das capas de almofada através do ebay (confesso que tive medo de serem num tecido horroroso, mal cheirosas e que me fizessem comichão ao encostar na pele mas eram tão baratas que decidi arriscar). Comprei estas duas com folhagens verdes, já a chamar pela Primavera, por cerca de 3€ cada. As 'peludinhas' comprei nos saldos da Primark, por 2€ cada (traziam enchimento e tudo!). [Almofadas ebay: Aqui e Aqui]

Ainda na saga das almofadas, trouxe esta com riscas em veludo e tons turquesas (a cor do nosso quarto) por cerca de 4€ e tem uma qualidade incrível, não fica nada a perder quando comparada às da Loja do Gato Preto, por exemplo. Fiquei arrependida de ter comprado apenas uma e já voltei a comprar novamente para fazer o par. As azuis que estão por trás comprei também na Primark, em saldos, por 3€ cada (e também traziam o enchimento). Eu amo uma cama fofinha cheia de almofadas, fica tão confortável e charmosa... [Almofada ebay: Aqui]

E por fim... ou antes que o meu marido me mandasse internar por comprar tantas almofadas (eu gosto tanto de combinar roupas de cama com almofadas, mantas, colchas... que temos um roupeiro no corredor só para estas coisinhas, adoro mesmo), estas foram as últimas que comprei e que levaram só duas semaninhas a vir da China para Oeiras :P São muito bonitas (ainda mais do que na foto) mas o tecido é muito fininho, o que me vai obrigar a lavá-las à mão... só arranjo trabalho para mim. [Almofadas ebay: Aqui]

Capas de telemóvel! A sério, o ebay provavelmente é o melhor sítio do mundo para comprarmos acessórios tech, tem de tudo ao preço da uva mijona, não dá para resistir... Como sabem, troquei de telemóvel no Natal e agora sou a feliz proprietária do Huawei P8 (é o máximo, estou in love por ele, levezinho e rápido como tudo. E giro que se farta). Como não tinha nenhuma capa, decidi comprar tudo no ebay e não me arrependo: capas em inox, em alumínio escovado, super giras... e todas abaixo dos 4€ cada. Cá nas lojas especializadas, tipo The Phone House ou Worten, as capas mais baratas são a 10€ (e feias como tudo). Não há comparação possível. (é claro que exagerei e comprei algumas capas pirosas, como a da Victoria Secrets em cor de rosa hihihi).

A famosa 'película de vidro' para proteger o ecrã do telemóvel também foi comprada no ebay e aqui abro um parênteses: esta foi a segunda película que encomendei. A primeira que comprei era tão fina, num vidro tão rasca, que partiu-se logo que tentei instalar. E pior que tinha comprado uma para o iPad e veio do mesmo vendedor, ou seja, partiu-se também. Aquilo era uma coisa impossível de manusear, mega mega frágil, nem se compara a essa que comprei depois. Custou a mesma coisa (menos de 2€) e é grossa, num vidro resistente, nota-se até o relevo. Por isso, quando forem comprar analisem bem as opções e tentem ler o feedback das pessoas que compraram esse mesmo artigo.  [Película de vidro no Ebay: Aqui]

E num registo mais pessoal (hehehe) comprei vários acessórios para a brincadeira entre quatro paredes :) Desde chicotes, algemas, máscaras, lingerie sexy, acessórios e brinquedinhos para mil e uma coisas, enfim, aquilo é o mundo. E tudo super barato (põe qualquer sex shop lisboeta a um canto, tamanha a variedade e padrão de preços!). Não gastei nem 7€ em tudo o que estão a ver na fotografia e já voltei a encomendar mais coisinhas (que entretanto não posso partilhar por motivos de 'decoro' hahaha).

Mais recentemente comprei também produtos de beleza (que devem estar mesmo a chegar) e que depois partilharei convosco os links. Comprar no ebay é um vício, confesso! Às vezes, em momentos de ócio, fico a passear por lá e a pensar: "hummm que coisas giras é que posso encontrar hoje?" ahahaha e desta vez o marido ficou tão animadinho com as últimas comprinhas que quando me apanha no computador a fazer compras, já começa a lançar-me olhares maliciosos :P
E vocês, que coisinhas têm comprado pelo ebay?
SHARE:

15 março 2016

Adiar a maternidade - por quê?

Constantemente sou abordada com o fantástico assunto estão-a-caminho-dos-dois-anos-de-casados-e-ainda-nao-ha-bebés, o que me causa sempre um bocadinho de comichão porque este assunto só a mim e ao M. (e vá, à nossa família chegada) diz respeito mas enfim, as pessoas não 'se mancam' por elas. Acho até ofensivo perguntar 'para quando é o bebé?', sabem lá, por exemplo, se já não estamos a tentar há algum tempo? Sabem lá se existe alguma complicação? (que por acaso até chegou a existir). É um abuso esse tipo de perguntas e eu respondo sempre com a resposta mais génerica (ainda que verdadeira) que é: faz parte dos nossos planos mas para já ainda somos demasiado egoístas para nos dedicamos a 100% a um bebé. Uhhh, o choque, o horror! Consigo ver o olhar aterrorizado na cara das pessoas quando eu dou essa resposta mas é a mais pura verdade.

