26 março 2016

Ontem fui ao Freeport...

... comprar uma prenda de anos e fiquei em estado de choque com o que vi: o Freeport mudou (e muito) embora ainda seja cedo para dizer se foi uma mudança boa ou ruim. Vi muitas lojas encerradas com dizeres chineses colados à porta (que, obviamente, não faço ideia do seu significado), vi corredores e ruas inteiras encerradas (por exemplo, para quem vem da praça central - aquela do carrosel - e vai em direção à Vista Alegre, Ana Sousa... pois, tudo fechadinho: já não há SPAL, nem Vista Alegre, nem Continente ou Modalfa, nem Prénatal, nem Simel... tudo fechado). Eu adorava ir à Vista Alegre (foi onde comprei os meus copos de bicos com 50% de desconto), o Continente tinha sempre coisas jeitosas para a casa (já lá comprei velas, cabides, material de escritório e até malas de viagem com descontos brutais), a Modalfa era o meu ponto de eleição para básicos e interiores. Enfim... só posso lamentar esse encerramento.

Fui à página de facebook do Freeport e está pejada de reclamações e críticas sobre o encerramento das lojas (além de uma polêmica qualquer com a morte de um cãozinho que por lá andava a passear - não sei se é verdade ou não). Muita gente escreveu que "o Freeport agora é só para ricos, só ficaram as lojas chiques e caras" mas não posso concordar. O conceito de outlet sempre esteve associado à grandes marcas e lojas de luxo (acho que ninguém está à espera de ir a um outlet da Primark, por exemplo), as pessoas que vão a um outlet por norma procuram: artigos de qualidade e materiais nobres, de colecções passadas, por um preço muito mais simpático.

Na minha concepção, não faz sentido existir uma Lefties logo à entrada do Freeport (toda a gente sabe que a Lefties é assim uma Zara dos pobres, uma espécie de cadeia 'farofeira' da Inditex) logo, não deveria estar num outlet, digo eu.  Em todos os outlets que já fui no estrangeiro, só vi grandes marcas, toda a gente espera isso de um outlet e se o  objectivo da direcção do Freeport é atrair o turismo de luxo (especialmente chineses), é óbvio que querem correr com as lojas populares e no lugar destas abrir outras de renome. Eu compreendo, é uma estratégia de marketing, embora não compreenda o sentido de terem encerrado com a Vista Alegre (que é uma loja portuguesa emblemática e de qualidade superior) mas eles lá saberão.

Não será por isso que deixarei de visitar o Freeport, mas é estranho passear por lá e notar tudo tão diferente... Continuarei com as minhas lojas de eleição: Bimba Y Lola, Coach (que abriu recentemente), Lanidor, Adidas, Asics, Samsonite e A Loja Do Gato Preto. Mas ontem infelizmente não foi um bom dia para lá ir, o marido só comprou uns ténis da Adidas e eu fiquei-me pelas malas da Bimba y Lola (logo três, que a ByL nunca decepciona!) e foi só. Era quase um loja-sim-loja-não com tantas lojas fechadas que eu nem perdi o meu tempo: vim-me logo embora.

E vocês, já tiveram a oportunidade de conhecer o 'novo' Freeport? O que acharam? Mudou para melhor ou para pior?
SHARE:

18 comentários

  1. deixei de ler na parte em que diz: "(toda a gente sabe que a Lefties é assim uma Zara dos pobres, assim uma espécie de cadeia 'farofeira' da Inditex)".

    Zara dos pobres? E tu és que, rica? Pois que eu saiba ricos não andam a fazer compras em outlets, ó finória. Esta tem a puta da mania, só pode!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico genuinamente feliz em saber que deixou de ler o post a meio... era bom que também deixasse de passar por cá, epá, isso é que era!

      Se não compreendes uma figura de linguagem (e das básicas), quem sou eu para perder o meu tempo a tentar explicar? Boa Páscoa para si e que coma muitos chocolates a ver se a azia lhe passa e se a sua vida fica um bocadinho mais doce :)

      Eliminar
  2. Não, anónimo, bem podes tentar mas jamais verás um comentário teu publicado neste blog (já tentaste tantas e tantas vezes... e o destino foi sempre o botão delete). Conheces-me da 'vida real' (aliás, conheceste-me em tempos idos) e achas que sabes tudo da minha vida. Lamento, não sabes. E no que depender de mim, vai continuar a ser assim (raivinha dos dentes por que eliminei-te do meu facebook... dói mas depois passa). Beijinhos!

    ResponderEliminar
  3. O outlet daqui também é uma vergonha. Mudaram o nome para outlet nem se percebe porquê. Inclusive tem duas lojas chinesas ( porém mascaradas) com preços ridículos. Tipo uma mala de marca nenhuma e bem feia com preço de outlet 60euros! Calças do chines que antes custavam 100€ e agora custam 30€ ( querem fazer as pessoas passar por parvas). Nessas já nem entro e tenho pena de quem se deixa enganar apesar de me aperceber que normalmente estão as moscas... Fazia falta um outlet "verdadeiro". Com boas marcas a preços que valham a pena. Agora outlet com lojas de chines não devia ser chamado outlet.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero bem que não se lembrem de pôr destas lojas chinesas 'disfarçadas' de lojas do comércio tradicional... para comprar nos chineses vamos nós em qualquer lado, o conceito de outlet não condiz com esse tipo de loja, penso eu.

      Já estive também no Campera mas achei muito fraco comparado ao Freeport, é pena... O Strada Outlet, em Odivelas também não é nada de jeito. Espero que apareçam novas lojas interessantes no Freeport :)

      Eliminar
  4. Olha Anne, discordo. O conceito de outlet pode ter surgido com grandes marcas a preços mais simpáticos -e é para isso que os espanhóis visitam o Freeport - mas para o consumidor médio português não é bem assim, e acredito que muita gente vá deixar de visitar por não ter dinheiro para as marcas que ficaram e para as que vão abrir. É o meu caso. Não tenho poder económico para fazer compras nos centros comerciais fora da época de saldos, por isso sempre fiz compras no Freeport e sempre nas marcas mais baratas: Mango, Fifty Factory, Spaccio, Ada Gatti e os ocasionais achados na Lefties e na Pull&Bear. Adorava também o Continente! Gosto muito da Bimba Y Lola, mas é raro ter oportunidade de comprar lá qualquer coisa. Esta é a realidade da maioria dos portugueses, por isso não acho que faço sentido, no nosso país, um outlet de luxo. Fará sentido para atrair clientes estrangeiros, mas para isso já existiam muitas lojas de grandes marcas. Tenho mesmo pena porque gosto muito da arquitetura do Freeport e visitava-o muitas vezes, mas para mim mudou para pior.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, tens razão, talvez para o consumidor médio português não faça mais sentido visitar o Freeport depois dessa mudança de target mas também precisamos lembrar que o Freeport foi/é um investimento gigantesco e algo deste porte para sobreviver precisa de lucros. Obviamente, a direcção do Freeport acabou por privilegiar o turismo de luxo (espanhóis, chineses, angolanos e brasileiros) em detrimento do consumo português porque infelizmente esta gente só contabiliza € e lucros. E lojas como Continente e afins vendem num mês o que certas lojas de luxo vendem num fim-de-semana.

      Eu também adorava a Fifty Factory, tinha roupas impecáveis para trabalhar, assim mais clássicas por preços baixinhos e tive imensa pena que tivesse fechado. Eu não consigo criticar a decisão do Freeport porque em todos os outlets a que fui, nunca vi Mango ou Zara, mas sim GAP, Michael Kors, Ted Baker e lojas do género: padrão médio-alto, então, porquê pensar que cá em Portugal seria diferente?

      (o chato é que já estávamos habituados à certas lojas - falo por mim - e é mesmo estranho passar por lá e ver tudo com placas chinesas, estou para ver o que é que vai surgir ali).

      Eliminar
    2. Anne o conceiro de outlet significa que são lojas de qualquer marca com artigos de colecções anteriores vendidos a preços mais baixos, por isso qualquer marca tem lugar seja no Freeport ou em qualquer outro outlet. Visite por exemplo o de "Vila do Conde" que será talvez o maor do pais e depois verá a variedade de marcas que existem por lá.

      Eliminar
  5. Também lá estive há umas semanas, Está fraco muito fraquinho, um dia destes fecha. Entro sempre na Bimba &Lola, Purificacion Garcia, Saccor e Benetton. Vá lá que estas ainda não desapareceram. Na bimba & lola descubro sempre grandes achados.

    Beijinho

    Maggie

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maggie, também pensei o mesmo: qualquer dia fecha mas depois vi que estava mesmo apinhado de gente (parecia altura de Natal, cheio até rebentar) e certas lojas até era difícil para andar lá dentro, tamanha a confusão (caso da Bimba y Lola, por exemplo).

      Beijinhos

      Eliminar
    2. Estes dias de Páscoa os shoppings enchem, é das alturas do ano que mais vendem a par com o Natal. Eu as ultimas duas vezes que lá fui, há poucas semanas fui em dias de semana, uma tristeza, não andava lá quase ninguém. Também adoro outlets e sou a favor das marcas de luxo em outlets, acho que se fazem grandes compras a preços mais acessiveis, ainda não entrei na Coach, mas para a próxima vou lá.
      Beijinho

      Maggie

      Eliminar
  6. Oi, garota,Não consigo enviar te os meus emails. São todos devolvidos. Saberás a razão disso ? Tecnicamente haverá um qualquer problema. Peço ajuda, 💟💟💟💟💟💟 maria

    ResponderEliminar
  7. falei com uma pessoa que trabalha lá e disse-me que estão a remodelar, vão abrir muitas marcas de luxo (já lá está a Coach) e as lojas estão a ser todas remodeladas.

    ResponderEliminar
  8. Eu há uns meses também fiquei chocada com a quantidade de lojas que fecharam. Eu confesso que costumava ir a lojas como P&B, Nike, Asics, Continente, Parfois, Intimissimi lá mas ultimamente não acho que os preços estejam assim tão apelativos como em tempos já foram. Mas talvez seja opinião só minha, não sei. Já não gosto tanto como gostava de lá ir. E talvez seja mesmo pelas marcas que agora lá estão. Espero sinceramente por novas lojas mais interessantes :P
    Vamos ver. Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. O freeport pediu a todas as lojas que reformulassem a aparência das lojas, a Sonae não quis gastar dinheiro nisso e como eram lojas convidadas não pagavam rendas fecharam e também já não faziam grande lucro (sei disto, porque trabalhei na modalfa de lá). Outras lojas como a Cortefiel estão agora encerradas porque se estão a modernizar. Eles querem mudar o conceito para de luxo porque verdade seja dita os clientes que mais temos mesmo ao fim de semana são chineses, angolanos e brasileiros (sei disto porque trabalho lá ahah). Isto também tem a ver com a suposta construção do aeroporto do Montijo e a ideia de existir uma ligação entre esse aeroporto e o freeport. A verdade é com muitas lojas encerradas o freeport sofreu bastante, mas tenho esperança que o esforço recompense! :)

    ResponderEliminar
  10. O que eu gostava de saber é o seguinte. considero uma afronta dos malditos dos Ingleses terem tido a LATA suprema de dizer à VA que achavam que esta não tinha qualidade suficiente para permanecer - tinham-se mudado há pouco tempo para uma loja nova, por isso essa de lhes pedirem para reformular as lojas, não se deve aplicar aqui.
    Quem é essa gente para expulsar a VA?? Um ícone nacional, a 8ª maior fábrica de porcelanas do mundo, com a qualidade que tem que nem é preciso perguntar para ser óbvia.... fiquei tão surpresa quanto indignada.
    Casi isto se confirme.... não volto a pôr lá os pés. Ofendem um ícone Português?? Não os beneficio nem obrigada. Detesto essa gente....

    ResponderEliminar
  11. E a ralph Lauren pelo Freeport, será que vai abrir? :)

    ResponderEliminar
  12. Que eu saiba a Loja do Gato Preto não é uma loja de decoração prestigiada e de ricos e está lá no Freeport. Digamos que é assim uma espécie de Boconcept mas para os pobres....
    Malas da Bimba Y Lola? Sobrinhas do Adolfo Dominguez? Digamos que é assim uma Louis Vuitton ou uma Longchamp mas para aqueles que se acham ricos mas ainda não são (e provavelmente nunca irão ser...).
    Lanidor? Esta é só a versão Bimba Y Lola mas ainda mais rasca que a Bimba!!!
    De todas as lojas que esta tipa diz que vai consumir, só uma entro departamento considerado de luxo: Coach.
    Esta tipa é uma Bimba!

    ResponderEliminar

© A GAROTA DE IPANEMA . All rights reserved.
MINIMAL BLOGGER TEMPLATES BY pipdig