Ter um filho não é ir ali à Zara, comprar umas calças e se não nos servir, devolvemos. É um compromisso para toda a vida, é talvez dos atos mais corajosos que uma mulher pode ter na vida (porque acarreta renúncias, mudança de vida, preocupações sem fim, colocar-se em segundo plano, enfim...). E o mais engraçado é que as minhas duas amigas mais chegadas, que me estão sempre a moer-me o juízo com o tema (já são ambas mães) quando lhes perguntei com sinceridade se não sentiam saudades da vida «antes de serem mães», ambas responderam-me que sim, que ser mãe é incrível mas que se pudessem teriam adiado um pouco mais antes de embarcarem nessa aventura. Estes dois casos são uma pequena amostra, é claro, mas olho para elas e sei que não quero ter um filho e depois andar arrependida (é que depois do puto estar cá fora já não há muito mais a fazer).

SHARE:

13 março 2016

Procura-se vivo ou morto #5

Alguma alguma caridosa sabe onde posso encontrar o kit CPR da Senscience? Já corri tudo o que é site online onde habitualmente compro os produtos da marca e nada... desapareceu! Pesquisei na BeautyBay, na Feelunique ... nada! O site da marca não tem venda online, em Portugal só conheço um sítio que vende esse produto (num cabeleireiro nas Amoreiras, aqui) mas cobram o dobro do preço (na verdade, mais que o dobro) do que eu costumava pagar nas lojas online... (em último caso, lá terá que ser).

O único sítio onde encontrei o CPR (para quem não sabe, é um produto mega powerfull, do tipo levanta-defundo, para cabelos que passaram por processos químicos agressivos - ide pesquisar na net, ele é uma bomba!) foi no ebay mas o vendedor é de Hong Kong e não querendo ser preconceituosa - mas já sendo - sei lá eu o que o raio do homem enfiou lá para dentro da caixinha! (compro tudo pelo ebay, é verdade, mas produtos de cosmética ainda não consigo arriscar, morro de medo de vir outra coisa dentro da embalagem - os asiáticos primam tanto pelas falsificações que uma pessoa fica de pé atrás).

A questão é que fiz uma loucurinha capilar (descolori o cabelo, pessoas! Depois de 29 anos de existência com cabelos pretíssimos, quis mudar  - mas nada de loiros, como podem imaginar - e apesar de ter adorado o resultado final, as pontas do meu cabelo pedem socorro urgente!) e eu só confio no CPR para me devolver o cabelinho sedoso de sempre. Ajudem esta pobre alma, sim? Partilhem onde posso encontrar esse queridinho e prometo amizade para sempre. E das boas :)

SHARE:

11 março 2016

Pequenos dilemas da vida conjugal #3

Ontem à noite o marido descobriu um site que tem tooodos os episódios da sua série preferida, disponíveis para assistir online. Veio dar-me a boa nova com os olhinhos brilhantes de satisfação! Acendemos a lareira, esticámo-nos no sofá, mantinhas pra cima, um prato de brigadeirão (para ele, eu resignei-me a uma barrinha de cereais - bleergh!) na mesinha de centro e as séries do homem a passar no portátil. Às tantas virei-me para ele e disse: "bem, tu estás com a vida que pediste a Deus, hã?" e pisquei-lhe o olho, na brincadeira. O esturpor levanta a cabeça do pc, olha-me nos olhos e diz: "Quase, para ficar mesmo completa falta-me um filho".

Aiii caraças, foi logo um balde de água de fria. Até me levantei do sofá com o impacto da resposta. Poxa amor, se não sabes brincar, não se brinca, pronto. Bolas!

(como se já não bastasse mamãe a apurrinhar-me com o assunto dia sim, dia também - e mais recentemente o sogro juntou-se ao peditório - agora o homem solta-me estas frases assim, tudo é bebés, bebés,  bebés por todo o lado. Que medo! Não duvido que sejam a coisa mais amorosa do mundo, fofinhos que só, mas... cada coisa a seu tempo, sim? Ainda não tenho o meu relógio biológico a dar horas, não sinto com impulsos maternais e pior, tenho um pavor absurdo do parto (só de pensar nisso é coisa para me revolver as entranhas, Jesus!). Um dia, com certeza, mas não agora. Não mesmo agora.)
SHARE:

08 março 2016

Estou pior que estragada!

Então não é que ontem fiz uma descoberta pra lá de maravilhosa? Algo que me fez dar pulinhos de felicidade... Estão curiosas, não estão? Pois que ontem, pelas 12h30, saí a voar do trabalho para fazer um depósito no BPI e ao chegar à porta do banco, surpriiiiise! A querida agência bancária estava fechada. Cerradinha da silva. Incrédula, ainda olhei para o relógio naquela de 'será que já são 3h da tarde e nem me apercebi?" mas não, eram exactamente 12h36 e o banco fechado. Num momento de loucura, pensei com os meus botões: mas queres ver que hoje é algum feriado e eu não sei? Mas... espera, se fosse feriado eu também não estaria a trabalhar, logo... algo se passa".

Pois que sim, depois de dar com a cara na porta lá reparei num papel afixado com o horário que diz que, desde Janeiro desde ano a dita agência bancária passou a fechar para almoço das 12h às 13h. Sim, que o banco por norma já tem um alargadíssimo horário de atendimento ao público (nem fecha às 15h nem nada...) e ainda acham produtivo fecharem das 12h às 13h para então reabrirem e trabalharem no exaustivo turno que vai das 13h às 15h. Vejam lá se não querem também meter uma pausa para o lanche da tarde, ali entre a horinha do almoço e o cafézinho das 15h30. Ora, poupem-me! Eu gostava de saber quem foi o gênio que teve a ideia de pôr uma agência bancária a fechar à hora do almoço, que é basicamente o horário em que as pessoas que trabalham têm disponível para fazer os seus depósitos e afins. E eu sou pessoa que tem mesmo raiva de bancos, faço tudo na internet ou no telemóvel, só vou parar em agências bancárias quando não tenho mesmo opção (que foi o caso) e mesmo assim tive que ir para outro bairro fazer o raio do depósito porque na zona onde eu estava já não havia mais nenhum BPI...

Estou tão farta desta crise no atendimento ao público, ele é cortes em tudo e mais alguma coisa e nós, consumidores, pagamos sempre o pato. Ou porque esperamos o dobro do tempo na fila porque só têm uma caixa a funcionar, ou porque somos obrigados a conduzir vários km's à procura de outra agência bancária, ou simplesmente porque nos moem o juízo. Não estou para isso, estou farta!
SHARE:

03 março 2016

E lá se foram 8!

Oito quilos à vidinha! Tão bom, caraças, tão bom! Ouso dizer que é das melhores sensações do mundo, a de vestir umas calças de ganga que já não nos entrava há mais de seis anos e vê-la deslizar até a cintura com facilidade. E fechar! Eram quase duas da manhã e eu ainda estava a revirar gavetas à procura de roupas que me estavam apertadas para experimentar, roupa do tempo da faculdade que eu já não vestia há séculos (a maior parte acabei por dar quando me convenci que não as vestiria num futuro próximo mas as peças de marcas mais caras não tive coragem de deitar fora e guardei - e agora ficam-me super bem!). Vá, deem-me um desconto, estou uma convencidona do pior, eu sei. 

Há anos que tentava fazer dieta e nada resultava. Perdia uns quilos, achava que estava bem, voltava a comer porcarias e a coisa dava para o torto. Nunca tinha conseguido manter os bons resultados porque sempre via as dietas como um período no qual eu tinha que fazer muitas restrições (e fazia) mas depois era vida normal de novo, já poderia voltar a comer. Agora que aprendi o que realmente devo comer, nas quantidades certas, nos horários devidos... bem, ninguém me segura! Veeem, verão! E pensar que foi preciso um susto daqueles para que eu ganhasse vergonha na cara e me pusesse a pau...

(já disse e repito: não há gula nesse mundo ou prazer em comer que supere a felicidade de hoje vir para o trabalho com as mesmas calças de ganga que usava aos 21 anos. Desculpem, mas é meeeesmo bom!) 

Dica-extra: eu concilio três coisas que acho fundamentais para a perda de peso: reeducação alimentar, exercício físico e drenagens linfáticas (combinadas com massagens anticelulíticas - uma bomba, meus amigos). No primeiro mês custou muito mesmo, vinha para casa cheinha de nódoas negras na barriga e nas coxas (a massagem anticelulítica dói e não é pouco mas os resultados, caraças, os resultados são mesmo visíveis - já não vivo sem).

SHARE:

02 março 2016

Coisas que me deixam a pensar #2

Aqui há uns dias partilhei no instagram esta imagem, das compras que tinha feito no último fim de semana na Zara Home (tudo artigos de saldo). Se é verdade que adoro variar na roupa de cama, também é verdade que não há nada que verdadeiramente me faça falta neste campo, daí que opte por só 'gastar' dinheiro nisto quando é altura de saldos. Nessa última incursão fiquei assustada com a redução de preço das peças que trouxe. Capas de almofadões (60x60cm) que custavam 27€ cada e eu trouxe por 4,99€, por exemplo. Outras que custavam 19,90€ e comprei por 2,99€. Artigos a 1€...


É verdade que é uma delícia comprar um artigo do qual gostamos por 20% do seu valor comercial mas até que ponto não estamos a ser endrominados? Quer dizer, se é verdade o que dizem sobre aquela lei que afirma que é proibido vender-se um artigo pelo preço inferior ao preço de custo... como podemos explicar que vendam coisas com 80% de desconto? A mim só me transmite a sensação de que estas marcas têm uma brutal margem de lucro durante todo o ano, daí que na altura de saldos possam fazer 'loucuras' destas e venderem a um preço tão ridículo... Estou certa? Os entendidos no assunto que se cheguem à frente que este assunto já me deu o que pensar.
SHARE:
© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig